Em direto
Euro2024. Acompanhe aqui, em direto, o encontro do Grupo D entre Áustria e França
Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Rafael Marchante - Reuters

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações


00h01 - Combate à pandemia. UTAO estima  impacto de 1.666 ME na receita em 2020

As medidas de combate à covid-19 vão ter um impacto de 1.666 milhões de euros na receita do Estado em 2020, segundo a apreciação final da proposta de Orçamento do Estado para 2021 feito pela UTAO.

"No ano de 2020 as medidas de política Covid-19 têm um efeito direto estimado de -1.666 milhões de euros na cobrança de receita, repartido entre a receita contributiva (-549 ME) e a receita fiscal (-1.117 ME)", pode ler-se no documento da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) relativo à proposta de lei do Governo para Orçamento do Estado de 2021 (OE2021) a que a Lusa teve hoje acesso.

Segundo os técnicos que dão apoio aos deputados da Comissão de Orçamento e Finanças (COF) do parlamento, em 2020 "as principais medidas de política com incidência na receita consistiram no adiamento de obrigações fiscais e contributivas e na suspensão temporária da obrigação de pagamento de contribuições sociais para empresas e trabalhadores independentes".

"A suspensão de pagamentos por conta de IRC, estimada em -1.150 ME, constitui a medida de maior impacto na receita, incidindo sobre a componente fiscal", pode ler-se no relatório, que refere ainda que a quebra no lado contributivo é refletida pela "isenção temporária de pagamento da Taxa Social Única".

Já em 2021, "prevê-se um impacto de +1.742 ME, do qual +1.112 ME respeitam aos efeitos das medidas legisladas em 2020 e +630 ME às novas medidas previstas" na proposta de OE2021.

A recuperação da receita adiada em 2020, no valor de 1.150 ME, "constitui o principal determinante do efeito positivo proveniente de medidas aplicadas em 2020; em 2021, como novas medidas, "destaca-se a previsão de recebimento de receita comunitário no âmbito da iniciativa europeia REACT para financiamento das medidas de despesa covid-19".

Segundo a unidade liderada por Rui Nuno Baleiras, em 2021 "a recuperação da receita fiscal adiada em 2020 deverá beneficiar a cobrança, superando os impactos negativos das restantes medidas".

Já o impacto das novas medidas de 2021, de 630 ME, "resulta dos efeitos de sinal contrário do aumento previsional das transferências comunitárias no âmbito da iniciativa REACT (+1.018 ME) e das medidas de redução da receita fiscal (-387 ME)".


22h32 - Brasil regista mais 544 mortes e 48.331 novos casos, para um total de 5.748.375 infeções e 163.373 óbitos.

22h43 - Governo sueco vai proibir venda de álcool depois das 22h00 horas

O primeiro-ministro sueco disse hoje que o governo vai apresentar uma proposta de lei para proibir a venda de álcool depois das 22h00 em bares, restaurantes e estabelecimentos noturnos, a partir de 20 de novembro.

Stefan Lofven avançou que o país está "a enfrentar uma situação que arrisca ficar muito negra" e que "pode ficar na situação que viveu na última primavera".

A Suécia registou números inéditos de infeções com o novo coronavirus nas últimas semanas, o que está a pressionar o sistema de saúde do país e as unidades de cuidados intensivos.

"Todos os indicadores estão a apontar na direção errada", afirmou Lofven, durante uma conferência de imprensa conjunta com a ministra dos Assuntos Sociais, Lena Hallengren.

Esta especificou que todos os locais com permissão para vender álcool devem fechar 30 minutos antes das 22h00 e descreveu estes lugares, em particular bares e estabelecimentos noturnos, como "ambientes de risco".

21h35 - Nova Iorque reimpõe fecho de restaurantes e bares às 22h00

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, anunciou hoje um reforço nas medidas de restrição para travar a propagação da Covid-19 no Estado e ordenou o encerramento dos restaurantes, bares e ginásios às 22h00 locais.

Cuomo, salientando que as novas restrições entram em vigor sexta-feira, adiantou também que serão impedidas festas privadas com mais de 10 pessoas e que as medidas são necessárias porque uma boa parte dos contágios pelo novo coronavírus ocorre a partir daqueles setores de atividade.

Apenas os serviços de ‘take away’ serão permitidos após aquele horário no Estado que foi o epicentro da pandemia durante a primeira vaga de Covid-19.

