Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

António Cotrim, Lusa

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações

VEJA A INFOGRAFIA COM TODOS OS DADOS ATUALIZADOS DA SITUAÇÃO EM PORTUGAL. CLIQUE AQUI


00h00 - Em Portugal entram em vigor as medidas decorrentes do novo confinamento geral, decidido pelo Governo

22h41 - Economia. Reforço de 400 milhões e antecipação de pagamentos do Programa Apoiar


22h40 - O Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia, contabilizou 67.758 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, ultrapassando 8,3 milhões de infeções (8.324.294).

22h30 - Portugal entra em confinamento geral dentro de hora e meia

Portugal continental entra às 00:00 de sexta-feira num novo confinamento geral, devido ao agravamento da pandemia de covid-19, com os portugueses sujeitos ao dever de recolhimento domiciliário, mas mantendo as escolas com o ensino presencial.

No âmbito da modificação do estado de emergência no país, o Governo determinou na quarta-feira um conjunto de medidas extraordinárias que vão vigorar até às 23:59 de 30 de janeiro para "limitar a propagação da pandemia e proteger a saúde pública" e que estão previstas no decreto que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assinou hoje.

O dever geral de recolhimento domiciliário, em que "a regra é ficar em casa", prevê deslocações autorizadas para comprar bens e serviços essenciais, desempenho de atividades profissionais, frequência de estabelecimentos escolares, prática de atividade física e desportiva ao ar livre ou participação no âmbito da campanha eleitoral ou da eleição do Presidente da República.

O confinamento obrigatório abrange por sua vez pessoas infetadas com o novo coronavírus ou em vigilância ativa por decisão das autoridades de saúde.

Na área da Educação, ficam abertos todos os estabelecimentos de ensino - creches, escolas e universidades - com aulas em regime presencial, e vai ser desenvolvida uma "campanha permanente" de testes antigénio para despistar casos de infeção.

O decreto determina ainda a obrigatoriedade do teletrabalho, sempre que as funções em causa o permitam, sem necessidade de acordo das partes, prevendo que o seu incumprimento seja considerado uma contraordenação muito grave.

Durante este período, os serviços públicos vão prestar atendimento presencial mediante marcação prévia e é reforçada a prestação dos serviços através dos meios digitais e dos centros de contacto.

Na que se refere ao comércio e serviços, podem ficar abertos estabelecimentos como mercearias e supermercados, com lotação limitada a cinco pessoas por 100 metros quadrados, mas sem restrição de horário, sendo também permitida a realização de feiras e mercados, nos casos de venda de produtos alimentares.

Os restaurantes e cafés funcionam exclusivamente para efeitos de atividade de confeção destinada a consumo fora do estabelecimento através de entrega ao domicílio ou 'take-away'.

Ao contrário do que ocorreu em março e abril de 2020, na primeira vaga da pandemia, desta vez vão manter-se abertos os consultórios médicos e os dentistas, assim como as farmácias, mas terão de encerrar os cabeleireiros e barbearias, equipamentos culturais, ginásios e termas.

22h25 - Costa quer "bazuca europeia" a disparar até junho, crise já fez perder 15 mil milhões

O primeiro-ministro estima que o Produto Interno Bruto (PIB) terá caído 15 mil milhões de euros em 2020 e adiantou que o objetivo agora é pôr a "bazuca europeia a disparar" o dinheiro até junho.

António Costa transmitiu esta posição em entrevista à TVI, depois de questionado sobre as consequências económicas para o país resultantes de um novo confinamento geral, que poderá durar um mês.

"Estamos a viver uma crise económica à escala global, ao contrário do que aconteceu na crise anterior. Felizmente, as empresas portuguesas têm mostrado muito maior resiliência do que aquilo que se temia no início desta crise", sustentou.

De acordo com o primeiro-ministro, o Governo tem a estimativa de que o PIB caiu 15 mil milhões de euros e que o conjunto das medidas de apoio às empresas e famílias somam nas suas diversas modalidades, entre aumento de despesa e quebra de receita, 22,9 mil milhões de euros.

"Vamos duplicar os apoios de forma a auxiliar as empresas que agora temos de encerrar, e a ministra da Cultura (Graça Fonseca) já apresentou um programa superior a 42 milhões de euros para apoiar diversas situações no seu setor - um dos mais duramente atingidos. Estamos perante uma crise muito dura, em relação à qual tem havido felizmente maior resiliência" do que o esperado, reforçou.

22h01 - Associação Nacional de Restaurantes considera apoios ao setor abaixo das necessidades

A Associação Nacional de Restaurantes (PRO.VAR) considera que os apoios hoje anunciados pelo Governo estão abaixo das necessidades do setor e vai apresentar propostas de alteração.

"Apesar da ligeira melhoria nos reforços apresentados, ficam ainda assim muito aquém dos valores aceitáveis, tendo em conta as elevadas perdas acumuladas", considerou, num comunicado enviado à agência Lusa, a associação representativa da restauração, que sublinha faltarem "limites bem mais elevados para empresas que tenham perdas superiores a 40%".

Depois de analisar em pormenor os apoios e respetivo enquadramento para as diferentes tipologias de empresas, a associação pretende apresentar ao Governo alterações, por entender que "devem ser apoiadas todas as empresas afetadas".

"A PRO.VAR já constituiu um grupo de trabalho e, com ajuda de alguns especialistas, irá preparar um documento, para apresentar ao Governo, apontando um conjunto de ideias e correções a exclusões e injustiças que neste tipo de processos costumam ocorrer", é referido na nota hoje divulgada.

21h47 - Economia. Reforço de 400 milhões e antecipação de pagamentos do Programa Apoiar

21h03 - A Madeira registou hoje 111 novos casos de covid-19 e mais uma morte, elevando para 23 o número de óbitos associados à doença, revelou a Direção Regional de Saúde, indicando que há atualmente 1.404 situações ativas.

21h01 - OMS na China para investigar origem da pandemia

20h55 - França só deixa entrar estrangeiros não-europeus com teste negativo

20h53 - MNE considera "absurda" proibição de voos vindos de Portugal por Londres

20h50 - Merkel quer intensificar as restrições na Alemanha

A chanceler alemã Angela Merkel sugeriu na noite de hoje medidas reforçadas para combater a pandemia de covid-19 na Alemanha, onde já vigora um confinamento parcial, e pediu uma reunião das autoridades na próxima semana.

No decurso de uma reunião da direção da União Democrata- Cristã (CDU, conservador) Merkel considerou que o vírus apenas pode ser contido com um efetivo endurecimento das medidas, sublinhou uma fonte citada pela agência noticiosa AFP e que participou no encontro.

A mesma fonte confirmou as informações divulgadas em diversos 'media' alemães.

De acordo com as páginas eletrónicas do semanário Der Spiegel e do diário Bildt, entre as medidas em estudo incluem-se a reintrodução dos controlos nas fronteiras, à semelhança da primavera passada, uma generalização do uso da máscara FPP2 pela população, a imposição do teletrabalho, e eventualmente o encerramento dos transportes públicos.

20h47 - Tiago Mayan preocupado com as empresas confinadas

20h46 - Vitorino Silva acusa o Governo de querer calar a cultura

20h44 - Marisa Matias lembra "os que estão a ficar para trás"

20h41 - João Ferreira sobre apoios à cultura em tempo de confinamento

20h39 - Pandemia. Marcelo considera inevitável que se agrave o endividamento do país

20h37 - Apoio social único de 438 euros para trabalhadores independentes da Cultura

O Governo vai atribuir um apoio social, no valor único de 438,81 euros, "universal e atribuível a todos os trabalhadores" independentes, com atividade económica no setor cultural.

