João Fernando Ramos

João Fernando Ramos

Opiniões mais Recentes

As duas coreias estão num momento de aproximação histórico. A conversa começa com o espírito olímpico mas está a alargar horizontes. Os Estados Unidos tentaram reclamar louros desta aproximação, que o Japão vê com grande desconfiança e a China sente como um alívio.

    O presidente francês anunciou que até ao fim do ano irá aprovar legislação e criar mecanismos que possam diminuir o fenómeno das "Fake News". Nas campanhas eleitorais, no debate político, as notícias falsas, normalmente propagadas nas redes sociais, acabam por ter um efeito tremendo, influenciado ...

      A ideia de criar uma outra abordagem dos temas do ano que agora chega ao fim levou esta pequena equipa do Jornal 2 a desafiar cinco músicos para uma conversa, musicada. A ideia foi crescendo, sendo apurada, burilada, com a soma de opiniões de cada um dos setores.

        Meu caro. Espero que esta carta chegue antes do dia 24, ainda a tempo de ter um belo presente.

          Continuamos a debater a responsabilidade pelas mortes nos fogos de Pedrógão, mesmo quando a lei é clara e obriga as gestoras das vias a limpar, por muitos pareceres à medida que encomendem e plantem na comunicação social, mesmo quando já se percebeu e assumiu que os meios de socorro estavam mal ...

            Mário Centeno vai mesmo tentar chegar à liderança do Eurogrupo, uma posição que coloca Portugal num outro patamar. Temos todos memória dos tempos em que éramos olhados como um país que não conseguia tomar conta de si, regularmente visitado por uma arrogante Troika, que até dava conferências de ...

              Os dias na conversa à volta do futebol chegaram a um discurso de tal forma radical e violento que acabaram por ser os árbitros a ter que chamar à razão todo um mundo que vive à volta desta nova indústria.

                Portugal percebe agora, da forma mais dura, que o clima mudou e que é preciso ter mesmo políticas corajosas que nos permitam continuar a deixar viver aqui. Foram os fogos de verão, numa escandalosamente desordenada floresta, abandonada ao longo de décadas, por tantos governos e ministros, alguns ...

                  Esta é a hora do interior, que está no centro do discurso político, na atenção da centralizada comunicação social, na preocupação de todos, mesmo daqueles que vivem longe das zonas destruídas pelos fogos e agora severamente afetadas pela seca.

                    Vivemos em Portugal dias de seca extrema sem saber como resolver o problema, depois de um verão terrível, com as consequências que sabemos. Na Europa central o inverno chegou com fortes tempestades e o mesmo poderá acontecer por cá, já nos próximos dias. Em África, na Ásia e na América são ...

                      O debate político continua quente, como estes dias de um verão que nunca mais acaba. Percebemos bem que o Governo queria reformar a Proteção Civil e dar força à reforma da floresta depois do verão, mas não colocou nas previsões a tragédia que veio ainda tornar mais urgente uma mudança corajosa. ...

                        Somos todos responsáveis pelo que aconteceu este ano na nossa floresta.

                          A Catalunha levantou os braços, abriu o sorriso, mas, uns segundos depois, percebeu que a independência não seria coisa ainda para agora. Os rostos daquela multidão que seguia o discurso de Carles Puigdemont resumem em pleno estes dias.

                            Estou desde segunda-feira na Catalunha profunda, tendo percorrido aldeias e vilas nas montanhas e passado pelos grandes centros urbanos nos treinos do Rali da Catalunha. Fiquei surpreendido com a dimensão do movimento pela liberdade, que ultrapassa a importante questão da independência.

                              Olhamos agora para o Curdistão, como terra longínqua, sem querer perceber quem lá vive, pelo que passaram e a importância que tiveram na guerra ao estado islâmico.

                                Está a instalada a polémica na Proteção Civil por causa da forma como alguns dos comandantes conseguiram a obrigatória licenciatura para acederem ao lugar. Defendo sempre a transparência e acho uma vergonha inqualificável alguém recorrer a formas menos claras para obter um grau académico, que ...

                                  Começo por voz dizer que me dá uma tremenda volta ao estômago só de pensar que os dinheiros e a ajuda dos portugueses para as vítimas dos incêndios não esteja a ser entregue a quem o destinámos. Não tenho nenhum dado que aponte para qualquer irregularidade, bem pelo contrário.

