Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

André Kosters - Lusa

Acompanhamos aqui a evolução da pandemia da Covid-19 em Portugal e à escala internacional. Em Portugal, com mais 16 mortes assinaladas esta segunda-feira, há agora um total de 311 vítimas do novo coronavírus. Os infetados são 11.730.

Mais atualizações




23h45 - Embate na economia "pode durar uns anos", diz Marcelo

Presidente da República adverte que o embate da pandemia de covid-19 “pode durar uns anos”, pelo que “tem de se pensar a prazo”.

Num depoimento transmitido no início do programa "Prós e Contras" da RTP, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que no plano político existe agora “convergência no essencial”, mas que mais tarde “diferentes serão, naturalmente, os caminhos propostos - como já são hoje - para enfrentar os efeitos económicos e sociais da pandemia”.

No seu entender, os portugueses estão unidos e mostram coragem e empenho em “vencer o surto atual até ao verão e, se reaparecer mais esbatido no próximo inverno, até à primavera”, e em “ir aguentando a economia e a sociedade”.

“E ir vencendo depois o embate na sociedade e na economia, que pode durar uns anos, mas que não podem ser nem intermináveis e que não devem ser só tapar buracos, tem de ser pensar no futuro a prazo”, completou.

Marcelo deixou um alerta: “Há apoios diretos e financiamentos que não podem esperar meses pelo fim da crise sanitária, são os apoios mais urgentes dos urgentes (…) Depois desses apoios é preciso investimento público e investimento privado, com o contributo europeu, com o contributo nacional, estatal e da banca, e dos empresários”.

23h25 - Linhas de crédito alargadas a comércio e transportes

As linhas de crédito anunciadas pelo Governo no âmbito da crise de covid-19 vão ser alargadas às empresas dos setores do comércio e serviços e dos transportes já a partir de quarta-feira. O anúncio foi feito pelo ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.

“No domingo, a Comissão Europeia aprovou e divulgou que tinha dado autorização para um valor total de linhas com garantia de Estado de cerca de 13 mil milhões de euros [para] todos os setores de atividade”.

Siza Vieira disse que “em relação às linhas de crédito do total de 3 mil milhões” já disponibilizadas registaram-se até agora “229 operações que deram entrada nos bancos com um total de crédito de 90 milhões de euros”.

22h50 - Trabalhadores independentes isentos excluídos do apoio

Os trabalhadores independentes isentos de contribuições sociais por estarem no primeiro ano de atividade não podem beneficiar do apoio extraordinário por redução de atividade previsto nas medidas relacionadas com a pandemia de covid-19, disse hoje a ministra do Trabalho.

"É condição para haver apoio que os trabalhadores [independentes] tenham feito descontos para a Segurança Social" pelo que "é nessas situações que ficam abrangidos pelos apoios", afirmou a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, na conferência de imprensa que se seguiu à reunião da Concertação Social realizada através de videoconferência.

Os trabalhadores independentes estão isentos de contribuições para a Segurança Social durante o primeiro ano de atividade, não estando assim obrigados a entregar a declaração trimestral contributiva.

O Governo anunciou hoje o alargamento do universo de trabalhadores independentes (recibos verdes) que podem beneficiar do apoio extraordinário por redução de atividade devido à crise causada pela pandemia de covid-19.


22h35 - Hospital S.José faz quase 400 testes diários

É uma das cinco unidades de hospitais públicos com equipamento para processar as amostras em cerca de três horas, em vez das cinco habituais.


22h30 - Linha de Aconselhamento Psicológico do SNS24 com 300 a 700 chamadas 

Criada no dia 1 de abril pelo Ministério da Saúde numa parceria com a Ordem dos Psicólogos e a Fundação Calouste Gulbenkian, a linha dispõe de 63 psicólogos a trabalhar por turnos durante 24 horas, todos os dias.

O limite da linha é de 700 chamadas mas só no dia 15 de abril, depois de duas semanas a funcionar, será feita uma avaliação para definir se há ou não necessidade de alargar o atendimento e se o desenho corresponde àquilo que a população precisa ou se precisa de ajustes.

22h25 - Ecuador. Guayaquil e os funerais de papelão

Na cidade de Guayaquil a temperatura ronda os 30 graus e morre-se "provavelmente" de Covid-19. Vive-se a perda e o desespero por ninguém recolher os corpos daqueles que perderam a vida, passadas horas ou mesmo dias.

22h05 - Estados Unidos ultrapassam 10 mil mortos

Os Estados Unidos contabilizaram esta segunda-feira mais de 10.000 mortos devido ao coronavírus, com o Estado de Nova Ioruqe a permanecer na primeira linha da pandemia. São o terceiro país a passar a fasquia, depois da Itália (16.523 mortos) e da Espanha (13.955).

O surto matou no total 10.524 pessoas nos EUA, em mais de 350 mil casos declarados, referiu a Universidade Johns Hopkins, referência para a contabilidade.

O Estado de Nova Iorque é o epicentro da epidemia nos EUA, e conta mais de 4.750 óbitos entre 130 mil casos, mais de metade dos quais na própria cidade de Nova Iorque.

O país conta mais um milhar de óbitos a cada dia e o pico parece longe, apesar das medidas de controle impostas entretanto, Estado a Estado. Mais de 310 milhões de americanos, ou 95 por cento da população, estão sob medidas de confinamento.

21h45 - PSD questiona Governo sobre critérios para realização de testes de despiste

Os deputados do PSD eleitos pelo distrito de Viana do Castelo questionaram hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sobre "os critérios para priorizar" os testes à covid-19, defendendo a sua realização "imediata" em lares da região.

Numa pergunta hoje dirigida àquela governante, os deputados Emília Cerqueira, Jorge Salgueiro Mendes e Eduardo Teixeira querem saber quais foram os critérios que "priorizaram os distritos de Lisboa, Aveiro, Évora em detrimento dos distritos do Norte onde se verifica maior número de casos de infeção por covid-19".

No documento pedem ainda esclarecimentos sobre o prazo previsto para "a tomada de medidas efetivas que garantam a saúde e segurança dos utentes e colaboradores do lar do centro paroquial e social de Darque, em Viana do Castelo e de Grade, em Arcos de Valdevez e para quando está prevista a realização de testes a todos os utentes e funcionários do distrito de Viana do Castelo".

21h40 - Tráfego aéreo caiu 36% em março

A redução no tráfego do espaço aéreo é particularmente visível quando consultamos a aplicação Flight Radar, que mostra todos os voos.


Confirme neste vídeo.

21h35 - UE, Eurogrupo e BCE pedem respostas "engenhosas e construtivas" à crise

Os presidentes do Conselho Europeu, Eurogrupo, Comissão Europeia e Banco Central Europeu pediram hoje aos ministros das Finanças da zona euro para serem "engenhosos e construtivos" nas respostas à crise da covid-19, recordando os "instrumentos e instituições existentes".

Um dia antes da reunião decisiva do Eurogrupo, na qual os ministros das Finanças da zona euro vão tentar aproximar posições e chegar a uma resposta comum à crise gerada pela covid-19, os quatro responsáveis apelam em comunicado para que "se examinem todos os instrumentos possíveis de forma engenhosa e construtiva".

Numa nota de imprensa divulgada após uma videoconferência realizada esta tarde, os presidentes do Conselho Europeu, Charles Michel, do Eurogrupo, Mário Centeno, da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, destacam que "há muito espaço para a solidariedade entre os instrumentos e instituições existentes".