"O que faremos é um apoio a todos os trabalhadores com um objetivo muito particular: que ninguém fique excluído deste apoio. Tudo [vamos] fazer para que ninguém fique para trás", afirmou Graça Fonseca, na conferência de imprensa de apresentação das medidas de apoio do Governo aos setores mais afetados pelas restrições impostas pelo combate à pandemia da covid-19, hoje no Palácio da Ajuda, em Lisboa.

Segundo a ministra, o Governo aprovará um apoio a todos os trabalhadores que tenham um código de atividade económica (CAE) ou IRS no setor da Cultura, no valor de um único pagamento de 438,81 euros, referente a um Indexante dos Apoios Sociais (IAS).

"É um apoio complementar pago uma única vez", disse, e a medida deverá abranger um universo de cerca de 18 mil trabalhadores.

20h35 - A França registou nas últimas 24 horas 282 mortes devido à covid-19, elevando assim o número total de mortos para 69.313 desde o início da pandemia.

20h34 - Santos Silva considera suspensão dos voos com Portugal uma decisão "absurda" do Reino Unido

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, considerou "absurda" e "sem lógica" a decisão do Reino Unido suspender os voos com Portugal, medida "súbita e inesperada" cujos fundamentos disse desconhecer.

"Na nossa opinião não tem lógica. Em primeiro lugar é uma medida súbita e inesperada e isso é um primeiro elemento de surpresa negativa. Em segundo lugar, é uma medida que atinge fortemente pessoas que não foram devidamente avisadas para ela. Foi anunciada às 17:00 de um dia para entrar em vigor às 4:00 do dia seguinte", afirmou o chefe da diplomacia portuguesa.

"É também uma medida absurda, cujos fundamentos não conhecemos. Suspender voos a partir de Portugal tendo como argumento as ligações entre Portugal e o Brasil é, com todo o respeito, completamente absurdo", acrescentou, adiantando ter já pedido ao homólogo britânico uma conversa "para entender os fundamentos" da decisão.

20h31 - Para compensar o confinamento. Governo anuncia apoios aos artistas

20h29 - Comércio de bens essenciais continuará aberto

20h27 - Comércio volta a fechar a partir de amanhã

20h22 - Pandemia. Especialistas prevêem agravamento nas próximas semanas

20h15 - Empresas apoiadas a fundo perdido têm de manter postos de trabalho

19h49 - Sindicato considera "positivo" programa de apoio à Cultura

O Sindicato dos Trabalhadores de Espetáculos, do Audiovisual e dos Músicos (Cena-STE) considerou positivo o programa de apoio ao setor, com uma dotação de 42 milhões de euros, anunciado hoje pela ministra da Cultura, Graça Fonseca.

"Temos agora de analisar o programa (...). No entanto, à primeira vista, parece-nos positivo, até porque corresponde a algumas das reivindicações que temos feito", disse à agência Lusa o coordenador do sindicato Rui Galveias.

O Governo criou o programa Garantir Cultura, com uma dotação global de 42 milhões de euros, numa primeira fase, que dará um apoio "universal, não concursal e a fundo perdido", como afirmou Graça Fonseca, que apontou como destinatários entidades coletivas (todas as empresas, salas de espetáculos, promotores, agentes, salas de cinema independentes, cineclubes), e também pessoas singulares, como artistas, técnicos e autores.

A par deste programa, entre as "medidas urgentes" anunciadas, contam-se também os valores globais de apoios de 43,4 milhões de euros da Direção-Geral das Artes (DGArtes), a entidades elegíveis, que se apresentaram aos concursos de 2020, na área dos apoios sustentados e dos apoios a projetos. Em 2021, os concursos da DGArtes também não irão abrir, "em função da excecionalidade do ano", segundo a ministra.

"A força de ir para a rua ou a possibilidade de o fazer e as chamadas de atenção que os profissionais da cultura têm feito acabaram por dar alguns frutos", frisou Rui Galveias.

19h37 - Estudo do São João revela que 95 a 97% dos vacinados apresentam anticorpos em 15 dias

Entre 95 a 97% dos profissionais de saúde vacinados contra a covid-19 no Hospital de São João, Porto, apresentaram, 15 dias após a primeira toma, anticorpos que conduzem à imunidade, revelou o diretor do serviço de patologia clínica.

"Não estamos a descrever nada que não fosse o antecipado, mas deixa-nos satisfeitos perceber que funcionou e dá confiança de que vale a pena vacinar. O processo de vacinação tem de correr o mais célere possível", disse Tiago Guimarães quando descrevia aos jornalistas um estudo que está a ser feito no Hospital de São João sobre a taxa de imunidade da vacina contra a covid-19.

Dos 2.125 médicos, enfermeiros, assistentes operacionais e técnicos de diagnóstico e terapêutica que tomaram a vacina a 27 de dezembro - data do arranque do Plano Nacional de Vacinação - cerca de quatro dezenas foram submetidos a testes serológicos que visam estudar a imunidade vacinal.

Tiago Guimarães frisou que estes testes são diferentes dos testes mais comuns, uma vez que esses mostram "genericamente os anticorpos produzidos após uma infeção", enquanto os usados no estudo medem "a capacidade de produzir anticorpos induzidos pela vacina".

Realizadas três colheitas - a primeira nos dias seguintes à toma da vacina, a segunda na semana seguinte e a terceira após 15 dias - o estudo permitiu detetar que "95 a 97% das pessoas já produz anticorpos, pelo que se presume que tenha imunidade".

"Praticamente todas as pessoas produziram anticorpos por efeito da vacina pelo menos após 15 dias. Na segunda colheita, 10 a 15% já tinham [anticorpos induzidos pela vacina]. O objetivo é ir percebendo em que tempo aparecem os anticorpos", explicou o especialista

O diretor do serviço de patologia clínica do Centro Hospitalar e Universitário de São João (CHUSJ) admitiu que estes resultados "estão dentro do esperado e descrito" no que diz respeito à vacina administrada, a da farmacêutica Pfizer, mas "não sendo surpreendentes", são, frisou, "importantes".

"Não põe em causa a necessidade da segunda toma [sendo que a Agência Europeia do Medicamento recomenda a segunda toma a 21 a 42 dias após a primeira, ou seja três a seis semanas] mas dá-nos uma janela temporal para que a toma da segunda dose possa ser acertada", disse o diretor.

Tiago Guimarães também frisou o efeito de "confiança" que resultados de estudos como estes podem transmitir a uma população possivelmente indecisa quanto à vacinação.

19h21 - Angola registou mais 188 casos de covid-19, uma morte e 377 doentes considerados recuperados nas últimas 24 horas.

19h19 - CDS-PP critica Governo por manter todas as escolas abertas

O presidente do CDS-PP criticou a decisão do Governo de manter todas as escolas abertas durante o novo confinamento devido à pandemia de covid-19, e manifestou receio de que as exceções comprometam os esforços que os portugueses vão fazer.

Francisco Rodrigues dos Santos comentou as novas medidas de combate à pandemia anunciadas na quarta-feira pelo primeiro-ministro num curto vídeo de 40 segundos, enviado à comunicação social.

