Rio abre "nova fase" com PS e promete explicações de Elina Fraga

| Política

Rui Rio esteve reunido durante mais de duas horas em São Bento com António Costa
|

À saída da reunião desta terça-feira com o primeiro-ministro, em São Bento, o líder social-democrata falou de “uma nova fase” das relações entre o maior partido da oposição e os socialistas. Quanto a Elina Fraga, nome fortemente contestado durante o último Congresso do PSD, Rui Rio garantiu que a nova vice-presidente laranja estará disponível para prestar esclarecimentos após a primeira reunião da Comissão Política eleita no fim de semana.

No final da audiência com o primeiro-ministro, Rui Rio foi questionado sobre se mantém a confiança em Elina Fraga, depois da Procuradoria-Geral da República ter anunciado que o Ministério Público abriu um inquérito na sequência de uma auditoria às contas da Ordem dos Advogados, que abrange o mandato desta ex-bastonária.

Sobre a polémica que envolve Elina Fraga, Rui Rio reafirmou a confiança na nova vice-presidente do PSD.

“A doutora Elina Fraga ontem esteve disponível para responder mas depois teve um percalço profissional e não teve a disponibilidade total que queria ter. Ainda deu alguns esclarecimentos mas não deu todos os esclarecimentos. A doutora Elina Fraga vai estar hoje totalmente disponível para os senhores fazerem as perguntas todas. Eu vou-lhes pedir uma coisa: façam mesmo todas, não deixem nenhuma pergunta por fazer à doutora Elina Fraga”.

Rui Rio respondeu ainda que teve todas as respostas que pretendia e acrescentou: “os senhores jornalistas é que não tiveram. Eu espero que tenham mais respostas do que eu porque espero que lhe façam mais perguntas do que aquelas que eu fiz”, concluiu sobre esta matéria.


O líder do PSD chegou sozinho a São Bento, apenas acompanhado da assessora de imprensa. Rui Rio falou de "uma nova fase" nas relações com o PS e disse que ainda hoje irá indicar os interlocutores para o diálogo com o Governo nas áreas da descentralização e do futuro quadro comunitário.

“Ainda esta tarde, na reunião da comissão política nacional, vou indicar pessoas para serem interlocutoras em dois dossiês fundamentais, que é o da descentralização, que já está num estado avançado de conversações com a Associação Nacional de Municípios e o do quadro comunitário de apoio, conhecido por Portugal 2030, para chegarmos a uma posição o mais consensual possível perante a União Europeia”, anunciou Rui Rio aos jornalistas.

O presidente do PSD resumiu ainda como foi a conversa com António Costa: "Estivemos os dois a tratar mais do que possa consubstanciar políticas positivas. Não estivemos a carregar tanto no que nos divide mas sim no que de hoje para amanhã pode-se consubstanciar em políticas positivas, porque senão tínhamos estado lá dentro muito mais tempo".
Interesse Nacional deve unir partidos
“Pode-se dizer que estamos numa nova fase da relação entre os dois partidos. Os partidos devem fazer um esforço para procurar o que os possa unir em termos de interesse nacional", referiu.

A justiça e a segurança social foram outros dois temas abordados na reunião com o Primeiro-ministro. Temas que Rui Rio considerou "relevantes, mas não com tanta urgência" e deixou claro:

"Nunca estará em causa, no caso da segurança social, qualquer alteração à situação presente. É tomarmos as medidas, fazermos a reforma relativamente àquilo que vai ser a segurança social daqui a dez, 20, ou 30 anos".

Já em relação à reforma da justiça, Rui Rio disse. “Fizemos um levantamento da situação, mas esta reforma tem de ser feita com ponderação e com o envolvimento da sociedade como um todo (...) nunca se fez uma reforma da justiça a sério".

O presidente do PSD disse aos jornalistas que ficou com a ideia de que haverá “abertura para que se possa fazer estas reformas no médio prazo. Acho que os portugueses podem ter essa aspiração", concluiu"É mais fácil falar com o CDS do que com o BE"
Rui Rio quer convergir em vez de divergir. "Normalmente os partidos andam a carregar nas tintas do que divergem, eu quero introduzir uma cultura diferente. Se pudermos colaborar em prol do país, é isso que devemos fazer".

O presidente do PSD voltou a sublinhar que o diálogo deve ser com “todos os partidos”, e disse que iria pedir também um encontro com Assunção Cristas. "Não se exclui ninguém, mas é naturalmente mais fácil dialogar com o CDS do que com o Bloco de Esquerda”.

Tópicos:

Elina Fraga, Líder, PSD, Primeiro-ministro, Rui Rio, Vice-presidente,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.