Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Rafael Marchante - Reuters

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações



23h25 - Mais 1.175 mortos e 55.155 infetados no Brasil em 24 horas

O Brasil registou 1.175 mortos e 55.155 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, estando ainda sob investigação a eventual relação de 3.454 óbitos com a covid-19, informou hoje o executivo.

No total, o país sul-americano contabiliza 104.201 óbitos e 3.164.785 casos confirmados desde o início da pandemia.

De acordo com o Ministério da Saúde, 555 das 1.175 mortes ocorreram nos últimos três dias, mas foram incluídas nos dados de hoje, quando a taxa de letalidade da doença no país está fixada em 3,3%.

Em relação ao número de recuperados, 2.309.477 pacientes conseguiram superar a doença causada pelo novo coronavírus, sendo que 751.107 infetados continuam sob acompanhamento.

O Brasil, segundo país mais afetado pela pandemia no mundo e com uma população estimada de 210 milhões de pessoas, tem agora uma incidência de 49,6 óbitos e 1.506,0 casos da doença por cada 100 mil habitantes.

23h10 - Jordânia encerra fronteira com a Síria

A Jordânia vai encerrar durante uma semana a sua fronteira terrestre com a Síria, depois de um aumento em casos de infeção com o novo coronavírus oriundos do país vizinho, anunciaram responsáveis jordanos.

A decisão do ministério do Interior, que irá afetar a fronteira de Jaber, irá entrar em vigor quinta-feira de manhã. Os próprios guardas fronteiriços vão ser colocados de quarentena.

Esta quarta-feira foram relatados 12 novos casos, a somarem-se aos 13 detetados terça-feira, no primeiro surto do género em várias semanas.

As restantes fronteiras com a Arábia Saudita, israel e os territórios da Palestina funcionam apenas para a passagem de bens comerciais desde março, quando foi declarada a pandemia na região e o confinamento imposto na altura.

O primeiro-ministro da Jordânia, Omar al Razzaz disse quarta-feira que o surto era "motivo de preocupação" e os responsáveis locais afirmam que a maioria dos casos incluem-se entre condutores de camião oriundos da Síria, onde trabalhadores humanitários têm registado um aumento significativo de casos.

22h45 - Nova Zelândia investiga primeiros novos casos em mais de três meses

Um surto de Covid-19 após mais de três meses sem qualquer caso colocou as autoridades da Nova Zelândia em alerta máximo.

A primeira-ministra Jacinda Arden reintroduziu rapidamente restrições apertadas em Auckland, depois da descoberta de quatro famílias infetadas como o novo coronavírus na cidade.

A origem do surto está a surpreender os responsáveis sanitários neo-zelandeses, confiantes de que nos últimos 102 dias não se deram no país quaisquer casos de transmissão local.

As investigações centram-se em armazéns frigoríficos onde um dos homens de uma das famílias trabalha, e as autoridades admitem que o vírus possa ter sido importado através de carga. O armazém opera com os Estados Unidos, o Canadá, a Argentina e a Austrália.

"Sabemos que o vírus pode sobreviver em ambientes refrigerados por bastante tempo", explicou o diretor-geral de Saúde da Nova Zelândia, Ashley Bloomfield, numa conferência de imprensa.

O homem infetado estava de baixa há alguns dias e todos os seus colegas foram enviados para casa para serem testados.

22h20 - Paraná chega a acordo com Moscovo quanto a vacina russa

O Estado brasileiro do Paraná assinou um memorando com a Rússia para produzir a vacina que Moscovo afirma estar pronta a disponibilizar no mercado e apesar das reticências expressas pela Organização Mundial de Saúde.

O acordo amplia a cooperação técnica, transferências de tecnologia e estudos sobre a vacina russa Sputnik V contra a covid-19. Segundo o executivo 'paranaense', o memorando assinado "deixa aberta a possibilidade de realização de testes, produção e distribuição do imunizante" em território brasileiro.

"A ideia do memorando de entendimento é ampliar a cooperação e estabelecer uma parceria. Estamos a avançar nos acordos para transferência de tecnologia", afirmou em comunicado o governador do Paraná, Carlos Ratinho Júnior.

 O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) será responsável por coordenar os estudos da vacina Sputnik V, desenvolvida pelo instituto russo Gamaleia.

"É um memorando de entendimento bastante objetivo que visa a troca de tecnologia. Ele não gera obrigações, mas uma nova construção, um entendimento de que podemos trabalhar juntos. Vamos criar um grupo de trabalho para a formação de um protocolo que vai ser submetido às autoridades brasileiras", afirmou o presidente do Tecpar, Jorge Callado.

"Neste momento a prioridade é a validação da vacina no país. Dependemos dessa aprovação para os outros encaminhamentos", acrescentou Callado, frisando que está dado o primeiro passo para a entrada da Sputnik V no Brasil.

22h00 - Governo de São Tomé e Príncipe inicia testes massivos a partir de dia 17

O Ministério da Saúde de São Tomé inicia no dia 17 testes massivos à covid-19, para determinar o estado epidemiológico da população, estando o arranque marcado para a ilha do Príncipe, anunciou hoje o porta-voz do Governo.

A decisão foi tornada pública no final de mais uma reunião dos órgãos de soberania, destinada a avaliar a situação da pandemia no país, que decorreu no Palácio Presidencial, na capital, São Tomé.

"A conclusão a que se chegou é que, de facto, é necessário massificar os testes, um processo que o ministro da Saúde anunciou que provavelmente iniciará já no dia 17 deste mês, na ilha do Príncipe, que depois estender-se-á à ilha de São Tomé", disse Adelino Lucas.

No discurso de abertura do encontro, o Presidente de São Tomé, Evaristo Carvalho, defendeu que é necessário "identificar as pessoas que podem contaminar outras" com o novo coronavírus.

