Sp. Braga apurado e Vitória de Guimarães obrigado a ganhar

| Liga Europa

A equipa do Sp. Braga quer sair da fase de grupos com uma vitória na Turquia
|

O Sp. Braga e o V. Guimarães disputam esta quinta-feira a última jornada da fase de grupos da Liga Europa em futebol com cenários muito diferentes, os primeiros já apurados e os segundos em luta pela qualificação.

O Sp. Braga, que visita os turcos do Basaksehir, a partir das 18h00, está lançado para vencer o grupo C, que lidera com dez pontos, mais dois do que os búlgaros do Ludogorets, que se deslocam ao campo dos alemães do Hoffenheim.

Os "arsenalistas" do Minho avançam para o desafio com algumas baixas: Marafona, Sequeira, Fransérgio, Wilson Eduardo e Paulinho (lesionados), Goiano e Rui Ferreira (castigados).

Na conferência de imprensa de antevisão da partida o treinador Abel Ferreira enumerou os objetivos que a equipa ainda tem em aberto na competição.



O jogo realiza-se no Estádio Fatih Terim e será arbitrado pelo escocês John Beaton. O relato é na Antena 1 com o jornalista Pedro Ferreira e os comentários de Manuel Queiroz.

O V. Guimarães enfrenta uma situação muito diferente, com a equipa de Pedro Martins a receber os turcos do Konyaspor, obrigada a vencer e ainda assim a poder ser eliminada da competição.



A equipa vimaranense, última do grupo I, tem que vencer o Konyaspor e esperar que o Marselha perca em casa com o Salzburgo, que já garantiu não apenas o apuramento, como o triunfo no grupo.

Os vimaranenses têm três baixas para o desafio: Wakaso, Marcos Valente e Teixeira, todos lesionados.

O técnico dos "conquistadores", Pedro Martins, foi pragmático no lançamento do encontro: "Temos de fazer o nosso jogo, vencer e esperar que o Salzburgo também vença em Marselha".

O jogo está marcado para as 20h05 com arbitragem deDaniel Siebert, da Alemanha. O relato é na Antena 1 com o jornalista Carlos Rui Abreu, a reportagem de Nuno Braga e os comentários de Vítor Martins.



A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, o candidato derrotado nas diretas do PSD diz que o partido deve serenar após o Congresso e admite que vai ser “muito difícil ganhar eleições" no quadro atual.

Nicolás Maduro quer alargar poderes e, para tal, leva a cabo eleições antecipadas. É um "golpe constitucional", na leitura de Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.