Os 23 convocados de Portugal para o Mundial 2018

Fernando Santos anunciou esta quinta-feira os 23 nomes que vão fazer parte do grupo que vai estar presente no Mundial da Rússia. O selecionador nacional vai deixar de fora Nani e Éder e vai levar na sua comitiva jogadores como Ricardo Pereira, Rúben Dias e Manuel Fernandes.

Fernando Santos já escolheu os 23 que vão estar na Rússia
EPA
| Desporto

 

GUARDA-REDES 
Rui Patrício (Sporting CP)



É o dono da baliza. Um dos grandes esteios da conquista portuguesa no Euro2016, Rui Patrício é chamado pela segunda vez para jogar um Mundial. O guarda-redes do Sporting leva 68 internacionalizações e já venceu um título de campeão europeu. Esta temporada, Patrício participou em 55 jogos (ainda falta jogar a Taça de Portugal) e não sofreu golos em 23 partidas, num total de mais 5000 minutos de jogo.

Anthony Lopes (O. Lyon)



Com 27 anos, Anthony Lopes merece a primeira chamada a um Campeonato do Mundo. Suplente de Rui Patrício com a camisola das quinas, o guardião português é o dono da baliza do Olympique de Lyon há vários anos. Esta temporada disputou perto de 50 jogos com o clube gaulês e esteve 18 partidas sem sofrer golos, num total de 4300 minutos.

Beto (Goztepe)



Aos 36 anos, Beto consegue a terceira chamada a um Mundial, depois de ter sido escolhido para estar nos convocados do Mundial da África do Sul (2010) e do Brasil (2014). O guarda-redes do Goztepe leva 13 internacionalizações com a camisola de Portugal e esta época defendeu a baliza da equipa turca por 29 vezes e não sofreu golos em nove partidas.
DEFESAS

Pepe (Besiktas)



Dono indiscutível do eixo central da defesa portuguesa, Pepe participa no terceiro Mundial da sua carreira. Aos 35 anos, o defesa mudou-se para a Turquia, para o Besiktas, e fez 35 jogos na época de estreia. Pepe marcou dois golos e fez uma assistência em mais de 3000 minutos de jogo. O defesa já tem 92 jogos por Portugal e conta cinco golos com a camisola das quinas.

Bruno Alves (Rangers FC)



Um das pedras fulcrais de Fernando Santos na Seleção, Bruno Alves continua a ser chamado com regularidade aos 36 anos. Com 95 internacionalizações e 11 golos, o defesa encontra-se no Rangers FC, da Escócia, clube que representou por 25 vezes esta temporada. Marcou dois golos e fez uma assistência.

José Fonte (Dalian Yifang)



Mais uma das caras que mereceu a estreia na Seleção Nacional pela mão de Fernando Santos. Juntamente com Pepe, José Fonte tem sido um dos principais defesas centrais da equipa das quinas. Aos 34 anos mudou-se de Inglaterra para a China, para jogar na Superliga Chinesa. Devido a uma lesão grave, chega ao Mundial sem muitos jogos nas pernas. São 15, oito na Premier League e sete na China. Já conta com 28 internacionalizações.

Rúben Dias (SL Benfica)



Uma das surpresas da convocatória de Portugal. Rúben Dias fixou-se na defesa do Benfica esta temporada e mereceu a chamada por parte de Fernando Santos. O defesa de 21 anos ainda não tem qualquer internacionalização pela Seleção A mas teve passagens regulares nas equipas mais jovens da seleção. Pelo Benfica esta época, Rúben Dias fez 30 jogos e marcou quatro golos.

Raphael Guerreiro (Borussia de Dortmund)



Apesar de sofrer várias lesões, Raphael Guerreiro é uma das escolhas de Fernando Santos para estar no Mundial. Depois do sucesso em 2016, no Europeu, ao fazer o corredor esquerdo da equipa das quinas, o lateral vai participar no seu primeiro Campeonato do Mundo. No Borussia de Dortmund, o português fez 15 jogos, marcando dois golos e fazendo uma assistência. Guerreiro conta com 21 internacionalizações e tem dois golos.

Mário Rui (Nápoles)



Mário Rui fez a estreia na Seleção portuguesa há pouco tempo. Frente ao amigável com a Holanda, que terminou com uma derrota por 3-0. Aos 26 anos tem a primeira oportunidade para participar numa grande competição por Portugal. No Nápoles, o jogador fez 29 jogos, marcou dois golos e fez quatro assistências.

Cédric Soares (Southampton)



Cédric estreou-se na equipa principal de Portugal pela mão de Fernando Santos. O jogador do Southampton já tem 26 jogos por Portugal, tendo sido campeão europeu em 2016. O lateral direito participou em 36 partidas esta temporada pelo Southampton, tendo ajudado a equipa a manter-se na Premier League. Cédric marcou um golo e fez três assistências em mais de 3000 minutos jogados.

Ricardo Pereira (FC Porto)



Uma das surpresas da convocatória de Fernando Santos. Ricardo Pereira foi um dos principais esteios do lado direito da equipa do FC Porto de Sérgio Conceição que se sagrou campeã nacional. Internacional por três vezes na equipa A de Portugal, Ricardo Pereira fez 43 jogos, divididos por quatro competições. Marcou dois golos e fez sete assistências em mais de 3500 minutos jogados.
MÉDIOS

Adrien Silva (Leicester City)



Depois de uma época conturbada, Adrien Silva mereceu a confiança de Fernando Santos. Um problema na transferência do Sporting para o Leicester City (atraso de 14 segundos) fez com que o médio não jogasse a primeira metade da temporada. Com estreia no clube inglês em janeiro, Adrien fez 22 jogos divididos por Portugal (participou nos primeiros três jogos da Liga Portuguesa) e Inglaterra. Marcou um golo (pelo Sporting) e fez duas assistências já no Leicester City. Adrien Silva tem 21 internacionalizações por Portugal, é campeão europeu e participou no último ano na Taça das Confederações. Tem um golo.