"Procurar testar o máximo possível, para se identificar pessoas que podem contaminar outras e, deste modo, implementar medidas de isolamento e proteção para conter a infeção, poderá ser uma necessidade", declarou Evaristo Carvalho.

21h47 - Reino Unido revê em baixa número de óbitos por Covid-19

Londres diminuiu em mais de 5.000 o número de óbitos por Covid-19 ao introduzir um novo método de contagem de fatalidades, depois de alguns especialistas considerarem exagerado o numero reportado até agora e admitirem que mortes até agora contabilizadas na pandemia se ficaram a dever a outras causas que não o coronavírus.

A partir de agora, o país vai passar a revelar diariamente o número de fatalidades que tenham ocorrido no período de 28 dias a contar da data de diagnóstico positivo.

Sob este novo método, o total de mortes no Reino Unido é agora de 41.329 e não 46.706. Apesar de revisto, o número mantém-se o mais elevado no continente europeu, à frente das 35 mil mortes registadas em Itália.

A nova metodologia resulta de um acordo entre Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, de forma a que os números reportados pelo Reino Unido sejam coligidas de forma consistente.

Em Inglaterra habita 85 por cento da população total do Reino Unido.

21h20 - Noruega reintroduz quarentena para quem entre no país

Quem viaje até à Noruega terá de cumprir isolamento. O Governo de Oslo ordenou a reintrodução das medidas de quarentena a quem venha de outros países, devido a um aumento do número de novos casos.

O Governo aconselhou de novo os noruegueses a não viajar para o exterior, depois de, na semana passada ter suspendido planos para reabrir a economia..

O pais registou 357 novos infetados com o novo coronavírus na semana passada, o nível mais alto desde abril mas ainda abaixo dos 1.733 diagnosticados numa única semana em finais de março.

"Estamos a fazer isto para que todos possam viver livremente as suas vidas o mais rápido possível", explicou em conferência a primeira-ministra Erna Solberg. "todas as viagens externas têm associado o risco de infeção", acrescentou.

20h58 - Mais 27 casos em Angola e Huíla junta-se às províncias afetadas

Angola registou 27 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, dos quais um na Huíla, que se tornou assim na 14.ª província angolana afetada pela doença, anunciou o secretário de Estado para a Saúde Pública.

Os infetados têm entre 1 e 74 anos, sendo 14 de sexo masculino e 13 do sexo feminino.

Foram também dadas como recuperadas duas pessoas.

20h24 - França com forte aumento de novos infetados

O número de novas infeções pela doença Covid-19 em França teve um forte aumento com 2.524 casos nas últimas 24 horas, muito acima dos 1.397 registados na terça-feira, divulgou hoje a Direção Geral da Saúde (DGS) daquele país.

A evolução ao longo da última semana no número de novos infetados com Covid-19 é ascendente, registando-se 11.663 casos, destacou a DGS em comunicado, citada pela agência EFE.

Atualmente há 217 focos de contágio a serem acompanhados em todo o país, mais 25 do que no dia anterior.

Apesar disso, o número de doentes internados devido ao novo coronavírus diminuiu para 4.891, face aos 5.012 registados na terça-feira.

França soma ainda mais 18 mortos nos hospitais em 24 horas. A DGS não atualiza todos os dias o número de mortos fora dos hospitais.

20h04 - Oito voos Luanda-Lisboa em agosto e TAP com novas datas

A transportadora aérea portuguesa TAP tem novas datas para as ligações Luanda-Lisboa em agosto, com três voos previstos, que se juntam a outros cinco já anunciados pela companhia angolana TAAG.

De acordo com informações anteriores, a TAP iria operar um voo em 14 de agosto, mas segundo a informação hoje disponibilizada pelo consulado de Portugal em Angola, a transportadora portuguesa irá realizar um voo em 13 de agosto, às 23h25, e mais duas ligações Luanda-Lisboa, em 19 e 21 de agosto, às 21h45.

Estão também previstos cinco voos da transportadora angolana TAAG na mesma rota, em 13, 18, 20, 25 e 27 deste mês, todos às 11h30.

19h54 - Cabo Verde chega aos 3.000 casos acumulados com mais 80 infeções

Cabo Verde registou 80 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, nas ilhas de Santiago e do Sal, e chegou aos 3.000 casos acumulados desde 19 de março, informou hoje o Ministério da Saúde.

Os novos casos foram registados na ilha de Santiago (71), distribuídos pelos concelhos da Praia (69), Santa Cruz (1) e Ribeira Grande (1), enquanto os outros nove casos foram contabilizados na ilha do Sal.

No mesmo comunicado, o ministério adiantou que o país registou mais 24 casos recuperados (Praia 17 e Santa Cruz 7), passando o totalizar 2.172 pessoas com alta até agora (72,4%).

Dos 3.000 casos acumulados desde 19 de março, Cabo Verde continua com 33 óbitos (1,2%), dois doentes transferidos para os seus países e 793 casos ativos (26,4%).

19h45 - Polónia levanta restrições a passageiros vindos de Portugal

A Polónia levantou as restrições a passageiros de voos diretos de Portugal, indica hoje uma nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) português.

“A Polónia retirou Portugal da lista dos países relativamente aos quais mantém restrições de voos diretos, juntando-se assim à Grécia, República Checa, Hungria, Malta, à Roménia, à Bélgica, aos Países Baixos, à Dinamarca e ao Chipre no levantamento total ou parcial de restrições à mobilidade de passageiros oriundos de Portugal”, lê-se no comunicado.

“Os factos corroboram o reconhecimento da transparência da informação fornecida pelo nosso país relativamente à evolução da situação epidemiológica, bem como da evidência da capacidade de resposta do nosso Serviço Nacional de Saúde, que em nenhum momento deixou de garantir acompanhamento às pessoas infetadas com Covid-19”, acrescenta-se na nota.