A decisão de Cuomo surge numa altura em que a taxa de infeção de Covid-19 continua a subir em Nova Iorque, onde, terça-feira, foram hospitalizados 1.628 infetados e 21 pessoas morreram.

“Estamos a assistir ao que já se previa durante meses: um aumento nacional e global e Nova Iorque é apenas um só barco neste mar de pandemia”, sublinhou Cuomo, assinalando que as medidas procuram a “simetria” com as aprovadas pelas autoridades de Nova Jérsia e Connecticut, estados limítrofes, para evitar que as pessoas frequentem os espaços.

21h08 - PR da África do Sul anuncia retoma de voos internacionais para todos os países

O Presidente sul-africano anunciou hoje a retoma dos voos internacionais para todos os países, de forma a ajudar a economia em recessão a enfrentar uma possível segunda vaga do novo coronavírus, que causou mais de 20.000 mortos no país.

"Todos os voos internacionais serão agora permitidos de acordo com os protocolos de contenção da pandemia e da apresentação de um certificado negativo da covid-19", disse Cyril Ramaphosa, numa declaração à nação pela televisão sobre os esforços do Governo sul-africano no combate à pandemia.

"Ao usarmos testes rápidos e estritas medidas de observação, visamos limitar a propagação da infeção através da sua importação", afirmou o Presidente da República.

20h37 - Surto em lar no Pego, em Abrantes, com três óbitos

O surto de Covid-19 que decorre desde 29 de outubro na Estrutura Residencial Para Pessoas Idosas do Pego, no concelho de Abrantes (Santarém), causou a morte a três utentes.

"A evolução do surto é que existem três óbitos no Lar, em três utentes", disse à agência Lusa a delegada de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, "uma das quais a primeira pessoa diagnosticada" neste surto com o vírus SARS-CoV-2 e que infetou, até ao dia de hoje, um total de 80 pessoas, entre utentes e funcionários da ERPI do Centro Social do Pego.

Maria dos Anjos Esperança disse que os óbitos reportam-se a pessoas com idade avançada, com outras patologias, nomeadamente respiratórias e cardíacas.

20h35 - Madeira com mais 15 casos eleva para 212 situações ativas

A Madeira registou hoje 15 novos casos de Covid-19 - cinco importados e dez de transmissão local - e sete recuperações, indicou o Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE), adiantando que o total de infeções ativas é de 212.

20h12 - Grécia em novo confinamento decreta recolher obrigatório noturno

A Grécia, já confinada para combater a pandemia de Covid-19, decretou hoje um recolher obrigatório noturno a partir de sexta-feira após um forte aumento das infeções diárias que estão a pressionar os serviços de saúde.

Com a circulação rodoviária muito intensa em Atenas, apesar de um confinamento imposto desde sábado, o secretário de Estado para a Proteção civil, Nikos Hardalias, anunciou um recolher obrigatório noturno em todo o país a partir de sexta-feira “entre as 21h00 e as 05h00”. Apenas são autorizadas “as deslocações por motivos de trabalho e de saúde”, precisou.

Desde sábado que os gregos apenas podem circular com um SMS ou uma autorização escrita que indique um dos seis motivos de deslocamento autorizado (saúde, alimentação, atividade desportiva ou animal doméstico, acompanhamento à escola ou ajuda a pessoas vulnerável, serviços públicos e bancos, acidente familiar).

No entanto, o número de contágios diários não cessou de aumentar, e hoje os números fornecidos pelas autoridades indicam 2.752 pessoas infetadas, num total de 61.321.

Nas últimas 24 horas morreram 43 pessoas, um recorde desde o surgimento do vírus na Grécia, em finais de fevereiro.

19h52 - Forças de segurança com mais de mil agentes infetados desde início da pandemia

19h49 - França tem quase 32 mil pessoas hospitalizadas devido ao vírus

França tem atualmente 31.918 pessoas hospitalizadas devido à Covid-19 e 4.789 desses pacientes estão internados nos cuidados intensivos, anunciaram hoje as autoridades francesas.

O número de hospitalizações aproxima-se assim do pico de internamentos do mês de abril nesse país, que foi de 32.131 pacientes. Apenas nas últimas 24 horas foram admitidas nos hospitais franceses 2.588 pessoas e houve 351 novas entradas nos cuidados intensivos.

Só na região parisiense há 6.565 pessoas internadas e 1.119 estão em unidades de cuidados intensivos.

19h48 - Hospitais de Penafiel e Amarante continuam em situação crítica

19h47 - Câmara de Ourique contrata testes em escola após caso de infeção

A Câmara de Ourique anunciou hoje ter contratado a realização de testes de Covid-19 na escola da vila que fechou após detetada a infeção numa funcionária e devido à alegada falta de respostas das autoridades de saúde.

