Reportagem
|

Coronavírus. A epidemia/pandemia ao minuto

por RTP

Um homem de máscara na estação de caminhos de ferro de Cadorna, Milão, dia 25 de fevereiro Reuters

Portugal continua sem reportar casos de contágio, com o único cidadão português infectado com o nCoV-19 a ter sido internado num hospital no Japão, depois de vários dias de isolamento na cabine do navio de cruzeiros Diamond Princess. Argélia, Croácia, Áustria e Suíça, juntaram-se esta terça-feira ao grupo, cada vez mais alargado, de países afetados pela epidemia do novo coronavírus. Um hotel em Tenerife e outro em Innsbruck, encerraram de quarentena, com milhares de turistas apanhados de surpresa. Irão e Itália reportaram novas mortes, e Espanha três novos casos nas últimas horas, os primeiros em solo continental e um deles em Madrid. O mundo sustém a respiração, mas na Europa ninguém quer fechar fronteiras com Itália.

Mais atualizações

23h00 - Resumo do dia

O Mundo "não está pronto" para uma pandemia como aquela que, cada vez mais, se anuncia próxima. Quem o diz é o chefe da missão da OMS à China. Bruce Aylward, canadiano especialista em emergências, recomendou a todos os países, "pensem que o vírus vai aparecer amanhã. Se não o fizerem, não estarão preparados".

O canadiano e a sua equipa, recém-chegada de Pequim, mostraram-se extasiados com a resposta das autoridades chinesas à epidemia. "Se tiver COVID-19, quero ser tratado na China", reagiu Aylward.

"A avaliação unânime da equipa é que eles (os chineses) mudaram o curso desta epidemia ... É impressionante", acrescentou este veterano da luta contra a epidemia do Ébola.

Os Estados Unidos preparam-se para a disseminação no vírus dentro de portas e alertaram hoje as comunidades para essa quase certeza. "A desestabilização das rotinas diárias será grave", assumiu uma responsável do Centro dos EUA para o Controle e Prevenção de Doenças.

A Administração Trump pede 2.5 mil milhões de dólares para as necessidades de resposta básicas. Começaram entretanto os ensaios clínicos de um tratamento antiviral da Gilead, em doentes norte-americanos internados com COVID-19.

O número de mortos no Irão subiu para 16 e em Itália para 11. A Coreia do Sul conta ultrapassar nas próximas horas o milhar de casos. Foram reportados novos casos na Alemanha, em Espanha, na Argélia, na Suíça, na Áustria e na Croácia, mas nenhum dos países vizinhos de Itália quis fechar fronteiras. Também Marcelo Rebelo de Sousa é contra essa ideia.

Portugal continua sem casos positivos de coronavírus. O 16º caso resultou negativo e aguarda-se resposta quanto ao 17º, identificado terça-feira à noite. Os últimos cinco casos suspeitos em Portugal têm em comum terem visitado Itália recentemente.

22h14 - Negativo

O caso suspeito de um homem de Guimarães que esteve em Itália testou negativo para o coronavírus, anunciou a Direção Geral de Saúde.

O homem foi internado no Hospital de São João no Porto, enquanto se aguardavam os resultados das análises.

22h00 - Espanha. Novos casos em Valência e em Madrid

Depois de Barcelona, Valência e Madrid.

Foi confirmado o primeiro caso na capital espanhola, um rapaz de 25 anos que esteve em Itália. Recebeu uma visita das autoridades sanitárias, testou positivo para o nCoV-19 e foi internado, apesar de se sentir bem, no Hospital Carlos III.

Análises a três outros casos em Madrid deram negativo durante a tarde.

Valência confirmou igualmente um caso de infeção com coronavírus, depois das autoridades catalãs terem anunciado o primeiro contágio em território continental de Espanha.

O caso catalão, de uma mulher italiana de 36 anos e residente em Barcelona, obrigou ainda ao isolamento por 14 dias de cerca de 25 pessoas com quem ela contactou.

Em Valência, o caso reportado é o de um homem, detetado em Villareal.

Espanha contabiliza assim esta terça-feira mais quatro casos, além do identificado segunda-feira, num hotel de Tenerife entretanto colocado sob quarentena.

São eles a mulher do turista italiano de Tenerife, e os três casos reportados nas últimas horas.

Duas outras pessoas infectadas tinham sido já reportadas há alguns dias, uma nas ilhas Canárias e outra nas Baleares.

