Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Rafael Marchante - Reuters

Acompanhamos aqui ao minuto todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações


23h41 - Génova revela 14 casos positivos, Sampdoria assume Baldé infetado

O Génova, da Liga italiana de futebol, revelou hoje que tem 14 casos positivos de covid-19 no seu grupo de trabalho, enquanto a rival Sampdoria está a contas com a infeção do seu iminente reforço Keita Baldé.

"O clube ativou todos os procedimentos previstos no protocolo em vigor e informou as autoridades competentes sobre os procedimentos. O clube fornecerá as próximas atualizações ditadas pela evolução", anunciou o Génova.

Este é o primeiro caso de gravidade excecional numa grande liga europeia e que no fim de semana custou ao clube transalpino, atual 12.º classificado em Itália, uma goleada 6-0 ante o Nápoles.

Inicialmente, foram revelados os positivos de Mattia Perin, sábado, e Lasse Schone, no domingo, contudo hoje foi confirmado um surto em mais 12 elementos, entre futebolistas e 'staff'.

Não foram divulgados mais nomes de jogadores, contudo prevê-se que vários atletas estarão impedidos de defrontar no sábado o Torino, enquanto os profissionais do Nápoles devem ser submetidos a controlos rigorosos para avaliar efeitos do embate do fim de semana.

A Sampdoria, rival na cidade de Génova, anunciou que Keita Baldé, prestes a ser contratado ao Mónaco, testou positivo por coronavirus durante os habituais exames médicos.

"Ele não teve contacto com o grupo profissional e está em quarentena", tranquilizou a Sampdoria em nota.

23h25 - Marcelo espera que a pandemia sirva de lição e apela à ação climática

O Presidente da República afirmou hoje esperar que a pandemia de covid-19 sirva de lição quanto aos efeitos globais do que acontece no meio ambiente em qualquer parte do mundo e apelou à ação climática.

Marcelo Rebelo de Sousa transmitiu esta mensagem num vídeo divulgado no portal da Presidência da República na internet, a propósito do "Evento de líderes pela natureza e os povos" realizado hoje durante a 75.ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque.

"A atual pandemia mostra, acima de tudo, que vivemos num só mundo, um mundo em que tudo está ligado, um mundo em que aquilo que acontece do outro lado do planeta acaba sempre por nos afetar, muitas vezes com efeitos dramáticos, como tem sucedido agora", declara o chefe de Estado.

Salientando que "um vírus surgido na Ásia chega ao Ocidente em poucos dias, e daí à África, à América, do Norte e do Sul, a todos os lugares do planeta", Marcelo Rebelo de Sousa acrescenta: "Talvez, finalmente, a pandemia da covid-19 nos sirva de lição".

"Talvez com ela aprendamos que a destruição de uma árvore num continente, que um incêndio florestal noutro, que os gazes produzidos pelo consumo de combustíveis fósseis têm efeitos para todos nós, para a humanidade inteira. Talvez com ela ganhemos consciência do que é uma catástrofe à escala global", considera.

O Presidente da República pergunta, "se isto se passa com um vírus, como será com o aquecimento do planeta, com a subida dos oceanos, com a desertificação galopante", e defende que "é tempo de agir, com determinação e esperança".

"Não importa o que pensam alguns senhores, importantes ou não importantes, significativos ou não significativos, que negam a evidência, que negam o que é necessário fazer em conjunto, que defendem posições egoístas, egocêntricas, de negação da realidade, de negação da importância do clima, de negação da importância da natureza, de negação da importância de atuarmos em conjunto por este planeta, que é nosso, e é um só. Temos de agir", reforça.

23h05 - Publicada portaria que regulamenta contratação de 1.500 assistentes para escolas

A portaria que regulamenta a contratação imediata de 1.500 assistentes operacionais para escolas de todo o país foi hoje publicada em Diário da República.

Em comunicado, o Ministério da Educação sublinha que no processo de recrutamento "poderá recorrer-se a trabalhadores que já constam das reservas de recrutamento internas".

Segundo a tutela, o procedimento visa implementar "um processo de contratação mais célere".

"Estes 1.500 assistentes operacionais vão reforçar o corpo de pessoal não docente em escolas de todo o país, incluindo nos municípios já abrangidos pela transferência de competências na área da Educação, no âmbito da descentralização", acentua o Ministério da Educação, na nota hoje divulgada.

O ministério liderado por Tiago Brandão Rodrigues vinca que, além da contratação dos 1.500 assistentes operacionais, "acrescerá a revisão da portaria de rácios, que comportará um aumento adicional de assistentes operacionais nas escolas, com vinculação à Administração Pública".

O anúncio da contratação tinha sido feito em 18 de setembro pelo primeiro-ministro, António Costa, durante a visita a uma escola em Alcochete.

22h40 - Surto de Covid-19 em Alcanede

22h30 - Sobe de 30 para 31 número de infetados em surto no hospital de Beja

O número de profissionais de saúde infetados no surto de covid-19 identificado no bloco operatório do hospital de Beja subiu de 30 para 31, divulgou hoje à noite a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA).

Na atualização divulgada cerca das 21:30 da informação relativa ao surto, a ULSBA indica que há mais um caso de infeção confirmado, o de um enfermeiro, a juntar aos 30 registados até hoje de manhã.

Entre os 31 infetados confirmados, há 14 enfermeiros, nove médicos, cinco assistentes operacionais, dois assistentes técnicos e um técnico de diagnóstico e terapêutica, e todos têm "apenas sintomas ligeiros" e estão em isolamento em casa, refere a ULSBA, que gere o hospital de Beja.

Devido ao surto, a ULSBA reforçou as medidas de segurança e higiene, alargou o rastreio a profissionais e decidiu realizar testes de despiste de covid-19 a todos os funcionários do hospital de Beja, o que deverá terminar no final desta semana.

22h20 - Donald Trump anuncia 150 milhões de testes rápidos

O Presidente dos Estados Unidos anunciou que o Governo Federal irá distribuir a nível nacional 150 milhões de testes rápidos e alertou para a probabilidade elevada de um próximo aumento do número de casos positivos de SARS-Cov-2, devido aos testes.

A partir do Jardim das Rosas, na Casa Branca, Donald Trump referiu que os testes vão ser utilizados sobretudo para garantir a abertura de escolas e garantir a segurança em lares de terceira idade. 

"Com casos e o número de positivos a aumentar em 10 Estados no Midwest e no centro oeste, e com este avanço histórico em testes que está a ser distribuído, a população americana deverá antecipar o aumento de casos nos próximos dias", referiu na mesma ocasião o vice-presidente Mike Pence.

Nas últimas duas semanas registou-se um aumento de casos de contágio pelo SARS-CoV-2 em 27 dos 50 Estados dos EUA, superior a 55% em dois deles, Carolina do Norte e Novo México.

22h00 - Chile regista 1.770 novas infeções e 57 mortes nas últimas 24 horas

O Chile registou 1.770 novas infeções e 57 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, segundo o relatório emitido hoje pelo Ministério da Saúde chileno.

O dia ficou marcado pelo início do desconfinamento em quase toda a região da capital.

O número total de casos de novo coronavírus aumentou para 459.671, dos quais 13.957 ainda estão ativos e 433.016 já recuperaram, enquanto o número total de mortes atingiu as 12.698.

Ao número total de mortes acrescem mais de 4.500 mortes "suspeitas" ou "associadas" à covid-19, que aguardam confirmação dos resultados do teste, pelo que o saldo total pode exceder as 17.000 vítimas mortais da pandemia.

21h50 - António Costa.  Ursula von der Leyen tem sido exemplar na condução da UE

António Costa falava numa conferência de imprensa conjunta com a presidente da Comissão Europeia, que hoje iniciou uma visita de dois dias a Portugal.

"Ursula von der Leyen tem conduzido a União Europeia de forma exemplar num momento tão difícil no atual quadro de pandemia que tem atingido duramente a Europa. Sob o impulso da Comissão, a forma como a União Europeia tem enfrentado esta crise é um exemplo de como a união faz a força e reforça a capacidade de todos de podermos estar à altura desta crise", sustentou o primeiro-ministro.

21h40 - PR de Cabo Verde pede mais fiscalização e alerta que 2021 pode ainda ser pior

O Presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, pediu hoje um "exercício mais efetivo" das autoridades no cumprimento das medidas de prevenção à transmissão da covid-19, nomeadamente na Praia, alertando que 2021 pode ainda ser pior em termos económicos.

A posição foi assumida aos jornalistas, no Palácio Presidencial, na Praia, depois de seis horas e meia de reunião do Conselho da República, órgão consultivo e convocado pelo chefe de Estado para analisar a situação epidemiológica do arquipélago, quando o país regista um acumulado de 5.817 casos diagnosticados em seis meses e 59 mortos.