Os testes vão começar a ser feitos na quinta-feira aos alunos do jardim-de-infância e do 1.º ciclo do ensino básico do centro escolar, com a devida autorização dos pais e encarregados de educação e para "avaliar a situação e tranquilizar as famílias e toda a comunidade de Ourique".

"Só depois dos resultados dos testes e da desinfeção dos espaços", haverá condições para retomar as atividades no Centro Escolar de Ourique, "com maior confiança e segurança, mas com os cuidados básicos do uso da máscara, das distâncias sociais, da etiqueta respiratória e da lavagem/desinfeção frequente das mãos", frisa o município.

19h45 - Angola notifica mais 137 novos casos e quatro mortes

19h44 - Não há relação entre teletrabalho e dificuldades nos serviços públicos, diz ministra

A ministra da Modernização do Estado recusou hoje associar dificuldades de atendimento nos serviços públicos ao teletrabalho, repudiando afirmações do PSD segundo as quais o teletrabalho é "a mãe de todos os vícios da inoperância" da administração pública.

"Lamento informá-lo que não há qualquer relação entre teletrabalho e uma eventual redução ou dificuldades de atendimento presencial nos serviços públicos", afirmou a ministra Alexandra Leitão, dirigindo-se ao deputado José Cancela Moura, do PSD.

18h56 - Cabo Verde anuncia mais um óbito e mais 61 novos casos

18h13 - Espanha exige testes negativos para quem viaje de Portugal

18h12 - Espanha regista 19.096 novos casos e 349 mortes

Espanha registou hoje 19.096 novos casos de Covid-19, elevando para 1.417.709 o total de infetados no país desde o início da pandemia, segundo números divulgados pelo Ministério espanhol da Saúde.

As autoridades sanitárias também contabilizaram hoje mais 349 mortes atribuídas à Covid-19, passando o total de óbitos para 40.105.

Deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 2.394 pessoas, das quais 426 na Andaluzia, 424 na Catalunha e 253 em Madrid.

Em todo o país há 21.051 pessoas hospitalizadas com a doença, o que corresponde a 17% das camas, das quais 3.093 pacientes em unidades de cuidados intensivos, o que corresponde a 32% das camas desse serviço.

17h56 - Ministério da Agricultura já pagou quase 553 ME em adiantamentos

O Ministério da Agricultura pagou quase 553 milhões de euros em adiantamentos, no âmbito do Pedido Único 2020, e prevê liquidar, até ao final do ano, mais aproximadamente 400 milhões de euros, mitigando o impacto da pandemia no setor.

"O Ministério da Agricultura pagou, a título de adiantamentos, no âmbito do Pedido Único 2020, 552,8 milhões de euros aos agricultores portugueses. Estes pagamentos foram feitos por forma a responder aos impactos da pandemia de covid-19 e minimizar os seus efeitos", anunciou, em comunicado, o Governo.

17h48 - Casos de surto em lar de Mora sobem para 20

O número de pessoas infetadas com Covid-19 no surto de um lar do concelho de Mora, no distrito de Évora, subiu para 20, mais 11 que o anterior balanço, revelou hoje o presidente da câmara municipal.

17h30 - Itália supera milhão de casos e com mais 623 mortos nas últimas 24 horas

Itália superou hoje o milhão de casos de Covid-19 desde fevereiro, quando começou a emergência nacional, após somar mais 32.961 novos infetados e 623 mortes nas últimas 24 horas, indicou o Ministério italiano da Saúde.

Com estes dados, Itália passou a somar, desde o início da pandemia, 42.953 mortes entre os 1.028.424 casos de infeção contabilizados oficialmente.

Do total de novos casos, a pior situação regista-se na Lombardia (norte), que contabilizou 8.180 infeções, à frente da Campânia (3.166), Véneto (3.082) e Piemonte (2.953).

Também foi ultrapassado o limite nas unidades de cuidados intensivos (UCI), que estão ocupadas por 37% dos pacientes com Covid-19, sete pontos acima do limite de 30%.

17h14 - Reino Unido regista 595 mortes e total ultrapassa 50 mil

O Reino Unido registou 22.950 novas infeções e 595 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, um novo máximo desta segunda vaga, fazendo o balanço oficial ultrapassar as 50 mil mortes, anunciou o britânico Ministério da Saúde.

