Leonardo Jardim deixa comando técnico do Mónaco

| Futebol Internacional

Leonardo Jardim já não é o treinador do Mónaco
|

O treinador português Leonardo Jardim deixou o comando técnico do Mónaco após mais de quatro temporadas no cargo, anunciou o clube da liga francesa de futebol, em comunicado.

No comando dos monegascos, Leonardo Jardim conquistou uma liga francesa, em 2016/17, época em que também conduziu o clube às meias-finais da Liga dos Campeões.

Após levar o Mónaco ao pódio da liga francesa durante quatro temporadas consecutivas, o português não resistiu aos maus resultados do início desta época, no qual venceu apenas um dos 12 encontros oficiais disputados, ocupando o 18.º e antepenúltimo lugar do campeonato.

"Estou grato e orgulhoso por ter treinado o Mónaco durante mais de quatro anos. Dei todos os dias o máximo de mim e trabalhei com paixão. Conseguimos grandes vitórias e vou guardar essas recordações para sempre", referiu Leonardo Jardim.

O vice-presidente do clube Vadim Vasilyev manifestou "profundo respeito" pelo trabalho de Leonardo Jardim, que se impôs "como uma referência na Europa e sai com um balanço extremamente positivo".

"A sua passagem vai ficar como uma das mais belas páginas da história do clube. Leonardo fará sempre parte da família do Mónaco", disse o dirigente.

Antes de chegar ao clube do Principado, Leonardo Jardim, de 44 anos, tinha treinado, entre outros, o Sporting de Braga, o Olympiacos, da Grécia, e o Sporting.

A informação mais vista

+ Em Foco

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

    Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

      O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.

        Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.