Reportagem Explosão no metro de São Petersburgo provoca vários mortos

Uma explosão na rede do metro de São Petersburgo, na Rússia, provocou esta segunda-feira vários mortos, entre os quais uma criança.

Fazer refresh a esta área
Clique aqui para atualizar

19h34 - Terminamos aqui o acompanhamento ao minuto do ataque em São Petersburgo

19h20 - Marcelo Rebelo de Sousa enviou uma mensagem de condolências ao Presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, pelo atentado terrorista em São Petersburgo.

""Foi com profunda consternação que soube da explosão que hoje ocorreu no metropolitano de São Petersburgo, que resultou em numerosas vítimas mortais e inúmeros feridos, alguns com gravidade", escreveu o Presidente da República

18h03 - Emitidos dois mandados de captura

Foram emitidos dois mandados visando duas pessoas suspeitas de planeamento do rebentamento na estação de metro de Sennaya Ploshchad. As autoridades acreditam que um dos suspeitos colocou a bomba que numa carruagem do metro e o outro será o responsável por deixar um engenho explosivo na estação de metro de Ploshchad Revolutsii, que foi já desactivado pelas forças especiais.

17h22 - Segurança reforçada nos transportes da capital francesa

No advento da explosão no metro de São Petersburgo, o Governo francês decidiu reforçar as medidas de segurança nos transportes públicos de Paris.

“Após os acontecimentos no metro de São Petersburgo, como medida de precaução, o ministro do Interior, Matthias Fekl, decidiu reforçar as medidas de segurança nos transportes públicos da região de Paris”, pode ler-se numa nota do ministério.

“Num contexto de forte ameaça terrorista, o governo [francês] continua a colocar em campo todas as medidas para proteger os franceses”.

17h12 - Presidente russo, Vladimir Putin, confirma que a hipótese de atentado terrorista é a principal linha de investigação das autoridades


16h56 - As autoridades lançaram uma operação de socorro com helicópteros a aterrarem nas ruas de São Petersburgo



16h55 - Ataque terrorista

O procurador-geral de São Petersburgo já considerou a explosão no metro como ataque terrorista.


16h37 - Imagens captadas após o rebentamento



16h37 - O Daily Mail mostra a primeira imagem do homem suspeito de ser autor dos ataques, captado pelas câmaras de segurança




16h26 - O Kremlin está atento ao regresso a casa de guerrilheiros tchetchenos que estão envolvidos nos combates na Síria, onde alinham ao lado das forças do Estado Islâmico. A forças militares da Rússia também estão envolvidas nesta guerra, onde Vladimir Putin vem apoiando o Presidente Bashar al-Assad.

16h14 - Um rebentamento, não dois - foto mostra violência da explosão



16h08 - André Villas-Boas envia mensagem de apoio às famílias das vítimas

O português treinou o Zenit de São Petersburgo durante três temporadas. Há pouco, na sua página do Facebook, deixou uma mensagem de apoio às famílias das vítimas.

"Meus queridos cidadãos de São Petersburgo, por favor sejam fortes. As minhas condolências às famílias que perderem os seus entes queridos neste ataque horrível"

16h06 - Balanço oficial

O ministro russo da Saúde confirma a existência de 10 mortos e 47 feridos na explosão do Metro.

16h00 - Suspeito captado em imagens de segurança

A agência russa Interfax avança que as câmaras de segurança do Metro poderão ter captado a imagem do responsável pelo rebentamento.

15h35 - Segundo engenho desativado

Autoridades russas dizem que um segundo engenho explosivo, de fabrico artesanal, foi desativado numa outra estação de metro de São Petersburgo.

Foi desativado na estação de Ploshchad Vosstaniya.

15h15 – Número de mortos revisto em baixa

A Autoridade Nacional Antiterrorismo reviu, em baixa, o número de mortos na explosão. Segundo os novos números, a explosão no metro de São Petersburgo provocou nove mortos, entre os quais uma criança, e mais de 20 feridos, alguns em estado grave.

15h00 – Apoio às vítimas

O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, ordenou aos serviços de emergência para apoiarem todas as vítimas da explosão.

14h28 – Foi apenas uma explosão

Os serviços de emergência afirmaram à Reuters que houve apenas uma explosão no metro e que aconteceu entre as estações da Praça Sennaya e do Instituto Tecnológico.


14h50 – Apoio às vítimas

O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, ordenou aos serviços de emergência para apoiar todas as vítimas da explosão.

14h09 - Estações fechadas

Autoridades estão a evacuar todas as estações de metro de São Petersburgo.

13h40 - "As causas ainda não são claras"

O Presidente russo afirma que as autoridades estão a encarar todos os cenários na reação aos acontecimentos em São Petersburgo, incluindo uma ação terrorista.


"As causas ainda não são claras, é muito cedo. Olharemos para todas as causas possíveis, terrorismo ou crime comum", afirmou Vladimir Putin, durante um encontro como o Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko.

13h47 - Feridos

O número de feridos ascende a 50, de acordo com a agência Interfax, que cita o Ministério russo das Situações de Emergência.

13h24 - Primeiros dados

As primeiras informações saídas de São Petersburgo apontavam para um número indeterminado de feridos numa única explosão ocorrida esta segunda-feira no metro daquela cidade russa.

Entrentanto, a agência Tass avançou com um "balanço preliminar". Haverá pelo menos dez vítimas mortais. A agência RIA Novosti fala de mais explosões noutras duas estações.


Serão nesta altura oito as estações de metro encerradas em São Petersburgo, segundo a estação televisiva RT.

Ouvida pela agência Reuters, uma testemunha no local disse ter visto várias ambulâncias nas imediações da estação de metro de Sennaya Ploshchad.

A informação mais vista