WhatsApp compra anúncios em jornais indianos para combater desinformação

| Tecnologia

"Estamos a iniciar uma campanha de educação na Índia sobre como identificar notícias e rumores falsos", disse um porta-voz do WhatsApp
|

O WhatsApp começou a publicar esta terça-feira anúncios de página inteira nos principais jornais da Índia, fornecendo aos leitores dez dicas para identificar mensagens que podem ser falsas. O serviço de mensagens, propriedade da rede social Facebook, pretende combater o problema de desinformação naquela país asiático.

Os anúncios fazem parte de uma campanha do WhatsApp no mercado indiano, após uma série de rumores ter circulado através do serviço de mensagens, alimentando revoltas populares que causaram vários espancamentos e mortes.


"Estamos a iniciar uma campanha de educação na Índia sobre como identificar notícias e rumores falsos", disse um porta-voz do WhatsApp em comunicado. “O nosso primeiro passo é colocar anúncios nos jornais em inglês, hindi e vários outros idiomas", acrescentou.

Algumas dessas dicas incluem verificar várias fontes, procurar fotos online que possam ser editadas e pensar duas vezes antes de reencaminhar uma mensagem que pode não ser credível.

"As notícias falsas muitas vezes tornam-se virais", aponta uma das dicas do anúncio de página inteira. "Só porque uma mensagem é partilhada muitas vezes, não significa que seja verdadeira".


Um porta-voz da plataforma disse à CNN que a empresa traduziria os anúncios para jornais locais de nove Estados da Índia, muitos dos quais falam idiomas diferentes.

O serviço de mensagens, que tem mais de 200 milhões de utilizadores na Índia, está também a testar novas funcionalidades, de modo a evitar a partilha de falsos rumores. 

A página publicitária informa que um dos novos recursos mostrará aos utilizadores se uma mensagem foi reencaminhada ou originalmente escrita.

Tópicos:

Anúncios, Facebook, Jornais, Mensagens, Serviço, WhatsApp, Índia,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.