Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Reuters

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações

VEJA A INFOGRAFIA COM TODOS OS DADOS ATUALIZADOS DA SITUAÇÃO EM PORTUGAL. CLIQUE AQUI


22h31 - Brasil regista mais 721 mortes e 34.027 infetados

O Brasil registou nas últimas 24 horas 721 mortes causadas pela covid-19, pouco mais de metade do que na véspera, apresentando também uma redução no número de infetados com o novo coronavírus (34.027).

Segundo os dados este domingo divulgados pelas autoridades de saúde, desde o início da pandemia morreram no Brasil 254.942 pessoas e 10.551.259 foram infetadas.

Esta é a primeira vez nos últimos seis dias que o número de óbitos diários é inferior a 1.000, bem como o número de infetados é inferior a 60 mil.

Contudo, as autoridades admitem que os números de hoje possam ser superiores, já que há uma carência de recursos humanos ao fim de semana para recolher os dados, sendo que estes acabam por ser consolidados às terças-feiras.

De acordo com o Ministério da Saúde brasileiro, a taxa de mortalidade pelo vírus foi hoje de 121,3 óbitos por 100 mil habitantes, enquanto a incidência aumentou para 5.020 infetados por 100 mil pessoas. A letalidade da doença no Brasil permaneceu em 2,4%.

Há mais de um mês que a média de mortes por covid-19 no Brasil ultrapassa 1.000 pessoas por dia e o de infeções chega a 50 mil, números que colocam metade do país em estado crítico.

21h20 - Novos casos de contágio em França descem abaixo dos 20.000

O número de novos casos diários de infeção com covid-19 registado este domingo em França caiu ligeiramente abaixo de 20.000, num dia em que também houve menos mortes em hospitais, segundo as autoridades de saúde.

Em França, nas últimas 24 horas, registaram-se 19.952 novos casos de contaminação com o novo coronavírus, fazendo subir o total para 3.755.968, desde o início da pandemia.

Os números de fim-de-semana tendem a ser menores, por causa do menor número de testes, mas mantém-se, de qualquer forma, a tendência de queda dos últimos dias, com 23.996 novos casos no sábado e 25.207 na sexta-feira.

Na quarta-feira, porém, houve um pico de 31.519 novos casos de infeção, o mais elevado número desde novembro.

O número de mortes com covid-19 também caiu hoje para 122, após 186 óbitos no sábado e 286 na sexta-feira, totalizando 86.454 pessoas que perderam a vida com esta doença.

20h40 - Brasil. Indígenas fazem parte do grupo prioritário do programa de vacinação contra a covid-19

No Brasil, os indígenas fazem parte do grupo prioritário do programa de vacinação contra a Covid-19. A RTP esteve na Aldeia Mata Verde Bonita, onde a população indígena já foi vacinada.


20h39 - Venda de oxímetros disparou por causa da covid-19

A pandemia fez disparar a venda de oxímetros nas farmácias. São aparelhos que medem os níveis de oxigénio no sangue. Uma preciosa ajuda para pessoas com doenças respiratórias ou que foram infetadas pelo novo coronavírus.


20h26 - Cascais. Cidadãos multados por mudarem de concelho para passear junto à praia

Foram multadas várias pessoas em Cascais por violação das regras de confinamento. Muitas estavam a circular entre concelhos. A culpa foi do sol e das altas temperaturas que atraíram muita gente para a praia.


20h25 - Já foi alcançada uma das três metas definidas pelo Presidente para o país desconfinar

Se Portugal mantiver o atual modelo de confinamento até à Pascoa, o país deverá atingir nessa data menos de 100 novos casos diários de Covid-19. A projeção é feita pelo matemático Óscar Felgueiras, que tem vindo a analisar a evolução da pandemia.

Projeções que apresenta regulamente nas reuniões do Infarmed.

20h23 - Voo de repatriamento trouxe vários passageiros do Brasil

Já estão em Portugal os passageiros que queriam regressar do Brasil mas que tinham ficado retidos por causa da pandemia. Alguns estavam à espera deste regresso há mais de um mês. Por isso este foi um dia de grandes emoções no Aeroporto de Lisboa.


20h22 - Estados Unidos vão começar a administrar a vacina da Johnson&Johnson

Há mais uma vacina aprovada contra a Covid-19. Os Estados Unidos aprovaram a vacina da Johnson&Johnson que deverá começar a ser distribuída já no inicio da próxima semana. É dada apenas numa dose, pode ser armazenada num simples frigorífico mas é menos eficaz que as anteriores.

A terceira vacina pode chegar à Europa já em Março.

19h55 - Cabo Verde com mais 76 infetados em 24 horas

As autoridades sanitárias cabo-verdianas diagnosticaram mais 76 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando para 15.400 os casos acumulados desde 19 de março, segundo dados divulgados este domingo pelo Ministério da Saúde.

Em comunicado, aquele ministério referiu que os laboratórios de virologia do arquipélago processaram 461 amostras desde sábado, com o concelho da Praia, capital do país, a confirmar mais 22 infetados (em 119 amostras), contando agora com 231 casos ativos.

