Tóquio2020. Melanie Santos 22.ª na prova do triatlo

por Lusa
Melanie Santos terminou a prova com o sentimento do dever cumprido Tiago Petinga-Lusa

A portuguesa Melanie Santos terminou no 22.º lugar na sua estreia na prova de triatlo dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, vencida por Flora Duffy, que conquistou o primeiro título olímpico de Bermudas.

A triatleta de Alcobaça, de 26 anos, cumpriu os 1.500 metros a nadar, 40 quilómetros a pedalar e 10 a correr, na Odaiba Marine Park, a 06.30 minutos da vencedora, Flora Duffy, que venceu a prova em 01:55.36 horas.

A atleta das Bermudas destacou-se já no segmento de corrida, deixando a britânica Georgia Taylor-Brown na segunda posição, a 01.14 minutos, e a norte-americana Katie Zaferes na terceira, a 01.27.

A suíça Nicola Spirig, campeã em Londres2012 e prata no Rio2016, atrás de Gwen Jorgensen, que se dedicou à maratona, não foi além do sexto posto, a 02.29 minutos.

Bermudas já era o país menos populoso do mundo a arrebatar uma medalha olímpica, desde a conquista do bronze pelo pugilista Clarence Hill em Montreal1976.

Triatleta satisfeita na estreia ao vento e à chuva

A portuguesa assumiu a satisfação com o 22.º lugar alcançado na estreia olímpica.

É uma sensação muito boa. Vinha com o 'top 16' como objetivo e acho que fiquei perto. Estava preparada para o calor e para o sol, mas apanhámos condições completamente diferentes e tivemos de nos adaptar. No final do dia, estou muito orgulhosa por ter representado Portugal e um 22.º lugar para a estreia não é terrível”, afirmou a triatleta de Alcobaça.

Eu nadei logo pior do que normalmente nado, saí um bocado atrás, junto da (Nicola) Spirig, porque sabia que era o último 'comboio' para chegar à frente. Mas o ciclismo estava perigoso, com vento e chuva, e, quando seguia no grupo, houve uma queda à frente e acabei por ficar mais para trás e perdi o 'comboio'", lamentou.

Depois, Melanie Santos segurou a posição, na terceira presença de Portugal na prova feminina de triatlo, depois de Vanessa Fernandes ter sido vice-campeã em Pequim2008 e oitava em Atenas2004.

Tenho de estar feliz e orgulhosa com o 22.º lugar nestas condições e com estes contratempos. Há coisas que não conseguimos controlar, temos de nos adaptar e tirar o melhor de cada prova, desta tirei coisas positivas, estou satisfeita, mas acho que ainda tenho muito a melhorar”, rematou, apontando a Paris2024.


pub