Brexit. Acordo ainda precisa de "apoio geral do Governo britânico"

por Graça Andrade Ramos - RTP
Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido Reuters

Fontes do Executivo britânico indicaram ao início da noite que não haverá acordo para o Brexit esta quarta-feira. Isto apesar de as negociações estarem bem encaminhadas.

Depois de uma quarta-feira de reuniões técnicas, em Bruxelas, fontes europeias afirmaram ter levado a bom porto um acordo para o Brexit, quanto a matérias alfandegárias para a Irlanda do Norte e quanto a provisões na aplicação na província britânica das regras laborais e ambientais europeias.

Só que é ainda "necessário um apoio geral do Governo britânico" para selar o acordo, acrescentaram.

O Executivo de Boris Johnson está a tentar garantir o apoio dos conservadores mais céticos quanto ao Brexit e, sobretudo, do DUP, o Partido Unionista Democrático, da Irlanda do Norte, que se tem mostrado reticente em aprovar algumas das cláusulas acordadas em Bruxelas.
Os deputados do DUP poderão revelar-se essenciais para o primeiro-ministro conseguir fazer passar o seu acordo no Parlamento britânico, sem o qual todo o esforço terá sido nulo.
O Governo britânico esteve reunido em Londres todo o dia para tentar uma solução, sem a conseguir.

Comparando as conversações para o Brexit à subida ao Everest, Johnson afirmou durante a tarde que "o cume não está longe", mas está cercado por uma "nuvem".

Ao princípio da noite, fontes governamentais britânicas garantiram à editora de política da BBC, Laura Kuenssberg, que não será possível alcançar um acordo para o Brexit ainda esta quarta-feira, a tempo da cimeira dos líderes da União Europeia, dias 17 e 18.

"Uma fonte do Governo acabou de me dizer que não haverá acordo esta noite", escreveu Kuenssberg na rede Twitter. "Não está claro se isso significa que não há solução para já ou se as conversações serão prolongadas para amanhã", acrescentou.
Esperança infundada?
A notícia contestou o otimismo demonstrado pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, apenas três horas antes. Frente a jornalistas polacos, Tusk afirmou, cerca das 16h00 em Portugal, confiar que "dentro de sete a oito horas" seria possível um acordo.

Andrea Neves, correspondente da Antena 1 em Bruxelas

Da mesma forma, nas horas seguintes, Paris e Berlim mostraram-se esperançadas na possibilidade de assinar um acordo para o Brexit, talvez já esta sexta-feira.

Em conferência de imprensa conjunta, o Presidente francês, Emmanuel Macron, e a chanceler alemã, Angela Merkel, afirmaram ter "boas notícias" por parte dos negociadores, que poderiam desembocar num acordo a ser aprovado por todos os Estados-membros.

Se Boris Johnson, que irá participar da cimeira europeia esta quinta e sexta-feira, não obtiver um acordo até sábado, será quase de certeza obrigado a pedir uma extensão do prazo de 31 de outubro.
Tópicos