O Palácio das Necessidades defende ainda que representa o reconhecimento da “evolução positiva da situação epidemiológica em Portugal”, sobretudo na “capacidade para testar em larga escala, “detetar” os casos positivos, “controlar” a transmissão e “tratá-los da forma mais adequada”.

19h08 - Madeira com mais um caso de infeção

A Madeira contabiliza mais uma pessoa infetada com Covid-19, elevando para 127 os casos notificados no arquipélago, dos quais 100 estão recuperados, revelou hoje o Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE).

"Nas últimas 24 horas, há um novo caso positivo a reportar, pelo que a região apresenta agora um total cumulativo de 127 casos confirmados da Covid-19", refere o boletim sobre a situação epidemiológica na Região Autónoma da Madeira.

O IASAÚDE acrescenta, contudo, haver ainda a reportar "a identificação de mais quatro situações que se encontram em estudo pelas autoridades de saúde".

"Trata-se de quatro viajantes identificados na operação de rastreio em curso no aeroporto da Madeira, que foram submetidos a análises laboratoriais no local", cujas investigações epidemiológicas estão em curso, acrescenta.

19h04 - Espanha regista 1.690 novos casos em 24 horas sem os dados de Madrid

O Ministério da Saúde espanhol contabilizou hoje mais 3.172 infetados por Covid-19 e reportou, nas últimas 24 horas, 1.690 novos casos, sem registar os dados de Madrid, elevando o total de infeções para 329.784 desde o início da pandemia.

A comunidade de Aragão continua a liderar a lista de mais casos diagnosticados nas últimas 24 horas, com 306 infeções, seguido do País Basco com 268, comunidade que corrigiu os seus dados e eliminou casos duplicados.

Segue-se a Andaluzia em terceiro lugar, com 202, e a Catalunha (200), de acordo com o último balanço divulgado pela autoridade de Saúde daquele país, segundo noticia a agência EFE.

A contagem global de hoje regista menos duas mortes face ao dia anterior, agora com um total de 28.579, com 65 destas a terem acontecido na última semana, não se registando as ocorridas em Madrid.

Apesar de não ter conseguido lançar toda a informação "devido a problemas técnicos", a comunidade de Madrid comunicou nas últimas 24 horas 654 novos casos confirmados através de testes PCR, praticamente o dobro dos 324 notificados na terça-feira, e ainda quatro mortes, tal como no dia anterior.

Com estes dados, o número de infeções detetadas nas últimas 24 horas pelas autoridades de Saúde subiu para 1.690, quase 200 mais que no dia anterior.

18h45 - Governador de São Paulo está infetado pelo novo coronavírus

O governador do Estado brasileiro de São Paulo, João Doria, anunciou hoje que está infetado pelo novo coronavírus.

“Seguindo o princípio da total transparência com que temos lidado com a pandemia, informo que fui diagnosticado com Covid-19. Estou bem, sem sintomas. Seguirei trabalhando de casa, cumprindo as recomendações médicas de isolamento. Tenho fé em Deus que vou superar a doença”, escreveu Doria na rede social Twitter.

Num vídeo que acompanha a mensagem, o governador afirmou que permanecerá em isolamento durante pelo menos os próximos dez dias.

“Tudo isso vai passar, a vacina vai chegar e o Brasil terá um novo momento livre do coronavírus. Até lá, temos de fazer este enfrentamento, seguir o protocolo e obedecer à saúde”, adiantou João Doria no vídeo.

Ao contrário do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que sempre relativizou a periculosidade da pandemia e que já defendeu que o novo coronavírus causa apenas uma “gripezinha”, o governador do estado de São Paulo é um defensor público do isolamento social e das medidas de prevenção da doença.

18h27 - Moçambique regista mais dois óbitos e sobe total de infeções para 2.559

Moçambique registou, nas últimas 24 horas, mais dois óbitos pelo novo coronavírus, elevando o total de vítimas mortais para 19, num dia em que o número de casos subiu para 2.559, anunciou o Ministério da Saúde.

17h32 - Timor-Leste aprova Plano de Recuperação Económica pós-pandemia

O Conselho de Ministros de Timor-Leste anunciou hoje que aprovou o Plano de Recuperação Económica, um programa que pretende estimular “a recuperação da economia no pós-Covid-19”.

“O Conselho de Ministros aprovou o Plano de Recuperação Económica, que apresenta o conjunto de medidas com vista à recuperação da economia no pós-covid-19, dividido por áreas e setores prioritários de intervenção, que são a agricultura, o turismo, a habitação, o capital humano (educação, saúde e proteção social) e a reforma institucional”, refere um comunicado da Presidência do Conselho de Ministros timorense.

17h24 - Reino Unido regista mais 77 mortos e 1.009 infetados

O Reino Unido registou mais 77 mortos por Covid-19 e mais 1.009 infetados nas últimas 24 horas, anunciaram hoje as autoridades britânicas.

Os dados dizem respeito a mortes e casos confirmados por teste em hospitais, lares de idosos e na comunidade em geral, incluindo em residências particulares.

As autoridades invocaram “dificuldades técnicas” para não atualizarem hoje o número oficial de mortes na terça-feira, mas tinha identificado 1.148 novas infeções, o valor mais alto desde finais de junho.

O balanço oficial acumulado passa assim a ser de 46.706 mortes e 313.798 casos de infeção desde o início da pandemia, mas estatísticas oficiais contabilizaram pelo menos 56.800 mortes no Reino Unido resultantes do coronavírus, incluindo os casos suspeitos nos quais o SARS-CoV-2 foi mencionado na certidão de óbito.

