Reportagem Furacão Leslie. Alerta vermelho para 13 distritos de Portugal continental

Ventos fortes, mar agitado e chuva compõem o quadro do estado do tempo para as próximas horas. A Proteção Civil alertou as populações na trajetória estimada para o furacão Leslie. Acompanhamos aqui os efeitos da tempestade.

Fazer refresh a esta área
Clique aqui para atualizar

Encerramos aqui o acompanhamento online, ao minuto, da trajetória do furacão Leslie em Portugal continental. A evolução da tempestade continua a ser seguida em permanência na RTP3.

21h51 - Ligação fluvial encerrada

A ligação fluvial entre Trafaria, Porto Brandão e Belém, no Tejo, está encerrada por causa do mau tempo e da forte agitação marítima, confirma a Transtejo Soflusa.

"Esta é a ligação mais próxima do mar" e "quer pelas condições meteorológicas quer por ser feita por navios cuja manobrabilidade é mais complicada, encontra-se encerrada", indicou Margarida Perdigão, responsável da Transtejo Soflusa, em declarações à agência Lusa.

As restantes ligações entre as duas margens do Tejo mantêm-se, por agora, operacionais. A empresa está a acompanhar o evoluir da situação e garante que irá adotar as medidas necessárias para acautelar a segurança dos passageiros.

21h42 - Instituto do Mar e da Atmosfera

Entrevistado no 360, da RTP3, o presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, Jorge Miranda, remete para as 22h30 a possível ocorrência de "fenómenos mais gravosos".


"O percurso é ziguezaguiante, é mais caótico. Por vezes não é possível determinar exatamente a trajetória. Pode acontecer nova mudança. Temos uma frente fria a atingir o norte com chuva e temos esta tempestade pós-tropical do sul. É a soma destes dois fenómenos que faz este tempo", explicou o responsável.

"Peniche pode ser a localidade mais afetada. Os ventos mais fortes não correspondem ao centro da tempestade, mas sim mais para sul. Não estamos a falar de um super-furacão, como vemos na Florida, é uma tempestade de uma dimensão mais pequena. Em duas, três horas os efeitos terão terminado”, rematou.

21h15 - Troço da Marginal reaberto

Foi entretanto reaberta a circulação rodoviária na Avenida Marginal.

21h07 - Corte na Marginal

A Avenida Marginal, entre a Parede e Carcavelos, foi encerrada ao trânsito ao início da noite no sentido Cascais-Lisboa devido à ondulação.

Segundo o oficial de dia do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, citado pela agência Lusa, o encerramento ao trânsito daquele troço da Marginal foi decidido pela Polícia Marítima.

20h54 - Vento forte em Peniche

Os ventos mais fortes já se fazem sentir em Peniche, uma das zonas críticas face à passagem desta tempestade.

Reportagem de Pedro André Esteves.

20h42 - Setúbal com forte agitação marítima

O vento aumentou fortemente a partir das 18h00. A zona ribeirinha de Setúbal sente os efeitos da tempestade e espera-se que a noite seja de condições anormais.

Reportagem de Diana Palma Duarte.

20h39 - Cuidados redobrados na Foz do Douro

A cidade do Porto está atenta aos efeitos da tempestade Leslie. Prevê-se que os ventos mais fortes sejam sentidos durante esta noite. As autoridades portuenses preparam-se para qualquer ocorrência de última hora.

Reportagem de Vânia Pereira Correia na Foz do Douro.

20h35 - Figueira da Foz já sente primeiros sinais do Leslie

Há atenções redobradas face à precipitação, ventos fortes e agitação marítima. Reportagem na Figueira da Foz com a jornalista Carolina Ferreira.


20h17 - Furacão Leslie a chegar à costa

O furacão deverá entrar a norte de Lisboa pouco depois das 21h00, altura em que os ventos serão mais fortes na zona da capital.

Calcula-se que as rajadas atinjam os 190 quilómetros por hora, o que será um recorde em Portugal e fará desta a tempestade mais forte desde 1842.

20h02 - Proteção Civil faz ponto da situação

O comandante Luís Belo Costa, da Autoridade Nacional de Proteção Civil, acentuou as "preocupações acrescidas" com estruturas mais vulneráveis a ventos fortes nas zonas costeiras do país.