Jorge Carlos Fonseca explicou que nesta reunião, que analisou ainda as consequências económicas da pandemia e as condições de retoma do ano letivo, em 01 de outubro, foi notado o "número significativo de casos de infeção" por covid-19, mas que estão concentrados sobretudo na ilha de Santiago, "e especialmente no concelho da Praia" - com 3.511 casos diagnosticados e 38 mortos -, destacando que nas restantes ilhas a situação está "sob controlo" ou "com evolução positiva".

"Uma atenção especial deve continuar a merecer a situação da epidemia aqui na Praia. Isso implica vários tipos de ações. Uma ação de esforço de exercício mais efetivo das autoridades democráticas", apelou, numa altura em que são visíveis sinais de relaxamento da população nas medidas de prevenção da transmissão da doença, como o distanciamento social ou o uso de máscara. Defendeu, por isso, "mais e melhor comunicação", para explicar os riscos da doença aos vários grupos populacionais.

21h24 - França. Começa o segundo confinamento

21h10 - Madrid: mais de um milhão de pessoas confinadas nos seus bairros


21h00 - Falta de pessoal dificulta normalidade do regresso às aulas

20h45 - Costa Silva: perante a pandemia "não é o mercado que nos vai salvar"


20h30 - Surtos do novo coronavírus em Leiria, Faro e Lisboa


20h22 - Trinta profissionais de saúde contaminados em Beja

20h10 - Madeira com seis novos casos sobe total de infeções ativas para 60

A Madeira registou hoje seis novos casos de covid-19, elevando para 60 o total de infeções ativas no arquipélago, revelou o Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE), referindo também que há mais um recuperado.

O boletim epidemiológico do IASAÚDE esclarece que os novos casos foram detetados no âmbito da operação de rastreio no Aeroporto da Madeira, tratando-se de quatro viajantes oriundos da Polónia e dois de França.

A Região Autónoma da Madeira passa a contabilizar 218 casos confirmados de covid-19.

"São agora 60 os casos ativos, dos quais 50 são casos importados identificados no contexto das atividades de vigilância implementadas no Aeroporto da Madeira e dez são casos de transmissão local", refere o IASAÚDE, sublinhando que 158 pessoas já recuperam.

20h00 - Marcelo defende que "não há lugar para querelas institucionais durante pandemias"

O Presidente da República defendeu hoje que "não há lugar para querelas institucionais durante pandemias" e que nesta conjuntura a estabilidade se deve sobrepor aos ciclos eleitorais e a "visões particularistas ou de promoção pessoal".

"Essa é uma lição que nós aprendemos antes da pandemia, mas que nós desenvolvemos com a pandemia: não há lugar para querelas institucionais durante pandemias, não há lugar para querelas institucionais no decurso de uma gravíssima crise económica e social", afirmou o chefe de Estado, no encerramento da 5.ª Cimeira do Turismo, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa, que está nos últimos seis meses do seu mandato e remeteu para novembro uma decisão sobre a sua eventual recandidatura nas presidenciais de 2021, considerou que no atual contexto "não há lugar para o chefe de Estado dizer uma coisa, o chefe do Governo dizer outra, o Governo dizer outra e o parlamento votar outra e as autoridades regionais ou locais fazerem o contrário".
19h55 - TAP agrava prejuízo para 582 ME no 1.º semestre penalizada pela pandemia

A TAP S.A. registou 582 milhões de euros de prejuízo no primeiro semestre, valor que compara com um resultado líquido negativo de 112 milhões apurado em igual período de 2019, comunicou hoje a companhia aérea à CMVM.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Transportes Aéreos Portugueses, S.A. (TAP) deu hoje conta dos resultados consolidados relativos ao primeiro semestre do ano, cuja operação e resultados foram "significativamente impactados pela quebra de atividade a partir de março", face à pandemia de covid-19, aponta a empresa.

No entanto, a empresa sublinha que, em janeiro e fevereiro, antes da paragem devido à pandemia, os principais indicadores operacionais apontavam para a manutenção da tendência de crescimento que já se tinha observado no segundo semestre de 2019, com mais 13,4 por cento de passageiros transportados, face aos mesmos meses do ano anterior, a procura expressa em RPK (`revenue passenger kilometers`, ou número de quilómetros percorridos por passageiro) a crescer 18,1 por cento e a capacidade (em ASK, `available seat kilometers`, ou capacidade total de assentos disponíveis em cada voo de uma companhia aérea em quilómetros) a crescer 15 por cento.

19h50 - Estudo americano confirma baixa letalidade entre as crianças

Os Estados Unidos contabilizaram oficialmente 277.285 casos de infeção por coronavírus em crianças entre os 5 e os 17 anos, desde março. Entre estas ocorreram 51 óbitos, de acordo com o estudo mais exautivo até agora das autoridades sanitárias norte-americanas.

Até 10 de setembro, a taxa de letalidade calculada para as crianças em idade escolar nos Estados Unidos, será de 0,018 por cento.

Numa outra análise publicada a 10 de setembro, o Centro de Prevenção e de Combate a Doenças, CDC, estimava que a taxa de letalidade por grupo etário era de 0,003 por cento dos 0-19 anos, de 0,02 por cento dos 20 aos 49 anos, de 0,5 por cento dos 50 aos 69 anos, e de 5,4 por cento entre os maiores de 70 anos.

O estudo do CDC refere ainda que a incidência do contágio dos 12 aos 17 anos, é o dobro da registada dos 5 aos 11 anos.

A análise dos dados confirma ainda que as minorias são as mais atingidas no país, também entre os mais novos. A maioria das crianças contaminadas com o SARS-CoV-2, são hispânicas (42 por cento), 32 por cento são brancas e 17 por cento negras.

Em 277 mil casos, 3.240 foram hospitalizados, 404 destes em cuidados intensivos, contando-se 51 óbitos.

19h45 - Pedro Siza Vieira anuncia mudanças no regime de apoio à retoma

Há mudanças no regime de apoio à retoma. O ministro da Economia anunciou esta tarde que este mecanismo que veio substituir o "lay-off" simplificado vai ter uma alteração.

As empresas mais afectadas pela crise provocada pela pandemia vão poder suspender os contratos de trabalho e não apenas a redução do horário dos trabalhadores como tem acontecido até agora.

19h37 - Eslováquia vai declarar de novo o estado de emergência

O primeiro-ministro da Eslováquia, Igor Matovic, anunciou que o país vai voltar ao estado de emergência devido a recrudescimento de casos de infeção com SARS-CoV-2.

O país tem 5,4 milhões de habitantes e registou 9.343 casos de contágio com o novo coronavírus desde o início da pandemia, além de 44 mortes. Sexta-feira, o número de infeçãoes diárias atingiu um novo recorde de 552.

"A situação é extremamente grave", disse Matovic, após uma reunião da célula de crise formada para combater a pandemia. O novo estado de emergência, o segundo no país devido à pandemia, deverá ser aprovada pelo Governo quarta-feira.

A partir de 1 de outubro, todos os eventos, desportivos, religiosos e culturais serão proibidos. Casamentos e funerais não serão autorizados, excepto se todos os envolvidos forem testados negativamente ao SARS-CoV-2.

Restaurantes, bares e cafés vão encerrar às 22h00 e as pessoas que não vivam sob o mesmo tecto terão de manter entre si um distanciamento de dois metros ao ar livre, e deverão sempre usar máscara, que já é obrigatório na Eslováquia, no interior de lugares públicos.

19h20 - ACIBEV contra proibição de venda de álcool no retalho e de consumo nas esplanadas

A Associação de Vinhos e Espirituosas de Portugal (ACIBEV) disse estar contra a proibição de venda de bebidas alcoólicas no retalho depois das 20:00 e do consumo nas esplanadas, medidas que considera discriminatórias e sem evidência científica.

"A ACIBEV compreende a medida decretada pelo Governo, em março de 2020, de proibir o consumo de bebidas alcoólicas na via pública, por a mesma potenciar o convívio e a violação da regra do distanciamento social, em especial no verão, exigida pela pandemia", indica, em comunicado, a associação.

No entanto, não entende qual a justificação para a proibição da venda de bebidas alcoólicas, depois das 20:00, nos estabelecimentos de retalho, como supermercados e hipermercados.

Da mesma forma, a ACIBEV está contra o facto de esta medida ser alargada às esplanadas, sublinhando que o objetivo destas decisões não é o combate à pandemia de covid-19, mas a diminuição do consumo de bebidas alcoólicas.