O líder do CDS-PP mostrou-se preocupado com "as meias tintas do Governo" e avisou que "a quantidade de exceções" às medidas decretadas pelo Conselho de Ministros pode atrasar o combate à pandemia e "comprometer todos esforços" que serão feitos.

Uma vez que o Governo decidiu "manter aberto o ensino presencial acima do 7.º ano, apesar do aumento dos contágios até aos 19 anos" e "contrariamente à posição do CDS", o dirigente propôs que se "teste massivamente nas escolas".

19h17 - Supermercados não vão poder vender livros, roupa nem objetos de decoração

Os supermercados e hipermercados vão ficar impedidos a partir da próxima semana de vender artigos não alimentares, como roupa, livros e objetos de decoração, disse hoje o ministro de Estado e da Economia.

O diploma que vai limitar a venda de alguns produtos nas grandes superfícies deverá ser publicado esta sexta-feira e entrará em vigor na próxima semana, dando tempo ao setor para os retirar das prateleiras.

"Determinámos o encerramento de um conjunto de atividades comerciais, de lojas comércio retalho e o que está previsto é que seja possível limitar a venda nos super ou hipermercados, grandes superfícies de distribuição alimentar, o tipo de produtos que é comercializado nas lojas cujo encerramento se determina [neste novo confinamento geral]", disse hoje Siza Vieira.

O ministro da Economia, que falava numa conferência de imprensa conjunta com a ministra da Cultura de apresentação das medidas de apoio às empresas cuja atividade se encontra suspensa por determinação legal ou administrativa devido ao novo confinamento geral que começa às 00:00 desta sexta-feira, precisou que a medida está "neste momento a ser regulamentada" e entrará "em vigor a partir do início da próxima semana".

Em causa estão, segundo adiantou Siza Vieira, produtos de decoração, desportivos, livros ou têxteis, ou seja, artigos vendidos nas lojas de retalho que estão obrigadas a encerrar portas a partir desta sexta-feira.

O governante disse ainda que o diploma deverá ser publicado esta sexta-feira de forma a dar tempo aos supermercados e superfícies comerciais semelhantes para retirarem das suas prateleiras os produtos cuja venda será proibida, lembrando, contudo, que para todas as empresas continuam disponíveis as modalidades de venda online ou `ao postigo`.

"Estas medidas de saúde pública não podem ser medidas de distorção de mercado", referiu.

A fiscalização do cumprimento desta medida será feita pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

18h51 - Ministro da Economia anuncia apoios

Numa conferência de imprensa conjunta com a ministra da Cultura, o ministro Pedro Siza Vieira anunciou esta tarde um pacote de medidas de apoio para as empresas e o trabalho nesta fase de reconfinamento que Portugal vai atravessar.


18h33 - Angola suspende ligações aéreas com Portugal, África do Sul e Brasil a partir de dia 24

Angola vai suspender as ligações aéreas com Portugal, Brasil e África do Sul, a partir das 00:00 do dia 24 de janeiro, anunciou o ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida.

A suspensão temporária dos voos decorre da necessidade de controlar a propagação da pandemia de covid-19, em particular das novas estirpes do vírus SARS-CoV-2, causador da doença.

"A dinâmica de voos regulares vai sofrer alterações", afirmou o ministro, salientando que a medida começa a vigorar a partir das 00:00 de 24 de janeiro de 2021.

"Vamos ter um período de pouco mais de uma semana onde o objetivo é permitir que o máximo possível de cidadãos angolanos e estrangeiros que se encontram nesses países possam regressar", sublinhou.

18h29 - São Tomé e Príncipe registou nas últimas 48 horas mais 29 casos de covid-19, aumentando o numero de pessoas infetadas para 1.119.

18h27 - Transportes Urbanos de Braga mantêm oferta nos dias úteis

Os Transportes Urbanos de Braga vão manter a oferta atualmente em vigor aos dias de semana, mas ao sábado e domingo haverá uma redução, na sequência do novo período de confinamento do país.

Em comunicado, a Câmara de Braga especifica que a redução acontecerá a partir das 13:00 de sábado e de domingo. Acrescenta que praticamente todas as linhas que vão operar ao fim de semana terão metade da frequência.

18h19 - Estirpe brasileira não foi detetada em Portugal

A estirpe brasileira do novo coronavírus ainda não foi detetada em Portugal, garantiu à Lusa o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), que tem a decorrer desde março um estudo sobre as variantes do SARS-CoV-2.

Esta estirpe "ainda não foi detetada em Portugal", adiantou fonte do INSA, ao salientar que, desde o primeiro momento da pandemia, estão a ser estudadas as mutações do vírus que provoca a covid-19.

A estirpe brasileira do SARS-CoV-2 está na base da decisão do Governo britânico de suspender as ligações aéreas de Portugal e Cabo Verde para Inglaterra, uma medida que foi anunciada hoje pelo ministro dos Transportes.

"Tomei a decisão urgente de proibir chegadas da Argentina, Brasil, Bolívia, Cabo Verde, Chile, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela a partir de sexta-feira após informação sobre uma nova variante no Brasil", anunciou o ministro dos Transportes, Grant Shapps, através da rede social Twitter.

As viagens de Portugal para o Reino Unido também serão suspensas "devido aos seus laços fortes com o Brasil, funcionando como mais uma forma de reduzir o risco de importação de infeções", acrescentou.

18h01 - Ministra da Cultura anuncia apoios ao sector

O Governo aprovou um plano de apoio de 42 milhões de euros a fundo perdido para o sector da cultura.

O Governo criou um programa de apoio ao setor da Cultura, numa primeira fase, que dará um apoio "universal, não concursal e a fundo perdido". O Garantir a Cultura, "no valor global de 42 milhões de euros", numa primeira fase, é a "materialização do programa criado pela lei do Orçamento do Estado 2021 de apoio ao trabalho artístico", afirmou a ministra da Cultura, Graça Fonseca, na conferência de imprensa de apresentação das medidas de apoio do Governo aos setores mais afetados pelas restrições impostas pelo combate à pandemia da covid-19, a decorrer no Palácio da Ajuda, em Lisboa.

Graça Fonseca sublinhou tratar-se de "apoio universal, não concursal e a fundo perdido", que tem como destinatários: entidades coletivas (todas as empresas, salas de espetáculos, promotores, agentes, salas de cinema independentes, cineclubes, mas também pessoas singulares, como artistas, técnicos e autores).


17h43 - Câmara de Viseu reativa serviço gratuito de entrega de refeições

O serviço de entrega de refeições dos restaurantes feito por taxistas vai ser reativado na sexta-feira no concelho de Viseu e funcionará gratuitamente sete dias por semana durante o confinamento motivado pela covid-19, anunciou o presidente da Câmara.

"O Viseu Entrega tinha funcionado nos três fins de semana em que os munícipes não podiam sair de casa a partir das 13:00 de sábado. Agora, funcionará sete dias por semana, ao almoço e ao jantar, enquanto durar o confinamento", explicou Almeida Henriques à agência Lusa.

Nesses três fins de semana, foram feitas perto de 800 entregas de refeições, tendo a Câmara de Viseu pago dez mil euros aos taxistas pelo serviço.

"Estimo que este apoio possa custar perto de 40 mil euros. Mas é um apoio direto que damos aos restaurantes, aos taxistas e às famílias que estão confinadas em casa", justificou.