"Temos de explorar totalmente essas ferramentas e permanecer abertos a fazer mais", salientam, observando que "está a ser desenhado um forte pacote" de medidas, para "proteger os cidadãos e as empresas europeias do impacto económico gerado pela pandemia".
Atualmente, a discussão pauta-se por optar por recursos já existentes.

21h30 - Quase 73.150 mil mortos no mundo

A pandemia do novo coronavírus já matou, desde dezembro, 73.139 pessoas e infetou mais de 1,3 milhões em todo o mundo segundo um balanço da agência France Presse, às 19:00 de hoje, através de dados oficiais.

De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa, 1.310.930 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 191 países e territórios desde o início da epidemia da covid-19, em dezembro passado na China.

A AFP alerta, contudo, que o número de casos diagnosticados reflete atualmente apenas uma fração do número real de infeções, já que um grande número de países agora está a testar apenas os casos que requerem atendimento hospitalar. Entre esses casos, pelo menos 249.700 foram dados como curados pelas autoridades.

21h25 - Governador de São Paulo prolonga quarentena até 22 de Abril

O Estado tem sido o mais atingido no Brasil pela pandemia, com 276 mortos e mais de 4.600 infetados.


21h20 - Parlamento vai debater saídas de detidos devido à pandemia

No sistema prisional há registo de oito casos de Covid-19. São todos em trabalhadores e mais um numa reclusa que está hospitalizada.


21h15 - Técnicos do INEM estão a trabalhar sem material adequado

Faltam principalmente fatos impermeáveis, e os óculos estão a ter de ser desinfetados para poderem ser usados várias vezes. O Instituto de Emergência Médica reconheceu a falha e disse que é difícil encontrar o material no mercado.


21h07 - Embaixador de Pequim em Lisboa sugere cautela nas encomendas à China

A China tornou-se o grande mercado de abastecimento global de equipamentos médicos para a pandemia.

Os preços estão voláteis e a qualidade nem sempre é a esperada.

O embaixador de Pequim em Lisboa alertou para a necessidade dos compradores confirmarem as licenças de quem vende na China.


21h05 -França improvisa devido à penúria de álcool gel

A França está a improvisar soluções técnicas para contornar o problema da falta de material.


A correspondente da RTP em Paris, Rosário Salgueiro, está a acompanhar a situação em França.

21h00 - Centenas de profissionais de saúde sem folga desde o início da pandemia

Centenas de profissionais de saúde pública trabalham sem folgar desde o início da pandemia. Todos empenhados em seguir o rasto da doença e parar a cadeia de transmissão.

Seja uma ou centenas de pessoas, nas 55 unidades de saúde pública em todo o país, o telefone não pára. Do outro lado estão vários profissionais a zelar pela saúde de todos.

As equipas são compostas por médicos e enfermeiros de saúde pública e técnicos de saúde ambiental. Sem descanso.


20h55 - EUA afirmam ter protótipo de vacina revolucionária

Cientistas americanos apresentaram o protótipo de uma vacina revolucionária para a Covid-19.

A vacina já foi testada em ratos com resultados surpreendentes na resposta do sistema imunitário.

O correspondente da RTP em Washington, João Ricardo de Vasconcelos, está a acompanhar a pesquisa científica na América.


20h50 - Máscaras sim ou não e abrandamento da pandemia na Europa

Enquanto o Reino Unido se torna o primeiro país do mundo a ver o seu chefe de Governo nos cuidados intensivos devido à pandemia, no resto da Europa o uso de máscaras continua a fazer correr tinta.

Surgem entretanto sinais de que a pandemia está a perder força nalguns países europeus, como Itália e a Áustria.

20h40 - Conselho de Escolas Médicas quer uso generalizado de máscaras

O Conselho pediu à Direção-Geral da Saúde que ignore as recomendações da OMS e avance para a generalização do uso das máscaras.


20h30 - Gestores de lares exigem testes perante multiplicação de casos

Em Braga, há dez mortes entre idosos associadas à Covid-19, enquanto em Estarreja morreu a segunda utente de um lar de Pardilhó.


20h20 - Boris Johnson nos cuidados intensivos

O primeiro-ministro do Reino Unido está com apoio respiratório, depois de ter sido internado no Hospital St Thomas, devido a febre alta.

Boris Johnson continua consciente e "animado", permanecendo aos comandos do executivo britânico, mesmo tendo delegado no ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab, conforme anunciou Downing Street. 

20h10 - Pandemia dá sinais de abrandar em Portugal

A taxa de crescimento desta segunda-feira é mais baixa das últimas semanas. A pandemia em Portugal dá sinais de abrandar, apesar de sucessivos movimentos contraditórios.

O número de óbitos em Portugal passou as três centenas, e fixou-se nos 311.

São mais 16 mortes nas últimas 24 horas, um abrandamento em relação à véspera.

O país tem agora 11.730 casos de pessoas infetadas, mais 452 casos em relação a ontem.

Isto significa que o número de pessoas infetadas subiu quatro por cento, a taxa de crescimento mais baixa desde que a pandemia entrou na fase crítica.

Portugal regista também 140 doentes recuperados, mais 65 pessoas do que ontem.

20h00 - Limitações de deslocação devem prolongar-se

O Conselho Nacional de Saúde (CNS) defendeu hoje que as limitações aos direitos de deslocação deverão ser mantidas "mais algum tempo", sobretudo na população com mais de 60 anos, para impedir "o aumento descontrolado de casos" de covid-19.

Os membros do Conselho Nacional de Saúde consideram que a informação disponível é insuficiente para, na sua qualidade de órgão consultivo do Governo na definição de políticas de saúde, poder propor respostas à pandemia covid-19, designadamente no que respeita à reabertura das escolas.

Relativamente às limitações aos direitos de deslocação, o CNS defende, sem precisar o período, que "a situação presente deve ser continuada com particular atenção à população com mais de 60 anos por mais algum tempo, como forma de impedir o aumento descontrolado do número de casos e assegurando a resposta adequada do sistema de saúde".

Para os membros do CNS, "é essencial reduzir a incerteza da situação presente"

19h45 - Madeira distribui 250 mil máscaras à população

A Madeira prepara-se para distribuir 250 mil máscaras pela população, numa altura em que as estimativas oficiais apontam para perdas do PIB de 430 milhões de euros por mês, devido à pandemia de covid-19, indicou hoje o chefe do executivo.

"Numa situação de paralisia, a região perde cerca 430 milhões de euros por mês em termos de Produto Interno Bruto. É isto que está estimado", disse Miguel Albuquerque, em videoconferência, no Funchal, sublinhando que a paragem dos setores da construção civil e turismo - os maiores empregadores da região - representam uma perda diária de oito milhões de euros.

"Por mês, [são] 130 milhões a construção civil e cerca de 112 milhões de euros o turismo", esclareceu.

O chefe do executivo, de coligação PSD/CDS-PP, indicou também que 533 empresas já recorreram ao `lay-off`, abrangendo cerca de 7.000 trabalhadores.

"Acho que isto é catastrófico", sublinhou, para adiantar que, o "que é prioritário para nós, neste momento, independentemente do cenário económico, é a contenção da doença, a salvaguarda da saúde pública na Madeira e a preservação de vidas humanas".

19h30 - ANTROP tenta com Governo evitar "colapso" dos operadores de transportes

A Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros (ANTROP) garantiu hoje que tem "dialogado" com o Governo sobre medidas que "permitam evitar o colapso financeiro dos operadores" e também "prejuízos maiores aos utentes".