"A ACIBEV não pode aceitar que, com a justificação da pandemia, se continuem a manter medidas discriminatórias, cuja evidência não está comprovada e que transmitem uma mensagem de saúde errada à população", salienta.

"Em Portugal, temos um consumo de vinho muito associado às refeições e à dieta mediterrânea. Não faz sentido as pessoas poderem comprar o seu jantar no supermercado depois das 20:00, mas não poderem comprar uma garrafa de vinho (...) ou poderem estar numa esplanada a beber uma água e não poderem beber álcool", exemplificou Ana Isabel Alves.

19h05 - Combater fuga de capitais garante metade da verba necessária em África

A organização das Nações Unidas para o Comércio estimou que o continente africano podia garantir quase metade dos 200 mil milhões de dólares que precisa para enfrentar a pandemia se conseguisse eliminar a fuga de capitais.

"Combater a fuga de capitais e os fluxos financeiros ilícitos em África podia gerar novos fundos para responder à crise de covid-19 no continente", lê-se no relatório sobre o Desenvolvimento Económico em África 2020, hoje lançado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

"Os países africanos precisam de angariar pelo menos 200 mil milhões de dólares (171 mil milhões de euros) para lidar com os custos socioeconómicos da pandemia de covid-19, para além dos gastos de emergência em saúde", lê-se no relatório, que dá conta que "88,6 mil milhões de dólares (76 mil milhões de euros) saem do continente todos os anos na forma de fuga ilícita de capitais, que representa riqueza que sai e fica fora do continente".

Para os peritos das Nações Unidas, "manter estes fundos no continente pode robustecer a resposta à covid-19 e construir a resiliência das economias africanas no futuro".

No relatório, elogia-se que em Angola, "em 2004 e 2012, no seguimento de investigações criminais sobre corrupção e lavagem de dinheiro em Angola, este país africano e a Suíça alocaram os fundos recuperados à construção de um hospital, infraestruturas, fornecimento de água e construção de competências para a reintegração das pessoas deslocadas".

18h56 - Infetadas nove funcionárias de lar em Alcanede, Santarém

Nove das 12 funcionárias do Centro Social Serra do Alecrim, em Alcanede, Santarém, que prestam serviço domiciliário, testaram positivo à covid-19, tendo hoje sido testados os 31 idosos que acompanham, disse fonte autárquica.

O presidente da Câmara Municipal de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), disse à Lusa que uma equipa do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) esteve hoje a testar os idosos, aguardando os resultados.

Na passada quinta-feira, uma médica e uma enfermeira do Centro de Saúde de Alcanede testaram positivo, depois de saberem que tinham atendido um doente diabético que estava infetado, tendo o espaço sido encerrado de imediato, disse fonte do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria à Lusa.

Segundo o coordenador do ACES Lezíria, todo o pessoal do centro de saúde foi testado, tendo os resultados sido negativos, pelo que as instalações reabriram hoje, depois de terem sido desinfetadas no passado sábado.

18h45 - Novas medidas na Holanda

O Governo holandês anunciou um pacote de novas medidas para combater a disseminação do SARS-CoV-2 no país, incluindo a proibição de público em eventos desportivos, nas próximas três semanas.

Limitação de deslocações de e para Amsterdão, Haia e grandes urbes, encerramento de bares e de restaurantes mais cedo, pelas 22h00 e o desaconselhamento de ajuntamentos públicos, são algumas das medidas anunciadas.

O teletrabalho será encorajado, onde possível, para evitar ao máximo deslocações e reuniões em escritórios ou outros edifícios.

Lojas em Amsterdão, Roterdão e noutras grandes cidades poderão a partir de agora exigir o uso de máscara, referiu ainda o primeiro-ministro Mark Rutte, ao apresentar as novas medidas. O responsável rejeitou contudo a necessidade do uso obrigatório de máscaras e a possibilidade de um novo confinamento generalizado.

A Holanda ultrapassou esta semana o anterior pico de novas infeções registado em abril. Segunda-feira
reportou 2.914 novos casos, pouco menos do novo recorde atingido domingo, 2.995 num dia.

18h40 - Liga propõe assistência de 1.000 pessoas para jogo entre Santa Clara e Gil Vicente

A Liga propôs à Direção Regional da Saúde dos Açores que o encontro Santa Clara-Gil Vicente, da terceira jornada da I Liga de futebol, tenha uma assistência de 1.000 pessoas, seguindo as normas regionais para a covid-19.

A proposta consta de uma missiva datada de 25 de setembro e enviada pela diretora executiva da Liga, Sónia Carneiro, ao diretor regional da Saúde dos Açores, Tiago Lopes, a que a agência Lusa teve hoje acesso.

"A proposta que vimos transmitir a essa Direção Regional é a da realização do jogo da terceira jornada da Liga, no Estádio de São Miguel, a partir das 15:00 do dia 03 de outubro, entre as equipas Santa Clara e Gil Vicente, perante 700 pessoas na bancada Açores e 300 na bancada central", lê-se no documento.

A Liga refere que a assistência de 1.000 pessoas é definida tendo por base a circular informativa da própria Direção Regional da Saúde, que autoriza a presença de público nos recintos desportivos do arquipélago até 10% da lotação dos espaços, mediante o uso de máscara e distanciamento até dois metros entre os espetadores.

18h30 - Casos de contágio crescem em 27 dos 50 Estados dos EUA

O número de novos casos de infeção com SARS-CoV-2 tem estado a aumentar nas últimas duas semanas, em 27 dos 50 estados dos Estados Unidos da América, com destaque para a Carolina do Norte e o Novo México, refere a agência Reuters.

A Carolina do Notre registou na semana passada um aumento de 60 por cento no número de casos confirmados de SARS-CoV-2, para 13.799 no total. Já o Novo México reportou um aumento de 55 por cento, para 1.265.

O Texas também registou mais 60 por cento de casos, para 45.559, mas incluiu vários milhares não registados até agora.

No último fim-de-semana, o país contabilizou mais 316 mil casos, mais 10 por cento do que sete dias antes e o número mais elevado em seis semanas.

"Há Estados que estão a mostrar um aumento de casos e nalguns está a dar-se um aumento de hospitalizações. E, espero que não, mas podermos vir a assistir a aumento dos óbitos", declarou, à ABC News, Anthony Fauci, um dos maiores infeciologistas do país.

O número de mortos por Covid-19 nos EUA tem vindo a descer desde há seis semanas, embora se mantenha na ordem das cinco mil vítimas mortais por semana. Com o aumento dos contágios, o número de óbitos irá provavelmente voltar a subir nas próximas semanas.

18h10 - Espanha regista mais 31.785 novos casos e 179 mortes

Espanha registou desde sexta-feira 31.785 novos casos de covid-19, mais de 40 por cento em Madrid, o que faz subir o número total de infetados para 748.266, segundo números divulgados hoje pelo Ministério da Saúde espanhol.

O país tem ainda mais 179 mortos devido à doença notificados nos últimos três dias, aumentando o total de óbitos para 31.411.

Madrid continua a ser a comunidade autónoma espanhola mais atingida, com mais de 225.000 casos positivos registados até hoje e mais de 9.000 mortes.

Por outro lado, deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 955 pessoas, das quais 275 em Madrid, 125 na Andaluzia, 98 em Castela e Leão e 88 na Catalunha.

Estão hospitalizados em todo o país 11.147 pessoas com o novo coronavírus, das quais 1.529 estão em unidades de cuidados intensivos.

18h00 - Governo apresenta medidas de apoio ao setor do turismo e à retoma

O Governo está a preparar uma flexibilização da medida de apoio à retoma, que veio substituir o "lay-off" simplificado, bem como uma iniciativa que permitirá reaver parte do IVA dos serviços de turismo e restauração.

O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro durante a V Cimeira do Turismo, que decorre em Lisboa. A jornalista da Antena 1 Ana Isabel Costa registou as declarações de António Costa.


17h58 - Apelo de Pequim a "não agravar o desastre"

O Governo chinês afirma que o novo coronavírus é "um sinal de alarme" para o mundo inteiro e acusações mútuas "só fará agravar-se o desastre".

O ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Wang Yi, referiu num fórum em Pequim, que certos países "transformaram este espaço solene que é a ONU numespaço de representação para servir a sua própria política e os seus próprios interesses", numa alusão à mensagem do Presidente Donald Trump na abertura da 75ª Assembleia Geral das Nações Unidas.

Trump apelou os países a unirem-se e a pedir contas a Pequim, pela forma como não impediu o vírus de se disseminar pelo mundo. O embaixador chinês na ONU, Zhang Un, respondeu que os Estados Unidos estavam ele "a propagar um vírus político" na Assembleia Geral.