O Viseu Entrega funciona através de uma plataforma em que estão os restaurantes do concelho que aderiram à iniciativa.

Almeida Henriques disse que também a linha de emergência social Viseu Ajuda, que tem como objetivo auxiliar na resposta a bens e serviços básicos e urgentes, voltará a funcionar sete dias por semana.

17h25 - Hospital Garcia de Orta aumenta camas para doentes infetados

O hospital de Almada converteu mais 16 camas de enfermarias cirúrgicas para tratamento de doentes covid-19, face à "enorme pressão assistencial e crescente procura de doentes", anunciou a instituição.

17h21 - França impõe recolher obrigatório diário às 18 horas a partir de sábado

Todos aqueles que entrarem em território francês oriundos de fora do espaço da UE terão de apresentar um teste PCR negativo e serão obrigados a quarentena de 7 dias.

Para os cidadãos de países da UE em estado grave da pandemia, como Portugal, o governo francês vai levar ao próximo Conselho Europeu de 21 de janeiro a mesma exigência: teste negativo e quarentena.

17h09 - Lar residencial da Cercilei tem todos os utentes infetados

O lar residencial da Cercilei - Cooperativa de Ensino e Reabilitação de Crianças Inadaptadas de Leiria tem os 12 utentes infetados com SARS-CoV-2, disse à Lusa a presidente da instituição.

Cristina Meireles referiu que três das cinco funcionárias também testaram positivo ao novo coronavírus.

"Apesar de todos os cuidados extremos que temos tido, temos os 12 utentes infetados. O alerta foi dado quando uma utente surgiu com febre. Ligámos para a Saúde 24, que mandou colocá-la em isolamento. Como não foi possível, levámo-la ao hospital, onde lhe fizeram o teste", revelou a responsável.

Segundo Cristina Meireles, de imediato todos os utentes e funcionários foram testados. "A diretora técnica deu negativo, mas vai repetir o teste esta sexta-feira.

A utente que foi para o hospital continua internada, tendo tido necessidade de suporte de oxigénio, mas "está a reagir bem".

"Um dos utentes é funcionário na cozinha da sede e preocupou-nos o possível contágio com os restantes elementos. Mandámos testar todos e, felizmente, estão negativos", contou ainda.

A presidente da Cercilei salientou a disponibilidade de uma das funcionárias infetadas, que decidiu cumprir o isolamento na residencial com os utentes, trabalhando diariamente.

"Estou-lhe muito agradecida. Essa monitora é espetacular. Vale ouro. Sozinha não conseguiria fazer tudo, pelo que temos tido o apoio de outras, que têm ido à residencial devidamente equipados."

17h07 - PSD critica aulas presenciais em todos os graus de ensino

O deputado social-democrata Ricardo Baptista Leite critica as "meias medidas" anunciadas pelo Governo para combater a pandemia, considerando que a manutenção dos estabelecimentos de ensino abertos durante um confinamento generalizado é contraproducente.

"A razão pela qual estamos nesta situação, depois de quatro meses sucessivos de meias medidas, de medidas restritivas parciais no território nacional, resulta, primeiramente e principalmente, pela falta de preparação do outono e inverno", considerou o deputado.

17h05 - A Itália contabilizou 17.246 novos contágios de covid-19 nas últimas 24 horas e 522 mortes no mesmo período.

16h57 - Vacinação avança nos hospitais privados

16h49 - Reino Unido suspende ligações aéreas de Portugal para travar estirpe brasileira

O Governo britânico anunciou hoje que vai suspender ligações aéreas de Portugal e Cabo Verde para Inglaterra para tentar impedir a entrada da estirpe brasileira do SARS-CoV-2, e proibiu também chegadas do Brasil e de outros países sul-americanos.

"Tomei a decisão urgente de proibir chegadas da Argentina, Brasil, Bolívia, Cabo Verde, Chile, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela a partir de sexta-feira após informação sobre uma nova variante no Brasil", anunciou o ministro dos Transportes, Grant Shapps, através da rede social Twitter.

As viagens de Portugal para o Reino Unido também serão suspensas "devido às suas fortes ligações com o Brasil, funcionando como mais uma forma de reduzir o risco de importação de infeções".

No entanto, o Governo britânico dá isenção aos transportadores que viajem a partir de Portugal para permitir a circulação de bens essenciais e também aos cidadãos britânicos e irlandeses e nacionais de países terceiros com direito de residência, que poderão entrar no país, mas cumprir quarentena de 10 dias.

16h45 - Subsídios de desemprego prolongados serão pagos a partir de fevereiro com retroativos

Os subsídios de desemprego que terminem este mês serão prolongados automaticamente por mais seis meses, mas o pagamento só será feito a partir de fevereiro, com retroativos, segundo o Instituto da Segurança Social.

16h10 - Segundo confinamento vai ser mais exigente do ponto de vista mental

16h05 - Certificado de vacinação mutuamente reconhecido é "importante"

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, defende que um certificado de vacinação mutuamente reconhecido na União Europeia é "importante" e "saúda" a iniciativa do primeiro-ministro grego que pede que os indivíduos vacinados possam viajar livremente.

"É um requisito médico ter um certificado que comprova que se foi vacinado. Por isso, eu saúdo a iniciativa do primeiro-ministro grego [Kyriakos Mitsotakis] sobre um certificado de vacinação mutuamente reconhecido", frisa Ursula von der Leyen numa entrevista à agência Lusa e outros meios de comunicação social portugueses em Bruxelas.

A presidente da Comissão Europeia reage assim à uma carta que lhe foi endereçada por Mitsotakis no início da semana, onde o chefe do executivo grego defende que, ainda que não deseje tornar a vacina "obrigatória ou um pré-requisito para viajar", pede que "as pessoas que já foram vacinadas possam viajar livremente".

"O que quer que seja decidido, quer dê a prioridade ou o acesso a certos bens, é uma decisão política e legal que deve ser discutida ao nível europeu, mas acho que é importante e, como referi, necessário um requisito médico que comprove que se foi vacinado", sublinha Von der Leyen na entrevista, realizada a propósito da visita a Lisboa de uma delegação da Comissão Europeia no âmbito da presidência portuguesa da União Europeia (UE).

A presidente do executivo comunitário refere ainda que "foi e é bom" que os Estados-membros da UE tenham negociado conjuntamente os contratos de compras de vacinas e salienta que, até ao final da semana, 10 milhões de doses das vacinas BioNTech/Pfizer e Moderna "já terão sido entregues" em todos os Estados-membros.

"Com estas duas vacinas, e com o acesso a estas duas vacinas, já temos doses suficientes para vacinar 80% da população europeia", frisa a presidente da Comissão.

A Comissão encontra-se agora a distribuir "rapidamente e massivamente" as vacinas, segundo a presidente, que reforça também a necessidade de trabalhar "em estreita colaboração" com os países da UE.

16h03 - Produção de vacinas em Paredes de Coura arranca em dezembro

A nova fábrica da farmacêutica espanhola Zendal, em construção em Paredes de Coura, no distrito de Viana do Castelo, num investimento de 15 milhões de euros, vai começar a produzir vacinas em dezembro, foi hoje divulgado.

Em comunicado enviado às redações, a Zendal explicou que o polo biotecnológico permitirá "aumentar a capacidade de produção e embalagem de vacinas virais para a saúde humana".

