FC Porto aprova estatutos adequados ao presente

por RTP
O FC Porto aprovou estatutos adequados ao tempo presente FCP

Os novos estatutos do FC Porto foram aprovados na 5ª feira à noite em Assembleia-Geral Extraordinária.

A votação reuniu unanimidade na generalidade e nenhum voto contra na especialidade.

O presidente portista, Pinto da Costa, perante cerca de 200 sócios que estiveram no Estádio do Dragão, salientou a importância deste passo.

"Desejo que o FC Porto continue com sucesso, porque com estes estatutos estamos a dar um passo para a modernidade", disse o dirigente no final da reunião magna.

O presidente da Mesa da Assembleia-Geral, Miguel Ângelo Bismarck, salientou também a importância do momento: "Entendíamos que os anteriores estatutos estavam ultrapassados e agradeço aos doutores António Madureira e Lúcio Barbosa pelo extraordinário trabalho de adaptação aos tempos modernos e adequação à legislação existente, com um portismo e amor ao clube que muito me agradou. Aprovámos os nossos estatutos e vamos ser muito melhores na prática. A aprovação, embora venha atrasada, é fundamental e demonstra que continuamos a ser portistas cheios de força, em direção à vitória."

Na especialidade, todos os sete capítulos foram aprovados com uma abstenção, à excepção do capítulo II, com duas abstenções. Ficaram definidas algumas alterações de pormenor, como a explicitação, no que toca aos equipamentos, de que as cores serão o "azul e branco às listas verticais", de forma a tornar menos omisso o termo "cores tradicionais".

Foram aprovadas, entre outras alterações aos anteriores estatutos, a mudança de um para cinco anos de filiação mínima para um candidato aos órgãos sociais e, quem quiser ser presidente, terá de ser sócio há dez anos, de forma ininterrupta.

A duração de um mandato presidencial passa de três para quatro anos.

Jorge Nuno Pinto da Costa anunciou ainda que, a 23 de abril, o auditório do Museu FC Porto by BMG será batizado de Auditório Fernando Sardoeira Pinto, precisamente no dia em que se completam 33 anos sobre a sua eleição para presidente da Mesa da Assembleia-Geral.

pub