"não temos outra escolha além de trabalharmos juntos e nos entreajudarmos", disse Wang esta segunda-feira. "como disse o secretário-geral António Guterres, esta epidemia não é só um sinal de alarme mas também um exercício de crise. Face a desafios globais como a pandemia, se nós não sairmos do nosso próprio curso ou se tratarmos os nossos vizinhos como inimigos, isso só fará agravar o desastre", acrescentou.

17h45 - Extensão das moratórias é medida muito importante diz presidente do BCP

O presidente da Comissão Executiva do BCP, Miguel Maya, sublinhou hoje a importância para a economia e para as empresas da extensão das moratórias de crédito até setembro de 2021.

"É muito, muito importante para a economia, enquanto não há um retomar da economia, que haja capacidade de empresas que são viáveis conseguirem sobrevier a estas adversidades", referiu Miguel Maya, acentuando que o BCP "vê com muito agrado" a extensão das moratórias e que estará na "linha da frente".

Na quinta-feira da semana passada, o Conselho de Ministros decidiu prolongar por mais seis meses, até 30 de setembro de 2021, o prazo das moratórias de crédito às famílias e empresas que terminava em 31 de março.

17h30 - Catarina Martins quer proteção para trabalhadores por turnos

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, disse ser essencial que a lei garanta que a crise provocada pela pandemia de covid-19 não sirva de "desculpa para impor piores horários e piores turnos aos trabalhadores".

Segundo Catarina Martins, no próximo dia 08, será debatida no Parlamento "a proposta para proteger os trabalhadores por turnos em Portugal", que considera "essencial para garantir que a crise não abre a porta a mais abusos".

"Precisamos de garantir que quem trabalha por turnos em Portugal tem direito a descanso, tem proteção na saúde e tem acesso à reforma" disse aos jornalistas, em Mangualde, no final de um encontro com trabalhadores do Centro de Produção da PSA.

Catarina Martins lembrou que, em Portugal, existem 750 mil trabalhadores por turnos.

17h25- OMS disponibiliza 120 milhões de testes rápidos

A Organização Mundial de Saúde vai disponibilizar 120 milhões de testes rápidos à COVID-19 a países com menos capacidade financeira.

Grande parte destes testes, que permitem obter resultados num período entre 15 e 30 minutos, serão distribuídos a países africanos.  

17h21 - Retoma económica fraca com muitas incertezas alerta Lagarde

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, afirmou que a atividade económica na zona euro registou "uma certa retoma" após o confinamento, mas tem sido "fraca" e afetada pelas "incertezas" relacionadas com a pandemia de covid-19.

"A atividade económica da zona euro já teve uma certa recuperação, mas ainda é incerta. As pessoas estão a gastar de forma cautelosa (...) e, apesar de algumas empresas já estarem a registar retomas, estão a fazê-lo de forma muito fraca porque ainda há muitas incertezas", declarou a presidente do BCE.

Numa intervenção por videoconferência na comissão de Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu, Christine Lagarde apontou que "o impacto da pandemia ainda está a ser sentido em toda a zona euro".

"As pessoas estão a perder o seu emprego e os seus rendimentos e as empresas tem dificuldades e perspetivas futuras incertas", reforçou.

Perante o ressurgimento de infeções na Europa, Christine Lagarde reconheceu que as medidas sanitárias, nomeadamente de contenção, "continuam a pesar sobre a atividade económica e a representar um risco para as perspetivas económicas".

Por isso, defendeu medidas adotadas pelos governos nacionais como esquemas de desemprego temporário, que "continuam a ser importantes porque mitigam o impacto da pandemia".

Sobre a atuação do banco central, argumentou que os instrumentos criados -- como as operações de liquidez ou os programas de compra de ativos -- estão a "apoiar a recuperação económica", devendo manter-se "pelo menos até 2021 e, em qualquer caso, até o Conselho do BCE julgar que a fase de crise do novo coronavírus terminou".

17h10 - Agrava-se surto em lar do Entroncamento

Cinquenta dos 75 utentes e 18 funcionários do Lar dos Ferroviários, no Entroncamento, estão infectados com Covid-19.

É o agravamento de um surto detetado no inicio do mês.

Estão internadas oito pessoas no Centro hospitalar do Médio Tejo, e os restantes utentes estão isolados no lar. Um dos casos internados, um senhor de 88 anos, inspira especiais cuidados.
17h04 - Testes aleatórios no Ensino Superior

Várias instituições de Ensino Superior vão realizar testes aleatórios de despistagem da Covid-19 a alunos, professores e pessoal não docente, revelou à Lusa Pedro Dominguinhos, presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP).

"Os testes serão sempre voluntários e servirão também para os trabalhos de investigação que estão a ser levados a cabo por várias instituições", explicou.

Além de permitir despistar eventuais casos positivos, existem também projetos científicos em curso sobre a covid-19.

Os Institutos politécnicos de Bragança, Viana do Castelo, Porto, Leiria, Castelo Branco e Setúbal, por exemplo, têm um projeto de investigação que vai usar os resultados dos testes, adiantou.

A despistagem aleatória é mais uma ferramenta que está a ser posta em prática por algumas instituições para aumentar a segurança da comunidade escolar.

A criação de circuitos de circulação, o uso obrigatório de máscaras, a disponibilização de gel e a desinfeção dos espaços são outras das medidas que as instituições já vinham pondo em prática.

A instalação de equipamentos nas salas para transmitir as aulas em direto foi outra das soluções encontradas uma vez que permite dividir as turmas, tendo metade dos alunos em casa e a outra metade na escola, em regime rotativo.

A maioria dos alunos começa as aulas apenas no início do próximo mês, mas há casos em que o ano letivo já começou.

"Estou muito confiante que vai correr tudo bem. Entre os alunos que já começaram as aulas já houve casos positivos detetados, mas continua tudo a funcionar", sublinhou Pedro Dominguinhos.

16h57 - Casa de Saúde do Telhal em Sintra com 24 casos positivos

O número de pessoas infetadas com covid-19 na Casa de Saúde do Telhal, em Algueirão Mem-Martins, no concelho de Sintra, subiu para 24, disse hoje o vereador da Saúde da Câmara Municipal, Eduardo Quinta Nova.

Em declarações à agência Lusa, o vereador confirmou que, depois de se terem realizado 214 testes, há a registar 24 casos positivos, dos quais 15 são utentes e nove profissionais de saúde.

"Todos os casos, quer de utentes, quer de trabalhadores, estão assintomáticos. Os utentes estão isolados numa unidade da casa de saúde e os trabalhadores, naturalmente, estão a fazer o confinamento no seu domicílio", revelou o vereador.

Na passada sexta-feira, estavam identificados naquela Casa de Saúde 19 casos da doença.

Eduardo Quinta Nova garantiu que a autarquia sintrense "está a acompanhar a situação" e que já a partir da próxima quarta-feira serão repetidos os testes de despiste, "por forma a garantir que não há mais qualquer caso de infeção".

16h49 - Reino Unido com mais quatro mil casos

Dados oficiais contam mais 4.044 casos de pessoas infetadas com o SARS-CoV-2 no Reino Unido. O número desta segunda-feira é inferior ao de domingo, quando foram reportados mais 5.693 casos.

O novo total é agora de 439.013 contágios confirmados no país desde o início da pandemia.

O Reino Unido registou ainda mais 13 novos óbitos por Covid-19, o que eleva para 42.001 o total de vítimas mortais do novo coronavírus no país.

16h40 - 97,3% dos casos estão a recuperar em casa

A grande maioria dos doentes (97,3 por cento) com Covid-19 está a recuperar em casa, estando os restantes internados em enfermaria e nos cuidados intensivos, disse hoje o secretário de Estado Adjunto e da Saúde.

Segundo os dados avançados por António Lacerda Sales na conferência de imprensa sobre a covid-19, 2,3 por cento dos doentes estão internados em enfermaria e 0,4 por cento em Unidade de Cuidados Intensivos.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), o número de internamentos hospitalares voltou a subir, registando-se mais 24 pessoas, num total de 659 doentes internados com covid-19, assim como os doentes colocados nas unidades de cuidados intensivos, que segundo os últimos dados são agora 98 (mais nove).

Desde o início da pandemia em Portugal já recuperaram da doença 47.884 pessoas.

16h34 - Hospital de Leiria desmente surto

O Centro Hospitalar de Leiria confirmou à agência Lusa a infeção pelo novo coronavírus em cinco profissionais no serviço de Medicina I do Hospital de Santo André (HSA), casos que foram detetados após três doentes terem testes positivos à covid-19.