O grupo de biotecnologia sediado em O Porriño, na Galiza, justifica o novo investimento por "considerar que o momento atual é extremamente positivo para aproveitar as sinergias da eurorregião".

A produção na fábrica de Paredes de Coura irá "começar com um quadro inicial de 30 pessoas, das quais pelo menos 50% serão licenciadas".

"Este polo pretende colaborar com centros de formação profissional, universidades e centros tecnológicos do Norte de Portugal", acrescente a nota.

O administrador da farmacêutica espanhola, Andrés Fernández, afirmou, citado na nota, que a presença em Portugal "é uma oportunidade que permitirá reforçar o papel de referência na fabricação de vacinas".

15h48 - O número de óbitos no surto de covid-19 num dos edifícios do Lar da Misericórdia de Viana do Alentejo (Évora) aumentou para quatro e foram detetados mais 21 casos de infeção na instituição, disse hoje o provedor.

15h30 - Portugal com 10698 novos casos e 148 óbitos em 24 horas

Nas últimas 24 horas deram-se mais 10698 casos de infeção por Covid-19 em Portugal – um novo máximo diário -, elevando o total desde o início da pandemia para 517806.

Houve ainda mais 148 vítimas mortais, para um total de 8384.

Dos novos casos de infeção, 3461 aconteceram na região Norte do país, 2128 no Centro, 4071 em Lisboa e Vale do Tejo, 520 no Alentejo, 400 no Algarve, 57 nos Açores e 61 na Madeira.

Os dados da Direção-Geral da Saúde apontam ainda para mais 5063 pessoas dadas como recuperadas da doença, num total de 387607 recuperações desde que o vírus chegou ao país.

Os internamentos hospitalares continuam a aumentar. Há hoje mais 128 pessoas internadas (4368 no total). Em Unidades de Cuidados Intensivos encontram-se agora 615 pacientes, mais 15 do que na véspera.

15h20 – Resposta devia ter sido programada com setor social e privado, diz Ordem Médicos

O bastonário da Ordem dos Médicos acusou hoje o Governo de não ter programado a resposta à pandemia de Covid-19, englobando o setor social e privado e usando, se necessário, meios humanos do Serviço Nacional de Saúde.

“Já devia ter havido uma decisão nesse sentido, usando, se necessário recurso humanos do SNS”, disse à Lusa Miguel Guimarães, referindo-se a médicos de algumas especialidades que “não faz sentido” estarem em medicina intensiva.

15h17 – Aviação europeia estima menos 50% dos voos em 2021

A aviação europeia estima, este ano, que o tráfego aéreo se mantenha 50% abaixo dos níveis pré-pandemia, após a destruição de 191 mil postos de trabalho no setor em toda a Europa em 2020, divulgou hoje a Eurocontrol.

“Acreditamos que só iremos atingir este ano 50% dos voos realizados em 2019 […] e a grande questão é quem é que sobrevive neste setor”, afirmou hoje o diretor-geral da Organização Europeia para a Segurança da Navegação Aérea (Eurocontrol), Eamonn Brennan.

“Até agora, a situação não mudou muito [face a 2020] porque com a segunda e terceira vagas da Covid-19 estão a ser impostas mais quarentenas e mais restrições na Europa e isso só vai deteriorar significativamente a aviação europeia”, admitiu o responsável.

A esperança de Eamonn Brennan é que, “até à Páscoa, se comecem a ver os efeitos da vacinação”.

14h57 – Lar de Vila Franca de Xira com 71 utentes e 37 funcionários infetados

Um surto de Covid-19 detetado num dos lares da Santa Casa da Misericórdia de Vila Franca de Xira infetou 71 utentes e 37 funcionários, disse à agência Lusa o provedor da instituição, assegurando que a situação está controlada.

Após a realização de testes foram também detetados dois casos positivos em utentes e um caso positivo num funcionário de outro lar pertencente à Santa Casa Misericórdia de Vila Franca de Xira (SCMVFX), localizado a cerca de 200 metros.

14h55 – Autoridades alertam para risco de agravamento da pandemia na Alemanha

As autoridades sanitárias alemãs estão preocupadas com o futuro impacto na Alemanha das novas mutações, mais infecciosas, do novo coronavírus e alertam para o agravamento da pandemia de Covid-19 no país.

No dia em que a Alemanha registou com 1.244 óbitos um novo recorde diário de mortes resultantes da Covid-19, o presidente do Instituto Robert Koch, Lothar Wieler, alertou para a probabilidade de a situação pandémica se agravar nas próximas semanas, admitindo que as novas variantes do vírus possam ainda não se ter generalizado.

“Ainda não podemos avaliar em que medida as novas variantes influenciam a situação na Alemanha, já que podem demorar algum tempo a manifestar-se. Assim, existe a possibilidade de que a situação ainda se agrave”, disse Wieler, numa conferência de imprensa.

Wieler explicou que, até ao momento, são conhecidos 16 casos na Alemanha de pacientes com a variante britânica de Covid-19, dos quais 15 estão associados a uma viagem ao Reino Unido ou à entrada de pessoas daquele país.

14h38 – Idosos em lares equiparados a pessoas confinadas

Os utentes de estruturas residenciais para idosos passam a ser equiparados a pessoas confinadas e votarão nos mesmos moldes, ou seja, poderão votar no sítio onde estão a viver.

14h37 – 534 pessoas confinadas inscreveram-se para votar antecipadamente

Começou hoje a inscrição para o voto antecipado de quem se encontra em confinamento. Há até agora 534 inscritos distribuídos por 109 concelhos do país, avançou o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna.

14h34 – 204 mil pessoas inscritas para votar antecipadamente dia 17

Há já mais de 204 mil pessoas inscritas para votar antecipadamente nas eleições presidenciais, avançou em conferência de imprensa o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Antero Luís.

O número superou o previsto, pelo que haverá mais 100 mesas do que estava planeado.

“Nem sequer tínhamos previsto que as pessoas que se inscrevessem chegassem a 200 mil”, admitiu o responsável do Governo.

Os inscritos irão receber, no dia 16, um SMS a indicar o local onde deverão votar.

14h24 – Igreja decidiu suspender casamentos, baptizados e crismas

14h23 – Lares de idosos vão continuar a receber visitas

14h22 – Empresários querem medidas de apoio imediatas

14h21 - Assembleia da República volta a ter apenas dois debates por semana

A Assembleia da República vai voltar a realizar apenas dois plenários por semana, devido à pandemia da Covid-19, mantendo a redução de deputados em plenário e as comissões em formato misto, decidiu hoje a conferência de líderes.

14h06 - Sobrecarga sobre SNS "só diminuirá muito no final do verão"

O diretor de medicina intensiva do Hospital de São João, Porto, acredita que a sobrecarga do Serviço Nacional de Saúde "só diminuirá muito lá para o final do verão", frisando que "vale a pena" fazer um sacrifício agora.

Em entrevista à agência Lusa, José Artur Paiva, que critica a opção por medidas de confinamento "progressivamente incrementais" por defender a adoção de uma estratégia "imediata, rápida e em máxima amplitude", falou da pressão atual do SNS numa semana em que Portugal regista máximos de casos de infeção pelo novo coronavírus e mortes associadas à Covid-19 desde março.

"Vale a pena sacrificarmo-nos um bocadinho agora porque temos um plano [referindo-se à vacinação]. Não podemos é pensar que por termos o plano já podemos facilitar. Só podemos apagar os faróis quando chegarmos ao fim do túnel", disse o diretor de medicina intensiva do Centro Hospitalar e Universitário de São João (CHUSJ).