"A ANTROP tem dialogado com o Governo e com as autoridades, está preocupada, atenta e está a tentar junto do Governo encontrar formas para financiar o mínimo de transportes possível", disse o vice-presidente da ANTROP, Eduardo Caramalho, sem adiantar que medidas podem vir a ser tomadas.

19h25 - 30 utentes e 3 funcionários infetados em lar de Viana do Castelo

A direção do centro social e paroquial de Darque, em Viana do Castelo, confirmou hoje à Lusa a infeção por covid-19 de 30 dos 41 utentes do lar da instituição e de três funcionários.

O presidente da direção, Xavier Moreira, adiantou que os resultados "começaram a chegar no final da semana passada e os últimos na tarde de domingo e vieram confirmar o pior dos receios".

"Os 30 idosos, com idades entre os 70 e os 90 anos, estão todos estáveis. Estão todos no lar a ser acompanhados pelas autoridades de saúde, sendo que temos quatro utentes, cujos testes deram negativo e que estão isolados, num espaço da instituição", explicou o padre Xavier Moreira.

O responsável acrescentou que "dos 40 funcionários já testados, apenas três estão infetados".

O pároco criticou a "demora" na realização dos testes de despiste da doença, justificando "o número tão elevado de infetados por serem feitos a conta gotas".

19h20 - Lar de idosos de Aveiro conta 15 mortos

O presidente da Câmara de Aveiro, Ribau Esteves, confirmou hoje que 15 idosos do lar da Santa Casa da Misericórdia morreram depois de terem contraído a covid-19, havendo ainda 99 utentes e funcionários infetados.
O autarca referiu que dos 105 utentes do lar situado no Complexo Social da Moita, em Oliveirinha, 77 acusaram positivo para a covid-19, nos testes de despiste que ficaram concluídos na semana passada.

O autarca referiu ainda que 15 utentes que estavam infetados com o novo coronavírus morreram nos últimos dias. Há ainda 22 funcionários que também estão infetados e oito que tiveram um resultado negativo.

O lar da Misericórdia aveirense é até ao momento o caso mais grave registado no município.

19h15 - Angola com mais dois casos positivos sobe para 16 no total

Angola registou dois novos casos positivos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando para 16 o número total de doentes, anunciou o secretário de Estado da Saúde Pública.

Franco Mufinda, que fazia hoje mais um balanço da situação epidemiológica relativa à covid-19, detalhou que "15 dos cidadãos infetados são angolanos e um outro é africano", com idades que variam entre 1 e 62 anos.

18h55 - França com quase 9 000 mortos

O número de mortos em França nas últimas 24 horas resultantes da pandemia da covid-19 foi de 803, elevando assim o número total de óbitos para 8.911 desde o início do surto.

O número total engloba 6.494 mortos em meio hospitalar e 2.417 mortos nos lares. O número de óbitos nos lares continua a ser contabilizado, tendo sido divulgadas mais 228 novos óbitos nas últimas 24 horas em casas de repouso em todo o país.

Há 29.722 pessoas hospitalizadas e 7.772 estão internadas nos cuidados intensivos.

18h50 - 22 pessoas detidas e 145 estabelecimentos encerrados

Dando cumprimento às determinações do Decreto que renovou o Estado de Emergência, em vigor desde ‪as 00h00 do dia 3 de abril, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública têm vindo a desenvolver uma intensa atividade de sensibilização, vigilância e fiscalização junto da população.

Assim, até ‪às 17h00 de hoje, foram detidas 22 pessoas por crime de desobediência, designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência.

No mesmo período, foram encerrados 145 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

Estes números juntam-se aos verificados no primeiro período de Estado de Emergência, que vigorou entre os dias 22 de março e 2 de abril, onde se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1.708 estabelecimentos comerciais.

18h40 - Países da UE alertam para escassez de anestésicos e antibióticos para doentes

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, sigla inglesa) mostrou-se hoje "preocupada" com a disponibilidade de medicamentos para administrar a pacientes com covid-19, depois de alguns países europeus terem relatado a escassez de anestésicos, antibióticos e relaxantes musculares.

Depois de ter participado hoje numa teleconferência com ministros da Saúde da União Europeia (UE), o Centro Europeu de Controlo de Doenças e a comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, a EMA indica sem precisar que, na ocasião, "alguns Estados-membros indicaram que estão a começar a assistir à escassez de certos medicamentos usados para pacientes com covid-19 ou estimam que essa escassez ocorra muito em breve".

"Isso abrange medicamentos usados em unidades de cuidados intensivos como anestésicos, antibióticos e relaxantes musculares, além de medicamentos utilizados fora do rótulo da covid-19", elenca a EMA, garantindo que "as autoridades da UE estão, por isso, a adotar medidas adicionais para mitigar o impacto da pandemia na cadeia de distribuição".

18h 35 - Autoridades na Guiné-Bissau pedem desculpa por "excesso de carga policial"

O secretário de Estado da Ordem Pública do Governo de Nuno Nabian, nomeado primeiro-ministro pelo autoproclamado Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, pediu hoje desculpa aos guineenses pelo "excesso de carga policial".

Em conferência de imprensa hoje, Mário Fambé pediu desculpa, em nome do Governo de Nuno Nabian, pelo "excesso da carga policial" sobre várias pessoas, ocorrida durante o fim de semana, sob pretexto do cumprimento da ordem de confinamento social, em virtude da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

"O Estado é pessoa de bem, mas pode acontecer que tenha havido uso excessivo de força. Mas, também os cidadãos têm que obedecer às orientações do Governo para ficarem em casa", observou Mário Fambé.

18h25 - Marcelo diz que banca tomou "iniciativas próprias" e está a colocar no terreno medidas do Governo

O Presidente da República esteve reunido em video-conferência com os presidentes dos bancos nacionais.

"Encontrei um estado de espírito de grande mobilização e de ajudar a economia portuguesa" neste período, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa após o encontro virtual.
Disseram-me, "sentimos que devemos empenhar-nos na luta" por Portugal, referiu, depois de sublinhar que a banca prometeu não só aplicar as medidas governamentais como avançar com outras "próprias".

"Saio desta reunião com um estado de espírito motivado", acrescentou o Presidente, revelando que os responsáveis pela banca portuguesa irão fazer chegar aos portugueses por sua iniciativa aquilo que estão a fazer.

"Foi muito útil, no sentido em que foi muito concreta", acrescentou o Presidente, referindo-se a iniciativas referidas durante a reunião, já em curso ou prestes a iniciar-se.

18h15 - Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por alegadamente ter furtado dois milhões de máscaras e outro material médico de um armazém da Galiza, suspeitando a polícia espanhola que o seu destino foi Portugal.

A agência EFE, que cita fontes policiais, avança que o equipamento médico e sanitário furtado, essencial para a proteção contra o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, está avaliado em cinco milhões de euros e foi adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material.

O empresário de Santiago de Compostela foi ouvido no sábado por um juiz do Tribunal Superior de Justiça da Galiza, e saiu em liberdade, mas continua a ser investigado pelas autoridades

18h00 - Supervisores financeiros criam grupo de contacto

O Conselho Nacional de Supervisores Financeiros vai criar um grupo de contacto "tendo em vista o acompanhamento e monitorização" da crise motivada pela covid-19 e "do seu efeito e do potencial impacto sobre o setor financeiro", informou hoje a entidade em comunicado.

A decisão de criar este grupo de trabalho saiu da reunião que decorreu por teleconferência em 18 de março, que contou com o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, a presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Gabriela Figueiredo Dias, e a presidente da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, Margarida Corrêa de Aguiar.