Segundo um comunicado do Conselho de Administração do CHL enviado à Lusa, "na ala B da Medicina 1 do HSA três doentes foram testados para a covid-19 antes da sua alta hospitalar e os resultados foram positivos".

Estes doentes foram imediatamente transferidos para a área Covid do HSA, tendo sido rastreados todos os restantes utentes internados da ala B da Medicina I, bem como todos os profissionais do serviço.

"Neste momento, além dos três doentes positivos já referidos, testaram também positivo para a covid-19 cinco profissionais, que estão em devido isolamento e a ser acompanhados pelas autoridades locais de saúde pública", informa ainda o CHL.

O CA alertou ainda que, "perante esta situação, a presença de acompanhantes naquela ala do serviço foi imediatamente suspensa por tempo indeterminado".

A ala B da Medicina I continua em funcionamento, "com as devidas precauções e vigilância, pelo que se desmente que exista qualquer surto".

16h30 - Centro Hospitalar do Algarve confirma infetados

O Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA) confirmou hoje a existência de profissionais infetados com covid-19, sem quantificar o número ou especificar as unidades ou serviços em que trabalham.

Em resposta escrita enviada à Lusa, fonte daquele centro hospitalar confirmou "a existência de profissionais do CHUA que testaram positivo para covid-19", que estão em isolamento.

"A situação está a ser monitorizada e articulada em conformidade com as orientações e protocolos da Autoridade de Saúde, encontrando-se os profissionais que testaram positivo em isolamento", lê-se na nota.

Segundo a mesma fonte, "os serviços e o atendimento aos utentes continuam a funcionar e a decorrer normalmente", podendo os utentes dirigir-se ao hospital "com toda a tranquilidade e sentimento de segurança".

16h20 - Grécia. Primeiro migrante vítima do novo coronavírus

As autoridades gregas reportaram a primeira morte oficialmente ligada ao SARS-CoV-2 num campo de migrantes. A vítima é um afegão de 61 anos, pai de dois filhos, residente do campo de Malakassa, perto de Atenas. O homem estava hospitalizado na capital grega.

No primeiro navio de cruzeiros a aportar à Grécia desde o confinamento, uma dúzia de membros da tripulação testaram positivo para o coronavírus. Cerca de 150 dos 666 tripulantes foram testados e os doentes estão sob isolamento a bordo do navio.

16h10 - Índia ultrapassa seis milhões de casos registados

A Índia, que conta diariamente entre 80 mil a 90 mil novos casos de contágio de SARS-CoV-2, passou esta segunda-feira o patamar dos seis milhões de infetados, anunciou o Ministério da Saúde indiano.

O país poderá nas próximas semana tornar-se o país do mundo com maior número de casos confirmados, ao ultrapassar os Estados Unidos, que contam atualmente 7,1 milhões de registos de pessoas infetadas com o novo coronavírus.

"A epidemia está bem implantada na população", constatou Anand Krishnan, professor no Instituto de Ciências Médicas de Toda a Índia, de Deli. "A única coisa a fazer é cuidar dos doentes, identifica-los o mais depressa possível e trata-los melhor, E seguir as normas de distanciamento social", acrescentou.

Com quase 100 mil mortos por Covid-19, a Índia, que tem 1,3 mil milhões de habitantes, regista uma taxa de óbitos inferior aos Estados Unidos (205 mil) e ao Brasil (140 mil), que lideram a tabela.

16h00 - Merkel receia perder controlo da epidemia na Alemanha

A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que a taxa de contágio no seu país poderá chegar aos 19.200 novos casos diários, contra os atuais dois mil, se a tendência atual de alastramento do SARS-CoV-2 se mantiver.

Ao falar por teleconferência com os membros do seu partido, a CDU, Merkel garantiu que, mesmo assim, a Economia tem de continuar a funcionar.

A chanceler admitiu ainda perder o controle da epidemia na Alemanha durante o inverno "se isto continuar assim", afirmaram algumas fontes à Agência France Press, AFP.

O porta-voz do Governo alemão admitiu que a evolução da pandemia é "muito inquietante" e apelou os alemães a usar as máscaras, a cumprir os períodos de quarentena, a seguir "as regras de higiene e a utilizar a aplicação" de seguimento de contactos eventuais.

"Dessa forma, poderemos poupar ao nosso país certas medidas no outono e no inverno", acrescentou, a proposito de eventuais necessidades de novos confinamentos.

15h48 - Vitória de Guimarães sem público

O Vitória de Guimarães desistiu da intenção de ter 40 sócios nos jogos da I Liga portuguesa de futebol como visitado face à "atual situação epidemiológica", informou hoje o clube em nota no sítio oficial.

O clube minhoto anunciou, em 16 de setembro, o desejo de sortear 40 associados para verem os jogos do campeonato na tribuna presidencial do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, tendo até prometido testar os convidados à covid-19, mas uma deliberação da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), a dar conta de que a Direção-Geral da Saúde (DGS) não concorda com a medida, forçou os vitorianos a recuarem.

"A 26 de setembro, a Liga Portugal comunicou aos clubes que, pela atual situação epidemiológica que o país apresenta, não pode a DGS concordar com a presença de convidados. Face a esta deliberação, o Vitória SC informa que, até novas indicações, não realizará sorteios com vista à presença de associados nos jogos a disputar na condição de visitado", lê-se no comunicado hoje emitido.

15h30 - Beja sem urgências

O hospital de Beja está sem urgência de ginecologia e obstetrícia por falta de médicos para preencher as escalas do serviço devido ao surto de covid-19 que já infetou 30 profissionais de saúde daquela unidade.

Entre os clínicos da especialidade de ginecologia e obstetrícia que prestam serviço no hospital de Beja, há dois médicos e uma interna infetados e dois em isolamento profilático, disse hoje à agência Lusa a presidente da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), Conceição Margalha.

O serviço está fechado "de certeza" até às 08:00 de terça-feira, porque a ULSBA já sabe que até lá não tem médicos para fazer as escalas, disse Conceição Margalha. A ULSBA ainda não sabe quando o serviço poderá reabrir, o que só deverá acontecer quando haver médicos para preencher as escalas.

No entanto, sublinhou Margalha, o internamento na especialidade de ginecologia e obstetrícia mantém-se a funcionar para as utentes já internadas no hospital de Beja.

15h10 - Guiné-Bissau com 38 novos casos sobe total acumulado para 2.362

A Guiné-Bissau registou na última semana 38 novos casos positivos de infeção pelo novo coronavírus, elevando o total acumulado para 2.362, segundo os dados divulgados hoje pelo Alto Comissariado para a Covid-19 do país.

Num total de 1.304 testes realizados, entre 21 e 26 de setembro, foram detetados 38 novos casos positivos para covid-19, disse a Alta Comissária para a Covid-19, Magda Robalo, na conferência de imprensa semanal sobre a evolução da doença no país.

A semana passada também foram dadas como recuperadas mais 95 pessoas, elevando o total acumulado de recuperações para 1.638 pessoas.

O número de casos ativos no país é de 679 e o número de vítimas mortais permanece nas 39.

15h09 - Cancelado Mundial de pentatlo moderno no México

O Campeonato do Mundo de pentatlo moderno de 2020, previsto para decorrer de 30 de novembro a 08 de dezembro, no México, foi cancelado, devido à pandemia de covid-19, foi hoje anunciado pela federação internacional da modalidade (UIPM).

O Mundial de Cancun seria a primeira competição organizada pela UIPM a decorrer desde o início da pandemia de covid-19, que provocou a suspensão de todas as provas desde março.

O campeonato foi entregue ao México em fevereiro, depois que ficou claro que as restrições impostas pela China no combate à covid-19 impediriam que este acontecesse em Xiamen, conforme planeado.

“Anunciamos esta decisão com o coração pesado. Seremos eternamente gratos à nossa comunidade dedicada ao pentatlo moderno e aos seus parceiros no México por entrarem como anfitriões do Mundial de 2020”, disse presidente da UIPM, Klaus Schormann.

14h35 - Portugal tem 51 surtos ativos em lares e 12 em escolas

Graça Freitas referiu que existem atualmente 51 surtos ativos em lares, sendo que dez são na região norte, dois na região centro, 33 em Lisboa e Vale do Tejo, três no Alentejo e três no Algarve.
Nas escolas, há também a registar 12 surtos ativos: cinco no norte, um no centro e seis em Lisboa e Vale do Tejo.
No total, existem 78 pessoas implicadas nestes surtos que testaram positivo à Covid-19.

14h33 - Confluência em aeroporto foi situação “meramente pontual”, diz secretário de Estado

Relativamente à confluência observada no domingo no aeroporto de Lisboa, António Lacerda Sales afirmou que considera que se trata de “uma situação meramente pontual, que não é recomendada sob o ponto de vista de saúde pública”.