13h51 - Variante descoberta no Reino Unido circula em 25 países europeus

A nova variante do SARS-CoV-2 descoberta no Reino Unido já foi detetada em pelo menos 25 países europeus, incluindo a Rússia, afirmou hoje o diretor regional europeu da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Em conferência de imprensa, o belga Hans Kluge lembrou que o novo coronavírus, como todos, "muda com o tempo" e garantiu compreender o alarme pelo surgimento de variantes como a designada por B117, identificada em setembro passado no Reino Unido.

Kluge defendeu que todos os países europeus devem aumentar esforços para apurar sequências genéticas de amostras do SARS-CoV-2 e trocar informações sobre elas.

O responsável do departamento imunológico da OMS Europa, Oleg Benesh, salientou que há "dúvidas legítimas" sobre a eficácia das vacinas já disponíveis contras as novas variantes, mas que "não há provas de que a imunidade adquirida [com as vacinas] não proteja".

"A vacina gera imunidade contra os antigénios do vírus, esta imunidade é policlonal, ou seja, produz anticorpos contra diferentes fragmentos e antigénios do vírus e é por isso que esperamos que funcionem, não temos provas do contrário", considerou.

Portugal registou pelo menos 72 casos de contágio pela nova variante do SARS-CoV-2, segundo o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), que os identificou em 28 concelhos.

13h37 - Casinos portugueses pessimistas este ano após quebra de 50% em 2020

Os casinos portugueses encaram 2021 com pessimismo, após uma quebra histórica de quase 50% das receitas em 2020, dado o novo período de encerramento e a alteração de hábitos dos frequentadores para outras ofertas de jogo.

“Relativamente ao ano que agora se inicia, não podemos encará-lo com otimismo. A pandemia está longe de se encontrar debelada, prevê-se novo confinamento, não sendo de excluir outros períodos de encerramento ao longo do ano, e é previsível a continuação de restrições aos horários de funcionamento, com novas diminuições da frequência e continuação da erosão das receitas”, sustenta a Associação Portuguesa de Casinos.

Segundo destaca a associação, “acresce que um controlo da pandemia, mesmo que acontecesse, teria efeitos muito lentos no restabelecimento da frequência dos casinos físicos, dada a alteração de hábitos dos frequentadores que inevitavelmente se está a verificar”.

13h32 - Politécnico de Leiria com avaliação online para garantir equidade e 2.º semestre presencial

O Politécnico de Leiria decidiu passar para online toda a sua avaliação da época normal e de recurso para garantir equidade a todos os estudantes e ter o 2.º semestre com aulas presenciais.

"Todas as escolas estão abertas e a funcionar normalmente. Estamos a entrar na época de avaliações e exames de época normal e de recurso. Estamos abertos, mas há um compromisso com a equidade e com a resposta que a região precisa", disse à agência Lusa o presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa.

13h18 - Turismo do Centro quer apoios ao setor para pelo menos dois meses

O Turismo Centro de Portugal defende que as ajudas à economia do Governo para o novo confinamento devem prever a possibilidade da sua extensão a um período de pelo menos dois meses.

O presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro, Pedro Machado, disse à agência Lusa que, tendo em conta a atual tendência da pandemia da Covid-19, "pode-se estar a falar não de 30 dias de confinamento, mas de 60 dias".

Na sua opinião, o novo pacote de medidas de apoio às empresas, em particular às do setor do turismo, deve "antever já a possibilidade da sua extensão" por um período mais longo.

13h08 - Vacina da Janssen produziu resposta imunitária por dois meses com uma toma

O grupo empresarial Johnson & Johnson anunciou hoje que a sua vacina contra o novo coronavírus produziu uma resposta imunitária que durou mais de dois meses com uma única toma.

A vacina, desenvolvida pela Janssen Pharmaceutical, uma empresa do grupo, concluiu as primeira e segunda fases dos testes clínicos e a resposta imune que provoca no organismo durou "pelo menos 71 dias" nos participantes entre 18 e 55 anos, segundo dados provisórios divulgados hoje.

Ainda durante o mês de janeiro, o grupo irá divulgar os resultados da terceira fase de ensaios, partindo de uma análise provisória em que a vacina candidata "foi geralmente bem tolerada em todos os participantes".

Após tomarem uma dose da vacina, 90% dos participantes desenvolveram anticorpos neutralizantes 29 dias após a inoculação e 100% entre os 18 a 55 anos tinham anticorpos no 57.º dia, uma reação que se manteve 71 dias depois de terem recebido a vacina.

Também durante este mês, a empresa revelará dados sobre a resposta imunitária desencadeada pela vacina em pessoas com mais de 65 anos.

Se se provar que a vacina de toma única é eficaz e segura, a Janssen vai pedir à autoridade do medicamento norte-americana, a FDA, uma autorização de uso de emergência, seguindo-se o mesmo pedido a outros reguladores pelo mundo.

13h06 - Açores com 63 novos casos e um total de 846 ativos

Os Açores registaram, nas últimas 24 horas, 63 novos doentes com Covid-19, 62 dos quais em São Miguel e um no Faial, contando a região atualmente com 846 casos positivos ativos.

Na ilha de São Miguel, a mais populosa dos Açores, os 62 casos foram "em contexto de transmissão comunitária" e, no Faial, tratou-se de um "viajante residente com análise de rastreio ao sexto dia".

Há também a assinalar que 91 doentes recuperaram da doença nos Açores: 90 em São Miguel e um na Terceira.

13h04 - Onze mortos no Lar da Misericórdia de Miranda do Douro

O número de mortes associadas à Covid-19 no Lar da Misericórdia de Miranda do Douro, distrito de Bragança, subiu para 11 e todos os 61 utentes estão infetados pelo SARS-CoV-2, disse hoje à Lusa a provedora da instituição.

12h48 - Presidente da República promulga diplomas relativos ao confinamento

O Presidente da República promulgou o diploma do Governo que altera o regime contraordenacional no âmbito da situação de calamidade, contingência e alerta e agrava a contraordenação relativa ao teletrabalho obrigatório durante o estado de emergência.

Marcelo Rebelo de Sousa assinou ainda o decreto do Governo que regulamenta o estado de emergência decretado pelo Presidente da República.

“O Presidente da República assinou hoje o decreto do Governo que regulamenta o estado de emergência decretado pelo Decreto do Presidente da República n.º 6-B/2021, de 13 de janeiro”, lê-se numa nota no site da Presidência.

12h38 - Bélgica prolonga medidas restritivas até 1 de março

A Bélgica decidiu prolongar até março as medidas restritivas já em prática, por causa da pandemia.

Restaurantes, cafés, bares, cabeleireiros, teatros, cinemas e ginásios estão fechados desde 2 de novembro e assim vão continuar. O recolher obrigatório mantém-se entre as 22h00 e as 6h00.

A correspondente da Antena 1 em Bruxelas, Andrea Neves, ouviu dois portugueses que, de formas diferentes, têm vivido estes confinamentos em Bruxelas.

Quem regressa à Bélgica tem de fazer um teste à chegada, quarentena e novo teste sete dias depois.

O Governo belga decidiu apertar ainda mais as medidas por causa da nova variante do vírus. O uso de máscaras é obrigatório, mesmo na rua, e não podem estar juntas mais que quatro pessoas.