O responsável renovou também o apelo para que se evite a circulação rodoviária nas horas tidas como críticas, durante a madrugada.

Relativamente ao cenário de encerramento das pontes sobre o Tejo, o comandante Belo Costa remeteu para as concessionárias.

O responsável da Proteção Civil adiantou que o furacão perdeu intensidade, mas ganhou velocidade na aproximação a terra.

19h55 - EDP em alerta

A EDP Distribuição ativou o estado de alerta em Portugal continental por causa do furacão Leslie. Foram reforçadas as equipas operacionais de prevenção.

O estado de alerta entrou em vigor pelas 18h00, refere a elétrica em nota de imprensa.

19h46 - Pavilhão aberto para sem-abrigo

O pavilhão da Academia da Estrela, em Lisboa, permanecerá aberto para receber pessoas sem-abrigo, adiantou o presidente da Junta de Freguesia.

"Nós estamos neste momento a preparar o pavilhão para receber os sem-abrigo. Parece que o furacão se está a deslocar um bocadinho para norte, sendo que poderá não entrar diretamente por Lisboa, mas, ainda assim, somos capazes de apanhar ventos fortes e chuva forte", explicou Luís Newton.

O pavilhão, indicou o presidente da Junta da Estrela, está pronto a receber até 30 pessoas.

19h36 - Pontes vão fechar

As pontes Vasco da Gama e 25 de Abril, sobre o Rio Tejo, vão ser encerradas ao trânsito nas próximas horas, face à expectativa de agravamento do estado do tempo.

19h34 - Madeira sem estragos

O presidente do Serviço Regional da Proteção Civil da Madeira afirma que a Região Autónoma saiu "incólume" da passagem do furacão Leslie.

"Não tivemos ocorrências de relevo a registar", assinalou José Dias em conferência de imprensa, durante a qual fez "um balanço extremamente positivo" da operação de prevenção ali implementada.

"De alguma forma, é possível dizer que a Madeira e Porto Santo passaram de forma incólume perante esta intempérie", disse o responsável, para acrescentar que o "tempo tende a melhorar de forma significativa ao longo das horas vindouras".

18h53 - Proteção Civil envia SMS

A Autoridade Nacional de Proteção Civil começou a remeter mensagens de telemóvel às populações de zonas consideradas de risco, alertando para a aproximação da tempestade ao território de Portugal continental.

18h44 - Uma onda na Madeira

À passagem pela Madeira, o furacão Leslie não causou estragos de monta. Esta é a fotografia de uma onda captada no Porto Moniz e publicada na página da RTP Madeira no Facebook.



18h32 - Mudança de planos na ModaLisboa

A programação da ModaLisboa planeada para o exterior do Pavilhão Carlos Lopes foi cancelada. Mantém-se, no entanto, o calendário de desfiles, que têm lugar no interior do edifício lisboeta.

"Estamos a precaver a zona exterior do evento, os espaços estão a ser protegidos, para garantir que há segurança", adiantou Joana Jorge, gestora de projeto da ModaLisboa, em declarações recolhidas pela agência Lusa.

18h25 - As recomendações da Autoridade Marítima

A Autoridade Marítima alerta para a agitação do mar nas próximas horas. A passagem do furacão Leslie por Portugal continental pode provocar ondas de seis ou mais metros.


18h06 - Câmara de Lisboa emite recomendações

Em conferência de imprensa, durante a tarde, a partir das instalações da Polícia Municipal, o presidente da Câmara de Lisboa apelava a que as esplanadas fossem recolhidas até às 18h00 e que se evitasse a passagem na zona da frente ribeirinha.

Fernando Medina sublinhou o "quadro bastante incerto relativamente à evolução do furacão" e prometeu uma "atenção muito particular" aos sem-abrigo.

Antena 1

"Todas as unidades de acolhimento temporário vão estar abertas e todas as brigadas de rua vão estar em ação para sensibilizar as pessoas em situação de sem-abrigo para recolherem a esses centros de acolhimento", explicou o autarca, para indicar ainda que as estações de Metro do Saldanha e de Arroios estarão abertas com uma "área dedicada para que as pessoas sem-abrigo possam ter um espaço em segurança".

