António Fiúsa elogia FPF e critica silêncio da Liga sobre reintegração do Gil Vicente

| Futebol Nacional

Legenda da Imagem
|

O antigo presidente do Gil Vicente António Fiúsa congratulou-se esta quinta-feira com o comunicado da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que exige a reintegração do clube de Barcelos na I liga portuguesa na próxima época.

"A FPF esteve muito bem ao fazer este comunicado para clarificar isto tudo. Já há dois anos que o Gil Vicente era para ter subido, mas manobras de bastidores e tráfico de influências de alguns clubes que nunca querem descer, fizeram com que fosse retirado esse ponto na ordem de trabalhos numa assembleia-geral da Liga", disse à Lusa o antigo dirigente.

Em comunicado, a FPF disse não aceitar que "as expectativas criadas em todas as entidades e agentes desportivos, por via das alterações regulamentares e deliberações tomadas no seio da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), sejam frustradas neste momento, com impactos negativos em todas as competições seniores nacionais".

O órgão federativo garante que "os factos mais recentes vindos a público, quase três anos após a primeira decisão", em nada alteram a sua posição e assegura que não terá "uma atitude passiva" na matéria.

"Lá porque alguns clubes construíram mal os seus plantéis, não tiveram competência para contratar jogadores de qualidade, quererem usar o Gil Vicente como boia de salvação, é próprio de gente que não tem caráter", acusou Fiúsa, presidente dos gilistas em 2006, quando a equipa foi despromovida à II Liga, por alegada irregularidade na utilização de Mateus, avançado angolano, atualmente no Boavista.

O Gil Vicente viu a LPFP anunciar a sua reintegração na I Liga a 12 de dezembro de 2017, na sequência de uma decisão do Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa, em 2016, que declarou nula a decisão de descida do Gil Vicente tomada pelo Conselho de Justiça da FPF, em agosto de 2006.

"Conheço bem o futebol português, há muito compadrio e tráfico de influências, fico sempre com algumas dúvidas, mas depois deste comunicado da FPF, fico mais descansado", assinalou.

António Fiúsa defendeu ainda que a LPFP devia também ter participado neste comunicado e deixou duras críticas ao seu presidente.

"O senhor Pedro Proença é um jogador e como estamos em ano de eleições está a jogar em vários tabuleiros, mas tem que haver justiça, todos os tribunais deram razão ao Gil Vicente. Já prejudicaram de mais o ‘Gil'. Basta! Se for preciso arranjar 40 ou 50 autocarros para ir à Liga mostrar que estão enganados, eu arranjo, usarei todas as minhas forças para ajudar o Gil Vicente a regressar à I Liga", disse.

Atualmente, o Gil Vicente disputa a Série A do Campeonato de Portugal - terceiro escalão -, sem que os seus jogos contem para a classificação, por determinação federativa.

Recentemente, vários clubes do principal escalão admitiram recorrer à justiça para impugnar o campeonato, alegando que a decisão judicial de 2016 não obriga à reintegração do clube de Barcelos.

Tópicos:

FPF, I Liga, Gil Vicente,

Pesquise por: FPF, I Liga, Gil Vicente,

A informação mais vista

+ Em Foco

Meio século depois, o Parlamento soviético dos finais da Guerra Fria repudiou o Pacto. Decorridos mais 30 anos, Putin quer reabilitá-lo.

    A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.