Em defesa de palestinianos. Estudantes deixam faculdade no Porto mas afastam desmobilização

por RTP
David Araújo - RTP

Os estudantes que há cinco dias ocupavam instalações da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto deixaram o edifício na manhã desta terça-feira. Em protesto contra a guerra na Faixa de Gaza e pelo corte de relações da instituição de ensino com entidades de Israel, os manifestantes recusam-se a falar em desmobilização e prometem regressar na quarta-feira.

Os alunos encontravam-se desde a passada quinta-feira no Departamento de Ciência e Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Afirmam ter saído de forma pacífica, na sequência da intervenção da Polícia de Segurança Pública.

Em declarações à RTP, os alunos sublinharam que foram colocados “entre a espada e a parede”.
A direção da Faculdade, acusou Pedro Nery, do movimento de protesto, “escolheu mandar a polícia para chantagear e para bater, se fosse preciso, nos seus próprios estudantes”.

“Iremos continuar a lutar. Amanhã estaremos cá para dar continuidade ao que foi feito hoje. Não há desmobilização alguma”, assegurou.Apesar da suspensão do protesto, as aulas na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto estão suspensas.


Os estudantes chegaram a invadir o interior da Faculdade de Ciências do Porto e barricaram-se em algumas salas. A instituição chamou as autoridades, mas os alunos recusaram-se a sair do edifício, argumentando tratar-se de um protesto pacífico.

Os manifestantes exigem que a Universidade do Porto e a Faculdade de Ciências cortem relações com institutos e empresas do Estado hebraico.
pub