Em Tenerife, um milhar de turistas desesperam sem poder sair do hotel. 


Não há portugueses entre as pessoas isoladas em Tenerife, confirmou ao início da noite o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

21h25 - Britânicos, isolem-se!

O Reino Unido avisou os seus cidadãos contra viagens para Itália e a impor-se isolamento domiciliário em caso de sintomas gripais.

"Aqueles que estiveram no norte de Itália - essencialmente quem quer que tenha visitado a Itália a norte de Pádua - deveriam, se tiverem sintomas como os da gripe, isolar-se a si mesmos", recomendou o secretário britânico para a Saúde, Matt Hancock.

"Se as pessoas estiveram nas áreas afectadas que o Governo italiano colocou sob quarentena, então deveriam isolar-se, tenham ou não sintomas", acrescentou.

O ministério da Saúde do Reino Unido já tinha emitido avisos semelhantes para os cidadãos que tenham estado no Irão, nas zonas afetadas da Coreia do Sul e na provincia chinesa de Hubei.

Os que estejam de regresso do Vietname, Camboja, Laos e Myanmar, deverão isolar-se, se desenvolverem sintomas.

21h05 - A epidemia em números

A epidemia do novo coronavírus Covid-19, que teve origem na China, já ultrapassa mais de 80.000 pessoas infetadas em todos os continentes.  

Seguem-se os casos de infeção e de vítimas mortais registados pelas autoridades de Saúde dos países afetados até cerca das 20h30 (hora de Lisboa) desta terça-feira, 25 de fevereiro 

Ásia e Oceânia:

- China continental: 77.658 casos, a maior parte na província central de Hubei
                                    2.663 mortes
- Hong Kong: 81 casos
                        2 mortes
- Coreia do Sul: 977 casos
                             11 mortes
- Japão: 860 casos (incluindo 691 num navio cruzeiro atracado no porto de Yokohama)
               4 mortes
- Filipinas: 3 casos
                   1 morte
- Singapura: 91 casos
- Austrália: 23 casos
- Taiwan: 31 casos
                  1 morte
- Tailândia: 37 casos
- Malásia: 22 casos
- Vietname: 16 casos
- Macau: 10 casos
- Nepal: 1 casos
- Sri Lanka: 1 caso
- Índia: 3 casos
- Camboja: 1 caso

Europa

- Itália: 322 casos
              11 mortes
- Alemanha: 17 casos
- Reino Unido: 13 casos
- França: 14 casos
                  1 morte
- Espanha: 4 casos
- Rússia: 2 casos
- Áustria: 2 casos
- Bélgica: 1 caso
- Suécia: 1 caso
- Finlândia: 1 caso
- Croácia: 1 caso
- Suíça: 1 caso

Médio Oriente

- Irão: 95 casos
            16 mortes
- Bharein: 17 casos
- Emirados Árabes Unidos: 13 casos
- Koweit: 8 casos
- Iraque: 5 casos
- Israel: 2 casos
- Omã: 2 casos
- Líbano: 1 caso
- Afeganistão: 1 caso

África

- Egito: 1 caso
-Argélia: 1 caso

Américas

- Estados Unidos: 57 casos
- Canadá: 11 casos

21h00 - Português internado

Depois de uma longa viagem, Adriano Maranhão foi internado com mais 17 pessoas, todas contaminadas.

O português infetado com coronavírus encontra-se num hospital na cidade de Okasaki numa unidade hospitalar completamente nova.

A Embaixada de Portugal em Tóquio está agora a acompanhar de perto este caso.


20h55 - Itália aperta controlo

São já 11 as mortes provocadas pelo Covid-19 em Itália, todas no norte do país.

O ministro da Saúde italiano considera um erro a opção de fechar fronteiras.

Em Milão, já estão os enviados especiais da RTP a acompanhar a situação. Rosário Salgueiro retrata as preocupações e as precauções das autoridades italianas naquela cidade.


20h50 - O que se sabe do nCov-19

Os números estão constantemente a serem atualizados. Até agora, há 80142 casos de contágio de coranavírus em todo o mundo e 2698 mortes.

Esta doença que está a assustar o planeta tem uma baixa taxa de mortalidade mas é ainda um mistério para os investigadores.

É uma verdadeira luta contra o tempo para evitar que se transforme numa pandemia.Explicamos-lhe o que já se sabe.