O furacão ditou alterações na organização das provas de atletismo da maratona e da meia maratona de Lisboa, que, na manhã de domingo, terão as partidas atrasadas em uma hora.

18h00 - Portugal continental no caminho do furacão


O furacão Leslie passou já pela Madeira sem causar danos, tendo entretanto passado a depressão pós-tropical, embora os ventos se apresentem com “intensidades equivalentes a uma tempestade tropical”. A Proteção Civil avisa que o risco de incêndio continua a ser uma realidade, podendo ser potenciado pelo vento forte.


São 13 os distritos de Portugal continental debaixo de aviso vermelho – o nível mais acentuado - do Instituto Português do Mar e da Atmosfera. Setúbal, Lisboa, Santarém, Leiria, Coimbra e Aveiro são os distritos que ficam mais cedo sob aviso vermelho: o aviso de ventos fortes vigora a partir das 21h00 e até às 3h00 de domingo.

Nos demais distritos o aviso vigora a partir das 0h00. Setúbal, Lisboa, Leiria e Coimbra estão também sob aviso vermelho devido a agitação marítima a partir das 22h00 e até às 3h00 de domingo.


A tempestade deverá chegar com ventos acima dos 130 quilómetros por hora, que poderão atingir os 190. Espera-se que comece a atingir a linha costeira entre Sines e Leiria ao final da tarde, com início na área metropolitana de Lisboa.

O INEM mantém ativada desde as 16h00 a denominada Sala de Situação Nacional, tendo em vista acompanhar e articular com as demais entidades os efeitos da passagem do furacão por Portugal.

"Evitar andar na rua"

Em declarações aos jornalistas, o comandante Luís Belo Costa, da Autoridade Nacional de Proteção Civil, reforçou ao início da tarde as recomendações às populações, desde logo “tentar ao máximo evitar andar na rua”, ou circular no trânsito em zonas costeiras.


Tendo em conta o risco de queda de árvores, a Proteção Civil aconselha ainda que se evite deixar carros estacionados em zonas arborizadas. O comandante Belo Costa sublinhou também que “ainda há tempo” de prender estruturas vulneráveis ao vento.

Parte dos meios do dispositivo montado para o período crítico de incêndios florestais foi entretanto deslocado do interior do país, perante a aproximação da tempestade, nomeadamente dois destacamentos da Força Especial de Bombeiros posicionados preventivamente em Almeirim, no distrito de Santarém, e Lourinhã, no distrito de Lisboa.

"Ondulação vaga e desordenada"

Por sua vez, a Autoridade Marítima Nacional emitiu uma recomendação à comunidade piscatória e da náutica de recreio que esteja no mar para “o eventual regresso ao porto de abrigo mais próximo”, além da “adoção de medidas de precaução.A TAP anunciou já o cancelamento de sete voos por causa da previsão de mau tempo. Foram suprimidas ligações entre Lisboa e Porto e com partida de Lisboa para Roma, Veneza, Londres, Paris, Oviedo e Madrid.

É aconselhado, designadamente, o “reforço da amarração e vigilância apertada das embarcações atracadas e fundeadas, bem como evitar passeios junto ao mar”, em particular “os molhes das entradas das barras e zonas nas praias junto à água”.

Aos pescadores lúdicos de pesca à cana aconselha-se “cautela, evitando pescar junto às falésias e zonas de arriba nas frentes costeiras atingidas pela rebentação das ondas, tendo sempre presente que o mar nestas situações extremas alcança muitas vezes zonas aparentemente seguras”.

À população em geral, as autoridades desaconselham passeios junto à costa e em praias e atividades lúdicas em zonas expostas à agitação marítima.

“Caso exista absoluta necessidade de se deslocar até à orla costeira, deverá manter uma atitude vigilante e ter sempre presente que nestas condições o mar pode facilmente alcançar zonas aparentemente seguras”, lê-se no comunicado da Autoridade Marítima.

“A agitação marítima será caracterizada por ondulação e vaga desordenada, com altura significativa”, entre os seis e os dez metros de altura.

Emissão da RTP3

Emissão da Antena 1

A informação mais vista