Volta. Joaquim Gomes admite "circunstâncias nefastas"

por RTP

Foto: Nuno Veiga-Lusa

Começa esta quinta-feira, em Lisboa, mais uma edição da Volta a Portugal em bicicleta, desta vez ensombrada pela polémica do "doping". O diretor da prova, Joaquim Gomes, reconheceu, em declarações à RTP, que esta edição começa sob "circunstâncias nefastas", mas quis mostrar-se confiante numa recuperação "na íntegra da credibilidade".

A equipa W52- FC Porto e vários corredores de outras equipas não participam na prova por causa das suspeitas de doping.

"Há um conjunto de circunstâncias nefastas que antecedem o início desta edição 83 da Volta a Portugal que, de facto, não criam o ambiente que em particular o promotor gostaria. Mas, falando pessoalmente e até pela resiliência que fui adquirindo ao longo de muitos anos da própria prática desta nobre modalidade, acredito que a partir das três da tarde, aproximadamente, com a saída do primeiro corredor para este contrarrelógio de 5,4 quilómetros, daremos o pontapé de saída para uma Volta, reconhecemos, feita num momento muito delicado", afirmou Joaquim Gomes.

"Espero, no dia 15 de agosto, segunda-feira feridado, com o contrarrelógio que vai ligar o Porto a Vila Nova de Gaia, possamos recuperar na íntegra a credibilidade e a notoriedade deste evento quase centenário", acrescentou o responsável.
pub