Ensino Superior. Mais de nove mil alunos colocados na 2ª fase do Concurso Nacional de Acesso

por RTP

Os resultados da segunda fase do concurso revelados esta quinta-feira mostram que foram colocados mais 9.274 estudantes no ensino superior, dos quais 4.789 no ensino politécnico e 4.485 no ensino universitário. No total, entre a primeira e a segunda fase, ingressaram 46.721 novos estudantes no Ensino Superior em Portugal. Não foram ocupadas 4.583 vagas nesta segunda fase do concurso. A inscrição para a 3ª fase pode ser feita a partir de 3 de outubro.


Na segunda fase foram colocados 9.274 estudantes no ensino superior, 4789 no ensino politécnico, 4.485 no ensino universitário.

O número total de vagas disponibilizadas para esta fase foi de 11.615, às quais se juntam 2.119 vagas libertadas por candidatos colocados e matriculados na primeira fase que foram agora colocados na segunda fase. Nesta fase do concurso não foram ocupadas 4.583 vagas.

Na sequência da publicação dos resultados, a matrícula e inscrição para a segunda fase decorre entre 26 e 30 de setembro (de quinta-feira a segunda-feira), junto das respetivas instituições de ensino superior.  
Engenharias e Medicina no topo

Tendo em conta as notas dos últimos colocados de cada curso com vagas para a 2ª fase, destacam-se os cursos de Medicina e nas áreas de Engenharia. A média mais elevada surge na Universidade do Porto, no curso de Engenharia e Gestão Industrial, em que o último aluno colocado teve 195,8 valores.

Seguem-se Engenharia Aerospacial e Engenharia Física Tecnológica, ambas no Instituto Superior Técnico (194,5 e 194,3 valores, respetivamente), Medicina no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar e na Universidade Nova de Lisboa (193,7 e 193,3 valores, respetivamente).

Nota ainda para Bioengenharia e Medicina, cursos da Universidade do Porto (192,8 e 192,3 valores).

Na primeira fase, o último colocado com a mais elevada nota de ingresso entrou em Engenharia Aerospacial no Instituto Superior Técnico (com 189,5 valores), seguido de Engenharia Física Tecnológica (188,8 valores), também no IST, e Bioengenharia e Engenharia e Gestão Industrial, ambas na Universidade do Porto (186,5 valores nos dois cursos).
Aumento de 1,4% de ingressos

De acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o número de alunos colocados nas duas primeiras fases de acesso ao ensino superior representa um aumento de 1,4 por cento em relação ao ano anterior. No total, entre a primeira e a segunda fase, ingressaram 46.721 novos estudantes

Os resultados da primeira fase, revelados há menos de três semanas, confirmavam a colocação de 44.500 estudantes, dos quais se matricularam 39.566 alunos (88,9 por cento).  

O Ministério clarifica, em comunicado, que os 46.721 novos estudantes do ensino superior contabilizados constituem a soma de estudantes colocados e matriculados na primeira fase com os estudantes colocados na segunda fase, ou seja, retirando das contas os estudantes colocados na 2ª fase que já estavam matriculados na sequência da 1ª fase.

De acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a segunda fase do Concurso Nacional de Acesso contou com um contingente especial para candidatos com deficiência, a que recorreram 310 estudantes colocados na 1ª e 2ª fase, um aumento de 34 por cento face ao ano anterior (231 colocados). 
Terceira fase decorre entre 3 e 7 de outubro

Com a atual distribuição, estão ainda disponíveis 4.583 vagas, menos 14 por cento que em 2018.

A candidatura à 3ª fase do Concurso Nacional de Acesso deverá ser apresentada entre 3 e 7 de outubro, sendo que o número oficial de vagas disponíveis só será conhecido na próxima quinta-feira, 3 de outubro, após as inscrições e matrículas da segunda fase.

O Ministério salienta que cabe a cada instituição decidir se abre ou não a terceira fase do concurso, tendo em conta o número de vagas não ocupadas ou os estudantes colocados não se inscreveram. 

De acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a colocação de estudantes na segunda fase “confirma as estimativas de ingresso no ensino superior público, que apontam para cerca de 77 mil novos estudantes em 2019/20, quando consideradas todas as vias de ingresso”, lê-se no comunicado enviado às redações. 
Tópicos