João Moutinho (AS Monaco)



Um dos habituais da Seleção Portuguesa. João Moutinho vai participar no segundo Mundial da sua carreira, contando já com 107 internacionalizações e sete golos. Pelo AS Monaco, o médio de 31 anos fez mais de 40 jogos, nos quais marcou um golo e fez sete assistências.

William Carvalho (Sporting CP)



Chamada frequente de Fernando Santos, William Carvalho é convocado para o Mundial pela segunda vez. O médio do Sporting teve uma época regular nos Leões com 37 jogos, um golo e duas assistências. William Carvalho é um dos jogadores mais internacionais por Portugal com 40 jogos e dois golos no pecúlio.


João Mário (West Ham United)



Depois de se sagrar campeão europeu em 2016, João Mário continua a fazer parte das contas de Fernando Santos. O médio de 25 anos, que leva 33 internacionalizações e um golo, teve uma temporada dividida por dois clubes e duas ligas. Na primeira metade da época, o médio jogou pelo Inter de Milão, onde conseguiu cinco assistências em 16 jogos. Pelo West Ham (emprestado), João Mário disputou 13 partidas e marcou dois golos.

Bruno Fernandes (Sporting CP)



A grande revelação do campeonato português vai estar presente no grupo de Portugal que vai estar no Mundial. É a primeira grande competição do médio leonino com a camisola de Portugal depois de um campeonato de excelência pelo Sporting. Foram 55 jogos, 16 golos e 20 assistências. Com três internacionalizações no pecúlio, Bruno Fernandes vai continuar a carreira internacional, depois de muito tempo a envergar a braçadeira de capitão nos sub-21.

Manuel Fernandes (Lokomotiv Moscovo)



Campeão na Rússia pelo Lokomotiv, Manuel Fernandes consegue a primeira chamada para um Mundial. O médio de 32 anos fez uma boa época na Rússia, marcando 14 golos e fazendo seis assistências em 41 jogos. Depois de algum tempo fora das escolhas dos selecionadores, Manuel Fernandes regressa à seleção, pela qual leva 12 jogos e três golos marcados.
AVANÇADOS

André Silva (AC Milan)



Teve uma época de estreia atribulada no AC Milan mas compensou ao ser um dos melhores marcadores da fase de apuramento para o Mundial, com nove golos. André Silva esteve longe de corresponder às expectativas em Milão mas merece a confiança de Fernando Santos. Por Itália, o avançado de 22 anos disputou 39 jogos, nos quais marcou dez golos e fez duas assistências. Por Portugal, Andre Silva já conta com 20 internacionalizações e conta com 11 golos marcados.

Cristiano Ronaldo (Real Madrid)



Principal estrela e capitão da Seleção Portuguesa. Cristiano Ronaldo vem de uma época no Real Madrid com menor fulgor goleador tendo, ainda, como objetivo conquistar mais uma Liga dos Campeões pelos Merengues. Apesar da menor utilização, o astro português, de 33 anos, leva 43 golos em 42 jogos, aos quais acrescenta oito assistências. É o jogador com mais internacionalizações de sempre por Portugal e o máximo goleador do país: são 149 internacionalizações e 81 marcados. Vai marcar presença em mundiais pela quarta vez, depois de ter feito parte da equipa portuguesa em 2006, 2010 e 2014.

Bernardo Silva (Manchester City)



Campeão pelo Manchester City, Bernardo Silva tornou-se numa das peças principais peças do núcleo duro de Fernando Santos. O jogador de 23 anos participou em 53 partidas esta época, tendo marcado nove golos e realizado 11 assistências. Pela Seleção Nacional, o extremo leva 22 internacionalizações e dois marcados e carimba a sua presença, pela primeira vez, numa grande competição pela equipa A de Portugal.

Gelson Martins (Sporting CP)



O menino irrequieto do Sporting mereceu a confiança de Fernando Santos para estar no Mundial 2018. Gelson Martins foi uma das grandes figuras da equipa leonina no campeonato durante toda a temporada, depois de disputar 51 jogos, marcar 13 golos e fazer outras tantas assistências. O extremo venceu a Taça da Liga e ainda pode juntar uma Taça de Portugal. Já leva 16 internacionalizações por com a camisola das quinas.

Ricardo Quaresma (Besiktas)



Considerado o grande mágico da Seleção, Ricardo Quaresma vai ter a primeira participação num Mundial com a camisola de Portugal aos 34 anos. O Mustang realizou 38 partidas pelo Besiktas, da Turquia, tendo feito 12 assistências às quais juntou cinco golos. São 79 internacionalizações com a camisola das quinas e nove golos marcados.

Gonçalo Guedes (Valencia)



Depois de uma grande época em Espanha, onde se perfilou com uma das revelações de La Liga, Gonçalo Guedes faz parte dos 23 convocados da equipa portuguesa para o Mundial. Em Espanha, o avançado realizou 39 jogos, marcando cinco golos e realizando 11 assistências. Já é internacional por Portugal, com sete jogos e um golo no pecúlio.

Créditos fotografias: Lusa; Reuters; FPF

A informação mais vista

+ Em Foco

A 15 de outubro de 2017, uma vaga de incêndios fez 50 mortos e dezenas de feridos. Reunimos aqui um conjunto de reportagens elaboradas um ano depois da catástrofe.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

        O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.