17h55 - Número de mortes em Itália volta a subir, 636 óbitos nas últimas 24 horas

O número diário de mortes em Itália devido ao novo coronavírus voltou a subir, com o registo de 636 óbitos nas últimas 24 horas, após dois dias consecutivos em decréscimo, divulgou hoje a Proteção Civil italiana.

Com a atualização dos dados, Itália, um dos países mais afetados pela pandemia da covid-19, totaliza 16.523 vítimas mortais desde o início da crise.

No domingo, o país tinha verificado um total diário de 525 óbitos, que tinha sido o número mais baixo em quase três semanas.

Neste momento, os casos positivos ativos de infeção em Itália são 93.187.

17h50 - Inquérito do ISPUP indica 6 novos testes diários por cada mil pessoas

Um inquérito do Instituto Superior de Saúde Pública (ISPUP) junto de mais de 6.000 portugueses concluiu que têm sido realizados diariamente cerca de seis testes de covid-19 por cada mil pessoas e diagnosticado "perto de três novos casos".

Estes dados foram hoje divulgados no primeiro relatório dos `Diários de uma Pandemia` daquele instituto da Universidade do Porto, na sequência de um inquérito em que participaram, de 23 a 30 de março, 6.791 pessoas que, durante essa semana, responderam a 23.254 questionários.

17h35 - OMS admite uso generalizado de máscaras em países com menos condições de higiene

A Organização Mundial de Saúde admitiu hoje o uso generalizado de máscaras pela população para conter a pandemia da covid-19 em países em que o distanciamento social e as lavagens frequentes das mãos não possam garantidos.

Em conferência de imprensa na sede da organização, em Genebra, o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, afirmou que hoje foram emitidas novas orientações para ajudar países a decidir sobre o alargamento das recomendações para uso de máscaras de proteção.

Tedros Ghebreyesus frisou que as máscaras devem continuar a ser uma prioridade para profissionais de saúde e outras pessoas na linha da frente contra o novo coronavírus e alertou que o uso generalizado pode agravar a escassez destes materiais de proteção.

17h30 - Rio espera "abanão" para banca escapar "à tentação de lucrar"

O líder do PSD afirmou hoje esperar que a reunião do Presidente da República com os banqueiros sirva como "um abanão" para escaparem "à tentação de lucrar" ou "esganar as empresas" nas respostas à crise provocada pela covid-19.

O presidente dos social-democratas pediu ao Governo que alargue de três para 10 mil milhões de euros as linhas de crédito às empresas devido à crise provocada pela covid-19, apelando ao financiamento europeu de um pacote de apoios.

"A proposta que talvez seja mais relevante é redefinir as linhas de crédito às empresas e aos empresários em nome individual dos atuais três mil milhões de euros para os 10 mil milhões de euros. Sendo que a garantia do Estado deve ser sempre de 90 por cento e as microempresas devem ficar isentas das comissões de gestão e acompanhamento cobradas pela banca", explicou Rui Rio, numa conferência de imprensa realizada na sede distrital do Porto, transmitida em direto pelas redes sociais.

"Acho que banca está sensível [para o problema das famílias e das empresas]. Mas uma coisa é estar sensível e, no terreno, ser coerente com isso. Esta reunião [do PR com os banqueiros] é mais um abanão, para não caírem na tentação de lucrar, mas ajudar as empresas dentro da sua sustentabilidade financeira", acrescentou Rui Rio.

Para o líder do PSD, "o pior que podia acontecer é a banca ficar numa situação tão difícil como ficou no passado ou como estão as empresas" mas, alertou, "esganar as empresas também não".

17h25 - UNECA alerta para perda de 30% da receita e recessão de 1,1% em África

A Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA) considerou hoje que os países africanos podem perder até 30% da sua receita fiscal devido à pandemia da covid-19, que deverá atirar o continente para a recessão.

"O impacto geral da pandemia da covid-19 na economia africana pode levar a uma perda de 20 a 30% da sua receita fiscal, que é estimada em 500 mil milhões de dólares em 2019", cerca de 460 mil milhões de euros, lê-se no relatório da UNECA sobre o impacto da pandemia em África.

17h20 -  Sindicato do MP alerta para problemas na proposta sobre perdão de penas

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público alertou hoje para "problemas técnicos" na proposta do Governo sobre perdão de penas até dois anos para crimes considerados menos graves e considerou que aquele diploma visa sobretudo "diminuir a população prisional".

Em declarações à agência Lusa, António Ventinhas referiu que, no âmbito da pandemia do coronavírus, o sindicato (SMMP) sugeriu ao Governo um pacote de medidas dirigidas essencialmente aos reclusos mais vulneráveis, em razão da idade ou de doença, mas que a proposta do executivo sobre o perdão de penas até dois anos "tem mais em vista a diminuição da população prisional" e a resolução do problema da sobrelotação em algumas cadeias.

17h15 - Cinco secretários de Estado para a coordenação regional do combate

O primeiro-ministro designou hoje cinco dos seus secretários de Estado para a coordenação da execução aos níveis local e regional das medidas de combate à pandemia da covid-19 no âmbito da declaração de estado de emergência.

Foram designados por António Costa os secretários de Estado (da Mobilidade) Eduardo Pinheiro para a região Norte, João Paulo Rebelo (Juventude e Desporto) para a região Centro, Duarte Cordeiro (Assuntos Parlamentares) para Lisboa e Vale do Tejo, Jorge Seguro Sanches (Adjunto e da Defesa Nacional) para o Alentejo, e José Apolinário (Pescas) para o Algarve.

"Sem prejuízo das competências dos presidentes das câmaras municipais, como autoridades municipais da política de proteção civil, nos termos da Lei de Bases de Proteção Civil, considera-se imprescindível assegurar uma melhor coordenação dos serviços da administração central de nível regional ou distrital e a devida articulação supramunicipal", justifica-se no despacho assinado pelo primeiro-ministro.

17h10 - China exige retratação do Brasil

As autoridades chinesas exigiram hoje uma retratação do Brasil após um comentário do ministro da Educação brasileiro que o país asiático descreveu como "fortemente racista" e que disse causar "influências negativas" nas relações entre os dois países.

"O lado chinês aguarda uma declaração oficial do lado brasileiro sobre as palavras do Ministro da Educação, membro do Governo brasileiro. Estamos cientes de que nossos povos estão do mesmo lado para resistir a palavras racistas e salvaguardar nossa amizade", escreve o embaixador da China em Brasília, Yang Wanming, numa publicação na rede social Twitter relativo a um protesto oficial da embaixada chinesa.

A discórdia foi causada por uma mensagem do ministro da Educação brasileiro, Abraham Weintraub, que usou a personagem Cebolinha da banda desenhada "Turma da Mónica" para sugerir que a pandemia do novo coronavírus faz parte de um "plano infalível" da China para dominar o mundo.

"Geopoliticamente, quem podeLá saiL foLtalecido, em teLmos Lelativos, dessa cLise mundial? PodeLia seL o Cebolinha? Quem são os aliados no BLasil do plano infalível do Cebolinha paLa dominaL o mundo? SeLia o Cascão ou há mais amiguinhos?", escreveu Weintraub, este domingo, na sua conta na rede social Twitter.

17h00 - CIM Coimbra apoia corporações de bombeiros

A Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra. "em articulação com os comandos distritais de operações de socorro e com as respetivas federações de bombeiros" está a disponibilizar 300 litros de solução alcoólica para as 27 corporações de bombeiros do território, face à pandemia da covid-19, anunciou a entidade.