O secretário de Estado aproveitou ainda para anunciar a entrada “em funcionamento do PLC eletrónico, através de um projeto piloto, no próximo dia 2 de outubro”, com entrada em funcionamento oficialmente a partir de dia 9 de outubro.

O PLC (Passenger Location Card, denominação em inglês) é um cartão de localização de passageiros dos aviões, que permite rastrear possíveis casos de Covid-19, vai passar a ser totalmente digital em outubro.

Este cartão de localização de passageiros entrou em vigor quando os aeroportos e as companhias aéreas retomaram a atividade, após o período de confinamento, e permite rastrear possíveis casos de covid-19, depois de um passageiro, após a viagem, testar positivo para a doença.

Todos os passageiros têm que obrigatoriamente entregar este cartão à chegada, sendo disponibilizado pela companhia aérea durante o voo.

14h11 – Há 4970 profissionais de saúde infetados em todo o país

Quanto ao número de profissionais de saúde infetados pelo novo coronavírus, António Lacerda Sales indicou que os dados revelam que já totalizam os 4970. Destes, 629 são médicos, 1435 são enfermeiros, 1401 são assistentes operacionais, 166 assistentes técnicos, 167 técnicos de diagnóstico terapêutico, e outros profissionais são 1172. No entanto, há já 4108 recuperados.

14h23 - Já foram entregues 335 mil vacinas da gripe

Questionada sobre as vacinas da gripe, Graça Freitas anunciou que foram já entregues 335 mil doses que “são suficientes para vacinar na primeira fase”.

Em relação à vacinação nos lares, a diretora-geral da Saúde admite que “a logística é mais complexa”, explicando que os centros de saúde terão de se organizar com os lares para vacinar residentes e profissionais.

A vacinação da gripe é gratuita para residentes e profissionais destes estabelecimentos.

14h18 - Portugal está a “preparar-se” para segunda vaga

Questionado sobre se as autoridades estavam preparadas para uma segunda vaga da epidemia, António Lacerda Sales afirmou que “temos de preparar o pior e esperar o melhor”.

“Temos estado, de facto, através do nosso plano de outono/inverno a implementar um conjunto de medidas, através da nossa cascata organizacional ao nível regional e ao nível local, quer ao nível dos ACES, quer a nível hospitalar. Também através dos nossos ADR e, agora, vamos também aumentar a nossa capacidade de testagem”, explicou o secretário de Estado.

“Este não é um trabalho que começou agora, já vem de trás”, reforçou. “Temos vindo a reforçar aquilo que é a nossa resposta ao nível das diferentes instituições”.

14h15 - Surtos nos hospitais estão “identificados e controlados”

Graça Freitas admitiu que existem vários surtos ativos em vários hospitais, sobretudo originárias em casos ativos de profissionais de saúde.

A diretora-geral da Saúde garantiu, no entanto, que estes surtos estão a ser investigados e acompanhados de perto. “A situação está controlada. Os surtos estão identificados e estamos a observar se existem cadeias de transmissão fora dos estabelecimentos onde foram identificados”, afirma Graça Freitas.

14h08 - Arranque da epidemia em Portugal marcado por uma disseminação massiva de uma variante de SARS-CoV-2

Um projeto de investigação de âmbito nacional, coordenado pelo Instituto Ricardo Jorge, concluiu que o arranque da epidemia em Portugal se deveu à introdução de uma variante genética do SARS-CoV-2 vinda da região da Lombardia, em Itália, e que terá entrado em Portugal a 20 de fevereiro, na região norte.

João Paulo Gomes, coordenador deste trabalho, explica que esta variante se terá disseminado sem que fosse percetível pelas autoridades de saúde pública durante, aproximadamente, dez dias, dado que o primeiro caso de infeção por Covid-19 confirmado em Portugal foi notificado a 2 de março.

“Isto terá desencadeado várias cadeias de transmissão que foram crescendo e, a meio de abril, terão originado cerca de 3.800 casos” em Portugal, explica João Paulo Gomes, concluindo que um em cada quatro casos terão sido causados por esta variante genética específica.

O estudo conclui ainda que foram muitos raros os casos detetados dessa variante na região Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve. “Isso deveu-se à tomada de medidas, muito atempadas, de saúde pública que estrangularam a transmissão massiva desta variante genética ao resto do país e ela praticamente desapareceu”, concluiu o especialista do Instituto Ricardo Jorge.

João Paulo Gomes anunciou que o projeto está ainda em fase de conclusão e acredita que dentro de duas a três semanas serão publicados resultados completos.

14h05 - Arranque da pandemia em Portugal marcado por variante do vírus com origem em Itália

As autoridades de saúde e os especialistas continuam “muito empenhados em saber mais sobre a Covid-19”, no sentido de preparar cada vez mais melhores respostas à doença, começou por dizer Lacerda Sales.

“Hoje já sabemos que o arranque da epidemia da covid-19 em Portugal foi marcado pela disseminação massiva de uma variante do vírus sars-Cov-2, caracterizada por uma mutação específica no seu principal antigénio com origem em Itália, que causou pelo menos 3800 infeções em Portugal, especialmente no norte do país”, explicou o secretário de Estado, apresentando as “conclusões mais recentes do estudo da diversidade genética do novo coronavírus em Portugal”, um projeto de investigação de âmbito nacional, coordenado pelo Instituto Nacional Doutor Ricardo Jorge.

13h57 - Vacinação contra a gripe “será o sucesso” do país

Portugal registou mais 425 casos de infeção, ou seja, mais 0,6 por cento do que ontem, afirmou o secretário de Estado da Saúde, acrescentando que 97,3 por cento dos casos ativos se encontram a recuperar em domicílio e 2,7 por cento estão em internamento – 0,4 por cento em cuidados intensivos e 2,3 em enfermarias.

Há ainda a registar mais quatro mortos esta segunda-feira, sendo a taxa de letalidade global de 2,6 por cento e acima dos 70 anos é de 13,6 por cento.

Na conferência de imprensa, António Lacerda Sales recordou que começa hoje a primeira fase da vacinação contra a gripe, que pela primeira vez começa ainda em setembro, “com vista a minimizar a circulação do vírus da gripe sazonal e do Sars-cov-2”.

“As 335 mil doses desta primeira fase destinam-se aos profissionais de saúde que prestam serviço ao público, grávidas e idosos residentes em lares”, salientou o secretário de Estado.

“A pandemia tem-nos ensinado muito sobre união e tem sido através do esforço de todos que temos ultrapassado muitos dos desafios que nos têm sido colocados”, começou a dizer. “Em matéria de vacinação contra a gripe, estamos também todos juntos, em prol do sucesso desta campanha que será o sucesso do país”.

Para além dos centros de saúde, este ano as farmácias poderão colaborar e administrar também a vacina contra a gripe.

13h47 - Covid-19 está a afetar as perspetivas de futuro dos mais jovens

Na residência universitária de Portugal, em Paris, há estudantes de vários países que vivem entre a aprendizagem das medidas de distanciamento e o receio do pós pandemia. A reportagem é da correspondente da RTP em França, Rosário Salgueiro.


13h45 - Mais de um milhão de mortos e 33,1 milhões de casos em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus já causou pelo menos 1.002.036 mortos em todo o mundo desde que a doença foi conhecida em dezembro na China e até às 11:00 TMG (12:00 em Lisboa), indica um balanço da AFP.Mais de 33.162.930 casos de infeção foram registados no mesmo período e pelo menos 22.752.300 pessoas foram consideradas curadas, segundo a agência France Presse.

Nas últimas 24 horas registaram-se 3.696 novas mortes e mais 251.452 infetados em todo o mundo. Os países que registaram mais mortes no último dia foram a Índia (1.039), o Brasil (335) e os Estados Unidos (257).

Os Estados Unidos são o país mais afetado pela covid-19, tanto em número de mortos como de casos, com um total de 204.762 mortos entre 7.116.456 casos, segundo o balanço da universidade Johns Hopkins. Pelo menos 2.766.280 pessoas foram declaradas curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais enlutados são o Brasil com 141.741 mortos em 4.732.309 casos, a Índia com 95.542 mortos (6.074.702 casos), o México com 76.430 mortes (730.317 infetados) e o Reino Unido com 41.988 mortes (434.969 casos).


13h41 - Rússia regista 8.000 novos contágios, o número mais alto desde junho

As autoridades russas registaram hoje mais de oito mil novos casos de contágio de covid-19, número que não se registava desde meados de junho.

Os 8.135 novos casos de contágio confirmados juntam-se a um total de 1,16 milhões de infetados pelo SARS CoV-2, fazendo da Rússia o quarto país mais atingido do mundo pela doença.