17h03 - Brasil receberá 15 milhões de doses da vacina Coronavac até ao fim do ano

O estado brasileiro de São Paulo vai receber 15 milhões de doses da vacina contra o novo coronavírus que está a ser desenvolvida pelo laboratório chinês Sinotec, chamada Coronavac, revelou hoje o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

"Tenho enfatizado que a vacina estará disponível aqui no Butantan já em outubro. Em outubro receberemos cinco milhões de doses, em novembro mais cinco milhões de doses, e em dezembro mais cinco milhões de doses", disse Dimas Covas, ao canal brasileiro de televisão GloboNews.

"Essas doses já estão sendo produzidas lá na China e, portanto, no final deste ano teremos 15 milhões de doses disponíveis", acrescentou.

O Instituto Butantan, organização científica vinculada ao Governo regional de São Paulo que produz milhares de vacinas aplicadas em toda a população do país, firmou uma parceria com a Sinovac para testar a Coronavac num acordo que inclui também a transferência de tecnologia e produção do medicamento caso a sua eficácia seja comprovada.

A disponibilização desta vacina à população depende ainda da divulgação dos resultados dos testes clínicos, que já estão no terceiro e último estágio, e da sua aprovação junto da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão de controlo do Governo brasileiro.

Segundo Dimas Covas, as vacinas que o país receberá serão entregues ao Programa Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde.

16h42- Turismo do Algarve reitera segurança da região junto do Reino Unido

A Associação Turismo do Algarve (ATA) vai reforçar a mensagem de que a região é um destino seguro junto do Reino Unido, através de uma campanha publicitária que será emitida na estação de televisão Channel 5, foi hoje anunciado.

"De 20 de agosto até ao final de outubro, este canal de entretenimento de grande audiência no Reino Unido irá transmitir um vídeo promocional do Algarve, com a duração de 50 segundos, que será exibido cerca de 38 vezes por semana e resultará numa exposição de 175 mil visualizações semanais", avança a ATA, em comunicado de imprensa.

O objetivo é que sejam levantadas as restrições impostas aos viajantes que cheguem ao Reino Unido a partir de Portugal, devido à pandemia de covid-19, sublinha a associação.

"Estamos fortemente empenhados em reverter os efeitos negativos que resultaram da decisão do Governo britânico e isso passa, entre outros aspetos, pelo reforço e pela repetição da mensagem, junto desse mercado, de que o Algarve é um destino seguro e que está totalmente preparado para voltar a acolher os seus turistas com toda a qualidade e o bem-estar a que sempre os habituou", destaca o presidente da ATA, citado no comunicado.

João Fernandes acredita que a campanha "terá um impacto significativo" e que o "Reino Unido irá alterar a sua decisão muito em breve", permitindo ao Algarve a recuperação do "principal mercado emissor de turistas".

"Além de promover a notoriedade do Algarve enquanto destino seguro, a exibição deste vídeo terá também associada uma vertente de competição, que irá permitir aos espetadores participarem num sorteio e habilitarem-se a ganhar uma estadia de 7 noites na região para duas pessoas, num hotel de cinco estrelas. Este prémio será válido até ao final do verão de 2021", lê-se na mesma nota.

16h15 - Avó da primeira-dama do Brasil morre vítima do novo coronavírus

A avó de Michelle Bolsonaro, mulher do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, morreu hoje num hospital público onde estava internada desde 1.º de julho, vítima da covid-19.

Maria Aparecida Firmo Ferreira, de 81 anos, avó materna da primeira-dama, morreu no Hospital Regional de Ceilândia, cidade vizinha de Brasília e, segundo os médicos que a atenderam, usava aparelhos para auxiliá-la a respirar há cerca de duas semanas e, embora apresentasse algumas melhorias nos últimos dias.

“Deus quis levar minha mãezinha. Não acredito. Ela lutou tanto, mas não resistiu”, disse aos jornalistas Maria de Fátima Ferreira, uma das tias de Michelle Bolsonaro.

A própria primeira-dama, Michelle Bolsonaro, de 38 anos, está em isolamento social após testar positivo para covid-19 em 30 de julho, poucos dias depois que seu marido anunciou estar recuperado da mesma doença.

16h02 - Um morto e 30 internados entre os 77 infetados de lar de Torres Vedras

Um idoso do Lar de Nossa Senhora da Luz, no concelho de Torres Vedras, onde se regista um foco de covid-19, morreu e 30 outras pessoas com resultados positivos mantêm-se internadas, informou hoje a instituição.

Em comunicado, o lar, localizado em Paradas, na freguesia de A-dos-Cunhados, confirmou a morte de um dos utentes que se encontrava hospitalizado, um idoso de 93 anos, "que, além de outras morbilidades, tinha um grave problema ao nível da diabetes" e ao qual "já havia sido amputada uma perna", há cinco anos.

De acordo com a direção do lar, na sequência do foco detetado no dia 3 de agosto, há ainda "cerca de 30 pessoas hospitalizadas" por necessitarem de cuidados médicos.

O surgimento de casos de infeção levou à realização de testes aos 80 residentes, todos com mais de 80 anos, e 78 funcionários do lar, tendo sido identificados inicialmente 48 residentes e 24 trabalhadores com resultados positivos.

15h30 - OPEP prevê maior queda anual na procura de petróleo devido à crise

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) previu hoje que a queda anual do consumo de petróleo pode ser maior, avançando agora uma previsão de 9,09%, face aos 8,03% que antecipara há um mês.

Esta revisão é atribuída a uma paragem das atividades económicas em alguns países, durante o segundo trimestre, maior do que o estimado inicialmente devido à pandemia de covid-19, indica a OPEP no seu relatório mensal.

A previsão da procura mundial deve ser em média de 90,6 milhões de barris diários ao longo de 2020, depois de se ter aproximado de 100 milhões de barris por dia em 2019. A queda de 9,1 milhões de barris tem um aumento de 100 mil em relação ao calculado no anterior relatório.

