Ryan Mason, ex-jogador de Marco Silva, abandona futebol após fratura craniana

| Futebol Internacional

O futebolista internacional inglês Ryan Mason, que sofreu um grave traumatismo craniano em janeiro do último ano, num choque com Gary Cahill e que o obrigou a uma intervenção cirúrgica, anunciou o final de carreira.

"Trabalhei incansavelmente para regressar. Infelizmente, seguindo o conselho de médicos especialistas, não tenho outra opção que não seja a de me retirar, devido aos riscos inerentes ao tipo de lesão", escreveu o jogador na sua conta no Instagram.

Ryan Mason, de 26 anos, sofreu um traumatismo em janeiro de 2017, num choque com o defesa do Chelsea Gary Cahill, quando representava o Hull, que era treinado por Marco Silva, e teve que ser operado ao crânio.

O jogador esteve em risco de vida, ao ponto de ter que receber oxigénio no relvado e ser operado a uma fratura no crânio, e atravessou desde então um longo período de recuperação.

Hoje, também o Hull City assinalou a despedida do jogador, explicando que Ryan Mason procurou informação junto de renomados especialistas nas áreas da neurologia e neurocirurgia, que o aconselharam a parar.

"É com grande pesar que o clube anuncia que, na sequência da lesão sofrida na cabeça em 22 de janeiro de 2017, que Ryan Mason deixa o futebol, com efeitos imediatos", diz a nota do Hull City.

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, o candidato derrotado nas diretas do PSD diz que o partido deve serenar após o Congresso e admite que vai ser “muito difícil ganhar eleições" no quadro atual.

Nicolás Maduro quer alargar poderes e, para tal, leva a cabo eleições antecipadas. É um "golpe constitucional", na leitura de Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.