20h35 - Elogios de Marcelo

O Presidente da República está preocupado mas elogia a capacidade de resposta das autoridades portuguesas perante o surto de coronavírus.

Marcelo Rebelo de Sousa diz que compreende as críticas do português infetado no Japão, mas garante que foi feita uma pressão por parte de Portugal para que o doente fosse transferido para o hospital.


20h11 - Mais um caso na Alemanha

O estado alemão de Baden-Wuerttemberg reportou oseu primeiro caso de coronavírus. O homem, de 25 anosm internado com sintmas de gripe, parece ter sido infetado durante uma visita a Milão, referenm as autoridades daquele Estado do sul da Alemanha.

Todos aqueles que tiveram contacto com o homem estão referenciados e isolados em casa, e serão hospitalizados se desenvolverem sintomas, acrescentaram.

19h55 - Kuwait suspende voos

O Kuwait anunciou a suspenção das ligações aéreas com o Japão e Singapura, devido aos receios de epidemia do coronavírus.

A decisão da Autoridade da Aviação Civil do Kuwait foi anunciada pela agência nacional de notícias, KUNA, e obedece a instruções do Ministério dos Transportes do país.

Segunda-feira, o Kuwait suspendeu os voos com a Coreia do Sul, Irão, Tailandia, Itália e Iraque.

O país registou já nove casos de infeção com o novo coronavírus, todos pessoas que visitaram recentemente o Irão.

19h50 - Argélia confirma primeiro caso

A televisão estatal da Argélia reportou o primeiro caso confirmado no país, de infeção pelo novo coronavírus.

O paciente é um homem italiano que chegou à Argélia no dia 17 de fevereiro. Foi colocado de quarentena, acrescentou a estação, citando o ministro da Saúde argelino.

19h23 - Há um novo caso suspeito de coronavírus em Portugal

A Direção-Geral da Saúde informou que foi validado um caso suspeito de infeção por novo Coronavírus (nCoV-19) em Portugal, após avaliação clínica e epidemiológica.

Trata-se de um doente proveniente de Milão que foi encaminhado para o Hospital Curry Cabral, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central. Este é o 17.º caso suspeito no nosso país.

Vai ficar internado para realizar colheitas de amostras biológicas para análise pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA).

Pelo menos os últimos quatro casos de doentes suspeitos de estarem contaminados foram hospitalizados depois de viajarem de Milão para Portugal, mas só um outro homem está ainda a aguardar resultados.

Os restantes 15 casos suspeitos no país resultaram negativos, após análises.

19h15 - Federação italiana de basquetebol adia todos os jogos do fim-de-semana

A Federação Italiana de Basquetebol (FIP) decidiu hoje adiar todos os jogos das competições masculinas e femininas agendadas para este fim de semana, como medida de prevenção devido ao coronavírus Covid-19, que já matou 11 pessoas em Itália.

19h04 - PR diz que foi "feita permanentemente" uma "grande pressão" para português sair do navio 

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta tarde, na Amadora, que foi "feita permanentemente" uma "grande pressão" para que o português infetado com Covid-19 fosse transferido do navio de cruzeiros para um hospital, mas ressalvou que "quem manda no Japão é o Japão".


19h00 - Roménia reúne Conselho de Defesa

O Presidente da Roménia, Klaus Iohannis, convocou uma reunião para quarta-feira do Conselho de Defesa, para avaliar formas de combater o coronavírus.

"As coisas mudaram muito rapidamente nos últimos dias quanto ao número de casos registados na Europa", justificou.

18h55 - nCoV-19 "parou" Macau

A ocupação hoteleira de Macau foi de 11,8% na semana passada, num território que antes do Covid-19 acolhia três milhões de visitantes mensais e em 2019 teve uma ocupação média de 90%, anunciaram as autoridades.

O impacto do novo coronavírus "é grande", afirmou hoje diretora dos Serviços de Turismo de Macau, Maria Helena de Senna Fernandes, em conferência de imprensa.

"Estamos parados", frisou, acrescentando que "nem na SARS era tão baixa" a ocupação hoteleira na capital mundial do jogo, referindo-se à epidemia que entre 2002 e 2003 matou mais de 774 pessoas em todo o mundo.

Em 2019, a ocupação média dos hotéis e pensões atingiu 90,8%, nos 123 hotéis e pensões existentes na capital mundial do jogo.