O total acumulado desde o início da pandemia no Reino Unido é agora de 1.256.725 contágios confirmados e de 50.365 óbitos registados num período de 28 dias após as vítimas terem recebido um teste positivo.

Nos últimos sete dias registaram-se 2.623 mortes, uma média de 375 por dia, mais 27 por cento do que nos sete dias anteriores.

Hoje, o governo britânico revelou hoje estar a planear o regresso faseado de centenas de milhares de estudantes universitários a casa no Natal para evitar um novo surto de casos do novo coronavírus.

17h01 - Vice-presidente do Brasil reconhece politização em torno de vacina Coronavac

O vice-presidente brasileiro, general Hamilton Mourão, reconheceu hoje que a discussão em torno da Coronavac, potencial vacina chinesa contra a Covid-19, está "toda politizada", embora recusando comentar o papel do Presidente nesse cenário.

De acordo com Mourão, tornar a vacina numa questão política é negativo para o país.

"O que não pode acontecer é politizar [a vacina]. Infelizmente, vocês sabem, essa questão está toda politizada e ficam 'ah, é do lado A, é do lado B'. Acho que isso não é bom", avaliou o vice-presidente em declarações à imprensa, em Brasília.

Contudo, quando questionado se o Presidente, Jair Bolsonaro, um forte critico da vacina Coronavac, contribuiu para essa politização, Mourão recusou-se a comentar as declarações do chefe de Estado, alegando tratar-se de uma questão de "ética e de lealdade".

"Eu já falei que eu não comento coisas do Presidente. Vocês têm de se lembrar, mais uma vez eu digo: eu sou vice-presidente, ou seja, existe aqui uma relação ética e de lealdade que eu não passo, eu não cruzo essa linha", frisou o general.

16h43 - Caçadores querem integrar exceções ao estado de emergência

A Associação Nacional de Proprietário Rurais (ANPC) acusa o governo de discriminação por não permitir que a caça integre a lista de atividades para as quais podem ser realizadas deslocações durante o estado de emergência.

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral da ANPC, João Carvalho, explica que a caça não pretende um tratamento "diferenciado" e que o que está em causa é a sobrevivência de um setor "fundamental" da economia rural.

"Não queremos um tratamento diferenciado relativamente a outras atividades, nem um livre trânsito durante o recolher obrigatório decretado nos 121 concelhos. A caça não quer um tratamento diferente. Queremos apenas que, fora desse período de recolher obrigatório, entre as 23h00 e as 05h00, possamos ir para o campo, onde estamos em isolamento social total, ao ar livre e, portanto, representamos um risco de contágio baixíssimo", explica João Carvalho.

16h10 - Maioria das lojas Pingo Doce antecipa abertura para as 06h30

A Jerónimo Martins vai antecipar a abertura da "maioria das suas lojas" Pingo Doce para as 06h30, no fim de semana, devido às limitações de circulação, para evitar a concentração de pessoas durante a manhã.

"Dadas as limitações à circulação impostas pelo estado de emergência nos próximos sábado e domingo, e tendo em conta também a possibilidade de haver restrições adicionais à circulação entre concelhos, o Pingo Doce vai abrir a maioria das suas lojas às 06h30 e encerrar às 22h00, procurando assim contribuir para evitar a concentração de pessoas nas lojas no período da manhã", confirmou à Lusa fonte oficial da Jerónimo Martins, dona da cadeia de supermercados.

Também a Sonae MC adiantou à Lusa que, "tal como aconteceu na 1.ª vaga da pandemia", está a "analisar a situação e a ajustar os horários das lojas Continente a cada concelho, de forma a maximizar a segurança e o conforto" dos clientes.

"Neste momento já antecipámos o horário de abertura de algumas lojas para as 08h00 e estamos também a estender os horários de encerramento", acrescentou.

15h58 - Açores com 26 novos casos que elevam para 201 número de ativos

Os Açores registaram, nas últimas 24 horas, 26 casos de Covid-19, sendo 23 na ilha de São Miguel, um em Santa Maria e dois na Terceira, elevando para 201 o número atual de ativos, foi hoje anunciado.

15h56 - Sobe para quatro o número de mortes do surto no lar do Salvador em Beja

15h52 - Restaurantes da Mealhada anteveem impacto "catastrófico"

Os restaurantes da Mealhada, conhecidos por servirem o leitão assado da Bairrada, anteveem um cenário catastrófico na faturação se o concelho vier a ser incluído na lista dos municípios mais afetados pela pandemia da Covid-19.

