Sarampo. Número de casos confirmados aumenta para 53

| País

|

A Direção-Geral de Saúde voltou a atualizar os números de pessoas infetadas com sarampo em Portugal. Até às 19h00 desta segunda-feira estavam confirmados 53 casos em 145 suspeitos, a maioria trabalhadores do Hospital de Santo António no Porto.

Em comunicado, a Direção-Geral de Saúde revela que 53 casos de sarampo já foram confirmados em laboratório. Cinco doentes foram internados, mas encontram-se em situação clínica "estável".

"Até às 19 horas do dia 19 de março de 2018 foram reportados 145 casos suspeitos de sarampo, a maioria dos quais com ligação ao Hospital de Santo António, no Porto", refere a informação divulgada esta segunda-feira pela DGS.

Dos 145 casos, 53 foram confirmados em laboratorialmente pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. Outros 51 foram infirmados e há ainda um conjunto de 41 casos a aguardar resultado laboratorial.

A última atualização, realizada esta segunda-feira, dava conta de 42 casos de sarampo confirmados.

O sarampo é uma das doenças infeciosas mais contagiosas, podendo evoluir gravemente. A febre, mal estar e as manchas no corpo são alguns dos principais sintomas. A vacinação é a principal medida de prevenção contra esta doença e é gratuita.


O Programa Nacional de Vacinação recomenda a vacinação com duas doses, aos 12 meses e aos 5 anos de idade.

A Direção-geral da Saúde apela à vacinação e aconselha a quem apresentar sintomas a contactar a linha de Saúde 24 em vez de ir ao hospital.

Em março de 2017, a Organização Mundial da Saúde alertou para o agravamento da situação do sarampo em vários países da Europa.

A ocorrência de surtos de sarampo em alguns países europeus, devido à existência de comunidades não vacinadas, colocou Portugal em elevado risco.

De acorso com a DGS, não há razões para temer uma epidemia de grande magnitude, uma vez que a larga maioria das pessoas está protegida porque foi vacinada ou teve anteriormente a doença.

Tópicos:

Sarampo,

A informação mais vista

+ Em Foco

A 15 de outubro de 2017, uma vaga de incêndios fez 50 mortos e dezenas de feridos. Reunimos aqui um conjunto de reportagens elaboradas um ano depois da catástrofe.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

        O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.