18h40 - Áustria encerra hotel

As autoridades austríacas confirmaram a colocação sob quarentena de um hotel em Innsbruck, capital da região alpina do Tirol, onde trabalhou uma recepcionista italiana infetada com o coronavírus.

"Ninguém pode entrar ou sair do hotel, para garantirmos que, se há outras pessoas contaminadas, o vírus não se dissemina", declarou o ministro do Interior, Karl Nehammer, em conferência de imprensa.

"Todas estas medidas têm um objetivo: deter o vírus e a sua dispersão. Não há razões para entrar em pânico", acrescentou, garantindo que o país está preparado para enfrentar a epidemia.

O responsável não precisou o nome do hotel, nem a duração do confinamento, mas, de acordo com os media austríacos, trata-se no Grand Hotel Europa, no centro da cidade, que anuncia 108 quartos.

A casa onde vivia a mulher, igualmente em Innsbruck, foi igualmente isolado, referiu um porta-voz do Governo do Tirol.

A italiana e o seu companheiro, da mesma nacionalidade, foram colocados sob quarentena num hospital da cidade, onde foram diagnosticados com o nCoV-19, revelou ainda Günther Weiss, diretor da clínica universitária de medicina interna de Innsbruck.

Estes são os dois primeiros casos de contágio confirmados na Áustria.

18h40 - Irlanda pode cancelar jogo com Itália

Ministro da Saúde da Irlanda recomenda cancelamento ou adiamento do jogo de Râguebi a contar para o Torneio das Seis Nações, entre Irlanda e Itália, previsto para sete de março.

"O ponto de vista da equipa de emergência de saúde pública é de que este jogo não deve realizar-se", afirmou Simon Harris à radiotelevisão RTE.

18h35 - Digam se foram a Itália

O secretário de Estado dos Transportes de França, "convidou" todos os que estiveream recentemente nas regiões italianas afetadas pelo surto de coronavírus, para reportarem o seu caso às autoridades.

18h32 - Roménia desmente novo caso

O vice-ministro da Saúde da Roménia afirmou que "não há nenhum caso que tenha testado positivo para o coronavírus na Roménia".

O responsável desmentiu assim notícias avançadas por uma televisão local, que anunciou esta tarde a existência de um caso positivo internado em Bucareste.

Seria um homem regressado há três semanas de Itália, referiu a estação.

18h30 - França confirma mais dois casos

Mais duas pessoas foram testadas positivamente para o nCoV-19 em França, um homem que regressou de uma viagem à região italiana da Lombardia e uma mulher que regressou da China.

O diretor da Saúde Jerome Salomon afirmou aos jornalistas que ambos os pacientes estão internados no hospital e de boa saúde.

Os dois novos casos aumentam para 14 o número total de pessoas infetadas em França. Uma destas morreu, enquanto 11 ficaram curadas e tiveram alta.

18h25 - 11ª morte em Itália

Uma mulher de 76 anos tornou-se a 11ª vítima mortal por COVID-19, afirmaram os responsáveis da região de Veneto, onde se deu o óbito.

A par da Lombardia, Veneto, no norte de Itália, enfrenta o pior surto do novo coronavírus na Europa. Esta terça-feira o número de pessoas infetadas subiu de 229 segunda-feira, para 322, a maioria nestas duas regiões.

18h20 - Cloroquina eficaz

Um tratamento vulgar para a Malária/Paludismo, demonstra ser eficaz contra o coronavírus, garantiu o diretor do Instituto de Infecciologia do Mediterrâneo, em Marselha, Didier Raoult.

À agência France Presse, AFP, o responsável citou resultados clínicos de um estudo chinês para justificar a sua afirmação.

"Nós sabíamos que a cloroquina era eficaz in vitro contra este novo coronavírus e a avaliação clínica na China confirmou-o", afirmou Raoult.

A pesquisa de três investigadores chineses foi publicada a 19 de fevereiro na revista BioScience Trends. A investigação foi realizada em 10 hospitais chineses - em Whuan, epicentro da epidemia, Pequim e Xangai - para medir "a eficácia da cloroquina no tratamento de pneumonias associadas à COVID-19".

"Os resultados obtidos até agora em mais de 100 pacientes, demonstraram que o fosfato de cloroquina era mais eficaz que o tratamento administrado ao grupo comparativo, para conter a evolução da pneumonia, para melhorar o estado dos pulmões, para que o paciente se torne de nvo negativo ao vírus e para reduzir a duração da doença", concluíram os investigadores chineses.

