Em França, Hamilton #44, dá 44ª vitória à Mercedes na F1.

| Fórmula1

|


Lewis Hamilton triunfou no GP de França, recuperando também o comando do mundial de Fórmula 1, dominando por completo a corrida que começou na pole position.

O campeão do mundo apenas prescindiu da liderança por momentos, quando foi à boxe para o seu pitstop, altura em que Kimi Raikkonen assumiu a frente de corrida. Mas ao longo das 53 voltas deu para tudo, desde forçar andamento para abrir quase 10 segundos da concorrência até abrandar ritmo em velocidade de cruzeiro para proteger motor.

VALDRIN XHEMAJ

É que mais atrás desde a 1ª volta a sua vida ficou muito facilitada. Na discussão da 2ª posição logo na 1ª curva do circuito, o seu rival ao título Sebastian Vettel bateu no Mercedes de Valtteri Bottas e os seus dois mais diretos adversários à vitória ficavam atrasados.

Click na imagem para ver o incidente


Vettel partiu a asa dianteira, Bottas ficou com o pneu furado. Ambos se viram na cauda do pelotão a rodar atrás do Safety Car que aí entrou, até porque outro incidente começado por Romain Grosjean, francês...que atirou com os outros compatriotas para fora de corrida ali mesmo. Esteban Ocon (Force India) e Pierre Gasly (Toro Rosso).


Com o domingo perdido, Vettel e Bottas recomeçaram a corrida de trás para a frente, recuperarando posições e fazer limitação de danos na classificação do campeonato.

Vettel recebeu penalização de 5 segundos de um Stop & Go quando fizesse uma nova paragem na boxe para mudança de pneus. Uma penalização "demasiado branda" na opinião da Mercedes. Isto porque no final do dia, a Ferrari acabou com mais pontos que a Mercedes por equipas para o Mundial.

Na 10ª volta já tinha subido a 11º, na 15ª volta era já 8º colocado e na 20ª volta estava na 5ª posição. Foi ainda ao 4º lugar mas uma segunda paragem onde cumpriu a penalização, baixou-o ao 5º posto final protegendo sempre posição no final da corrida.

Hamilton assumiu o comando do campeonato agora com 14 pontos de vantagem naquela que é o primeiro assalto de três consecutivos no campeonato (teremos o GP da Áustria já no próximo fim de semana e o GP de Inglaterra logo no fim-de-semana seguinte).

VALDRIN XHEMAJ

Atrás do campeão do mundo, Verstappen foi um justíssimo 2º colocado. Numa corrida muito consistente, herdou o 2º posto depois do incidente na 1ª volta, teve algumas vibrações depois do seu pitstop, mas levou o carro até final sem cometer erros como os deste ano. Um dia bom para Max Verstappen para variar.

Como gostou de frisar no final na conferência de imprensa, desta vez apesar de ser ele o novato, os erros e exageros não foram dele e que a imprensa deve ser tão duro com outros (Vettel sem dizer o nome), como foram com ele. Verstappen acha que não se deve criticar Vettel mas se o criticaram a si, agora a imprensa tem de ser coerente.

YOAN VALAT

A Ferrari colocou Raikkonen no pódio, numa corrida também consistente do veterano finlandês. Herdou também as dificuldades no final do australiano Daniel Ricciardo no segundo Red Bull que parecia em condições de ser 2º no final, mas um pedaço da asa dianteira do RB14 partiu e a competitividade foi-se. Raikkonen passou já quase no final.

Atrás de Ricciardo e Vettel, que terminaram 4º e 5º no final, o Haas de Kevin Magnussen, em sexto, ainda na frente de Valtteri Bottas, que não conseguiu progredir tanto quanto Vettel, fruto dos danos no seu Mercedes no embate que sofreu. O equilíbrio e apoio do carro não mais foram iguais.

Carlos Sainz (com problemas de motor nas últimas voltas) e Nico Hulkenberg, levaramos os Renault aos pontos, no regresso do GP de França a casa, 10 anos depois. 


Charles Leclerc, depois de uma corrida forte com a Sauber, voltou a terminar nos pontos.

Depois da pior qualificação do ano, a McLaren teve uma péssima corrida. Vandoorne foi 12º, Fernando Alonso com um pit stop nas últimas voltas conseguiu cair para último lugar,  na tentativa de fazer pelo menos a melhor volta de corrida. Mas para piorar a corrida acabou com um SafetyCar virtual após o penu do Williams de Stroll explodir e Alonso não pode sequer tentar essa volta mais rápida de corrida. Alonso último na F1 em França, depois de ser primeiro há uma semana nas 24h de Le Mans.


No mundial, Hamilton voltou ao comando com 145 pontos agora. Vettel tem 131, Ricciardo 96, Bottas 92, Raikkonen 83, Verstappen 68. Nos construtores a Mercedes tem 237 pontos, Ferrari faz 214, RedBull 164, Renault 62, McLaren 40.

O GP da Áustria é já na próxima semana



A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.