O presidente da Câmara deste município do distrito de Aveiro, Rui Marqueiro, lançou inclusivamente um apelo às mais altas figuras do Estado para que o horário de funcionamento nos fins de semana de confinamento fosse estendido até às 15h00, antevendo a inclusão do concelho naquela lista.

Já hoje, o primeiro-ministro, António Costa, afastou essa possibilidade.

De acordo com o autarca, o município regista mais de 400 casos de infeção por Covid-19, reunindo assim os requisitos para ser abrangido pelas medidas mais penalizadoras de combate à pandemia.

15h50 - Associações do comércio acolhem apoio da Câmara de Lisboa como "bomba de oxigénio"

A União de Associações do Comércio e Serviços (UACS) considerou hoje que o apoio da Câmara Municipal de Lisboa para o comércio e restauração é uma "bomba de oxigénio" no contexto da pandemia, por ser atribuído já em dezembro.

"Tendo em conta as novas restrições do Governo [no âmbito do estado de emergência devido à pandemia de Covid-19], esta notícia do município de Lisboa veio abrandar os medos dos empresários destes setores que poderiam estar prestes a desistir", afirmou a presidente da UACS, Lourdes Fonseca, destacando o objetivo do executivo camarário de "chegar mais rapidamente às empresas e no tempo certo".

Em causa está o anúncio de um programa para o comércio e restauração da capital, no valor de 20 milhões de euros, com apoios a fundo perdido entre quatro e oito mil euros, a pagar a partir de dezembro.

15h47 - Surto com 49 infetados em lar do concelho de Celorico da Beira

Um surto de Covid-19 no lar da Santa Casa da Misericórdia de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, infetou 49 pessoas, entre utentes e funcionários, segundo fonte da autarquia.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Celorico da Beira, Carlos Ascensão, referiu que os casos positivos de infeção pelo novo coronavírus dizem respeito a 30 utentes da instituição que apoia 61 idosos e a 19 funcionários de um universo de 44.

"A maior parte [dos utentes] são assintomáticos. Entre as funcionárias, três são sintomáticas e as outras assintomáticas", referiu.

Segundo o autarca, uma funcionária está internada no hospital da Guarda "desde a semana passada".

15h31 - Moçambique ultrapassa 100 mortos e regista 99 novos casos

Moçambique registou, nas últimas 24 horas, cinco óbitos por Covid-19, o maior número diário já registado, elevando o total de mortos para 104, num dia em que mais 99 pessoas foram diagnosticadas positivas, para um total de 13991, anunciou o Ministério da Saúde.

15h19 - Testes da Coronavac retomados

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão regulador do Brasil, autorizou a retoma dos testes da Coronavac, potencial vacina chinesa, após a morte de um voluntário no país.

15h04 - Quanto custa uma vacina?

A organização Médicos sem Fronteiras queixa-se da falta de transparência das empresas farmacêuticas em relação aos dados e aos custos clínicos da vacina para a Covid-19.
14h48 - Europa deverá pagar menos do que os EUA pela vacina da Pfizer

De acordo com a agência Reuters, a União Europeia chegou a acordo para pagar menos, pelo menos inicialmente, pela vacina da Pfizer contra a Covid-19.

Soube-se esta manhã que Bruxelas irá receber 300 milhões de doses da vacina que resultou do trabalho conjunto da Pfizer e da BioNTech.

14h19 - Mais 82 mortos e 4.935 casos em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 82 óbitos - novo máximo diário - e 4.935 novos casos de Covid-19. Desde o início da pandemia houve 3.103 mortes e 192.172 casos confirmados.

Destaque ainda para os internados: há 2.785 pessoas internadas com Covid-19, 391 em unidades de cuidados intensivos.

A região com maior número de casos é a região Norte, com mais 2.845 novos casos, seguindo-se a região Lisboa e Vale do Tejo, com mais 1.185 novos casos. Do número de óbitos, 44 ocorreram na região Norte, 19 em Lisboa e Vale do Tejo e 17 na região Centro.

Nas últimas 24 horas houve ainda registo de mais 3.475 casos recuperados.

14h01 - Paços de Ferreira com quatro mil infetados por cada cem mil habitantes

Um dos concelhos onde as medidas de restrição podem apertar é Paços de Ferreira que no fim semana registava quatro mil infetados por cada cem mil habitantes.


13h30 - 248 casos em estabelecimentos prisionais

Tires é a única cadeia identificada tendo em conta o elevado número de infetadas. São 148 reclusas. A origem dos surtos ainda não foi identificada.