18h10 - Alerta nos EUA

O Centro para o Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, (CDC), alertou os cidadãos norte-americanos para se prepararem para o alastrar do coronavírus nas suas comunidades.

O apelo assinala uma mudança do tom da agência, que até agora se centrou nos esforços para deter a entrada do coronavírus no país e colocar de quarentena pessoas vindas da China.

17h55 - Brescia multado por cântico

O clube italiano de Brescia foi multado em 10.000 euros, por cânticos "Napoli coronavírus", durante um concontro de futebol com uma equipa do Nápoles.

Para o Conselho de Disciplina da Liga Italiana de Futebol, o Brescia foi sancionado devido "a cânticos ordinários, insultuosos e repetitivos dos seus apoiantes contra a equipa adversária".

17h50 - Primeiro caso na Roménia

A televisão romena Realitatea Plus citou fontes médicas para anunciar o primeiro caso positivo para o coronavírus no país.

É um homem que regressou há três semanas de Itália, que foi colocado de quarentena no hospital Matei Bals para doenças infeciosas, em Bucareste.

Os responsáveis da unidade hospitalar mostraram-se indisponíveis para depoimentos.

17h44 - Fronteiras abertas com Itália

Todos os países vizinhos da Itália "se comprometeram a manter abertas as suas fronteiras, pois encerrá-las seria um erro e desproporcional", anunciou Roberto Speranza.

A decisão foi tomada após uma reunião ministerial em Roma, entre os responsáveis pelos serviços de Saúde de Itália, de França, da Suíça, da Áustria e da Croácia, além da Alemanha e da União Europeia.

Os ministros decidiram ainda "avaliar caso a caso" a eventual anulação de grandes eventos, de acordo com um comunicado conjunto.

17h33 - Mais três mortes em Itália

Mais três mortes anunciadas em Itália. Número de óbitos eleva-se a 10, todos no norte do país.

O número de infetados subiu igualmente nas últimas horas e cifra-se agora em 322.

o novo balanço foi feito pelo diretor da Proteção Civil italiana, Angelo Borrelli. Os três novos mortos registaram-se na Lombardia, a região mais aeftada pelo surto, e como os anteriores, eram pessoas com mais de 80 anos.

Também a maioria dos infetados continua a registar-se no norte do país, acrescentou.

17h30 - Hyatt perdoa multas

Cadeia norte-americana de hotéis Hyatt, estende à Coreia do Sul, ao Japão e a Itália, cancelamento de reservas sem multas.

A medida já tinha sido aplicada pela multinacional às reservas nas suas unidades na China continental, em Hong Kong, em Macau e na Ilha Formosa (Taiwan).

17h26 - Hotel austríaco de quarentena

Imprensa austríaca anuncia que um hotel da vila turística de Innsbruck foi colocado de quarentena.

17h25 - Itália aberta

Países vizinhos de Itália decidem manter fronteiras abertas, apesar do surto de coronavírus, anuncia ministro italiano da Saúde, Roberto Speranza.

17h20 - Dois mil milhões para combater epidemia

O secretário dos Estados Unidos para os Serviços de Saúde e Humanitários, HHS, Alex Azar, apelou hoje o Senado norte-americano a aprovar verbas de 2.5 mil milhões de dólares para combater a epidemia de coronavírus.

O responsável da Administração Trump afirmou que é quase certo que irão surgir novos casos de coronavírus nos Estados Unidos e que os fundos irão servir para expandir sistemas de vigilância, apoiar governos federais e regionais, ajudar ao desenvolvimento de vacinas e terapias e aumentar as reservas de equipamento de proteção, como máscaras cirúrgicas.

Azar disse que o país tem armazenados 30 milhões destas máscaras, mas que os HHS estimam que venham a ser necessários 300 milhões.

17h00 - Pompeo apela à verdade sobre epidemia

O secretário de Estado dos EUA afirmou no Afeganistão que Washington está "muito preocupada" com a hipótese de a República Islâmica do Irão estar a manter segredo sobre a real extensão do surto de coronavírus que afeta o país.

"Todas as nações, incluindo o Irão, devem dizer a verdade sobre o coronavírus e cooperar com as organizações de auxílio internacionais", afirmou Mike Pompeo.
Segunda-feira, um responsável de Qom acusou as autoridades locais de mentir sobre o número de mortos e infetados, referindo que só na cidade se tinham já registado mais de 50 óbitos.

