Higuaín pensou retirar-se do futebol em 2016 por causa da doença da mãe

| Futebol Internacional

Legenda da Imagem
|

O atacante argentino Gonzalo Higuaín, da Juventus, pensou retirar-se do futebol em 2016, quando a sua mãe esteve gravemente doente, confidenciou o jogador em entrevista ao canal de televisão TyC Sports.

"Eu estava muito mal nessa altura, mas a minha mãe acabou por se curar e, graças a Deus, ela está bem hoje em dia. Quando me apercebi da gravidade da sua doença, depois da final da Copa América nos Estados Unidos, eu estava a ponto de parar de jogar, mas ela pediu-me que continuasse", contou o internacional argentino, para quem a vida "não é cem por cento futebol"

Higuaín, de 30 anos, que regressou esta semana à seleção argentina depois de nove meses de ausência, jogava à altura no Nápoles e estava sob fogo intenso da crítica, depois de três finais perdidas em dois anos ao serviço da seleção argentina, o Mundial2014, e a Copa América de 2015 e 2016.

"Graças à minha família sou hoje uma pessoa mais forte, depois de passar por momentos tão difíceis, quando estive na seleção", disse Higuaín, que irá defrontar na sexta-feira a Itália ao serviço da Argentina, em jogo particular de preparação para o Mundial2018.

O internacional argentino confessou estar a atravessar uma boa fase e feliz por ter voltado à seleção e pela confiança do selecionador, o chileno Jorge Sampaoli.

Quando ao Mundial da Rússia, Higuaín, que soma 31 golos em 69 internacionalizações, não esteve com meias palavras: "O objetivo é ganhá-lo! Se as pessoas na Argentina esperam que ganhemos o Mundial é porque pusemos a fasquia alta".

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.