Dos novos casos confirmados, 2.217 localizam-se na região de Moscovo.

13h43 - Aumentou para 24 número de casos de infeção na Casa de Saúde do Telhal, em Sintra

Estão infetados 15 utentes e nove funcionários. Todos estão assintomáticos. No concelho de Vimioso, foram detetados, na comunidade, pelo menos 5 casos de infeção associados ao Lar de Carção. São contactos próximos dos funcionários da instituição, onde já morreram três utentes.


13h41 - Morreram mais 6800 pessoas desde o início da pandemia do que no mesmo período de 2019

As contas foram feitas pela rádio TSF e mostram que há mais portugueses a morrer em casa, e mais mortes cuja causa está em investigação.


13h39 - Alunos, professores e funcionários falam de fácil a adaptação às novas medidas

As escolas reabriram há uma semana. Ainda assim há situações a melhorar, como a alimentação e o reforço no número de assistentes operacionais.


13h37 - Surto de covid-19 já afetou 30 pessoas no hospital de Beja

Foi detetado no bloco operatório. Os infetados são profissionais de saúde. Entre eles, há nove médicos e três enfermeiros.


13h35 - Portugal tem hoje mais quatro mortos e 425 novos casos de covid-19

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1.957 mortes e 74.029 casos de infeção, estando hoje ativos 24.188 casos, mais 184 do que no dia anterior.

A DGS indica que das quatro mortes registadas, três ocorreram na região Norte e uma em Lisboa e Vale do Tejo, onde também se verifica o maior número de infeções.


13h27 - Há mais de 500 alunos, professores e funcionários de quarentena

Com uma semana de aulas, de norte a sul, há mais de 500 alunos, professores e funcionários em quarentena por causa da covid-19. O Ministério da Educação não revela os números oficiais e a Direção Geral de Saúde também não. O caso mais recente é o da escola básica número 3, em Espinho. Está fechada e deixou em casa 140 alunos.


13h25 - Surto de Covid-19 no Hospital de Leiria soma oito infetados

Os primeiros casos surgiram em três utentes de um lar que aguardavam alta hospitalar. Depois disso, 68 profissionais de saúde fizeram testes.


13h05 - Vacina da Inovio em pausa

A vacina que está a ser desenvolvida pela farmacêutica Inovio, nos Estados Unidos, foi colocada em pausa parcial.

Não houve qualquer reação adversa nos testes feiros até agora, segundo explica a própria farmacêutica. Mas a FDA, agência federal norte-americana com esta tutela, quer mais informações sobre o dispositivo usado para inocular a vacina.

Os testes ficam parcialmente suspensos até que sejam obtidos esclarecimentos adicionais.

Entretanto, uma das vacinas desenvolvidas pela Rússia, a Sputnik 5, foi remetida para a Bielorrússia, tendo em vista novos ensaios clínicos. São os primeiros testes para lá das fronteiras russas.

Os voluntários na Bielorrússia devem começar a ser testados na quinta-feira.

12h55 - Três comissários europeus confinados

Por causa de contactos próximos com pessoas que deram resultado positivo para a Covid-19, estão neste momento em quarentena, como determina a lei bega, três membros da Comissão Europeia.

Trata-se de Frans Timmermans, com o portefólio do Pacto Ecológico Europeu, Valdis Dombrovskis, comissário europeu da Economia, e Stella Kyriakides, da Saúde.

12h51 - Cancelada Feira dos Santos de Chaves

A edição de 2020 da Feira dos Santos de Chaves, considerada "a maior feira de rua do país", foi cancelada para proteger a população devido à pandemia da Covid-19.

"Esta foi uma decisão do bom senso e da responsabilidade. Até sob pena de ferir a reputação da feira para anos vindouros e pôr em risco a saúde pública da população", explicou o presidente da Associação Empresarial do Alto Tâmega, Vítor Pimentel, durante uma conferência de imprensa na Câmara de Chaves, parceira na organização.

12h44 - Açores sem novas infeções

A Região Autónoma dos Açores não registou, nas últimas 24 horas, novos casos positivos de Covid-19. Há ainda notícia de uma recuperação na Ilha do Pico, segundo a Autoridade de Saúde Regional.

Desde domingo foram realizadas "648 análises nos dois laboratórios de referência da região", localizados nas ilhas de São Miguel e Terceira.

O caso recuperado é o de um homem de 25 anos, "elevando para 178 o número de recuperados na região".

Até ao momento foram detetados nos Açores 295 casos de infeção pelo SARS-CoV-2, verificando-se atualmente 69 casos positivos ativos, dos quais 49 em São Miguel, dez na Terceira, cinco no Pico, quatro na Graciosa e um em Santa Maria.

12h28 - 30 infetados no Hospital de Beja

O número de profissionais de saúde infetados no surto de Covid-19 identificado no bloco operatório do Hospital de Beja subiu de 26 para 30, adianta a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.

Trata-se de 13 enfermeiros, nove médicos, cinco assistentes operacionais, dois assistentes técnicos e um técnico de diagnóstico e terapêutica. Todos têm "apenas sintomas ligeiros" e estão em isolamento em casa.

11h44 - Surtos em hospitais

Estão declarados três surtos de Covid-19 em três hospitais distritais do país. Em Beja, estão infetadas 26 pessoas. Em Leiria são oito e em Faro sete.

Boa parte do casos afeta profissionais de saúde.

11h24 - Linha SNS24 com aumento de quase 80% nas chamadas em 2020

A Linha SNS24 recebeu este ano, em média, mais de sete mil chamadas por dia, totalizando cerca de 1,9 milhões. É um aumento próximo dos 80 por cento, face ao mesmo período de 2019.

Desde março que a Direção-Geral da Saúde tem vindo a apelar à população para que, em caso de sintomas da doença causada pelo novo coronavírus, ligue em primeiro lugar para este serviço.

"Entre os dias 1 de janeiro e 24 de setembro, o SNS24 atendeu 1.906.644 chamadas. Em comparação com o período homólogo do ano anterior, já foram atendidas mais 840.844 chamadas, o que traduz um crescimento de 79 por cento", indicam os dados dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

Em 2019, a Linha SNS24 atendeu 1.485.808 chamadas, segundo o balanço da atividade do Centro de Contacto do Serviço Nacional de Saúde.

Nos meses de março e abril foi registado o maior número de chamadas este ano, com 381.270 e 234.337, respetivamente.

Em setembro, mês que tem vindo a registar um aumento de casos de Covid-19, foram atendidas, até dia 24, 232.980 mil chamadas, uma média de 9700 por dia, sendo que o tempo média de espera por atendimento ronda os 52 segundos.

10h55 - Jardim-de-infância em Espinho fechado por 14 dias

O jardim-de-infância da Escola Básica N.º 3 de Espinho encerrou por 14 dias, tendo enviado para casa 140 crianças, depois de ter sido diagnosticado mais um caso de Covid-19 num funcionário da instituição.

Aquele estabelecimento de ensino do distrito de Aveiro registava na passada sexta-feira um adulto e uma criança doentes. Passa agora a contar com mais um funcionário infetado pelo SARS-CoV-2.

Ouvido pela agência Lusa, o comandante dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Espinho, Pedro Louro, a coordenar a Comissão Municipal de Proteção Civil, adiantou que "a autoridade local de saúde decidiu mandar para quarentena todo o pessoal não docente do jardim-de-infância, por um máximo de 14 dias, e, sem eles, a escola não tem condições para funcionar, pelo que as 140 crianças estão em casa".

10h53 - África soma 141 mortes e cerca de dez mil casos em 24 horas

África registou mais 141 mortes causadas pela Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total desde o início da pandemia a subir para 35.440, e quase mais dez mil casos de infeção, para 1.459.714.

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas houve nos 55 Estados-membros mais 9666 casos da doença e 5840 recuperados, para um total de 1.205.671.

A África Austral continua a registar o maior número de casos de infeção e de óbitos, com 17.647 vítimas mortais num universo de 732.631 infetados.

Só na África do Sul, o país mais afetado do Continente Africano, estão registados 670.766 casos e 16.398 mortos.

10h31: Penacova desativa plano municipal de emergência

O plano municipal de emergência e proteção civil de Penacova foi esta segunda-feira desativado. A Comissão Municipal de Proteção Civil dá por controlado o surto da Covid-19 no concelho.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Penacova, distrito de Coimbra, adianta que o problema epidemiológico "encontra-se controlado", depois de a CMPC ter acionado o plano de emergência no dia 10, quando se vivia um "agravamento da situação epidemiológica" - então com 26 casos positivos.