Segundo a CIM de Coimbra, o objetivo é "minimizar algumas dificuldades detetadas na obtenção de equipamentos adequados para fazer face à covid-19", referiu uma nota de imprensa da comunidade intermunicipal.

16h55 - Castelo Branco transfere 190 mil euros para freguesias

A Câmara de Castelo Branco anunciou hoje a transferência de 190 mil euros para as freguesias do concelho no âmbito das medidas de prevenção e contenção à pandemia da covid-19.

"Cada freguesia irá receber 10 mil euros, que têm como objetivo apoiar à prevenção da propagação da covid-19, designadamente na desinfeção de ruas, apoio à população mais idosa e outras ações que previnam a propagação do vírus SARS-CoV-2", explica, em comunicado, o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia.

16h50 - Reino Unido registou mais 439 mortes, total subiu para 5.373

O Reino Unido registou mais 439 mortes de pessoas infetadas pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando para 5.373 o número total de óbitos devido à pandemia da covid-19, indicou hoje o Ministério da Saúde britânico.

Na atualização dos dados feita hoje, o número de pessoas infetadas aumentou em 3.802 para 51.608.

16h45 - Porto aprova fundo de apoio a associações com dificuldades de tesouraria

A vereadora da CDU, Ilda Figueiredo, adiantou que o executivo aprovou, por unanimidade, a criação de uma linha de apoio de emergência para as associações com dificuldades de tesouraria, independentemente dos apoios concedidos no âmbito do Fundo de Apoio ao Associativismo Popular.

De acordo com a vereadora, o apoio será atribuído a todas as associações que o solicitem e que estejam com dificuldades em fazer face às suas despesas fixas, não estando condicionada à apresentação de qualquer projeto ou candidatura, como no caso do Fundo de Apoio ao Associativismo.

"É um apoio direto às associações", referiu a vereadora, salientando que não há qualquer valor definido para esta linha.

Foi ainda decidida a prorrogação do prazo, por seis meses, para as associações executarem os projetos que obtiveram financiamento em 2019 e a flexibilização das condições para concorrer à edição de 2020.

16h30 - Cerca de 150 profissionais da saúde detidos em protesto no Paquistão

Cerca de 150 médicos e outros profissionais de saúde foram detidos pela polícia enquanto protestavam contra a falta de material de proteção para lidar com o novo coronavírus nos hospitais de Quetta, no sul do Paquistão.

"Fomos espancados como terroristas como recompensa pelos nossos serviços", disse Yasir Khan, presidente da Associação de Jovens Médicos da província do Baluchistão, da qual Quetta é capital, numa conferência de imprensa após o protesto.

As televisões paquistanesas transmitiram imagens de polícias a atacar com cassetetes os profissionais de saúde, mobilizando-os à força e colocando-os em carrinhas da polícia.

Khan indicou que cerca de 150 médicos, paramédicos e enfermeiros foram detidos e que, por isso, a classe entrou em greve na cidade.

16h25 - Fundação de Miranda do Corvo empresta dois ventiladores ao IPO de Coimbra

A Fundação Assistência para o Desenvolvimento e Formação Profissional (ADFP) de Miranda do Corvo, no distrito de Coimbra, anunciou o empréstimo gratuito de dois ventiladores respiratórios ao Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra.

A instituição refere, em comunicado, que acedeu ao apelo direto da administração daquela unidade hospitalar pública, que já procedeu ao transporte dos equipamentos.

"Os equipamentos cedidos fazem parte do Hospital Compaixão, que continua encerrado. A 27 de fevereiro, a instituição ofereceu a unidade hospitalar ao governo para que fosse útil no combate à covid-19", salienta a nota.

No entanto, a Fundação ADFP lamenta que até hoje "a dádiva continua a não merecer qualquer resposta por parte do Ministério da Saúde",

16h20 - Bruxelas anuncia apoios aos agricultores

A Comissão Europeia anunciou medidas de apoio aos agricultores, como a prorrogação de prazos para regimes de pagamentos diretos e a simplificação de requisitos administrativos, visando evitar quebras no retalho alimentar.

"A luta contra o novo coronavírus afeta todas as partes da economia europeia e um dos setores em que não toleraremos nenhuma interrupção é o alimentar", vincou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, numa mensagem vídeo.

"A partir de hoje daremos mais tempo aos agricultores para apresentarem as suas solicitações aos [regimes de] pagamentos diretos e de desenvolvimento rural e, em breve, aumentaremos os adiantamentos dessas ajudas, para que os agricultores possam ter dinheiro para pagar as suas contas", precisou Ursula von der Leyen.

16h15 - Três em cada quatro brasileiros defendem isolamento revela sondagem

Três em cada quatro brasileiros preferem manter-se em casa para enfrentar a pandemia de covid-19, ao contrário da posição do Presidente do Brasil, que se opõe ao isolamento e às restrições no país, segundo uma sondagem da Datafolha divulgada hoje.

A pesquisa mostrou que a maioria (76 por cento) dos brasileiros disse preferir ficar em casa para impedir que o vírus se espalhe, mesmo que isso signifique prejudicar a economia e causar desemprego.

Apenas 18 por cento dos entrevistados afirmaram que é mais importante acabar com o isolamento para estimular a economia do país. Outros seis por cento disseram não saber.

16h10 -  Responsável do Convento de Santa Clara "muito preocupada" com 93 freiras

A responsável pelo Convento de Santa Clara, em Leiria, está "muito preocupada" com o futuro das 93 freiras instaladas naquele lar, que funciona com metade do pessoal e sem material de proteção contra a pandemia da covid-19.

"Estou muito preocupada. Temos 93 pessoas aqui, todas idosas, todas entre os 70 e tal e os 90 e tal anos, e 19 funcionárias, metade das quais foi para quarentena. Se temos a infelicidade de vir alguém aqui infetado...", afirmou à agência Lusa a irmã Claudina de Carvalho Leite.

A irmã do Convento de Santa Clara das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição enviou no dia 02 um pedido de ajuda para a Unidade de Saúde Pública e para a Segurança Social, pedindo material de proteção individual, mas até ao momento não teve reação.

"Tentámos adquirir material, mas não fomos a tempo, estava tudo encaminhado para os hospitais. Não temos luvas, máscaras, nem outro tipo de equipamento, como gel e álcool" afirma.

"Estamos a rezar pelos profissionais de saúde e por quem está mais diretamente com estes casos. Temos esperança. Deus está connosco e não nos vai abandonar, nem a nós nem às pessoas do mundo inteiro. Ele tem de nos valer", concluiu.

16h00 - Áustria antevê regresso prudente à normalidade

O Governo austríaco apresentou esta tarde, uma calendarização prudente de levantamento parcial e "por etapas", das restrições sociais em vigor, para recuperar a vida social e económica e uma "nova normalidade".

Apelando a população a manter "a maior disciplina", o executivo antevê a reabertura dos pequenos centros comerciais a partir de 14 de abril, depois da Páscoa.

Todas as outras lojas deverão reabrir no início de maio e duas semanas depois, será vez dos restaurantes. Tudo respeitando as devidas "distâncias de segurança" e com a restrição de deslocações a manter-se até finais de abril.

O país, de 8,8 milhões de habitantes e um dos primeiros na Europa a ser atingido pela pandemia, ordenou o confinamento generalizado há três semanas e acredita ter conseguido "achatar a curva" de novos contágios, atualmente numa taxa diária inferior a dois por cento, contra os 40 por cento registados em meados de março.

