Shakhtar espreita "oitavos" com continuidade nas provas europeias garantida

por Lusa
REUTERS/Albert Gea

O Shakhtar Donetsk visitará o FC Porto, na quarta-feira, com esperanças de aceder pela quinta vez, e primeira desde 2017/18, aos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, sublinhou hoje o treinador dos ucranianos, Marino Pusic.

"Já alcançámos o objetivo principal. Permanecer nas competições europeias é fantástico, mas, ao mesmo tempo, somos ambiciosos e queremos mais. O FC Porto é uma equipa muito boa, está há vários anos a este nível e é estável, difícil de bater e bem organizada. Será um jogo difícil para cada equipa, mas viemos cá para competir e não nos interessa onde e contra quem vamos jogar", vincou o técnico bósnio, em conferência de imprensa.

O FC Porto defronta o Shakhtar Donetsk na quarta-feira, às 20:00, no Estádio do Dragão, no Porto, na sexta e última ronda do Grupo H da Liga dos Campeões, sob arbitragem do romeno István Kovács, em simultâneo com a deslocação do FC Barcelona ao Antuérpia.

Vencedores da prova em 1986/87 e 2003/04, os vice-campeões portugueses repartem a segundo posição com os 'mineiros', ambos com nove pontos, mas apresentam vantagem no confronto direto e precisam apenas de um empate para rumarem aos oitavos de final.

A 'poule' é liderada pelos espanhóis do FC Barcelona, que acumulam 12 pontos e já têm vaga na próxima fase, enquanto os belgas do Antuérpia estão no último lugar e de saída das provas europeias, sendo o único finalista da 'Champions' ainda sem qualquer ponto.

"Alterámos uma série de aspetos nos últimos dois meses. A equipa reagiu bastante bem, estou satisfeito por isso e espero que amanhã (quarta-feira) os meus jogadores mostrem orgulho e coragem e joguem para vencer. Ganhamos, atacamos, defendemos e lutamos juntos uns pelos outros. Essa é a nossa maior força", reiterou Marino Pusic, sucessor do neerlandês Patrick van Leeuwen, que tinha comandado o desaire face ao FC Porto (3-1), na ronda inaugural, em Hamburgo, na Alemanha, devido à invasão da Rússia à Ucrânia.

Nessa partida ficou de fora o defesa central Valeriy Bondar, de 24 anos, convicto de que "toda a Ucrânia, incluindo o exército que combate nas trincheiras, vai estar a torcer" por um triunfo do Shakhtar Donetsk no Porto, que evite a 'queda' no play-off da Liga Europa.

"Com a vinda de um novo técnico, mudámos um pouco a nossa filosofia e a forma como jogamos na 'Champions'. O FC Porto tem uma equipa forte, com qualidade e ambição, e reparte o primeiro lugar da I Liga portuguesa com o Sporting. Queria que tomássemos a iniciativa e mostrássemos aquilo de que somos capazes. Vamos fazer os possíveis e os impossíveis para que isso suceda. Talvez seja um dos encontros mais relevantes para a nossa equipa esta época", antecipou o internacional ucraniano, ao lado de Marino Pusic.

O defesa direito Yukhym Konoplia continua no boletim clínico e é o principal ausente nos 28 convocados do campeão ucraniano, que ocupa o quarto lugar na sua Liga doméstica, com 31 pontos, a três dos líderes Kryvbas e Dnipro-1, mas menos dois jogos realizados.

pub