João Fernando Ramos

João Fernando Ramos

Opiniões mais Recentes

Eu percebo que seja incómodo fazer a mesma pergunta, 21 vezes, à Procuradora Geral da República, mas essa é a pergunta que muitos portugueses fazem nesta altura, mesmo aqueles que não gostam nada de José Sócrates. Afinal quanto tempo se pode manter a suspeição sobre uma pessoa, que foi detida, ...

    Esta semana, pegando nos 60 anos da RTP, desafiámos três professores universitários a alinhar o Jornal 2. A ideia era acrescentar saber, outras visões, juntando o conhecimento da academia com a nossa experiencia diária na busca de novas abordagens para a informação. A experiência foi surpreendente ...

      A justiça entrou na campanha e a palavra dada por François Fillon, afinal, não vai ser honrada.

        Esta semana entrevistei o Ignacio del Valle depois da leitura impressionante de Céus Negros. O livro mergulha na Espanha de Franco, com um olhar puro sobre a miséria e as profundas divisões de um país que ainda vivia com demasiadas feridas de uma diríssima guerra.

          A semana fica marcada pela ameaça de novos conflitos. A Coreia do Norte fez um ensaio com um míssil de longo alcance, ignorando os avisos e as ameaças da ONU e da comunidade internacional.

            Esta semana entrevistei no Jornal 2 os ministros da Defesa de França e Portugal. A conversa foi por estes dias, pelos desafios que nos coloca o terrorismo e para a ameaça que podem significar para países como Portugal, as guerras no Mali e na República Centro Africana, onde estão nesta altura ...

              O jornalismo está a reinventar-se perante os mil e um desafios de um mundo que tem novas formas de comunicar, mas mantém a necessidade de perceber, com verdade, o que está a acontecer. A loucura da ilusão de que se captam audiências no sensacionalismo, uma vertente do populismo reinante, está a ...

                Esta semana estive num debate sobre a gestão das cidades, onde a mudança nas nossas formas de produzir e consumir energia voltaram a ser um dos temas centrais. Portugal tem um belo caminho nas energias renováveis, mas fica sempre a ideia de que é uma opção cara e ainda pouco segura. Será mesmo?

                  O Reino Unido já deixou claro o caminho que vai seguir no Brexit, por onde vai traçar a estratégia de uma nova economia global e que parceiros irá ligar numa ponte com os Estados Unidos e as potências asiáticas. A liderança desta Europa parece não ter percebido, deixando ameaças e admitindo um ...

                    Ontem assistimos a mais um dos sinais da intolerância de Donald Trump à liberdade. A CNN revelou informações sobre os dados que a Rússia teria sobre negócios e momentos menos próprios da vida privada do presidente eleito da América.

                      Volto ao assunto, porque há coisas que não podem mesmo ficar assim e o tempo vai passando. A Bastonária da Ordem dos Enfermeiros foi ao Parlamento repetir que um hospital deixou doentes sem comida e medicação durante dois dias, mas Ana Rita Cavaco diz que só revela o nome da unidade ao Ministério ...

                        A mudança na Casa Branca fica marcada por varias polémicas, com a administração Obama a deixar marcadas posições, que Donald Trump já anunciou querer reverter.

                          Esta semana sentimos a necessidade de fazer uma reportagem mais alargada para o Jornal 2 com alguns dos motivos que levaram à guerra na Síria, explicando o posicionamento dos Estados da região, dentro de um complexo xadrez internacional, onde o petróleo e o gás e as centralidades deste gigantesco ...

                            A denúncia é brutal. Vários doentes estiveram dois dias sem alimentos e medicação num hospital público. Quem o afirma, claramente, é a Bastonária da Ordem dos Enfermeiros, sem identificar o hospital.

                              A notícia passou praticamente despercebida, mas ontem não foi possível um entendimento no Parlamento para ser votada a reabertura dos tribunais do interior, que foram fechados nos últimos anos. O Governo previa começar o ano, com nova vida na Justiça, mas a democracia tem regras e o diploma tem que ...

                                Portugal quer rentabilizar as plataformas dos Açores, com um centro de ciência a nascer nas Lajes e um alargamento do que hoje já se faz em Santa Maria, com os olhos no espaço.

