À grande e à francesa. Portugal é campeão da Europa

| Euro 2016

Ronaldo chorou pela lesão em campo mas levantou o troféu de campeão europeu
|

Numa partida emocionante em que a França teve maior posse de bola e Cristiano Ronaldo foi obrigado a sair por lesão, foi só no prolongamento que Éder se livrou da marcação francesa e rematou para o único golo do jogo. Portugal defendeu a sua vantagem com 'unhas e dentes' e contra-atacou com boas doses de veneno. Com CR7 e Fernando Santos no banco a comandarem as operações, Mark Clattenburg apitou para o final da partida e Portugal fez história! Portugal é, pela primeira vez na sua história, campeão europeu. É o primeiro grande título da nossa seleção.

O primeiro lance de perigo veio por intermédio de Nani, que após receber passe longo de Cédric rematou muito por cima da baliza de Hugo Lloris.

Logo a seguir um dos momentos definidores do jogo: Payet fez falta sobre Cristiano Ronaldo e lesionou o internacional português. Uma lesão grave, já que CR7 saiu por duas vezes e ainda entrou para o campo pelo mesmo número de vezes.


Foto: Reuters

Apesar do esforço do capitão, um pique com o esférico provou que Cristiano Ronaldo não estava apto para continuar a jogar e teve, aos 24 minutos, de sair de campo, em lágrimas, para ser substituído por Ricardo Quaresma.

No entanto, ainda antes do infortúnio do capitão, Rui Patrício foi protagonista ao realizar uma defesa de outro mundo, a cabeceamento de Antoine Griezmann. Uma perda de bola portuguesa deu azo a um cruzamento perfeito mas, como noutras alturas, o guardião português salvou a seleção das quinas.

Numa das poucas incursões que conseguiu realizar à frente, Adrien Silva teve a oportunidade de alvejar a baliza dos gauleses mas, mesmo com espaço, o médio português rematou de primeira, falhando o alvo.


Foto: Reuters

A pressão francesa continuou e Sissoko, um dos melhores dos 'Bleus', encontrou espaço na área portuguesa para rematar forte. Para sorte das hostes portuguesas, Rui Patrício, uma vez mais, estava no caminho da bola.

A primeira metade foi pautada por domínio francês mas com uma equipa portuguesa cada vez mais coesa, solidária e unida em campo, mesmo após a contrariedade da lesão de Ronaldo.

Nos segundos 45 minutos, o domínio francês manteve-se, com Portugal sempre com as linhas baixas e a defender da melhor maneira a velocidade de Griezmann, Dimitri Payet e mais tarde, Kingsley Coman.

Paul Pogba conseguiu o primeiro lance de perigo, ao preparar um remate forte fora da grande área portuguesa. A bola saiu com força mas por cima dos postes de Rui Patrício.


Foto: Reuters

Já depois da hora de jogo, um dos maiores calafrios para a defesa portuguesa. Coman encontrou Griezmann na grande área lusa e o goleador francês cabeceou com muito perigo. Para sorte da equipa de Fernando Santos, a bola saiu ao lado, perto dos postes de Rui Patrício.

A demanda francesa contra a defesa portuguesa continuou e Giroud voltou a testar os reflexos de Rui Patrício, mas esta era a noite do guardião português, que mostrou estar à altura e continuou a manter invioláveis as suas redes.


Foto: Reuters

Aos 79 minutos, Portugal também causou calafrios no Stade de France. Num cruzamento/remate, Nani quase bateu Lloris que teve de fazer uma defesa de recurso para não deixar o esférico entrar. Na recarga, Ricardo Quaresma chutou com um pontapé de bicicleta que Lloris voltou a defender.

Com um nulo a decorrer e os 90 minutos muito perto, a França voltou a tentar o golo e os portugueses não se podem queixar do 'triste fado' desta vez. Sissoko, do meio da rua, voltou a fazer Rui Patrício aplicar-se e aos 91', Gignac quase gelou os corações portugueses. Após livrar-se da marcação de Pepe, o avançado francês rematou ao poste.
Um prolongamento para a história
Com mais trinta minutos por disputar, após o nulo nos 90 minutos, foi a Portugal que pertenceram as melhores oportunidades.

Já com Éder em campo, após saída de Renato Sanches no tempo regulamentar, o jogador do Lille aproveitou um pontapé de canto de Ricardo Quaresma para cabecear com perigo. Em aperto, Hugo Lloris defendeu com dificuldades e a defesa francesa limpou o lance.

Três minutos depois, um dos melhores momentos de Portugal. Mark Clattenburg marcou falta por mão de Koscielny à entrada da área francesa e no consequente livre direto, Raphael Guerreiro, em detrimento de Quaresma, rematou com estrondo à trave da baliza francesa. Lloris não tinha hipóteses de defesa.


Foto: Lusa - Miguel A. Lopes

No entanto, o momento do jogo chegaria um minuto depois, quando depois de receber o esférico, Éder livrou-se da marcação apertada da defesa francesa e em posição frontal rematou forte e colocado para o golo da noite.

Grande golo do avançado português que bateu Lloris quando ninguém esperava por tal 'golpe de teatro', no Stade de France.

Golo português, festa dos 30 mil adeptos lusos, e o Europeu cada vez mais perto. Até ao fim dos 120 minutos, Portugal defendeu a vantagem com garra e muita precisão e aproveitou para contra-atacar e tentar o segundo golo. O árbitro apitou para o fim da partida e o impensável aconteceu: Portugal é campeão europeu de seleções!
A figura do jogo
Pelo que deu a Portugal durante todo o Europeu, Rui Patrício. É a figura desta final que tornou a equipa das quinas campeã da Europa. Griezmann, Sissoko, Giroud e Gignac tiveram esta noite um gigante à frente que não se atemorizou e defendeu tudo o que tinha para defender.


Foto: EPA

Destaque uma das melhores defesas deste Euro, quando aos 10 minutos de jogo, uma perda de bola de Pepe levou a cruzamento de Payet e com um cabeceamento com selo de golo de Griezmann, Rui Patrício voou para tirar o golo certo aos franceses.

Um enorme Europeu de Rui Patrício que foi uma das figuras do Portugal campeão europeu!

Tópicos:

Campeão, Campeões, Euro, França, Golo, Prolongamento, Stade de France, UEFA, UEFA Euro 2016, Éder, Portugal,

Pesquise por: Campeão, Campeões, Euro, França, Golo, Prolongamento, Stade de France, UEFA, UEFA Euro 2016, Éder, Portugal,

A informação mais vista

+ Em Foco

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Rosa Luxemburgo, "uma das melhores cabeças do socialismo internacional", foi assassinada há 100 anos.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.