15h15 - Secretário da Saúde dos EUA diz-se cético em relação a vacina russa

O secretário da Saúde dos Estados Unidos expressou hoje o seu ceticismo em relação ao anúncio do registo da "primeira vacina" contra a covid-19 feito pela Rússia, que garante dar "imunidade duradoura".

Além do ministro norte-americano, muitos cientistas ocidentais já admitiram ter dúvidas, devido, sobretudo, à rapidez com que a vacina terá sido desenvolvida.

O ceticismo do ministro da Saúde dos EUA, Alex Azar, foi expresso hoje, após uma visita de três dias a Taiwan.

"É importante fornecer vacinas seguras e eficazes e que os dados sejam transparentes ... Isto não é uma corrida para se ser o primeiro", afirmou em conferência de imprensa hoje realizada.

"Devo sublinhar que duas das seis vacinas norte-americanas nas quais investimos entraram na fase de testes clínicos há três semanas, enquanto a vacina russa está apenas a começar", acrescentou.

"Os dados dos primeiros testes na Rússia não foram divulgados e isso não é transparente", criticou o ministro.

15h06 - Açores com um novo caso positivo e duas recuperações

Os Açores registaram nas últimas 24 horas um novo caso positivo de covid-19 e duas pessoas recuperaram da doença, informou hoje a autoridade de saúde regional.

Em nota à imprensa, a entidade revela que o novo caso refere-se a uma mulher, com 58 anos de idade, que desembarcou na região proveniente de ligação aérea com o território continental em 11 de agosto, apresentando teste de despiste positivo para SARS-CoV-2 no rastreio realizado à chegada.

Nas últimas 24 horas foram realizadas 1.396 análises realizadas nos dois laboratórios de referência dos Açores, um em São Miguel e outro na Terceira.

A autoridade informa ainda que recuperaram da doença duas mulheres, uma de 24 e outra de 43 anos de idade.

Até ao momento, foram detetados na região 193 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, verificando-se, atualmente, 26 casos positivos ativos, todos eles na ilha de São Miguel.

14h49 - Mais de 743 mil mortos e 20,3 milhões de infetados no mundo

A pandemia já causou pelo menos 743.199 mortos em todo o mundo e foram diagnosticados 20.382.260 casos.

Só nas últimas 24 horas foram registados 6.605 mortos e 259.064 infetados em todo o mundo, de acordo com o o balanço atualizado pela agência France Presse até às 12h00 desta quarta-feira.

14h15 - Lotação da Festa do Avante

Questionada sobre a lotação da festa do Avante, a ministra diz que há outras questões que devem ser respondidas em vez dos números autorizados em termos de licença de utilização (100 mil pessoas), até porque se vive atualmente "um momento específico" e outros parâmetros devem ser avaliados pela organização e pela DGS.

"É evidente que estamos a falar, teremos que falar de outros números", declarou Marta Temido no final da conferência de imprensa.


14h13 - Vacina registada na Rússia. Governo atento

Sobre a vacina registada na Rússia na terça-feira, a ministra da Saúde, Marta Temido, lembrou as recomendações da OMS a esta questão. Ainda que seja importante que o processo de investigação seja rápido, não se pode prejudicar a segurança nem a eficácia terapêutica.

A ministra refere que eventuais questões sobre esta vacina serão estudadas pelo Infarmed, que já está a trabalhar com a Agência Europeia do Medicamento sobre o assunto, bem como no sentido de assegurar o fornecimento de uma vacina no futuro.

"O que nos interessa garantir é que quando tivermos uma vacina, ela é segura e eficaz", disse a ministra. Marta Temido refere que as autoridades portuguesas estão a acompanhar as notícias "com atenção" até porque "ninguém está disponível para desperdiçar uma oportunidade".

14h11 - Cobrança de valores por equipamentos de proteção nos lares

Questionada sobre a cobrança de valores associados a equipamentos de proteção individual em lares ou noutras instituições, a  ministra garantiu, sobre este aspeto particular, que esta situação não se verifica no contexto do SNS, mas admitiu que isso poderá estar a acontecer no setor privado.

14h10 – Festa do Avante é “evento complexo” mas realização está em debate, diz DGS

Questionado sobre a realização e regulamentação da Direção-Geral da Saúde para a Festa do Avante, Rui Portugal relembra que está a decorrer “uma avaliação de caráter técnico”.

A Festa do Avante “é um evento complexo”, segundo o subdiretor da DGS, principalmente “pela quantidade de atividades e pelo espaço em que ocorre”. “Não é uma atividade única”, mas está a ser analisada.

Esta avaliação “exige o seu tempo, (…) quer da análise por parte da DGS, quer da formulação de todos os planos de contingência por parte a entidade promotora”.

“É difícil, naturalmente, mas está a ser realizada”, acrescentou.

Resumindo à semelhança do que a Ministra da Saúde já tinha referido anteriormente, Rui Portugal garantiu que “não se vai proibir aquilo que é permitido nem permitir aquilo que é proibido”.

14h02 - Vulnerabilidade especial dos lares

Sobre o plano de visitas, vistorias e rastreios aos lares de todo o país anunciadas em junho, o Governo garante que estão em execução e que tem recebido os calendários das mesmas, enviados pelas entidades regionais.

Estas unidades estão a ser visitadas mensalmente e com algum caráter "aleatório", disse a ministra.

Questionada acerca do fundo "Adaptar Social", criado com o intuito de distribuir dinheiro pelos lares para equipamentos de proteção, Marta Temido refere que esta pasta não é gerida pelo Ministério da Saúde.

Ainda em resposta às questões, desta feita sobre a Festa do Avante, a ministra salienta que está a ser feito um "trabalho técnico" por parte da Direção-Geral da Saúde.

Ainda sem estimativa quanto ao número de visitantes, a ministra garante contudo que "não haverá exceções" e que as regras são para cumprir por parte dos promotores do evento.