13h27 - Doentes chegam ao hospital com diabetes descompensada

O presidente da Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal adverte que estão a chegar às urgências dos hospitais pessoas com um ligeiro cansaço e uma diabetes "extremamente descompensada", que normalmente corresponde a um diagnóstico de covid-19.

"Estas pessoas deveriam ter ido ao centro de saúde, deveriam ter sido logo encaminhadas no tratamento da diabetes, e provavelmente não teriam necessidade de internamento. Poderiam ter ficado em casa com uma supervisão online ou telefónico por parte do médico", adiantou à agência Lusa José Manuel Boavida, sublinhando que nestes casos "os médicos e enfermeiros são absolutamente necessários e imprescindíveis".

13h24 - Cardiologistas sublinham redução nas intervenções de enfarte do miocárdio

O presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia alertou hoje que houve uma redução de um quarto no número de intervenções em fase aguda de enfarte do miocárdio, que terá contribuído para o excesso de mortalidade observada este ano.

"Estes enfartes do miocárdio que poderiam ser tratados, alguns provavelmente não chegam ao hospital e as pessoas morrem em casa, e outros acabarão por aparecer em fases mais tardias, em que a evolução para insuficiência cardíaca já poderá ser inevitável", disse Victor Gil, citado pela agência Lusa.

Segundo o cardiologista, esta situação terá contribuído para o excesso de mortes observadas desde o início da pandemia de covid-19 em março.

13h15 - Mais de 51,5 milhões de infetados no mundo

Pelo menos 51.531.660 pessoas foram infetadas em todo o mundo com o novo coronavírus desde o início da pandemia.

O número de mortes associadas à doença Covid-19 foi de 1.275.113 e pelo menos 33.300.900 pessoas foram dadas, até à data, como curadas.

Dados reunidos pela agência France Presse mostram que só nas últimas 24 horas foram contabilizados 10.776 óbitos relacionados com o novo coronavírus e 662.214 novos casos de infeção no mundo.

13h12 - Falta de médicos de família e rastreios ao cancro vão ter efeitos na mortalidade

A falta de médicos nos centros de saúde e a paragem dos rastreios do cancro terão "consequências graves" nas curvas de sobrevivência, que vão sofrer "uma queda abrupta" dentro de três anos", prevê a Sociedade Portuguesa de Oncologia.

Em declarações à agência Lusa, a presidente da SPO defendeu que os médicos dos centros de saúde têm de ser libertados das tarefas ligadas à covid-19 para poderem acmpanhar os doentes e fazer os diagnósticos numa altura em que hospitais não podem receber mais doentes.

Segundo Ana Raimundo, devem ser colocados outro tipo de profissionais a fazerem os telefonemas de acompanhamento dos suspeitos ou doentes com covid-19, uma situação que as autoridades governamentais já estão a fazer.

Para a médica, devia ter-se aproveitado o "período de acalmia" da pandemia de covid-19 para treinar profissionais de outras áreas para realizar este trabalho.

13h09 - Inquéritos epidemiológicos justificam recolher obrigatório no fim de semana

O primeiro-ministro sustentou esta quarta-feira, a partir de São Bento, onde recebeu o secretário-geral da Confederação Europeia de Sindicatos, que a imposição do recolher obrigatório a partir do início da tarde, nos próximos fins de semana, teve por base os dados de "todos os inquéritos epidemiológicos".

"Todos os inquéritos epidemiológicos nos dizem que 68 por cento das transmissões estão a ocorrer em momentos de convívio familiar e social", afirmou António Costa.

O governante lembrou que "os restaurantes poderão funcionar em regime de take-away" ou "em regime de entrega ao domicílio". Ainda assim, reconheceu que o impacto sobre o sector será "duríssimo".

13h02 - Secretário de Estado garante reforço de capacidade na região Norte

Em visita a um espaço de retaguarda Covid-19 em Ermesinde, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, falou sobre a questão de transferências de doentes entre hospitais, garantindo que há "expansibilidade" da rede e que a mesma está pronta a fazer transferências em caso de necessidade.

Questionado sobre o possível fim do "pico" de casos na região Norte, o governante considera que ainda é prematuro fazer essa avaliação e garante que os serviços da região estão a ser reforçados ao máximo de forma a fazer face a um novo aumento de casos.

12h30 - Infetados dois médicos do Centro de Saúde de Aljustrel

Dois médicos do Centro de Saúde de Aljustrel estão infetados com o vírus da covid-19 e há apenas um médico a realizar consultas, disse hoje à Lusa a presidente da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA).

