Daniel Sousa promete "trabalho, trabalho e trabalho" no Sporting de Braga

por Lusa
Foto: Hugo Delgado - Lusa

Daniel Sousa prometeu hoje muito trabalho como novo treinador do Sporting de Braga, mas, tal como o presidente António Salvador, não quis comprometer-se com um objetivo na tabela classificativa na época futebolística 2024/25.

"A fasquia, como o presidente referiu, é ganhar todos os jogos, é isso que posso prometer, é esse o objetivo", disse Daniel Sousa na sua apresentação pública, depois de, em 03 de abril, António Salvador o ter revelado como o novo técnico do Sporting de Braga, sucedendo a Artur Jorge.

O novo treinador dos minhotos prometeu "trabalho, trabalho e trabalho": "Faremos tudo para ganhar o máximo de jogos possível. Estou contente por estar num clube que representa uma região com a qual me identifico, [com os valores] de grande humildade, espírito de sacrifício e capacidade de trabalho. Quero replicar isso na equipa".

"Não me ouvirão a falar em títulos e classificações, serão a natural consequência de uma mentalidade que todos têm que assumir desde o primeiro dia", disse, por seu turno, António Salvador, elogiando a "liderança, compromisso e exigência" que vê no novo treinador.

Daniel Sousa assumiu ser este o "maior desafio" da até agora curta carreira, depois de ter entrado com as épocas a decorrer no Gil Vicente (2022/23) e Arouca (2023/24).

"Obviamente que é um grande passo para mim e para o meu staff, mas sempre ambicionámos e trabalhámos para cá chegar. Com estas condições de trabalho excelentes e o profissionalismo da estrutura, é aqui que queremos estar", afirmou.

Frisando sentir "uma grande ambição e muita vontade de trabalhar", Daniel Sousa detalhou que quer ver na nova equipa "identidade e personalidade", a jogar "um futebol atrativo e ofensivo".

Sobre o sistema de jogo a implementar, referiu que "depende do que há disponível", mas que prefere "ajustar o sistema aos jogadores disponíveis, ajustar as características dos jogadores à ideia de jogo".

A equipa técnica de Daniel Sousa é ainda constituída por Maxi Pereira, Abel Pimenta, Francisco Matos, Ricardo Ribeiro e César Gomes (treinador de guarda-redes).

Sobre a integração do antigo jogador de Benfica e FC Porto na sua equipa técnica, que António Salvador disse ter sido um desejo do treinador, Daniel Sousa frisou que Maxi Pereira traz a experiência de um ex-jogador e "um currículo invejável, no panorama nacional e internacional", notando ser um dos jogadores mais internacionais do Uruguai.

"Acima de tudo, em certas situações, vai levar-nos por caminhos mais rápidos", acrescentou.

Em relação aos muitos golos sofridos pelo Sporting de Braga, Daniel Sousa concordou que é essencial trabalhar a parte defensiva, porque "há muita coisa a melhorar", mas também na parte ofensiva há trabalho a fazer.

"Sabemos que o equilíbrio é muito determinante na construção de uma ideia de jogo", disse.

Daniel Sousa não quis falar sobre o mercado, notando que "há muitos dossiers abertos" para definir, mas António Salvador, instado sobre Banza, frisou que "o Sporting de Braga é um clube vencedor, como todos em Portugal, e se aparecer uma proposta boa e que seja uma oportunidade de negócio" o ponta de lança congolês "estará no mercado, como outro jogador qualquer".

Já sobre Roger, afastado da equipa nos últimos jogos devido a divergências com o empresário sobre a extensão do vínculo, o líder `arsenalista` referiu o jovem extremo "tem contrato até 2025".

António Salvador comentou ainda a ausência de Bruma e, sobretudo, de Ricardo Horta da convocatória de Roberto Martínez para o Euro2024.

"Obviamente, ficámos tristes e frustrados. O Ricardo Horta tem feito sempre parte desse grupo, é um grande jogador e um grande profissional, que qualquer treinador gostaria de ter no grupo. Aliás, o selecionador foi claro: sentiu-se na obrigação de lhe ligar e explicar a sua não convocatória", disse.

Tópicos
pub