“Não se vai proibir aquilo que é permitido nem permitir aquilo que é proibido”, frisou a ministra.

13h58 - Reguengos de Monsaraz. Governo está a avaliar a situação

Em resposta aos jornalistas, a ministra Marta Temido falou sobre a situação num lar de Reguengos de Monsaraz que já está a ser investigada pelo Ministério Público.

A ministra garante que o Governo está a avaliar a auditoria da Ordem dos Médicos, mas faz questão de sublinhar que as estruturas residenciais para idosos foram em Portugal, tal como noutros países, locais que inspiraram cuidados especiais.

Marta Temido prefere destacar que Portugal tem registado uma evolução muito positiva a este propósito. Em abril, 360 lares tinham casos positivos, enquanto que a 11 agosto eram 69 as estruturas com registo de casos positivos.

Sobre a taxa de letalidade em Portugal, a ministra da Saúde considera que o país se tem destacado por manter uma taxa relativamente baixa quando comparada com outros países. Marta Temido reconhece que o objetivo é de reduzir a letalidade ao máximo, mas salienta a importância de fatores de cariz demográfico ou as comorbilidades da população.

13h55 - Índice RT é de 0,99

A ministra anunciou que o índice de transmissão (RT) entre 3 e 7 de agosto foi de 0,99, mantendo-se um RT global nacional abaixo de 1, ainda que a tendência decrescente esteja a ter "uma ligeira inversão", reconheceu.

A taxa de incidência dos novos casos nos últimos sete dias é de 13,4 por 100 mil habitantes e nos últimos 14 dias, é de 25,4 por 100 mil habitantes, frisou a ministra.

Há nesta altura 12.519 casos ativos no país e 161 surtos: 42 a Norte, oito no Centro, 82 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 13 no Alentejo e 16 no Algarve

Marta Temido destacou a situação na região Norte, que viu aumentar o número de casos devido a situações de surtos numa área geográfica específica, em Póvoa de Varzim e Vila do Conde. A situação está a ser acompanhada com "bastante cuidado", garantiu a ministra.

13h53 - 160 novos casos em Lisboa e Vale do Tejo

A ministra da Saúde, Marta Temido, destaca na habitual conferência de imprensa que dos 278 novos casos de Covid-19, 89 na região Norte, 12 na região Centro, 160 na região de Lisboa e Vale do Tejo, dez na região do Alentejo, quatro no Algarve, mais um caso nos Açores e mais dois casos na Madeira.

Os três óbitos registaram-se em faixas etárias superiores aos 80 anos (dois a Norte e um em Lisboa e Vale do Tejo). A taxa de letalidade global é nesta altura de 3,3 por cento, e de 15,7 por cento acima dos 70 anos.

De acordo com a ministra, dos casos confirmados desde o início da pandemia, 73,2% das pessoas já recuperaram.

13h45 - Mais três mortos, 278 novos casos e 180 recuperados em Portugal

Nas últimas 24 horas morreram três pessoas e houve registo de mais 278 novos casos de Covid-19. Desde o início da pandemia, contabilizam-se 1.764 óbitos e 53.223 casos confirmados.

Houve ainda registo de 180 casos recuperados nas últimas 24 horas, num total de 38.940 utentes dados como recuperados.

De acordo com o boletim atualizado pela Direção-Geral da Saúde, 367 pessoas estão internadas, das quais 40 nos cuidados intensivos.

13h16 - Mais de 500 casos confirmados em Vila do Conde e Póvoa de Varzim

O número de surtos nos dois concelhos tem vindo a aumentar nas últimas duas semanas e a situação já motivou a suspensão das visitas nos lares da terceira idade nos dois concelhos.

Em Vila do Conde, os mais de 200 casos concentram-se nas freguesias de Guilhabreu e Mindelo. A autarca confirmou que houve casos importados de outros concelhos.


13h00 - Pessoas protegidas sem contacto prévio com o vírus

Há vários vírus - e alguns outros coronavírus - que provocam constipações e gripes comuns e que, segundo um estudo recente, podem ter protegido algumas pessoas contra a Covid-19.

A investigação revela que pelo menos 20 por cento da população pode ter uma resposta imunitária semelhante à que teve noutras gripes, quando entra em contacto com o SARS-CoV-2.

12h13 - Reino Unido em recessão

O Reino Unido entrou oficialmente em recessão, pela primeira vez em 11 anos, depois de o Produto Interno Bruto (PIB) ter caído 20,4 por cento entre abril e junho, comparando com o trimestre anterior. É já o segundo trimestre consecutivo de contração.

O National Statistics Office (ONS) indicou que todos os sectores da economia do Reino Unido sofreram uma queda devido ao impacto das medidas de confinamento impostas para conter a propagação da Covid-19.

De acordo com as estatísticas, a contração no segundo trimestre é a maior alguma vez registada no Reino Unido. Os dois trimestres em declínio determinam o registo oficial de recessão técnica.

11h24 - Recuperados podem voltar a testar positivo

Uma mulher, na China, que tinha sido infetada em fevereiro e que entretanto recuperou da Covid-19, voltou a testar positivo, seis meses depois.

Casos como este, para o presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia, não são de estranhar.

Ricardo Mexia explica que estas situações são muito invulgares, mas que o corpo, depois de infetado, permanece com marcas e registo do vírus e pode apresentar-se aos testes como positivo, embora sem carga infecciosa.

11h16 - Maratona de Paris cancelada

A maratona de Paris, inicialmente marcada para 5 de abril, adiada para 18 de outubro e remarcada para 15 de novembro, foi hoje cancelada devido à pandemia.

“Perante a impossibilidade de muitos participantes se colocarem à disposição para estes eventos e em particular aqueles, muitos, vindos de vários países estrangeiros e com as atuais dificuldades de deslocação, decidiu-se marcar encontro com todos em 2021”, refere a organização.