Em resposta, o ministro iraniano da Saúde acusou-o de espalhar o pânico com mentiras, pedindo as identificações dos falecidos devido ao COVID-19. "Se o comprovar, demitio-me", prometeu.

Horas depois, foi anunciado que o vice-ministro para a Saúde iraniano estava com febre, e que havia contraído o novo coronavírus.

16h50 - EUA testam antiviral

Responsáveis dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos afirmam que começaram os testes clínicos do medicamento antiviral experimental desenvolvido pela Gilead Sciences Inc.

O medicamento começou a ser administrado em pessoas hospitalizadas devido a infecção com o novo coronavírus.

O primeiro paciente é um cidadão norte-americano repatriado após um período de quarentena no navio de cruzeiros Diamond Princess, e hospitalizado no Centro Médico da Universidade de Nebraska, em Omaha.

16h45 - Bulgária suspende ligações com Milão

A transportadora aérea búlgara suspendeu todos os voos de, e para, Milão, em Itália.

16h35 - Turquia sem sinais

O ministro turco da Saúde afirmou que nenhuma das pessoas a bordo de um avião das Linhas Aéreas Turcas desviado para Ancara, testou positivo para o novo coronavírus.

O aparelho, vindo da cidade de Qom, no Irão, teve de pousar na capital turca depois de surgirem suspeitas de infeção entre os passageiros e tripulantes. A região iraniana é a mais afetada pelo surto local da epidemia.

Fahrettin Koca garantiu aos repórteres que os resultados dos testes feitos às 140 pessoas a bordo serão disponibilizados em breve, na totalidade.

16h33 - Novos casos no Bahrain

O Bahrain identificou seis novos casos de pessoas infetadas com o coronavírus, todos vindos recentemente do Irão.

O número total de infetados no reino ascende agora a 23, reportou a agência de notícias BNA, citando o Ministério da Saúde.

16h33 - Mundo "não está pronto"

A opinião é do chefe de missão da OMS enviada à China.

O mundo "simplesmente não está pronto" para enfrentar a epidemia do novo coronavírus, afirmou Bruce Aylward, em Genebra.

Recém-chegado da China, o responsável da OMS saudou o trabalho feito por Pequim para conter a epidemia. "Devem estar prontos a gerir isto a uma escala maior e isso deve ser feito rapidamente", recomendou aos dirigentes mundiais, em conferência de imprensa.

Mas o mundo "simplesmente não está pronto", lamentou de seguida. É necessário "mudar mentalidades",acrescentou.

16h30 - Suíça confirma primeiro caso

As autoridades de Saúde da Suíça confirmaram notícias avançadas horas antes, quanto à ocorrência do primeiro caso de infeção pelo novo coronavírus no país, no Cantão de Tesino, próximo da fronteira com a Itália.

O departamento Federal de Saúde Pública informou que o caso foi confirmado pelo laboratório de referência de Genebra.

Trata-se de um homem de 70 anos. "A pessoa infectada esteve em Itália há cerca de 10 dias, para participar num evento perto de Milão", revelou o Ministério da Saúde suíço, em comunicado.

16h15 - Marcelo rejeita encerramento de fronteiras

Marcelo Rebelo de Sousa rejeita a ideia de fechar fronteiras para travar o avanço do novo coronavírus. O Presidente da República acredita que o avanço do vírus vai ter impacto na economia mundial. 

À margem de uma iniciativa na Amadora, Marcelo diz que a solução não passa por fechar fronteiras mas sim preparar uma solução conjunta das autoridades de Saúde.


15h40 - Tenerife sem portugueses

A RTP sabe que não há portugueses no hotel em Tenerife, ilhas Canárias, colocado sob quarentena depois de um hóspede de nacionalidade italiana e a sua mulher terem testado positivo para o novo coronavírus.

A unidade hoteleira de Adeje, de quatro estrelas, aloja cerca de mil turistas.


15h35 - Primeiro caso em Barcelona

Espanha anunciou o seu primeiro caso de infeção com coronavírus no território continental, especificamente em Barcelona, subindo assim para quatro o número de infetados no país. Trata-se de uma mulher recém-chegada de Itália.

