Tesla despede 3000 trabalhadores para viabilizar o Model 3

| Tecnologia

Elon Musk, fundador e CEO da Tesla.
|

Em carta enviada aos trabalhadores da Tesla, o CEO Elon Musk anunciou um corte de pessoal na construtora na ordem dos 7%, o que deverá implicar a saída de mais de 3000 pessoas ao mesmo tempo que prepara a empresa para acelerar a produção do Model 3. A reestruturação laboral está precisamente relacionada com a falha na entrega das unidades deste carro, que ficou aquém do prometido no último trimestre de 2018.

É o segundo despedimento em grande escala na Tesla, o primeiro aconteceu a meio de 2017, uma estratégia que Elon Musk acredita que irá poder alavancar a produção do Model 3.No último trimestre de 2018, a Tesla entregou 63.150 unidades do Model 3, abaixo das expectativas.

Trata-se, ao mesmo tempo, do quebrar de mais uma promessa do construtor visionário. Numa recente entrevista ao programa da cadeia norte-americana CBS “60 minutes”, Elon Musk dizia acreditar no crescimento próximo da companhia.

Ao mesmo tempo sublinhava a necessidade de valorizar a força de trabalho das pessoas, deixando uma crítica à excessiva robotização (automatização) e reafirmava o cumprimento de prazos e encomendas. A carta revela agora que não é assim, mas já então o próprio Musk afirmara que tudo poderia mudar de um momento para o outro e não ser capaz de fazer o que se propunha.

“A Tesla terá de avançar com estes cortes, ao mesmo tempo que vai aumentar a produção do Model 3”, pode ler-se na carta aos trabalhadores, revelada pelo site Business Insider e entretanto disponibilizada no site da Tesla.

De momento, a prioridade é o aumento de rentabilidade e das margens de lucro – a empresa de visão futurista regressa aos cânones da economia tradicional – de um produto que Elon Musk reconhece ser ainda demasiado caro para a generalidade das pessoas.O custo do Model 3 é um problema e baixar-lhe o preço é a solução.

“O fabrico de produtos acessíveis e de energia limpa exige grande esforço e muita criatividade, mas sermos bem-sucedidos na nossa missão é essencial para garantir que o futuro é bom. Devemos, por isso, fazer tudo o que estiver ao nosso alcance em nome desta causa”, afirma o CEO da Tesla.

À frente de uma empresa actualmente com 45 mil funcionários, outra das justificações deixadas por Elon Musk para o despedimento foi o crescimento dos quadros em cerca de 30% em 2018, “mais do que conseguimos aguentar”, confessou.

Tópicos:

Elon Musk, Model 3, Tesla,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um dos nomes mais importantes da arte contemporânea está a preparar uma intervenção artística em Portugal. O criador chinês Ai Weiwei acredita que, no futuro, Hong Kong e Macau não vão ser controlados pela China.

Em entrevista à Antena 1 e ao Negócios, o secretário de Estado adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, diz que um entendimento à esquerda é mais natural.

    Começa a legislatura do Parlamento Europeu saído das últimas eleições. Conheça aqui os eurodeputados portugueses e as suas prioridades.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.