                                  Estamos todos chocados com as imagens brutais, alegadamente dos dias de hoje em Alepo. Ver crianças a sofrer assim, o grau de destruição da cidade, a brutalidade dos combates que envolvem tantos lados e fações, que dificilmente entendemos a razão, se é que ela existe.

                                    A eleição de Donald Trump provou de novo o distanciamento entre a opinião publicada e a realidade do pensamento das pessoas.

                                      Lisboa centra atenções na Web Summit e nas novas ideias de negócio, protagonizadas por uma nova geração que já nasceu com as pontas dos dedos à dimensão de um qualquer teclado. É uma mudança que vamos seguindo e que se desenvolve num mundo que nos parece virtual.

                                        2017 será ano de eleições autárquicas, as mais próximas das pessoas, onde a cidadania deve assumir o seu pleno. Os partidos ainda vão monopolizando as escolhas, mas há um significativo movimento de independentes que deve ser seguido com atenção.

                                          Este é o dia em que o Governo decide uma nova estratégia para a abandonada floresta, uma das principais riquezas do país, que vamos queimando impunemente todos os verões.

                                            Estes têm sido dias de alvoroço, verdadeiro alvoroço nas tranquilas aldeias das esquecidas serranias de Vila Real e Arouca. Imagino o aperto no coração de quem ali vive, com o autêntico massacre informativo à volta das buscas do “piloto” de Aguiar da Beira.

                                              Nestas manhãs, ainda com sol, duas horas e tal são reservadas para uma pedalada ao longo da costa. Dia sem bicicleta será certamente mais difícil e sou daqueles que precisa de estar bem com o físico para conseguir pensar.

                                                Ontem saí da RTP indignado com a chegada de uma nova candidata ao processo de escolha da nova liderança da ONU, onde António Guterres conseguiu um importante leque de apoios, com ideias, argumentos claros e a defesa de um ideal. Ele estava a mobilizar uma organização que está totalmente inoperante ...

                                                  Nas Nações Unidas, o Mundo aplaudiu, com rara unanimidade, uma estratégia de inclusão de refugiados, no mesmo dia em que começou a construção de um robusto muro e Calais, para travar os mesmos que minutos antes jurávamos ir incluir e acolher.

                                                    Amanhã faremos de novo o Jornal 2 em direto da Feira do Livro do Porto. Há um ano a festa das letras assumia uma dimensão única nos eventos culturais do país, com a mão e a determinação de Paulo Cunha e Silva, um sonhador de uma cidade líquida onde a cultura se entranha em todos os poros, para a ...

                                                      Não tem sido pacífica a opção do Estado com a compra dos helicópteros Kamov para o combate aos incêndios e missões de proteção civil durante o inverno. O negócio fez parte de uma opção política que apontava para o Estado ter meios próprios para estas missões, conseguindo ter um papel regulador na ...

                                                        Esta semana voltámos a ter notícia de um crime, que levou a uma perseguição da polícia e acabou com um disparo que atingiu um dos assaltantes.

                                                          Já terminaram os Jogos Olímpicos, já se lançaram as pequenas guerras à volta da forma como o Comité Olímpico liderou esta missão, já se brincou com a única medalha de uma alargada comitiva e está na hora de se falar seriamente sobre um plano olímpico sério que permita ter mais jovens no desporto e ...

                                                            De olhos no Rio, os portugueses procuram medalhas, medalhas em qualquer modalidade. Queremos heróis de ocasião, que depois iremos esquecer na voragem de uma monocultura desportiva na imprensa, rádio e nas televisões, que ignoram olimpicamente todas as modalidades, menos uma, é claro.

                                                              Portugal volta a estar no meio de uma nuvem de fumo, com a floresta a ser destruída pelo fogo. Parece uma sina, uma fatalidade, embora se multipliquem nas televisões os bombeiros de bancada e os especialistas em ordenamento.

                                                                O Conselho de Ensino Superior da Turquia proibiu todos os universitários de se deslocarem ao estrangeiro e exige que todos os estudantes que se encontram atualmente fora do país regressem à Turquia o mais rapidamente possível. É mais um sinal do que vai acontecer nesta loucura onde Erdogan vai ...