"Tivemos a descida mais significativa da UE" afirmou o ministro da Saúde, Rudolf Anschober. A Áustria contabiliza 12.058 casos, 204 mortos e cerca de um milhar de pessoas hospitalizadas devido à covid-19.

15h45 - Angela Merkel diz que UE está a ser posta à prova "como nunca"

A chanceler alemã considerou esta segunda-feira que, a União Europeia "está a ser posta à prova como nunca" desde a fundação, com a pandemia.

Angela Merkel considerou, durante uma conferência de imprensa em Berlim, que a "resposta" a esta crise não poderia ser outra que "mais Europa, uma Europa mais forte e uma Europa que funciona bem".

15h15 - Um médico e uma enfermeira entre nove infetados nas prisões

O sistema prisional regista até agora nove infetados por covid-19, entre os quais, quatro guardas, um médico, uma enfermeira e uma auxiliar de ação médica.

A informação foi adiantada à agência Lusa pela Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais.

15h00 - São Tomé regista primeiros casos de infeção

São Tomé e Príncipe detetou quatro casos positivos de infeção pelo novo coronavírus, os primeiros registados neste país, anunciou hoje o primeiro-ministro são-tomense, Jorge Bom Jesus.

São Tomé e Príncipe era, até agora, o único país lusófono e um dos quatro Estados africanos sem casos de Covid-19.

14h52 - Árbitro Fábio Veríssimo testa positivo

O árbitro português Fábio Veríssimo testou positivo a Covid-19, anunciou esta segunda-feira a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Segundo o comunicado da FPF, o árbitro, que já tinha estado de quarentena após ter estado em Itália em 9 de março, foi contagiado "em Portugal, onde contactou com uma pessoa infetada".

14h45 - Extrema-direita italiana quer igrejas abertas na Páscoa

O líder da extrema-direita em Itália, Matteo Salvini, defendeu no domingo que as igrejas devem estar abertas ao público para os ritos da Páscoa.

No entanto, a Igreja já recusou essa possibilidade. "O momento é de responsabilidade e vamos ver quem é capaz de demonstrá-lo", afirmou o cardeal Gualtiero Basetti, presidente da Conferência Episcopal italiana, em entrevista ao Corriere della Sera.

14h43 - Boris Johnson "bem disposto"

O primeiro-ministro britânico está bem disposto depois de uma "noite tranquila" e continua a ser observado, segundo um porta-voz.

Boris Johnson foi hospitalizado no domingo por continuar a ter sintomas de Covid-19.

"O primeiro-ministro passou uma noite tranquila no Hospital St Thomas, em Londres, e a moral é boa. Ele permanece no hospital para observação", disse o porta-voz aos jornalistas, garantindo que Johnson continua à frente do Governo.

14h41 - Congresso do PS adiado

O Presidente do PS, Carlos César, decidiu adiar o Congresso do PS que estava previsto para 30 e 31 de maio deste ano.

“Logo que as circunstâncias o permitam será convocada uma reunião da Comissão Nacional para definir o novo calendário e data de Congresso”, acrescenta a nota enviada à comunicação social.

14h38 - Fátima sem peregrinos

O Santuário de Fátima anunciou esta segunda-feira que a peregrinação de maio será este ano celebrada sem a presença física de peregrinos devido à atual situação de pandemia.

Apesar de esta peregrinação não poder ser vivida nos moldes habituais, vão realizar-se "as principais celebrações na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, que serão presididas pelo cardeal D. António Marto e transmitidas pelos meios de comunicação social e digital", explica.

14h36 - Tráfego aéreo cai 36% em março

A NAV Portugal anunciou esta segunda-feira que geriu menos 24,3 mil voos em março, uma quebra de 36% face ao mesmo mês de 2019.

A NAV espera quedas ainda "mais pronunciadas" em abril, uma quebra que deverá rondar os 85 e os 95 por cento.

14h31 - Pandemia causa maior recessão em França desde o pós-guerra

A pandemia da Covid-19 vai provocar este ano em França a maior recessão económica desde o final da Segunda Guerra Mundial em 1945, afirmou hoje o ministro da Economia francês, Bruno Le Maire.

Le Maire assegurou que a contração da economia francesa será "muito acima" dos -2,2% registados em 2009, o pior número desde o pós-guerra.

Neste contexto, Le Maire defendeu as medidas "inovadoras" tomadas pelo Executivo, que se focam essencialmente na proteção dos trabalhadores atingidos pelos encerramentos associados à pandemia.

Mas advertiu para a importância de uma atuação conjunta no seio da União Europeia (UE) para evitar o aumento das divergências económicas entre os países, que tornariam insuportável a sobrevivência da moeda comum.

"É uma crise global. Uma das minhas inquietações é a capacidade da zona euro para resistir", afirmou Le Maire.

14h00 - Açores sem novos casos de infetados nas últimas 24 horas

A Autoridade de Saúde dos Açores informou hoje que as análises realizadas nos dois laboratórios de referência da região nas últimas 24 horas não revelaram novos casos positivos de Covid-19.

Até ao momento, foram detetados na região um total de 67 casos positivos, constatando-se um recuperado e 66 ativos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, sendo 32 em São Miguel, 10 na ilha Terceira, três na Graciosa, sete em São Jorge, nove no Pico e cinco no Faial.

13h50 -Pandemia já fez mais de 70 mil mortos em todo o mundo

De acordo com a AFP morreram 70.009 pessoas, 50.215 das quais na Europa, o continente mais afetado.

Itália continua a ser o país com mais mortes no mundo (15.877 óbitos), seguida de Espanha (13.055), Estados Unidos (9.648) e França (8.078).

Desde o início da pandemia de Covid-19, 1.277.585 casos de infeção foram oficialmente declarados em todo o mundo, dos quais mais da metade na Europa (676.462), 353.159 nos Estados Unidos e no Canadá (9.955 mortes) e 119.955 na Ásia (4.239 mortes).

13h43 - Equipamentos doados pela China entregues a Itália

A Comissão Europeia informa esta segunda-feira que os equipamentos de proteção doados pela China à União Europeia -incluindo dois milhões de máscaras cirúrgicas, 200 mil máscaras N95 e 50 mil kits de teste - foram entregues a Itália.

13h04 - 10.500 amostras processadas por milhão de habitantes

No final da conferência, o secretário de Estado garantiu que Portugal está a reforçar significativamente a capacidade de testagem, estando em linha com alguns dos países que mais testam na Europa.

António Lacerda Sales frisou ainda que Portugal tem 10.500 amostras processadas por milhão de habitantes.

13h01 – Testes estão a chegar onde são necessários

Graça Freitas garante que os testes estão a chegar onde são necessários “a principal preocupação é testar pessoas que manifestem qualquer tipo de sintomas, mesmo muito ligeiros”.

Neste momento a “rede” está aberta de forma a “captar qualquer pessoa que tenha uma sintomatologia mínima”.

“As assimetrias regionais têm a ver com o mapa de distribuição de doença neste momento”.

A diretora-regional da Saúde recordou que a “doença não está uniformemente distribuída em todo o país”.

Há “zonas do país mais afetados do que outras e temos zonas que não estão afetadas”. 

“O que nos chama a atenção para haver infeção é aparecerem pessoas com sintomas compatíveis (…) e essas pessoas são todas testadas”.

Em relação aos lares de terceira idade onde são detetados casos positivos de Covid-19, Graça Freitas recordou que “os testes são alargados aos profissionais e aos utentes, quer tenham quer não tenham sintomas”.

