Cristiano Ronaldo "pisca o olho" a quinta Bola de Ouro

| Futebol Internacional

Esta quarta-feira Cristiano Ronaldo marcou um golo ao Dortmund e tornou-se o primeiro a marcar nos seis jogos da fase de grupos da "Champions"
|

Cristiano Ronaldo é o principal candidato a receber esta quinta-feira a Bola de Ouro de 2017, prémio para o melhor futebolista do ano, que poderá ser arrecadado pelo português pela quinta vez, a quarta nos últimos cinco anos.

O anúncio oficial do vencedor do prémio da revista francesa France Football é feito esta quinta-feira, e Cristiano Ronaldo, que conquistou em 2017 a Liga dos Campeões, a Liga espanhola, a Supertaça europeia e a Supertaça espanhola pelo Real Madrid, deverá igualar os cinco troféus do argentino Lionel Messi (2009, 2010, 2011, 2012 e 2015).

O capitão da seleção lusa, eleito recentemente o "The Best" da FIFA e também o melhor da UEFA, para a época 2016/17, já ganhou a Bola de Ouro em 2008, 2013, 2014 e 2016, das quais as três últimas atribuídas em conjunto pela France Football e a FIFA.

A revista gaulesa fará o anuncio oficial do vencedor da 62ª edição do galardão pelas 18h45 em Lisboa, numa cerimónia no canal L'Equipe, que terá como anfitrião o ex-internacional francês David Ginola.

A partir das 15h00 em Lisboa, a France Football começará a revelar a classificação dos 30 finalistas, que, além de Cristiano Ronaldo, não inclui mais nenhum jogador português.

O jogador do Real Madrid, clube que anuncia há vários dias uma emissão especial sobre o evento, não foi o único português a vencer o prémio, também já conquistado por Eusébio (1965) e Figo (2000).

Futre, em 1987, e o luso-brasileiro Deco, em 2004, ficaram no segundo lugar, respetivamente atrás do holandês Ruud Gullit e do ucraniano Andrei Shevchenko.

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

      Em abril, uma cimeira histórica entre Coreias reaproximou dois países de costas voltadas há mais de 60 anos. O que esperar do futuro?

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.