10h25 - Liga dos Campeões. Cafés e restaurantes esperam encher

A Liga dos Campeões começa esta quarta-feira na capital portuguesa. Sem público nas bancadas, os cafés e restaurantes tentam atrair adeptos para as esplanadas, com recurso a grandes televisores.

10h00 - África com 23.616 mortos

O número total de mortes por Covid-19 é hoje de 23.616 em África, continente com perto de 1,1 milhões de infetados pela doença. Houve mais 34 óbitos e 1.635 infetados nas últimas 24 horas.

As regiões Austral e do Norte são as mais afetadas. Do total de casos confirmados, 745.530 já recuperaram.

9h32 - Peregrinação em tempos de pandemia

A Peregrinação Internacional de agosto arranca esta quarta-feira no Santuário de Fátima, a terceira após o desconfinamento e a primeira em que estão registados grupos estrangeiros após o início da pandemia.

A Peregrinação Internacional, que decorre hoje e quinta-feira, integra também a Peregrinação Nacional do Migrante e Refugiado, sendo normalmente esperados milhares de emigrantes portugueses que aproveitam as férias de verão.

A celebração na Cova da Iria será a primeira grande peregrinação aniversária após o início da pandemia de Covid-19 em que foram registadas inscrições de grupos estrangeiros, estando prevista a presença de três grupos de peregrinos da Alemanha, Polónia e Espanha.

9h09 - Rússia ultrapassa 900 mil casos

A Rússia contabiliza 902.701 casos do novo coronavírus, com mais 5.102 novas infeções nas últimas 24 horas. É o quarto país do mundo com mais casos.

Morreram ainda 129 pessoas nas últimas 24 horas, num total de 15.260 mortos desde o início da pandemia.

8h38 - Máscaras obrigatórias em todos os espaços públicos em Bruxelas

O uso de máscara passa a ser obrigatório a partir desta quarta-feira em todos os locais públicos de Bruxelas. A cidade, que acolhe as sedes da União Europeia e NATO, é uma das mais afetadas da Europa. Na última semana registou em média 50 casos por 100 mil habitantes.

A máscara facial passa a ser obrigatória nos parques, nas ruas ou em quaisquer outros locais públicos, bem como em espaços privados acessíveis ao público.

8h09 - Índia regista 834 óbitos e mais 60 mil novos casos

A Índia é o terceiro país do mundo com o maior número de infetados, depois dos Estados Unidos e do Brasil, e o quinto com mais mortos. A pandemia tem vindo a crescer de forma preocupante ao longo das últimas semanas.

Nas últimas 24 horas foram registadas mais 834 mortes e 60.963 novos casos da doença.

Desde o início da pandemia contablizaram-se 46.091 óbitos e 2,3 milhões de infeções.

7h50 - Alemanha acima dos 1200 casos diários

O número de infeções confirmadas pelo novo coronavírus na Alemanha aumentou em 1226, nas últimas 24 horas, para um total de 218.519 desde o início da pandemia.

O número de casos mortais aumentou em seis para um total de 9207.

O ministro alemão da Saúde, Jens Spahnon, mostrou-se hoje cético face ao anúncio, por parte do Presidente russo, de uma primeira vacina contra a Covid-19, que terá por designação Sputnik V.

"Isto não é sobre ser o primeiro, é sobre ter um vacina eficaz, testada, logo segura", afirmou o governante, em declarações à rádio Deutschlandfunk.

"Para que tenhamos confiança em tal vacina, penso que é muito, muito importante, mesmo durante uma pandemia, fazer estudos apropriados, os testes relevantes e, especialmente, torná-los públicos. O problema é que sabemos muito pouco e as autoridades russas não estão a ser muito transparentes", reforçou.

7h45 - Nova Zelândia ordena confinamento de lares de idosos

Os lares de idosos na Nova Zelândia foram colocados em confinamento, após o reaparecimento de novos casos de Covid-19 ao fim de 102 dias sem contágios locais, anunciou a primeira-ministra, Jacinda Ardern.

"Compreendo como será difícil para aqueles que têm entes queridos nestas instalações, mas esta é a forma mais forte de os proteger", disse a chefe do Executivo.

Na terça-feira, Ardern já tinha ordenado o restabelecimento do confinamento da maior cidade do país, Auckland, após o aparecimento de quatro casos do novo coronavírus ao fim de 102 dias sem registo de qualquer contágio local.

Os quatro casos foram identificados na mesma casa, mas a origem é desconhecida.

Auckland entra esta quarta-feira no nível 3 das medidas de confinamento, o que significa que a população deverá ficar em casa e os bares e outros negócios terão de fechar portas.

A primeira-ministra neozelandesa admitiu a possibilidade de adiar as eleições, agendadas para 19 de setembro.

7h41 - Estado australiano de Victoria com novo máximo de mortos

As autoridades do Estado australiano de Victoria contabilizaram 21 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, um novo máximo diário desde o início do surto na capital regional, Melbourne.

O chefe do executivo de Victoria, Daniel Andrews, informou que 16 destas mortes ocorreram em lares de idosos, onde 1929 pessoas, incluindo trabalhadores, continuam infetadas com o novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Além disso, nas últimas 24 horas registaram-se 410 novas infeções, de acordo com as autoridades de saúde.

Desde o início da pandemia, Victoria acumulou 16.650 casos do novo coronavírus, o que representa 75 por cento do total da Austrália, com 22.100 infeções.

Na origem do novo surto de Covid-19 naquele estado terão estado violações das regras de segurança nos hotéis designados para realizar a quarentena obrigatória de viajantes vindos do estrangeiro.

De acordo com a imprensa local, os seguranças terão deixado os viajantes sair dos quartos ou mesmo tido relações sexuais com pessoas em quarentena.