“Estão a chegar testes onde de facto são necessários. Com os constrangimentos que todos sabemos”.

Sobre as pessoas que primeiro testam negativo e depois positivo, Graça Freitas esclareceu que “isso aconteceu em poucas situações e tudo na Ásia”.

“Temos que ir acompanhando e fazendo testes a populações que são estudadas especificamente para essa matéria e para aumentar o nosso conhecimento sobre a doença. Por rotina. Não o estamos a fazer”.

12h59 – Diminuição na assistência e prestação de cuidados

O secretário de Estado admite que, perante o foco na Covid-19, houve uma diminuição na assistência e prestação de cuidados no Serviço Nacional de Saúde noutras patologias.

António Lacerda Sales assegura no entanto que está a ser preparado um plano de futuro para recuperar atividade assistencial.

Sobre os doentes acompanhados no Hospital Curry Cabral em concreto, o secretário de Estado diz que essa situação está a ser analisada e ponderada no sentido de perceber se as instalações poderão ser uma zona exclusiva só para a Covid-19, garantindo dessa forma a transferência das valências especificas para outros hospitais.

12h57 – Números da mortalidade

A diretora-geral da Saúde garante que as autoridades estão a “acompanhar, muito atentamente” os números de mortalidade.

“Tivemos uma época de inverno e uma época gripal em qua mortalidade foi relativamente baixa. Este ano foi uma época muito benigna”, afirmou.

Segundo Graça Freitas, “além de acompanhar, temos duas linhas de atuação”

A primeira “garantir que os nossos profissionais de saúde não estão todos dedicados ao Covid.

Em segundo, “temos apelado às pessoas que não se deixem amedrontar e que continuem a procurar assistência médica (…) quer para compensar doenças crónicas, quer para doenças agudas”.

“Obviamente estamos a acompanhar a mortalidade em relação à curva ou ao intervalo esperado, que é calculado todos os dias e afinado à semana”, acrescentou.

12h55 – "Questão dos cuidados intensivos é muito volátil"

Questionado pelos jornalistas sobre a capacidade dos cuidados intensivos suportarem a atual situação, o secretário de Estado destacou que Portugal tem aumentado a capacidade ventilatória, e também por isso os 144 ventiladores que hoje chegam a Portugal vão ser distribuídos de forma equitativa por todo o país.

No entanto, António Lacerda Sales admite preocupação e assinala que a questão dos cuidados intensivos "é muito volátil", uma vez que a capacidade disponível pode variar até de dia para dia, para melhor ou pior.

"Estamos a fazer todos os esforços para estarmos bem preparados para esta fase", salientou.

12h53 – Uso intensivo de máscaras não está decidido

A DGS já recebeu o parecer dobre o uso de máscaras de forma mais intensiva. Graça Freitas frisa que as definições estão “em linha com a Organização Mundial de Saúde”.

“O que estamos a fazer neste momento é uma análise dos pareceres, da evidência científica e sobretudo mantermo-nos alinhados com a OMS”.

Graça Freiras acrescenta que “temos de esperar mais uns dias”.

12h48 - "Não existem super alimentos nem suplementos"

A bastonária da ordem dos Nutricionistas, Alexandra Bento, esteve na conferência de imprensa e alertou para a desinformação em tempos de pandemia.

Desmentiu a existência de soluções milagrosas para fortalecimento do sistema imunitário.

"Não existem nem super alimentos nem suplementos capazes de prevenir ou de combater a Covid-19 através de fortalecimento do sistema imunitário", frisou.
A responsável disse também que a alimentação equilibrada é fundamental para assegurar o adequado funcionamento do sistema imunitário.

Alexandra Bento lembra que a Direção-Geral da Saúde publicou recentemente um guia dedicado à alimentação em tempos de Covid-19.

A bastonária apelou aos portugueses para que comprem só os alimentos necessários e garantiu que “não haverá falta de alimentos” e que a cadeia de abastecimento está a funcionar.

Em tempo de pandemia, a bastonária da ordem dos Nutricionistas salientou que se devem privilegiar alimentos frescos, hortícolas, frutas frescas, e evitar alimentos com muito sal, gordura ou açúcar.

Uma vez que ainda não é clara a transmissão do vírus através de alimentos, a responsável considera que se deve aplicar o princípio de precaução, adotando boas práticas de higiene.

Salientou que os idosos são o grupo de maior risco e disponibilizou uma bolsa de nutricionistas para auxiliar as instituições, nomeadamente os lares.

Alexandra Bento pediu para que os portugueses não permitam que, nesta fase, aumentem as doenças não transmissíveis, como é o caso da obesidade e diabetes.

Cumprindo as medidas de distanciamento social mas tendo comportamentos saudáveis fazem de todos “agentes de saúde pública”, completou a bastonária.

12h46 – Mais 500 ventiladores esta semana

António Lacerda Sales destaca que Portugal continua a aumentar o número de testes efetuados e que desde 1 de março foram realizados cerca de 110 mil testes.

A capacidade atual é de 11 mil testes por dia, dos quais sete mil no público.
Sobre material, o governante salienta: “Estamos numa fase onde há garantia de alguma estabilidade das compras e de previsão de entrega de encomendas”.

“Durante esta semana chegam a Portugal 500 ventiladores e na próxima semana, depois da Páscoa, mais 500”, assegurou o secretário de Estado.

Já foram entregues e vão continuar a ser entregues 144 ventiladores a hospitais de todo o país, de acordo com as necessidades, acrescentou ainda António Lacerda Sales.

O secretário de Estado destacou ainda maior vulnerabilidade dos idosos e frisou que qualquer pessoa pode, a partir de hoje, voluntariar-se para ajudar em lares.

12h44 – Taxa de letalidade global de 2,7%

Na habitual conferência de imprensa diária, o secretário de Estado sublinhou que a atual taxa de letalidade global é de 2,7% e a taxa de letalidade acima dos 70 anos é de 10,5%.

Dos doentes infetados, 86,6 por cento estão em domicílio, 9,4 por cento estão internados e 2,3 por cento em unidades de cuidados intensivos.

12h04 - Número de mortos em Portugal sobe para 311. Há 11.730 infetados

Houve 16 mortes nas últimas 24 horas. Há ainda registo de 140 casos de recuperação, mais 65 que anteriormente.

Houve mais 452 casos em relação a domingo, o que representa uma variação de 4 por cento, a mais baixa desde o início da pandemia em Portugal.

Nesta altura 1.099 pessoas estão internadas, das quais 270 em cuidados intensivos.

De acordo com o novo relatório da situação epidemiológica, a região Norte continua a ser a que regista o maior número de mortes (168). Segue-se a região Centro (76), a região Lisboa e Vale do Tejo (60) e Algarve (7).

11h52 - i3S avança com testes de diagnóstico

O Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) inicia esta segunda-feira a realização de testes de diagnóstico do SARS-COV-2.

De início serão feitos entre 100 a 150 testes diários, um número que poderá ainda aumentar.

11h42 - África com mais de 9 mil casos e 414 mortes

O número de mortes provocadas pela Covid-19 em África subiu para 414 nas últimas horas num universo de mais de 9.198 casos registados em 51 países.

11h15 - Governo japonês vai declarar estado de emergência

O Japão vai declarar o estado de emergência em várias regiões do país onde os casos da Covid-19 estão a aumentar, incluindo Tóquio e Osaka, anunciou esta segunda-feira o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

11h01 - Irão chega aos 60.500 casos e 3.739 mortos

O número total de infetados no país chegou aos 60.500.

