Rússia recupera os dez corpos e caixas negras do avião de Prigozhin

por Joana Raposo Santos - RTP
O Kremlin já negou ter ordenado o assassinato do líder do grupo Wagner. Marina Lystseva - Reuters

Foram recuperados os corpos dos dez passageiros que morreram na queda do avião de Yevgeny Prigozhin, chefe do grupo Wagner e uma das vítimas mortais. As caixas negras do avião também já foram encontradas pelas autoridades russas.

"Os corpos de dez vítimas foram recuperados no local da queda do avião. Estão em curso testes genéticos moleculares para estabelecer as suas identidades”, anunciaram esta sexta-feira os investigadores russos.

“As caixas negras também foram recuperadas pelos investigadores, que estão a realizar uma examinação detalhada da cena do acidente”, afirmou o comité russo de investigação na plataforma Telegram.

Também esta sexta-feira foi anunciado que o segundo avião que inicialmente se dizia estar associado à Wagner e que aterrou em segurança em Moscovo enquanto o primeiro caiu, não tinha afinal qualquer ligação ao grupo de mercenários.

A informação foi confirmada à agência Reuters pelo CEO da empresa russa que opera os aviões, a Jetica LLC.
Kremlin nega envolvimento na queda do avião
Horas antes, o Kremlin negou ter ordenado o assassinato do líder do grupo Wagner. Dmitry Peskov, porta-voz do presidente russo, apelidou de "mentira absoluta" as insinuações dos líderes ocidentais de que o Kremlin orquestrou a queda do avião que transportava Prigozhin na quarta-feira.

"Atualmente há muita especulação em torno do desastre aéreo e das trágicas mortes dos passageiros, em particular de Yevgeny Prigozhin, e sabemos bem em que direção está a ir essa especulação no Ocidente", acrescentou.

Vários críticos do regime russo foram mortos ou alvo de tentativas de assassinato, mas o Kremlin sempre negou qualquer envolvimento nesses casos.

O aliado mais próximo do Kremlin, o presidente bielorrusso Alexander Lukashenko, apoiou Moscovo ao dizer que "não consegue imaginar" Vladimir Putin a dar a ordem para assassinar o chefe da Wagner.

"Eu conheço Putin", disse Lukashenko, citado pela agência estatal de notícias Belta. "Ele é um homem atencioso, muito calmo" e o acidente foi "uma obra muito brutal e amadora".

c/ agências
pub