Reportagem Incêndios em Portugal. Situação ao minuto

Três incêndios de grandes dimensões atingiram o distrito de Castelo Branco. Um civil ficou gravemente ferido e oito elementos da Proteção Civil sofreram ferimentos ligeiros. Algumas aldeias tiveram que ser evacuadas. PR "acompanha com preocupação o evoluir dos vários focos de incêndio".

Fazer refresh a esta área
Clique aqui para atualizar

Um incêndio de grande proporções atingiu o distrito de Castelo Branco. As autoridades suspeitam de fogo posto uma vez que as chamas começaram em três pontos distintos, na mesma zona, praticamente ao mesmo tempo.

De acordo com a última atualização da Proteção Civil, realizada já ao início da madrugada, as chamas começaram a ceder ao combate dos mais de mil operacionais destacados para o local.

Pelo menos uma pessoa, um civil, sofreu ferimentos graves. Outros oito elementos da Proteção Civil sofreram ferimentos leves.

Algumas aldeias tiveram que ser evacuadas, por precaução, mas não há notícia de habitações que tenham sido atingidas.

Uma situação que continuamos a acompanhar no site da RTP e sempre em direto na RTP 3 aqui.

Ao longo de todo o dia acompanhámos a situação ao minuto. O que aconteceu nas várias horas de combate às chamas.

00H44 - O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prolongou até terça-feira o aviso amarelo para sete distritos do Continente devido à previsão de tempo quente, segundo um aviso hoje emitido.

Na sexta-feira, o IPMA já tinha colocado sob aviso amarelo os distritos de Bragança, Évora, Guarda, Vila Real, Beja, Castelo Branco e Portalegre até às 21:00 de segunda-feira, tendo agora prolongado esse aviso até às 21:00 de terça-feira.

Para este período, o IPMA prevê "persistência de valores elevados de temperatura máxima".


00h17 - Briefing da Proteção Civil

Comandante Belo Costa, que está à frente das operações, afirmou que 8 agentes da Proteção Civil sofreram ferimentos leves, por causa dos incêndios de hoje. Há também registo de "um ferido grave civil".
O Incêndio de Vila de Rei "é aquele que nos suscita maiores preocupações". Explicou o comandante que se trata de um incêndio "muito comprido, muito rápido e muito estreito que evolui em saltos de fogo".

Chamas começam no entanto a ceder aos meios de combate, diz o Comandante.

Questionado sobre se o Siresp funcionou durante o dia, o Comandante Belo Costa disse que "nos momentos de maior tráfego não falhou". Foi utilizado "com toda a normalidade".


00h10 - Briefing da Proteção Civil

Comandante Belo Costa informou que foram envolvidos no combate às chamas "1025 operacionais de diferentes entidades". Disse ainda que só nos três incêndios de Castelo Branco estiveram 321 meios. Ao longo do dia estiveram "envolvidos um total de 20 meios aéreos"

23h16 - PR acompanha situação dos incêndios em Castelo Branco com "preocupação".

Em mensagem publicada na página oficial da Presidência da República lê-se que "o Presidente da República, em constante contacto com quatro Presidentes das Câmaras Municipais das zonas afetadas, acompanha com preocupação o evoluir dos vários focos de incêndio ocorridos este sábado em vários pontos do País. Consciente das adversas condições meteorológicas, o Presidente da República transmite toda a solidariedade às centenas de homens e mulheres que combatem o flagelo nacional dos incêndios, bem como às populações mais diretamente atingidas, no que é acompanhado por todos os portugueses."

22h48 - Em direto na RTP 3, Ricardo Aires, presidente da CM de Vila de Rei, afirmou que "algumas aldeias foram evacuadas". Perante a dimensão do fogo, afirmou ainda que "havia poucos meios para este fogo".

Ricardo Aires disse que há "várias frentes. Infelizmente o terror voltou outra vez. Como podem pôr quatro, cinco pontos de fogo ao mesmo tempo? Já chega. Estamos fartos".

22h43 - Meios operacionais no local dos piores incêndios em Portugal a esta hora. 359 operacionais e 79 meios terrestres na Sertã. Em Vila de Rei estão 538 operacionais e 166 meios terrestres.

22h12 - Incêndios que atingem Portugal visíveis do Espaço.


22h08 - Em comunicado enviado à redação, as Forças Armadas informaram que vão apoiar a Proteção Civil no combate aos incêndios em Castelo Branco.

As Forças Armadas vão empenhar quatro máquinas de rasto, três do Exército e uma da Força Aérea, para apoiarem na abertura de caminhos que facilitem o acesso dos operacionais que combatem o fogo.

Com uma tripulação de cinco militares em cada máquina, vão ser empenhados ao todo 20 militares (15 do Exército e 5 da Força Aérea).

Na Antena 1, o comandante Pedro Santos Serafim, porta-voz do Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA), explicou o que está em curso.

22h06 - Imagens captadas em direto pela RTP 3 mostram a dimensão do incêndio que atinge a zona de Vila de Rei.

22h02 - Situação operacional a esta hora de acordo com a página da Proteção Civil.

21h48 - Em direto na RTP 3, o vice-presidente da CM de Vila de Rei afirmou que "não há meios para acudir a tantas necessidades". Por falta de "meios não conseguimos chegar a todas as aldeias".

21h44 - Em direto na RTP 3, o Presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela, afirmou que "há casas em perigo" e que a situação é "de extrema gravidade".

21h04 - Chamas chegaram bem próximo das casas na Sertã, como mostrou em direto no Telejornal o repórter da RTP António Nunes Farias.

20h51 - Vice-presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, distrito de Castelo Branco, afirmou à agência Lusa que o incêndio que lavra no concelho estava impossível de parar ao final da tarde de hoje, tendo-se "desmultiplicado em várias frentes".

"Parar o incêndio é de todo impossível nesta fase", disse Paulo César, em declarações às 19h45.

20h42 - Fogo de Vila de Rei entra no concelho de Mação.

Responsável pela proteção civil de Mação, António Louro, fala numa frente de fogo com oito quilómetros, que entrou no concelho de Mação (distrito de Santarém) na zona de Azinhal, Cardigos e Vinha Velha.

As chamas avançam "com muita violência", registando-se "muito vento" no local, disse à Lusa.

De acordo com o mesmo responsável, as próximas horas vão ser "muito difíceis", adiantando que as operações estão centradas na proteção às populações.

20h13 - Situação dos fogos a esta hora.


20h03 - Proteção Civil adiantou que 4 bombeiros ficaram feridos devido aos incêndios. Três feridos leves e um em situação mais grave.

Não há a indicação de casas em risco neste momento. Algumas pessoas foram retiradas das habitações mas por precaução.

Estrada Nacional 2 cortada entre Vila de Rei e Sertã.

20h00 - António Nunes Farias, jornalista da RTP que está no concelho da Sertã, diz em direto no Telejornal que a situação está complicada.

As pessoas estão preocupadas com a aproximação das chamas à casas.

Dois incêndios que atingem desde as 15:00 de hoje os concelhos de Vila de Rei e da Sertã continuam a evoluir com "muita violência", disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco. O combate aos dois incêndios está a ser reforçado com meios de todo o país.

Olhando para a página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil às 19h54, estes dois fogos estão a mobilizar 13 meios aéreos.

As chamas no local estão ainda a ser combatidas por 539 operacionais e 157 meios terrestres.

Acompanhe aqui a emissão em direto da RTP 3

A informação mais vista