Câmara de Braga admite que estádio 1º de Maio está em "estado de degradação"

| Futebol Nacional

O presidente da câmara de Braga admitiu hoje que o Estádio 1º de Maio está num "estado de degradação muito considerável" e apelou ao Governo que "viabiliza a canalização" de fundos comunitários para a reabilitação daquele monumento nacional.

"O estádio está num estado de degradação muito considerável, há zonas que já foram interditas porque verificou-se que havia riscos de ruína de infraestruturas e isso é absolutamente lamentável porque estamos a falar de um monumento nacional", afirmou hoje Ricardo Rio, no final da reunião executivo municipal.

O autarca, que na questão da necessidade de intervenção do Estádio 1º de Maio conta com o apoio da CDU, adiantou que está a ser elaborado um projeto "em articulação com a Universidade do Minho" para "tentar intervir" naquela infraestrutura, mas que há constrangimentos.

"Estamos a falar de um investimento que vai representar não algumas centenas mas alguns milhões de euros por parte da câmara municipal. Naturalmente que não iremos executá-lo de imediato, não temos recursos para isso", referiu.

Questionado sobre se o Governo devia tomar parte naquele investimento, Ricardo Rio referiu que "seria importante que, no mínimo, no quadro dos fundos comunitários dirigidos à valorização do património houvesse enquadramento para um investimento de reabilitação desta natureza".

"Não estou a exigir ao Estado que faça investimentos numa propriedade municipal mas pelo menos que viabiliza a canalização de fundos comunitários para esse fim", esclareceu.

No mesmo sentido, o vereador da CDU, Carlos Almeida, apontou a necessidade de intervir no estádio municipal: "Já passou da hora. A hora dessa requalificação foi antes de 2004 (altura em que foi construído o "estádio da pedreira", para o Campeonato Europeu de Futebol)".

Segundo a CDU, o valor investido no novo estádio dava para a recuperação do 1º de Maio e até mesmo para a construção do estádio da pedreira, mas que esta nova infraestrutura deixou de lado aquele que é um monumento nacional.

"Não se pode ser conivente com a aceleração de património classificado sem qualquer tipo de medida de correção mas não tenho duvida que o investimento num novo estádio tornou muito mais difícil uma reabilitação justa e necessária no estadio 1º de Maio, penso que é inquestionável", disse.

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.