Legislativas 2022. Sondagem da Católica aponta para socialistas à frente com 39% dos votos

por RTP
Nuno Patrício - RTP

A nova sondagem da Universidade Católica para a RTP, Antena 1 e Público aponta para uma estimativa de resultado eleitoral de 39% dos socialistas e de 30% para o PSD. Em relação à sondagem realizada na semana passada, há um aumento do PS e uma diminuição dos sociais-democratas nas estimativas de cada partido. A vantagem alarga-se, mas não significaria maioria absoluta para os socialistas. Nas estimativas aqui delineadas, o Chega passa à frente da CDU e surge empatado com o Bloco de Esquerda no terceiro lugar.

À pergunta “se as eleições fossem hoje, em que partido votaria”, os inquiridos neste estudo da Universidade Católica apontam para uma vitória socialista.

De acordo com as estimativas de resultados eleitorais feita pela Católica, o PS conquistaria 39% dos votos. Há uma semana, sexta-feira, a sondagem apontava para uma estimativa de 38%. Um aumento de 1%.

Já o PSD vai em sentido contrário neste estudo. Conseguiria 30% dos votos, enquanto há uma semana tinha uma estimativa de 32% dos votos.
Este inquérito foi realizado entre os dias 6 e 10 de janeiro de 2022. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1246 inquiridos é de 2,8%, com um nível de confiança de 95%.
Já o Bloco de Esquerda conseguiria 6% dos votos, igual ao valor conseguido na sondagem de há uma semana.

O Chega sobe nas estimativas de resultados. Conseguiria agora 6% dos votos, enquanto na semana passada estava nos 5% e fica assim igualado com o Bloco de Esquerda no terceiro lugar.

A CDU desce. A estimativa é a de obter 5% dos votos. Há uma semana, a previsão era de 6%.

O Iniciativa Liberal conseguiria 4%, uma descida em relação à semana passada, quando conseguiria 5%.

PAN atingiria agora o resultado de 3%, quando na anterior sondagem conseguia 2%.

O CDS-PP teria agora 2%, mantendo a estimativa.

O Livre conseguiria 2%, uma subida de 1% em relação à estimativa da semana passada.

São 3% os inquiridos que votariam em outro partido ou branco, ou nulo.

As presentes estimativas baseiam-se numa intenção direta de voto de 29% no PS, 21% no PSD, 5% no BE, 4% no Chega, 3% na CDU, 2% no IL, 2% no PAN, 1% no CDS-PP, 1% no Livre e 3% na categoria “Outros/Branco/nulo).

19 por cento dos inquiridos responde não saber ainda em quem votar. 5% não votava e 5% recusam responder.
Distribuição de deputados
Com base nos resultados desta sondagem, a Católica chegou à seguinte estimativa de distribuição de deputados.

O PS conseguiria entre 104 e 113 deputados. Nas anteriores eleições, o PS conquistou 108 deputados.

O PSD conseguiria entre 81 e 89 deputados. Nas Legislativas de 2019 conseguiu 79 lugares no parlamento.

O Bloco de Esquerda conseguiria entre 8 a 12. Em 2019 tinha eleito 19 deputados.

O Chega elegeria entre 6 a 12 deputados. Em 2019 elegeu apenas um deputado.

A CDU teria entre 4 e 10 deputados. Teve 12 deputados eleitos nas anteriores eleições.

A Iniciativa Liberal conseguiria eleger 3 a 7 deputados. Em 2019, elegeu um deputado.

O PAN teria entre 2 e 4 deputados. Nas Legislativas de 2019 conseguiu 4 lugares na Assembleia da República.

O CDS-PP tanto poderia ficar sem representação parlamentar como obter dois deputados. Em 2019 tinha eleito 5 deputados.

O Livre conseguiria obter um deputado, o mesmo que obteve em 2019.

A Católica ressalva que com base nos resultados desta sondagem não é possível estimar a distribuição dos deputados dos círculos da Europa e de Fora da Europa. Para esta sondagem, assumiu a distribuição atual nestes círculos, de dois deputados para PS e dois para PSD.
Mulheres indecisas e homens mais perto do Chega
Quando questionados sobre qual a frase com que mais se identificavam, 66 por cento dos inquiridos optou pela opção “de certeza que iria votar”. 22% disse que “em princípio ia votar” e 7% “não sabe se iria votar”. Um por cento não tencionaria ir votar e 4% disse que “De certeza que não iria votar”.

“Independentemente das suas preferências, qual é que acha que vai ser o partido mais votado nas próximas eleições legislativas?”. Perante esta pergunta, 69% dos inquiridos consideraram que seria o PS o mais votado. 15% considera que será o PSD. 1,4% respondeu que seria outro e 14% “não sabe ou não responde”.

Fazendo uma análise demográfica aos resultados deste inquérito, podemos ver que as mulheres são as mais indecisas (24%).

O Chega é muito mais forte entre os homens (7%) do que entre as mulheres (2%). O contrário para o PAN, que tem 4% de apoio das mulheres e menos de 1% nos homens.
O PS desce nos segmentos mais escolarizados.

A análise da Católica mostra que os níveis de participação eleitoral são muito diferenciados entre faixas etárias, o que poderá determinar o resultado da eleição, com relevância para a situação pandémica.


Ficha Técnica
Este inquérito foi realizado pelo CESOP– Universidade Católica Portuguesa para a RTP, Antena 1 e Público entre os dias 6 e 10 de janeiro de 2022. O universo alvo é composto pelos eleitores residentes em Portugal. Os inquiridos foram selecionados aleatoriamente a partir duma lista de números de telemóvel, também ela gerada de forma aleatória. Todas as entrevistas foram efetuadas por telefone (CATI). Os inquiridos foram informados do objetivo do estudo e demonstraram vontade de participar. Foram obtidos 1246 inquéritos válidos, sendo 46% dos inquiridos mulheres, 31% da região Norte, 21% do Centro, 34% da A.M. de Lisboa, 6% do Alentejo, 4% do Algarve, 2% da Madeira e 2% dos Açores. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição da população por sexo, região e voto nas legislativas de 2019. A taxa de resposta foi de 37%. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1246 inquiridos é de 2,8%, com um nível de confiança de 95%.

Tópicos
pub