Os pormenores sobre este novo caso, agora na comunidade catalã, foram apresentados em conferência de imprensa, pela secretária de Saúde Pública, Joan Guix.

15h30 - Testes negativos

As análises ao nCoV-19 a uma jovem de 21 anos recém-regressada de Milão, deram negativo. A jovem foi internada no Hospital de São João no Porto com o 15º casos suspeito de contágio.

Um outro caso suspeito em Portugal de infeção pelo novo coronavírus de uma pessoa também proveniente de Milão, foi na segunda-feira declarado negativo depois de testes realizados no CHUSJ.

Hoje, um outro homem que viajou também de Milão para Portugal, foi igualmente considerado suspeito de estar infetado, tendo sido encaminhado para São João como o 16.º caso suspeito de nCoV-19 no país.

Os restantes 13 casos obtiveram análises negativas, ou seja, não estavam infetados.

O único caso conhecido de um português infetado pelo novo coronavírus é o de um tripulante de um navio de cruzeiros que está hospitalizado no Japão.

Nas últimas horas

Portugal já testou 16 casos suspeitos de infeção pelo coronavírus. Todos resultaram negativo. Mas o cerco aperta-se. Só desde domingo, foram analisados três novos casos suspeitos.

Todos casos estiveram recentemente em Itália, onde o nCoV-19 fez até agora sete mortos e infetou 283 pessoas.

A diretora-geral de saúde, Graça Freitas,considera no entanto não ser necessário restringir as entradas no país oriundas de Itália, afirmando que as autoridades portuguesas se mantêm "atentas".

O governo italiano de Giuseppe Conte organizou esta terça-feira uma reunião dos ministros de Saúde dos países vizinhos, para determinar "linhas de ação comuns".

A epidemia "está à nossa porta", reconheceu o ministro francês da Saúde, Olivier Véran, acrescentando que Paris se recusa encerrar as fronteiras com a Itália.

Conte reforçou por seu lado que "limitações" à livre circulação dos cidadãos italianos da parte de estados estrangeiros seriam "injustas" e "inaceitáveis".

O surto em Itália teve início no norte mas novos casos foram reportados nas últimas horas em regiões no centro (Toscana) e a sul, (Sicília) apesar do isolamento forçado de mais de 10 localidades na Lombardia, nos últimos dias.

O primeiro-ministro reconheceu que uma "falha hospitalar" facilitou o alastrar da epidemia no país.

O vírus nCoV-19 afeta agora cerca de 30 países além da China, tendo sido reportadas no resto do mundo 40 mortes e 1.500 casos de contaminação.

Croácia e Suíça reportaram esta terça-feira cada uma um caso de contágio. A Áustria confirmou igualmente testes positivos a duas pessoas, na região do Tirol, junto à fronteira com a Itália.

Segunda-feira, o Afghanistão, o Bahrein, o Koweit, o Iraque e o sultanato de Omã, já haviam reportado casos de contágio, de cidadãos recém-chegados do Irão.

Na República Islâmica xiita, o país do Médio Oriente onde a epidemia alastra aparentemente sem controlo, foram reportadas desde quarta-feira passada 12 mortos, o maior número de óbitos fora da China, epicentro da epidemia.

O próprio vice-ministro da Saúde do Irão, Iraj Harirchi, testou positivo para o nCoV-19. O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, de visita ao Afeganistão, reconheceu estar receoso que a República Islâmica do Irão esteja a esconder a dimensão real do surto dentro das suas fronteiras.

Segunda-feira à noite, o Presidente dos EUA, Donald Trump, vangloriou-se do facto de a epidemia estar sob controlo no país.

O caso mais grave a seguir à China, é a Coreia do Sul, onde o número de infectados pode ultrapassar o milhar nas próximas horas. Seul reportou até agora 10 mortes devido ao COVID-19.

Em todo o mundo, o balanço provisório da epidemia do coronavírus é de 2.707 mortos e cerca de 80.300 pessoas infetadas, de acordo com dados reportados até hoje.

Além de 2.665 mortos na China, onde o surto começou no final do ano passado, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França e Taiwan.

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou que o mundo está à beira de uma "pandemia" - ou seja, uma epidemia de amplitude internacional.

O Presidente chinês, Xi Jinping, garantiu que Pequim está pronto a auxiliar com assistência e material médicos os países africanos que vierem a ser afetados pelo coronavírus e não tiverem capacidade sanitária de resposta.