Direto
Final da Taça de Portugal. Acompanhe em direto este jogo com a RTP e a Antena 1

Ponto estratégico. Ucrânia reforça tropas para contrariar avanço russo em Chasiv Yar

por Joana Raposo Santos - RTP
O objetivo russo, segundo o comandante-chefe das forças ucranianas, será tomar Chasiv Yar antes de 9 de maio. Valentyn Ogirenko - Reuters

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas ucranianas, Oleksandre Syrsky, avançou este domingo que as tropas que defendem a cidade de Chasiv Yar, ponto estratégico na frente oriental, receberam mais armas para conseguirem bloquear de forma mais eficaz a investida do exército russo. Segundo Kiev, Moscovo planeia conquistar esse local até 9 de maio, data em que se assinala a vitória da União Soviética sobre a Alemanha nazi.

"Foram tomadas medidas para reforçar significativamente as brigadas com munições, drones e equipamento eletrónico de guerra", escreveu Oleksandre Syrsky no Facebook, um dia depois de revelar que a situação na frente oriental se tinha "deteriorado consideravelmente" e que os soldados russos estavam a intensificar a sua pressão em direção a Chasiv Yar.

Se as forças russas conseguirem tomar a cidade, é-lhes aberta a possibilidade de avançarem e conquistarem mais território. Chasiv Yar fica no topo de uma colina a menos de 30 quilómetros de Kramatorsk, a principal cidade dessa zona ainda sob controlo ucraniano e um importante centro logístico para o exército de Kiev.

O objetivo russo, segundo o número um das forças ucranianas, será tomar Chasiv Yar antes de 9 de maio, dia em que a Rússia comemora a vitória da União Soviética sobre a Alemanha nazi.

Segundo Oleksandre Syrsky, Moscovo está neste momento "a concentrar os seus esforços para romper as defesas a oeste de Bakhmut", cidade conquistada pelos russos em maio do ano passado.
Troca de ataques intensifica-se
Nas últimas semanas, as tropas russas intensificaram os bombardeamentos na região fronteiriça de Kharkiv, onde se situa a cidade com o mesmo nome, a segunda maior do país. No sábado, um ataque matou duas pessoas numa aldeia dessa região.

Já este domingo, um ataque com um drone russo terá sido responsável pela morte de uma pessoa na cidade vizinha de Sumy, de acordo com o gabinete do procurador-geral da Ucrânia.

Vladimir Saldo, responsável ucraniano pela supervisão da ocupação russa em Kherson, adiantou também este domingo que ataques ucranianos mataram duas pessoas e feriram outra em várias aldeias da região ocupadas pelas forças russas.

Além disso, Kiev destruiu dez drones que Moscovo lançou sobre o seu território. A Força Aérea ucraniana referiu ainda, na plataforma Telegram, que a Rússia atacou o país com quatro mísseis, mas não revelou o que lhes aconteceu.

Por outro lado, o Ministério russo da Defesa disse este domingo que os seus sistemas de defesa aérea destruíram dez drones lançados pela Ucrânia na região de Krasnodar, a sul da Rússia, assim como cinco drones que sobrevoavam o Mar Negro.

c/ agências
pub