Temer não se demite mas avançam os protestos

| Mundo

Os brasileiros estão de novo na rua agora a pedir a demissão de Michel temer
|

O Presidente do Brasil refutou as acusações de suborno, mesmo depois de o Supremo Tribunal Federal ter divulgado as gravações feitas pelo empresário Joesley Batista, nas quais Michel Temer supostamente dá o aval ao pagamento de um suborno ao ex-líder da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha. Nas ruas cresce a onda de protestos.

Quem já se demitiu foi o ministro da Cultura Roberto Freire, líder do Partido Popular Socialista e um dos apoiantes do Governo de Temer. Também Bruno Araújo, ministro das Cidades, deixou o seu cargo.

Freire disse esperar que o Presidente renunciasse depois das notícias sobre suspeitas de incentivar ao pagamento de subornos.

O Supremo Tribunal Federal brasileiro autorizou a abertura de um inquérito a Michel Temer. Isto no mesmo dia em que um juiz daquele órgão divulgou a gravação da conversa entre o Presidente e o empresário Joesley Batista.

Num dos trechos, Temer aparenta concordar com uma "mesada" que estaria a ser entregue ao antigo deputado Eduardo Cunha, condenado por envolvimento nos esquemas de corrupção na petrolífera Petrobras.


Na mesma conversa, Temer parece concordar com Batista quando este lhe diz que já contam com o apoio de um procurador num processo contra a empresa JBS, grande produtora de carnes do Brasil.

Protestos contra o Presidente do Brasil decorreram quinta-feira à noite em diversas cidades do Brasil: Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Curitiba, Salvador, Fortaleza e Porto Alegre.

Os brasileiros estão nas ruas a pedir a destituição de Michel Temer. Depois de Dilma Roussef, destituída da Presidência por alegados crimes fiscais, também o sucessor corre o risco de perder o mandato.

Tópicos:

Brasil, Corrupção, Gravações, Lava-Jato, Michel Temer, Presidente,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um mês depois dos incêndios, ainda há raízes em combustão sob a terra no concelho de Pedrógão Grande. Reunimos aqui um conjunto de vídeos em 360 graus captados no local.

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Nos últimos dois anos a RTP ouviu três vozes com diferentes perspetivas do conflito israelo-palestiniano: Miko Peled, Shahd Whadi e Tamir Ginz.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.