12h09 - Espanha prepara vacinação de dez milhões depessoas

O Governo espanhol anunciou esta semana que pretende comprar 20 milhões de doses da vacina Pfizer contra a Covid-19, permitindo imunizar gratuitamente dez milhões de pessoas a partir do fim do ano ou inícios de 2021.

11h47 - Sputnik V tem eficácia de 92 por cento, garantem russos

De acordo com os resultados preliminares da última fase de ensaios clínicos, a vacina russa Sputnik V tem uma eficácia de 92 por cento na proteção dos doentes contra a Covid-19, garante o Fundo de Investimento da Rússia.

O anúncio é feito dois dias depois de a farmacêutica norte-americana Pfizer ter revelado que está a trabalhar numa vacina experimental com eficácia de 90 por cento.

11h25 - Pfizer vai fornecer até 300 milhões de doses da vacina à UE

A Pfizer e a parceira alemã BioNTech anunciaram esta quarta-feira que chegaram a acordo para que sejam fornecidas 300 milhões de doses da vacina contra a Covid-19.

11h10 - Irão regista mais 462 mortos e 11.780 novos casos

O país contabiliza um total de 39.664 mortos e 715.068 casos de infeção desde o início da pandemia.

10h55 - Surto em lar de Figueira de Castelo Rodrigo

Em Escalhão, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, Guarda, um surto de Covid-19 infetou até agora 41 pessoas, incluindo utentes e funcionários.

10h37 - Alerta dos médicos de família

A Associação Portuguesa de Médicos de Medicina Geral e Familiar diz que a capacidade de resposta de muitos centros de saúde está a chegar ao limite. A associação dá conta de que já estão a ser adiadas consultas de doentes não urgentes, nos cuidados primários.

Rui Nogueira, presidente da associação, diz à Antena 1 que, perante a chegada da segunda vaga da pandemia, é urgente investir em mais meios humanos para estes serviços.

10h23 - Protesto em escola no contexto da pandemia

Os trabalhadores não docentes do agrupamento de Escolas Virgílio Ferreira estão em greve. Denunciam a falta de recursos humanos nos estabelecimentos, no contexto da pandemia, e que com tão poucos recursos não conseguem cumprir as exigências de segurança sanitária.
 

10h00 - África com mais 345 mortes e 13.076 casos de infeção

No total, o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana contabiliza 45.954 vítimas mortais e 1.904.820 casos de infeção desde o início da pandemia.

9h54 - Apoio a lojas e restaurantes em Lisboa

A Câmara de Lisboa vai apoiar as lojas e restaurantes que estão em dificuldades financeiras devido à crise pandémica.

Ao longo dos próximos quatro meses, os comerciantes e empresários que se candidatarem podem receber até 8 mil euros desde que registem quebras nas vendas acima dos 25 por cento.

9h45 - Mesquita Central de Lisboa suspende oração de sexta-feira

O sheik David Munir explica à Antena 1 que o objetivo é evitar a concentração de pessoas no local neste dia de culto para os muçulmanos.

A crise também está a levar mais pessoas da comunidade muçulmana a pedir ajuda. Chegam a ter mais de uma centena de pedidos por mês.

9h43 - Mais 3.770 casos e 75 mortes na Indonésia

No total o país já registou 448.118 casos e 14.836 mortes desde o início da pandemia.

9h11 - Casos na região Norte estão a abrandar

O número de casos diários de infeção pelo novo coronavírus na região Norte está a "abrandar", afirmou hoje um especialista da Universidade do Porto.

Em declarações à agência Lusa, o matemático Óscar Felgueiras alerta, no entanto, que a incidência do número de novos casos "ultrapassa quatro vezes" o limite estipulado por 100 mil habitantes.

8h33 - Rússia regista recorde de 432 mortos

De acordo com os dados oficiais, a Rússia registou mais 432 mortos nas últimas 24 horas, o pior número diário no país desde o início da pandemia. Já morreram 31.593 pessoas no país.

Foram ainda reportados 19.851 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, dos quais 4.477 em Moscovo. No total o país contabilizou 1.836.960 casos desde o início da pandemia.

8h17 - EUA batem recorde. 200 mil casos num só dia

Os Estados Unidos ultrapassaram nas últimas 24 horas os 200 mil novos casos de covid-19, um recorde desde o início da pandemia.