7h38 - Estados Unidos com 1110 mortos e mais de 53 casos em 24 horas

Os Estados Unidos registaram, nas últimas 24 horas, 1110 mortes causadas pela Covid-19 e 53.029 casos confirmados, indicou a Universidade Johns Hopkins.

Desde o início da pandemia no país foram contabilizados 5.138.850 de infeções e 164.480 óbitos, de acordo com a contagem independente da universidade norte-americana, sediada em Baltimore (leste), até à 1h00 desta quarta-feira em Lisboa.

Embora Nova Iorque já não seja o Estado com o maior número de infeções, continua a ser o que contabiliza mais mortes (32.787), um número superior ao de países como França ou Espanha.

Só na cidade de Nova Iorque morreram 23.592 pessoas.

Seguem-se Nova Jérsia, com 15.890 mortes, Califórnia, com 10.528, Texas, com 9196, e Massachusetts, com 8751. Outros Estados com um elevado número de óbitos são a Florida (8553), o Illinois (7866), a Pensilvânia (7343) e o Michigan (6533).

7h31 - Brasil soma 1274 mortos em 24 horas

O Brasil reportou 1274 mortos e 52.160 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 103.026 óbitos e 3.109.630 infetados desde o início da pandemia.

Segundo o Ministério da Saúde, 413 das 1274 mortes ocorreram nos últimos três dias, mas foram incluídas nos dados desta quarta-feira, quando ainda está a ser investigada a eventual relação de 3580 óbitos com a Covid-19.

O Brasil, que ocupa a segunda posição na lista de países mais afetados pelo novo coronavírus, atrás dos Estados Unidos, é também a segunda nação com maior número de recuperados, com 2.243.124 pacientes a ultrapassarem a doença.

Até ao momento, 763.480 doentes infetados continuam sob acompanhamento.

Com uma população de 210 milhões, o país sul-americano tem agora uma incidência de 49 óbitos e 1479,7 casos da doença por cada 100 mil habitantes.

Já a taxa de letalidade da Covid-19 mantém-se nos 3,3 por cento.

6h40 - Ponto de situação

Portugal é um dos países da Europa com maior redução no número de casos de Covid-19. Mas figura ainda entre os dez países com maior incidência de novos casos de SARS-CoV-2.
O Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças fez a comparação e conclui que Portugal e Suécia são os dois países onde os surtos estão a recuar de forma mais rápida.

Apesar disso, este estudo avisa que a Europa, em geral, está a registar um significativo crescimento de contágios. Em causa está o alívio das medidas.
Lares a norte sem visitas
A Direção-Geral da Saúde suspendeu as visitas aos lares de Vila do Conde e Póvoa de Varzim. Em cada um destes municípios há mais de 200 casos confirmados.

Esta situação levou ao encerramento das visitas aos lares e às unidades de cuidados de cuidados integrados.

Na Junta de Freguesia de Póvoa, o atendimento ao público foi encerrado.
Trofa
Um dos surtos do novo coronavírus foi identificado no grupo PREH Portugal, na Trofa. Subiu para 13, nas últimas horas, o número de trabalhadores da empresa de componentes eletrónicos para a indústria automóvel que estão infetados e perto de 60 colaboradores estão em casa a cumprir isolamento profilático.

Os primeiros casos registaram-se no último dia de julho, no primeiro turno da empresa. Na semana passada, foram confirmados novos positivos numa linha de produção onde trabalham 30 pessoas.

Todos os colaboradores que tiveram contactos próximos com os colegas infetados ou que apresentam sintomas estão a ser chamados a fazer testes.

A empresa tem 1200 trabalhadores.
São Miguel com medidas reforçadas
O Governo Regional dos Açores decidiu reforçar as medidas de contenção na Ilha de São Miguel. A partir de quinta-feira e até ao início de setembro, ficam encerradas as discotecas. Os bares fecham às 22h00.

São Miguel tem neste momento 27 casos positivos de Covid-19.
Justificações para diabéticos e hipertensos
Os diabéticos e hipertensos sem condições para desempenhar funções em teletrabalho voltam a ter direito a justificar as faltas. É apenas necessária uma declaração médica.

O diploma no âmbito da pandemia já foi publicado em Diário da República. E protege os grupos de imunodeprimidos e os portadores de doença crónica.

O diploma tem efeitos retroativos a 3 de maio.
Stayaway Covid
A Direção-Geral da Saúde fica responsável pela gestão e tratamento de dados da aplicação Stayaway Covid. O decreto, ontem publicado, estipula ainda que a aplicação deve respeitar as legislações europeia e portuguesa.

A intervenção do médico fica regulada e será o este a colocar no sistema informações como a data dos primeiros sintomas ou, em casos assintomáticos, da realização do teste.

Dos dados a inserir no sistema, pelo médico, não pode constar a identificação do doente.
O quadro em Portugal
O último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, divulgado ao início da tarde de terça-feira, reporta mais dois casos mortais de Covid-19 em Portugal. Há mais 120 infetados.

Há já sete dias que o número de novos casos não era tão baixo. Estão internadas 365 pessoas, menos nove face a segunda-feira

Foram dadas como recuperadas da doença mais 160 pessoas.
O quadro internacional
A pandemia da Covid-19 já provocou mais de 736 mil mortos e infetou mais de 20,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, de acordo com o balanço em permanente atualização por parte da agência France Presse.

Vladimir Putin veio ontem garantir que a Rússia já dispõe da primeira vacina contra a Covid-19.
O Presidente russo revelou também que uma das suas filhas já está vacinada.

Moscovo promete produzir mais de 500 milhões de doses desta vacina por ano. Vinte países terão já encomendado à Rússia mil milhões de doses.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia, em fevereiro, o Continente Americano mantém-se como aquele que tem mais casos confirmados e mais óbitos.