                                    Vivemos dias de muitos estímulos na comunicação, com as redes sociais a terem um papel muito ativo, permitindo a todos ter pelo menos a noção de que têm voz e opinião. Nos jornais em papel o espaço de opinião é alargado, nas televisões há mil e um comentários e comentadores sobre tudo, espaços em ...

                                      Nestas férias rumei a alguns dos mais bonitos pedaços deste país. Vila Viçosa, com uma recuperação irrepreensível do património e os sabores do Alentejo, o castelo de Monsaraz, um dos mais bonitos de um Portugal cheio de turistas, com excelentes acessos, bom estacionamento, grande oferta ...

                                        Volto ao tema das florestas e a esta tragédia dos fogos de verão. Agora foi Mação, um concelho que até era considerado modelo na prevenção de incêndios e que realizou um trabalho muito importante com as populações das aldeias, distribuindo material de combate a incêndios e desenvolvendo inúmeros ...

                                          Esta é uma semana em que os políticos perceberam que não se pode adiar, nem mais um dia, a reforma da floresta. O documento poderá não ser perfeito, mas aponta uma estratégia clara para se acabar com este braseiro anual que consome milhões de euros e nos levou demasiadas das almas que ainda ...

                                            O Porto será a cidade que o país apresenta na candidatura à sede da Agência Europeia do Medicamento. Depois de uma primeira escolha por Lisboa, uma polémica apimentada até pelo candidato do PS à Câmara do Porto que criticou governo socialista, António Costa muda o rumo da decisão e apresenta o ...

                                              A região de Pedrógão vai tentando renascer, ainda com o apoio muito presente, as visitas do Presidente e dos governantes, a promessa de um projeto piloto que seja exemplar na nova forma de olhar para a floresta. O país ainda está mobilizado, mas tem que continuar bem atento ao que ali se vai fazer.

                                                O debate tem rodado, aceso, à volta dos fogos deste começo de verão, com a procura de culpados, com comunicações que falharam, com os guardas da GNR que não seriam suficientes, mas agora também com a urgência de ordenar a floresta. O entendimento entre o Governo e o Bloco de Esquerda vai ...

                                                  Os que me conhecem sabem o gosto que tenho pela floresta, onde cresci. O verde da Serra da Lousã, que defendi enquanto jovem e adolescente no trabalho extenuante na pista de combate aéreo e nos bombeiros, faz parte do melhor das minhas memórias e do mais fabuloso do tempo em que consigo andar por ...

                                                    O debate tem sido feito em lume muito brando. Devemos ou não premiar quem é apanhado numa teia de crime, eventualmente de corrupção, mas que conta quem são os outros envolvidos no mesmo processo ilegal?

                                                      Estamos num momento de mudanças profundas, com uma aparente facilidade na obtenção de informação em qualquer plataforma. No telefone móvel, no computador, nos ecrãs espalhados pelas cidades, nas televisões, na rádio, nos jornais em papel e online. A oferta continua a crescer, com uma dura seleção ...

                                                        Na linguagem destes dias adotamos os “factos alternativos” para sinónimo de mentira. É menos feio dizer assim e até permite outras leituras. Na campanha francesa Marine Le Pen tropeçou na realidade do plágio descarado de um discurso de François Fillon, mas procurou “factos alternativos” para ...

                                                          O debate é cíclico, sempre que temos um acidente e damos atenção a todos os outros que continuam a acontecer. Serão os cães o perigo?

                                                            Os sinais que chegam de Caracas são tudo menos tranquilizadores. Maduro tenta resistir, limita seriamente a já débil democracia e começou a armar o povo, as milícias que o suportam, num caldo já por si demasiado quente.

                                                              Estive agora na República Centro-Africana e percebi ainda melhor a tragédia em que está mergulhada uma boa parte de África.

                                                                Bangui alberga praticamente metade da população da República Centro-Africana. O comércio regressa aos poucos, mas muito pouco se produz neste país, e importar, sem estradas nem acesso ao mar, é coisa muito cara e facilmente controlada pelas máfias que crescem sempre nestes cenários.