10h44 - Espanha regista mais 637 mortos nas últimas 24 horas

É o número mais baixo de vítimas mortais desde 24 de março. No total morreram 13.055 pessoas em Espanha desde o início da pandemia.

O número de casos fixou-se nos 135.032, quando ontem era de 130.759 casos.

10h02 - Médicos defendem revisão dos critérios para uso de máscaras

A Ordem dos Médicos defende que os critérios para uso universal das máscaras de proteção individual pelos profissionais de saúde e pela população em geral devem ser revistos para melhor evitar a propagação da Covid-19.

A Ordem refere, numa nota publicada esta segunda-feira, que a Direção-Geral da Saúde deve rever e operacionalizar, com caráter de urgência, os critérios de utilização universal das máscaras de proteção individual, sobretudo nos espaços públicos onde a distância de segurança seja mais difícil de manter.

9h41 - Alemanha. Número de casos e de vítimas mortais abranda

A Alemanha registou menos novos casos diagnosticados (3.677) e um decréscimo do número diário de vítimas mortais (92) em relação ao dia anterior.

No total, o país tem agora 95.391 infetados e 1.434 mortes registadas.

9h14 - Número de casos sobe na Rússia

Nas últimas 24 horas houve mais 954 novos casos de Covid-19 na Rússia. No total há agora 6.343 casos confirmados no país.

Só em Moscovo surgiram mais 591 novos casos. Até ao momento morreram 47 pessoas na Rússia.

9h07 - Espanha em busca dos assintomáticos

As autoridades de saúde da Espanha tencionam, nos próximos dias, alargar os testes para a despistagem de infeção pelo novo coronavírus a todos os sectores considerados essenciais.

O objetivo é encontrar infetados assintomáticos, que são também agentes de contágio.

8h52 - Boris Johnson continua no hospital com "sintomas persistentes"

O primeiro-ministro britânico foi levado ao hospital na noite de domingo uma vez que continuava com febre. Os médicos consideraram que o governante precisava de testes adicionais.

"Hoje, ele [Boris Johnson] está no hospital para realizar testes mas vai continuar a ser informado sobre o que se passa e continua aos comandos do governo", disse hoje à BBC Robert Jenrick, ministro da Habitação do Governo de Londres.

Boris Johnson testou positivo para o novo coronavírus no final de março com sintomas ligeiros, mas tem-se mantido na liderança do Governo a partir da residência oficial em Downing Street.

"A conselho do seu médico, o primeiro-ministro foi internado no hospital para exames esta noite", indicou o porta-voz de Downing Street num comunicado divulgado no domingo, acrescentando que se tratava de uma "medida de precaução" e não de um internamento de urgência.

8h17 - 14 pessoas detidas desde 3 de abril

Desde as 00h00 de 3 de abril, a GNR e a PSP detiveram 14 pessoas por crime de desobediência, designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência.

Foram ainda encerrados 121 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

Entre 22 de março e 2 de abril tinham sido detidas 108 pessoas por crimes de desobediência e 1.708 estabelecimentos comerciais foram encerrados.

7h42 - Apple produz máscaras

O presidente da Apple anunciou que o gigante tecnológico pode produzir um milhão de máscaras por semana a partir do próximo fim de semana.

Tim Cook explicou, no Twitter, que as máscaras em plástico transparente e que cobrem todo o rosto foram desenvolvidas por "designers de produto, equipas de engenharia e embalagem e (fornecedores)".

Estas máscaras serão inicialmente destinadas aos Estados Unidos. O equipamento será produzido no país, mas também na China.

Cook afirmou também que a Apple conseguiu obter 20 milhões de máscaras cirúrgicas através de fornecedores em todo o mundo.

7h33 - Mais de 1200 mortes nos Estados Unidos em 24 horas

Os Estados Unidos registaram no domingo mais de 1200 mortes em 24 horas causadas pela Covid-19, segundo os dados da Universidade Johns Hopkins.

O número total de mortes desde o início da pandemia em território norte-americano é de mais de nove mil. Há perto de 337 mil infetados.

Mais de 17 mil pessoas já recuperam da doença.

7h23 - Números da China

A China indica esta segunda-feira que o número de infetados pelo novo coronavírus é de 1299. É a primeira vez, desde janeiro, que o país está abaixo da barreira dos 1300.

Segundo a Comissão Nacional de Saúde do colosso asiático, nas últimas 24 horas foram registados 39 novos casos na China continental.Destes, 38 são casos importados - o único caso de contágio local diagnosticado foi registado na província de Guangdong, vizinha de Macau.

O número de pessoas que superam a doença e recebem alta diariamente supera nesta altura os novos infetados. Nas últimas 24 horas, 114 receberam alta.

7h00 - Ponto de situação

A utilização de de máscaras de proteção pode vir a ser alargada em Portugal, admitiu ontem à noite a ministra da Saúde, em entrevista à RTP.

Marta Temido adiantou, todavia, que ainda não há certezas em relação a essa possibilidade.
Na mesma entrevista, a governante afirmou ainda que a evolução da curva de infeções em Portugal é encorajadora, sem deixar de advertir que se impõe manter a disciplina.

A ministra garantiu que estão a ser feitas compras de material médico de forma mais regular.

O Governo admite, por outro lado, que há atrasos na realização de testes, mas garante que a situação vai ser regularizada com o material que está a chegar.
A ministra da Saúde apela aos lares para que acolham quem já não precisa de internamento, por causa da pressão que cresce nos hospitais.

A Covid-19 já fez 295 vítimas mortais em Portugal. Os últimos dados conhecidos, de domingo, mostram um aumento de 11 por cento face ao dia anterior.

Há neste momento 11.278 infetados no país, mais sete por cento.

Mais de mil pessoas estão internadas, das quais 267 em unidades de cuidados intensivos.
Marcelo reúne-se com a banca
O Presidente da República reúne-se esta segunda-feira com os presidentes dos principais bancos do país. Marcelo Rebelo de Sousa quer agilizar acesso das empresas e famílias ao crédito bancário durante a pandemia.

A reunião vai começar às 16h00 e será concretizada por videoconferência.

Juntam-se a Marcelo Rebelo de Sousa os presidentes do BPI, da Caixa Geral de Depósitos, do Santander Totta, do Millenium BCP e do Novo Banco.
O quadro internacional

O novo coronavírus, na origem da pandemia da Covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo. Morreram mais de 68 mil. Dos casos de infeção, mais de 283 mil são considerados curados.Em Nova Iorque, um tigre num jardim zoológico testou positivo para Covid-19. Nadia, de quatro anos, é o primeiro tigre em todo o mundo a ser diagnosticado com a doença. Há vários animais com sintomas de infeção na mesma estrutura.


O continente europeu, com mais de 664 mil infetados e mais de 49 mil mortos, é onde se regista o maior número de casos. Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais: 15.887 óbitos em 128.948 casos confirmados.

Para além de Espanha, Estados Unidos e China, os países mais afetados são França, com 8078 mortos em 92.839 casos, Reino Unido, com 4934 mortos em 47.806 casos, Irão, com 3603 mortos em 58.226 caso, e Alemanha, com 1342 mortes em 91.714 casos.

A pandemia abarca já 51 dos 55 países e territórios africanos, com mais de 8500 infeções e mais de 360 mortes, de acordo com dados do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana.

São Tomé e Príncipe é atualmente o único país lusófono sem notícia de infeções.