12h33 - Pandemia já matou quase 1,98 milhões pessoas no mundo

A covid-19 já matou pelo menos 1.979.596 pessoas no mundo desde o início da pandemia, em dezembro de 2019, segundo o levantamento realizado hoje pela agência de notícias AFP de fontes oficiais.

Mais de 92.321.290 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da epidemia, sendo que pelo menos 56.637.400 pessoas já foram consideradas curadas.

12h28 - Vendas da francesa PSA caem 27,8% em 2020 devido à pandemia de covid-19

As vendas do grupo francês PSA caíram 27,8% no ano passado, para 2.512.475 veículos, devido à crise provocada pela pandemia de covid-19, que afetou principalmente a Europa, o seu principal mercado, comunicou o fabricante automóvel.

As quedas na Europa foram de 24,2% para a Peugeot (907.048 unidades), 27,9% para a Citroen (599.446 unidades) e 29,3% para a DS (39.481 veículos).

Além da situação verificada no mercado europeu, a PSA indicou que as vendas apresentaram um bom desempenho na China.

A PSA referiu ainda que, após um primeiro semestre muito negativo devido aos confinamentos vividos na maioria dos países europeus, as suas vendas cresceram mais de 40% no segundo semestre do ano passado, quando comparadas com as registadas nos primeiros seis meses do ano fiscal.

12h20 - Ucrânia não quer prolongar confinamento

O ministro da Saúde disse esperar que o confinamento rigoroso termine como previsto no dia 25. O país fechou escola, restaurantes e ginásios na passada semana.

12h15 - Garantia do Estado a apoio à economia prolongado até 30 de junho

O prazo de garantia do Estado à contratação de operações da linha crédito de apoio à economia covid-19 foi prorrogado até 30 de junho, segundo despacho hoje publicado.

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, que assinou o despacho em 31 de dezembro, autoriza a manutenção da garantia pessoal do Estado às linhas de crédito de apoio à economia covid-19, no montante de 793,7 milhões de euros, prorrogando o respetivo prazo de utilização das operações abrangidas por essas linhas, até 30 de junho de 2021, e o termo da garantia do Estado, até 30 de junho de 2027.

Permite prorrogar até 30 de junho de 2021 os prazos de vigências das linhas de apoio à economia covid-19 que foram lançadas ao abrigo da notificação State Aid de 4 de abril, justifica o governante.

12h04 - Igreja suspende batismos, crismas e casamentos

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) decidiu que ficam suspensas ou adiadas as celebrações de batismos, crismas e casamentos, face ao que classifica como "gravíssima situação de pandemia" que Portugal vive.

São mantidas as celebrações litúrgicas, nomeadamente a eucaristia e as exéquias (cerimónias fúnebres e funerais), segundo as orientações de 8 de maio de 2020, emanadas em coordenação com a DGS.

Todas as restantes celebrações devem ser suspensas ou adiadas.

"Outras celebrações devem ser suspensas ou adiadas para momento mais oportuno, quando a situação sanitária o permitir", refere a CEP.

A catequese continuará em regime presencial onde for possível observar as exigências sanitárias, de contrário, pode ser por via digital ou cancelada.

11h48 - Ministra do Trabalho testa positivo à Covid-19

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social testou positivo à Covid-19. "Tem sintomas ligeiros e encontra-se em confinamento domiciliário, sendo substituída pelo secretário de Estado Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional", adianta o Governo em comunicado.

"Estando já em isolamento desde a passada segunda-feira, participou ontem no Conselho de Ministros por videoconferência", acrescenta o texto.

"Em consequência de outros contactos, o ministro do Ambiente e da Ação Climática e o ministro do Mar estão em isolamento profilático, determinado pelas autoridades de saúde, tendo também ontem participado por videoconferência na reunião do Conselho de Ministros, encontrando-se a trabalhar à distância", prossegue a nota.

"Os testes à Covid-19, entretanto realizados, deram resultado negativo".

11h24 - Recolher obrigatório em vigor no Líbano

Os libaneses estão, a partir desta quinta-feira, a viver em recolhimento obrigatório, 24 sobre 24 horas. A medida vai vigorar por 11 dias.

Para circular, terão de pedir uma autorização especial. Até mesmo os supermercados estão fechados.

11h20 - Mais duas variantes identificadas nos Estados Unidos

Investigadores norte-americanos detetaram duas variantes do coronavírus SARS-CoV-2 com um comportamento semelhante ao da variante britânica e que poderão ser mais contagiosas.

Uma das variantes sofreu uma mutação semelhante à registada no Reino Unido, enquanto a outra, nunca vista, foi detetada em Columbus, no Estado do Ohio, onde se tornou dominante em poucas semanas.

"A variante de Columbus tem a base genética de casos semelhantes que estudámos, mas apresenta três mutações que significariam uma evolução muito importante", afirmou o professor de patologia da Universidade de Ohio State, Dan Jones, citado pela agência noticiosa Efe.

11h15 - Comité de Emergência da OMS debruça-se sobre novas variantes

O comité de emergência da Organização Mundial de Saúde reúne-se hoje, antes do previsto, para discutir as variantes do novo coronavírus, que são mais contagiosas e têm preocupado as autoridades no mundo inteiro.

As reuniões do comité decorrem normalmente de três em três meses, mas "desta vez o diretor-geral convocou os membros duas semanas antes do previsto para analisar assuntos que necessitam de um debate urgente".
 
"Trata-se das variantes recentes e do uso de certificados de vacinação e de testes para viagens internacionais", explica um comunicado da OMS divulgado em Genebra.

11h08 - África com mais 1265 mortes em 24 horas

O Continente Africano registou, nas últimas 24 horas, mais 1265 mortes associadas à Covid-19, para um total de 75.709 desde o início da pandemia. No mesmo período foram registados 34.802 novos casos de infeção - o total é agora de 3.142.781.

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana, o número de recuperados nos 55 Estados-membros da organização, desde quarta-feira, foi de 24.073, para um total de 2.562.961.

A África Austral mantém-se como a região mais afetada do continente, registando 1.450.117 infetados e 37.891 mortes. Só a África do Sul regista 1.278.303 casos e 35.140 mortos.

10h58 - Dois investigadores da OMS sem autorização para entrar na China

Dois dos elementos da equipa da Organização Mundial da Saúde que vai investigar, na China, a origem do novo coronavírus foram impedidos de entrar no país, na sequência de resultados positivos num teste a anticorpos para a Covid-19.

"Os requisitos relevantes de prevenção e controlo epidémico serão estritamente aplicados", deixou claro Zhao Lijian, porta-voz do Ministério chinês dos Negócios Estrangeiros.

O resto da equipa da OMS já se encontra em Wuhan, cidade do centro da China onde, no final de 2019, foi identificado o novo coronavírus.

10h56 - Indonésia com novo máximo

As autoridades indonésias reportam um aumento diário sem precedentes de novos casos de infeção: 11.557, para um total acumulado, desde o início da pandemia, de 869.600.

Morreram mais 295 pessoas em 24 horas, para um total de 25.246.

10h46 - O calendário alemão para o controlo da pandemia

A pandemia do novo coronavírus estará sob controlo em solo alemão no fim deste ano. A estimativa é do presidente do Instituto Robert Koch para doenças infecciosas.

Lother Wieler afirma que, no final de 2021, a Alemanha terá vacinas em número suficiente para inocular toda a população.