De acordo com os dados da Universidade Johns Hopkins o país registou 201.961 infeções em apenas um dia, um número que poderá estar inflacionado, tendo em conta que inclui alguns resultados não apurados no fim de semana.

Apesar de as mortes ainda estarem bem abaixo do pico diário de 2.200 registado em abril, o país contabilizou 1.535 óbitos nas últimas 24 horas, elevando o total desde o início da pandemia para 239.588.

Só nos primeiros 10 dias de novembro, os Estados Unidos ultrapassaram um milhão de novos casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, de acordo com as autoridades de saúde locais.

7h58 - Alemanha reporta novos números

O número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus na Alemanha aumentou, nas últimas 24 horas, em 18.487, para um total de 705.687 desde o início da pandemia.

Os últimos dados do Instituto Robert Koch para doenças infecciosas reportam mais 261 casos mortais de Covid-19, para um total de 11.767.

7h40 - Ponto da situação

As empresas vão ter prazos mais alargados para cumprirem as obrigações fiscais. O Governo ajustou o calendário fiscal em relação ao que resta de 2020 e aos primeiros meses de 2021.Mantém-se a filosofia de flexibilização do calendário que tem vindo a ser aplicada por causa da pandemia.


As novas regras foram elaboradas com base num parecer da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas.

As empresas passam a poder entregar a declaração do IVA até ao dia 20 de cada mês. O prazo para a entrega do Modelo 10 é alargado até 25 de fevereiro.

A entrega da Informação Empresarial Simplificada é até 15 de julho e a declaração de IRC até 1 de março.

As faturas em formato digital vão ser aceites até ao final de março O objetivo do Governo é diminuir a circulação de faturas em papel durante a pandemia.A Confederação das Micro, Pequenas e Médias Empresas considera que este é um passo positivo, mas que não resolve todos os problemas.

Na primeira vaga da Covid-19, as faturas em formato digital começam a ser mais utilizadas. A ideia é retomar esse processo.

Assim, as faturas em formato digital vão ser aceites até ao dia 31 de março.
Infeções no Estabelecimento Prisional de Lisboa

Duzentos reclusos do Estabelecimento Prisional de Lisboa estão em quarentena. A medida foi tomada na sequência de seis casos de infeção entre reclusos.

Assim, os reclusos em quarentena e cerca de 30 funcionários vão realizar testes.

As visitas dos familiares aos reclusos foram suspensas e só se mantêm as visitas dos advogados.
Penafiel
O Hospital de Penafiel voltou a esgotar a capacidade de internamento. Pelo menos 14 doentes com Covid-19 ficaram à espera de cama nas urgências.

Nenhum hospital vizinho tem capacidade de resposta.
Neste momento, mais de 200 infetados estão internados nos hospitais Padre Américo, em Penafiel, e São Gonçalo, em Amarante.
Açores
Nos Açores, a Unidade de Saúde da Lagoa, em São Miguel, está encerrada. Um profissional de saúde foi infetado com coronavírus.

Estão a ser identificados todos os contactos de risco. A unidade de saúde vai esta encerrada pelo menos até dia 20 de novembro.
O quadro em Portugal
Morreram mais 62 pessoas entre segunda e terça-feira, para um total de 3021 mortos desde o início da pandemia, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

Desde 2 de novembro que o número diário de mortes é sempre superior às quatro dezenas e com tendência de crescimento.

Houve registo, em 24 horas, de mais 3817 casos de infeção pelo SARS-CoV-2. É o número mais baixo desde 4 de novembro.

Estavam internadas 2742 pessoas. Nos cuidados intensivos, em estado grave, estavam 382.
O quadro internacional

A pandemia da Covid-19 provocou pelo menos 1.263.890 mortos em mais de 50,9 milhões de casos de infeção, de acordo com o balanço em permanente atualização por parte da agência France Presse.

O Supremo Tribunal Federal do Brasil deu 48 horas à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para esclarecer os critérios empregues nos estudos e testes da Coronavac, a potencial vacina chinesa contra a Covid-19.

A decisão do juiz Ricardo Lewandowski tem lugar 24 horas depois de a Anvisa ter suspendido os testes da Coronavac, por causa da morte de um voluntário.
O juiz pretende conhecer "os critérios utilizados para proceder aos estudos e experimentos referentes à vacina acima referida, bem como sobre o estágio de aprovação desta e demais vacinas contra a Covid-19".

Ricardo Lewandowski cita "o relevante interesse público e coletivo" do caso, enfatizando que a "saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e económicas que visem à redução do risco à doença".