Nós Lá Fora

| Futebol Internacional
Nós Lá Fora

Foto: DR

André Simões está há quatro anos na Grécia, ao serviço do AEK.

Na primeira época venceu a Taça, a temporada passada sagrou-se campeão quebrando a hegemonia do Olympiakos.

O AEK qualificou-se para a fase de grupos da Liga dos Campeões e está integrado no grupo do Benfica, onde também estão o Bayern de Munique e o Ajax.

A bola sempre acompanhou André Simões, primeiro junto ao café dos Pais, depois na formação do Futebol Clube do Porto para onde foi quando a Mãe viu um anúncio no jornal da realização de treinos de captação e foi logo convidado a ficar.

Depois fez o habitual percurso da formação do Futebol Clube do Porto, passou pelo Padroense, o clube que permite aos portistas apresentarem duas equipas nos campeonatos nacionais, uma do primeiro ano do escalão, a outra com a idade máxima permitida.
Na idade de juvenil foi para o Leixões, três anos na formação e o primeiro contrato como profissional quando chegou aos seniores.

Aceitou ser emprestado para jogar mais, mesmo que a opção fosse da terceira divisão, e regressou ao Padroense, subiu de divisão e na terceira época esteve quase a garantir outra promoção.

O próximo desafio foram duas temporadas no Santa Clara na II Liga. Jogou na I Liga ao serviço do Moreirense, estava para renovar o contrato mas surgiram convites da Espanha, Grécia e Polónia.

Escolheu o AEK de Atenas, chegou em plena crise grega, outro português que estava no clube, Hélder Barbosa ajudou-o na adaptação a um país muito parecido nas gentes, comida e clima a Portugal.

O AEK também vinha de uma crise financeira, tinha subido nesse ano da segunda divisão mas no ano de estreia, André Simões festejou a conquista da Taça.

Este ano festejou o título. Na nova temporada entrada em grande, o AEK qualificou-se para a fase de grupos da liga dos campeões e vai defrontar o Bayern de Munique, Benfica e Ajax.
O futuro deverá passar pela renovação com o AEK.

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    Em entrevista exclusiva à RTP, Flávio, um dos filhos de Jair Bolsonaro, afirmou que o candidato do PT Fernando Haddad devia juntar-se a Lula da Silva.

    Na Venezuela, a falta de medicamentos está a fazer desesperar a população. A reportagem é dos enviados à Venezuela Sérgio Ramos e Pedro Sá Guerra.

    Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.