O responsável adverte, todavia, que as variantes mais contagiosas entretanto identificadas fazem aumentar o risco de uma exacerbação do quadro pandémico.

Até ao momento, foram identificados na Alemanha 16 casos de infeção com a estirpe de Inglaterra e outros quatro da estirpe da África do Sul.

10h17 - Infecciologista defende fecho de escolas

O infecciologista Fernando Maltez defende que as escolas deveriam fechar.
Na Grande Entrevista, o diretor do Serviço de Infecciologia do Hospital Curry Cabral lembrou que a nova variante do vírus é mais contagiosa, em especial nas idades mais jovens.

10h11 - Apoios à restauração e hotelaria de dezembro ainda não chegaram

A Confederação do Comércio defende horários "alargados" para os estabelecimentos que podem estar abertos.
Na RTP3, a Associação de Hotelaria e Restauração revelou que os apoios anunciados em dezembro ainda não chegaram e que com o novo confinamento são insuficientes.

10h00 - Rússia acima dos 24 mil casos diários

As autoridades sanitárias da Rússia reportaram esta quinta-feira 24.763 novos casos confirmados de infeção, dos quais 5893 na capital Moscovo. O total, desde o início da pandemia, ascendeu a 3.495.816.

O número de mortes associadas à Covid-19 aumentou em 570, para um total de 63.940.

9h14 - Investigação britânica associa dores nos olhos a Covid-19

Um primeiro estudo realizado no Reino Unido revela vários sintomas oculares indicativos de conjuntivite relacionada com a Covid-19.
O médico oftalmologista Eugénio Leite foi convidado do Bom Dia Portugal. Alertou para o cuidado a ter com estas informações, ou na forma como são distribuídas, já que várias infeções e outros vírus podem causar sintomas idênticos.

9h10 - Empresas podem limitar plataformas de video ou jogos online

As empresas de comunicações podem, na vigência do estado de emergência, limitar ou inibir os serviços audiovisuais de videoclube, plataformas de vídeo e jogos online, tendo em vista para preservar a integridade e segurança das redes de comunicações eletrónicas.

Segundo o decreto que regula o novo estado de emergência, que entra em vigor às 0h00 de sexta-feira, desde que para preservar a integridade e segurança das redes de comunicações eletrónicas, dos erviços prestados através delas e para prevenir os efeitos de congestionamento, devem "dar prioridade ao encaminhamento de determinadas categorias de tráfego".

A ordem das categorias é determinada por despacho do membro do Governo responsável pela área das comunicações, refere o documento.

8h35 - Epidemiologista não compreende decisão de manter escolas abertas

O epidemiologista Manuel Carmo Gomes diz que este confinamento é, em vários aspetos, menos duro do que o verificado nos meses de março e abril. Na altura, foram necessários quase dois meses para achatar a curva de contágios.
Antena 1

Por isso, o especialista teme que, desta vez, o país vá demorar ainda mais tempo para conseguir reduzir a pressão nos internamentos hospitalares. O epidemiologista não compreende a decisão do Governo de manter as aulas no regime presencial.

8h10 - México com 1235 mortes em 24 horas

O México reportou mais 1235 mortes causadas pela Covid-19, além de 15.873 casos. É o segundo valor mais alto desde o início da pandemia.

O país acumula 136.917 mortes e 1.571.901 casos confirmados e continua a ser o quarto do mundo com mais caos mortais, depois de Estados Unidos, Brasil e Índia. É o 13.º em número de infeções.

7h46 - Alemanha com mais 1244 mortes

O número de casos confirmados de infeção pelo SARS-Cov-2 na Alemanha aumentou, nas últimas 24 horas, em 25.164, para um total de 1.978.590 desde o início da pandemia.

O Instituto Robert Koch para doenças infecciosas reporta mais 1244 mortes, para um total de 43.881.

7h28- Ponto de situação

Às 0h00 de sexta-feira Portugal retoma o confinamento geral, que deverá prolongar-se por um mês. As medidas são semelhantes àquelas que vigoraram durante março e abril do ano passado. Aplicam-se no âmbito do novo de estado de emergência.

Restaurantes, bares e cafés mantêm-se apenas com take-away e entregas ao domicílio.
Os estabelecimentos comerciais como cabeleireiros ou barbeiros voltam a fechar. As salas de espetáculo também encerram.São exceções os supermercados e mercearias, que se mantêm abertos com a lotação máxima de cinco pessoas por 100 metros quadrados.


Continuam a funcionar consultórios médicos e farmácias.

As cerimónia religiosas são permitidas de acordo com as regras da Direção-Geral da Saúde.

Os tribunais permanecem abertos e, mediante marcação, também os serviços públicos vão continuar a funcionar.

O futebol continua sem público.

As visitas a lares de idosos e as atividades nos centros de dia vão ser permitidas no novo período de estado de emergência.
Ao anunciar o confinamento, após a reunião da tarde de quarta-feira do Conselho de Ministros, o primeiro-ministro afirmou que todas as escolas permanecem abertas para não voltar a sacrificar os alunos.


O teletrabalho, sempre que exequível, é obrigatório e António Costa avisa que, em caso de incumprimento, o valor das multas para as empresas vai duplicar.
O primeiro-ministro admite que os fundos europeus ainda vão demorar a chegar a Portugal. Mas diz também que tal não pode atrasar a implementação das medidas de apoio.


O Presidente da República propugna, por sua vez, que o confinamento é um travão de reforçada emergência. Marcelo Rebelo de Sousa pede aos portugueses um "suplemento de tempo e de alma, num desafio de fim, ainda indeterminado".
Marcelo sob vigilância
Marcelo Rebelo de Sousa está impedido de frequentar locais muita gente. O Presidente da República regressou ao Palácio de Belém, mas está sob vigilância durante 14 dias.

A decisão das autoridades de saúde surge depois de o chefe de segurança da Presidência ter testado positivo para a Covid-19.
Marcelo é considerado um contacto de baixo risco.
Ministra da Saúde manda adiar cirurgias
No despacho incluem-se as cirurgias as que estavam programadas para doentes com cancro, desde a vida seja salvaguardada. A medida não se aplica aos IPO.

Neste momento, os maiores hospitais do país estão debaixo de pressão acrescida. Na região de Lisboa e Vale do Tejo, há casos em que os limites máximos da capacidade já foram ultrapassados.
Cercas sanitárias nos Açores
O Governo Regional dos Açores anunciou a implementação de duas cercas sanitárias na Ilha de São Miguel. Vão abranger as freguesias de Rabo de Peixe, no concelho da Ribeira Grande, e Ponta Garça, no concelho de Vila Franca do Campo. Entram em vigor à meia-noite.
O presidente do Governo Regional, José Manuel Bolieiro, anunciou estas medidas como indispensáveis para conter a propagação da Covid-19 na ilha.
O quadro em Portugal
Morreram mais 156 pessoas vítimas da Covid-19 entre terça e quarta-feira, de acordo com o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

Havia ontem registo de mais 10.556 novos casos.

Foram internadas mais 197 pessoas. Deixaram os cuidados intensivos três pessoas. O total é agora de 596.
O quadro internacional
A pandemia da Covid-19 provocou pelo menos 1.963.557 mortos resultantes de mais de 91,5 milhões de casos de infeção, de acordo com o balanço em permanente atualização por parte da agência France Presse.