No domingo, aquela Comissão, liderada pelo presidente da Câmara, Humberto Oliveira, decidiu desativar o plano municipal de emergência e proteção civil, "com efeitos a partir das 0h00" desta segunda-feira.

"Esta decisão revoga o despacho (...) de 10 de setembro 2020, estando em vigor para todo o território nacional a resolução do Conselho de Ministros 70-A/2020, de 11 de setembro de 2020", acrescenta o autarca.

10h23 - Número de casos dispara na Rússia

O número de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2 na Rússia aumentou, nas últimas 24 horas, em 8135, para um total de 1.159.573 desde o início da pandemia.

É o nível mais elevado desde meados de junho.

Morreram, no mesmo período, mais 61 pessoas. A Rússia já reportou um total de 20.385 casos mortais de Covid-19.

9h44 - Mais chamadas para a Linha de Apoio a Migrantes

A pandemia da Covid-19 fez aumentar os atendimentos da Linha de Apoio a Migrantes na área social e sobre validade e regularização documental.

O serviço do Alto Comissariado para as Migrações atendeu 45.478 chamadas entre janeiro e agosto.

Integrada no Departamento de Apoio e Assistência Migratória do ACM, a Linha de Apoio a Migrantes começou a funcionar em março de 2003. Até agosto de 2020, atendeu 766.201 chamadas. Os dados são citados pela Lusa.

Em funcionamento há 17 anos, a linha está a prestar o atendimento telefónico em 14 idiomas: português, inglês, francês, espanhol, russo, moldavo, romeno, ucraniano, árabe, crioulo de Cabo Verde, crioulo da Guiné-Bissau, fula, wolof e mandinga.

9h20 - Lares dizem-se prontos para iniciar vacinação

O presidente da Associação de Apoio Domiciliário de Lares e Casas de Repouso de Idosos garante estar tudo a postos para iniciar a vacinação.
A partir desta segunda-feira, arranca a primeira fase de distribuição da vacina, com 335 mil doses disponíveis para grupos prioritários.

João Ferreira de Almeida, refere à Antena 1 que a grande diferença é que, este ano, as vacinas chegam mais cedo do que o habitual.

9h14 - Cimeira do G20 por teleconferência

A Cimeira do G20 prevista para novembro vai realizar-se por teleconferência, devido à propagação da Covid-19, anunciou a Arábia Saudita, país anfitrião.

Desde o passado mês de março que a pandemia do novo coronavírus tem obrigado o grupo dos 20 países mais ricos do mundo a reunirem-se de forma remota através de videoconferências.

O Rei Salman da Arábia Saudita presidiu em março a uma reunião virtual do G20 que se realizou de urgência, para discutir uma resposta global contra a crise sanitária.

"A cimeira dos dirigentes do G20 em 2020 vai realizar-se de forma virtual nos dias 21 e 22 de novembro e vai ser presidida por sua majestade o rei Salman ben Abdel Aziz Al-Saoud", declarou o Reino saudita em comunicado.

9h12 - Timor-Leste reporta 28.º caso desde o início da pandemia

Timor-Leste registou esta segunda-feira um novo caso da Covid-19, o 28.º desde o início da pandemia. Trata-se de um cidadão estrangeiro que entrou pela fronteira terrestre com a Indonésia.

A diretora dos Serviços de Saúde de Timor-Leste, Odete da Silva, afirmou em conferência de imprensa que o cidadão infetado foi testado no dia 23 de setembro. O resultado foi conhecido na noite de domingo. Encontra-se já em isolamento no Centro de Vera Cruz.

A responsável adiantou ainda que o cidadão em causa entrou legalmente pela fronteira, notando, porém, a crescente preocupação do Governo face a entradas ilegais, que só em setembro atingiram as 385 pessoas.

"Todos foram para quarentena, alguns já saíram, mas continuam ainda 175 a cumprir quarentena", precisou Odete da Silva.

9h06 - Austrália. Victoria levanta recolher obrigatório

O recolher obrigatório em vigor há quase dois meses no Estado australiano de Victoria, a enfrentar o maior surto de Covid-19 daquele país, foi levantado esta segunda-feira, depois de o número de casos ter diminuído de forma significativa.

Nas últimas 24 horas, Victoria, cuja capital é Melbourne, reportou apenas cinco novos casos de coronavírus, o número mais baixo desde 12 de junho, além de três mortes.

O Estado de Victoria registou um novo surto da doença no final de junho, obrigando ao confinamento a 8 de julho e ao encerramento da fronteira com o Estado vizinho de Nova Gales do Sul.

Na origem do surto terão estado violações das regras de segurança nos hotéis designados para realizar a quarentena obrigatória de viajantes vindos do estrangeiro.

9h00 - Os britânicos e o desagrado com mais medidas restritivas

Contenção é a palavra-chave no Reino Unido, perante a subida gradual do número de casos, para perto de seis mil por dia. O Governo de Boris Johnson anunciou na semana passada um conjunto de novas restrições. Mas a população tem reagido com desagrado.
O correspondente da Antena 1 em Londres, Bruno Manteigas, registou o lamento de alguns britânicos, que temem que o Natal esteja ameaçado e dizem que a proibição de ajuntamentos com mais de seis pessoas está a prejudicar as relações familiares.

8h38 - Vacinação contra a gripe. A leitura de um virologista

O virologista Paulo Paixão esteve esta segunda-feira no Bom Dia Portugal e explicou por que razão é ainda mais importante ser vacinado, este ano, contra a gripe.
"Vamos a ter a situação, que nunca nos aconteceu, de ter dois vírus respiratórios importantes a circular ao mesmo tempo", apontou.

"Não é a que a probabilidade seja muito grande, mas se uma pessoa for infetada ao mesmo tempo por estes dois vírus, a mortalidade vai aumentar", advertiu.

8h34 - Alemanha divulga novos números

O número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus na Alemanha aumentou, nas últimas 24 horas, em 1192.

Os dados do Instituto Robert Koch para as doenças infecciosas reportam ainda mais três casos mortais de Covid-19. Já morreram 9460 pessoas em território alemão desde o início da pandemia.

7h52 - Ponto de situação

Tem início esta segunda-feira a campanha de vacinação contra a gripe, o que acontece este ano mais cedo por causa da pandemia da Covid-19.

Nesta primeira fase, a prioridades são os idosos que residem em lares e os profissionais de saúde. Este ano, pela primeira vez, as grávidas também têm acesso gratuito à vacina.
Nesta primeira fase estão disponiveis 350 mil vacinas.

A segunda fase de vacinação começa a 19 de outubro. Vai então abranger os demais grupos de risco: pessoas a partir dos 65 anos ou com doenças crónicas.

Além das vacinas gratuitas para as pessoas incluídas nos grupos de risco, haverá vacinas à venda nas farmácias que podem ser compradas com receita médica e são comparticipadas.

No total, este ano, Portugal comprou mais de dois milhões de vacinas da gripe.
Atos médicos por concretizar
Em seis meses de pandemia, ficaram por realizar milhões de atos médicos - de enfermagem, exames e análises. Só nos cuidados primários contam-se menos sete milhões de atos presenciais.

Nos hospitais, são menos dois milhões de cirurgias, urgências e consultas.
Foram também feitos menos 180 mil rastreios oncológicos.
O quadro em Portugal
De acordo com o boletim epidmiológico divulgado no domingo pela Direção-Geral da Saúde, morreram mais nove pessoas. É o número mais alto dos últimos seis dias.Dois lares de idosos de Castelo de Vide, em Portalegre, estão confinados porque duas funcionárias testaram positivo à Covid-19.


Houve 665 novos casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus - o número mais baixo dos últimos cinco dias, mas houve também menos testes.

O número de internados voltou a aumentar: são agora 635, mais 20 do que no sábado.
O quadro internacional
Mais de um milhão de mortes provocadas pelo novo coronavírus foram já registadas em todo o mundo, de acordo com o balanço em permanente atualização por parte da agência France Presse, a partir de fontes oficiais.

No total, 1.000.009 mortes foram oficialmente registadas em todo o mundo, para 33.018.877 casos, até às 22h30 de domingo.

A AFP refere ainda que 22.640.048 pessoas foram consideradas curadas pelas autoridades.

As regiões mais afetadas, em termos de número de mortes, são América Latina e Caribe (341.032 mortes para 9.190.683 casos), Europa (229.945 mortes para 5.273.943 casos) e Estados Unidos e Canadá (214.031 mortes para 7.258.663 casos).

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia, em fevereiro, o Continente Americano é atualmente aquele que acumula mais casos de infeção e de óbitos.

A Covid-19 é causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de dezembro em Wuhan, cidade do centro da China.