Ainda na ilha de Santiago foram confirmados casos do novo coronavírus nos concelhos de São Miguel (três), Ribeira Grande (dois), Santa Cruz (dois) e Santa Catarina (dois).

Na ilha de São Vicente foram confirmados 19 novos infetados (em 150 amostras), sendo atualmente outro dos focos da doença no arquipélago, com 33 casos ativos.

Face à evolução da pandemia em São Vicente, o Governo cabo-verdiano prorrogou anteriormente, por 30 dias, até 18 de março, a situação de calamidade para a ilha, a única do país nesse estado.

19h36 - Reino Unido deteta seis casos da variante com origem no Brasil

Seis casos da variante do novo coronavírus com origem em Manaus, no Brasil, foram detetados no Reino Unido, indicou este domingo a autoridade de saúde britânica.

Os especialistas temem que esta estirpe do SARS-CoV-2, que pode ser mais contagiosa do que o vírus original, seja resistente às vacinas contra a covid-19 (doença respiratória causada pelo novo coronavírus) que estão a ser administradas no Reino Unido (Pfizer/BioNTech e AstraZeneca/Oxford).

Segundo os responsáveis sanitários, a variante com origem no Brasil tem as mesmas mutações (alterações genéticas no vírus) que a variante identificada pela primeira vez na África do Sul, apontada como mais transmissível.

Três dos seis casos da variante de Manaus detetados no Reino Unido localizam-se em Inglaterra e os restantes na Escócia, mas não há qualquer ligação entre ambos.

19h11 - Angola com 25 novos casos, dois óbitos e sete recuperações

Angola registou, nas últimas 24 horas, mais 25 casos de covid-19, dois óbitos e sete recuperações, informaram este domingo as autoridades sanitárias através do boletim epidemiológico da Direção Nacional de Saúde Pública.

Os novos casos foram reportados em Luanda (15), Huambo (8) e Huíla (2), com idades entre os 5 e os 73 anos, sendo 14 do sexo masculino e 11 feminino.

Duas pessoas morreram (angolanos, de 43 e 72 anos) e outras sete recuperaram da doença, com idades entre 39 e 78 anos.

Os laboratórios processaram 1.183 amostras por RT-PCR, com o cumulativo a apontar para 394.129 testes.

Angola soma 20.807 casos positivos, dos quais 19.322 recuperaram da doença, 977 estão ativos, incluindo 12 em estado grave, e 508 resultaram em óbito.

18h34 - Reino Unido regista 140 mortes e 6.035 casos nas últimas 24 horas

O Reino Unido registou 140 mortes e 6.035 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com dados publicados este domingo pelo Governo britânico, consolidando a tendência de diminuição da propagação da pandemia no país.

Nos últimos sete dias, morreram 2.270 pessoas com covid-19, o que representa uma queda de 33,5% relativamente a igual período da semana anterior, enquanto o aparecimento de novos casos diminuiu 21%.

Desde o início da crise sanitária no Reino Unido, 122.849 pessoas morreram, tendo sido registados 4.176.554 casos de contágio com o novo coronavírus.

Até agora, 20.089.551 pessoas receberam a primeira dose de uma vacina contra a covid-19, das quais 769.132 receberam uma segunda dose, a qual é administrada com um intervalo de até 12 semanas.

Na atualização semanal divulgada hoje, os cientistas estimaram que o índice de transmissibilidade efetivo (Rt) no Reino Unido manteve-se entre 0,6 e 0,9, o que confirma que a transmissão do vírus continua a diminuir.

17h02 - Câmara de Lisboa assegura táxis gratuitos para locais de vacinação

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) vai assegurar, a partir de segunda-feira, o transporte gratuito em táxis para os locais de vacinação contra a covid-19 da cidade, indicou este domingo a autarquia.

Em comunicado, a CML refere que o serviço gratuito de táxis destinam-se aos munícipes que vivem em Lisboa e que tenham mais de 80 anos e mais de 50 anos com patologias e dificuldades de mobilidade ou deslocação.

16h08 - Guiné-Bissau regista mais 15 novos casos

A Guiné-Bissau registou mais 15 casos de infeção pelo novo coronavírus, para um total acumulado de 3.262, segundo os dados este domingo divulgados pelo Alto Comissariado para a Covid-19.

Os dados, referentes a sábado, indicam também que o número de pessoas internadas desceu para 15.

Segundo o Alto Comissariado há 595 casos ativos no país e 12 pessoas foram dadas como recuperadas para um total acumulado de 2.613.

A covid-19 já provocou a morte a 48 pessoas.

15h49 - Reino Unido já vacinou mais de 20 milhões de pessoas com 1ª dose

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, anunciou este domingo que mais de 20 milhões de pessoas no Reino Unido já receberam a primeira dose da vacina contra covid-19, um progresso que considerou "magnífico".

"Estou absolutamente encantado por informar que mais de vinte milhões de pessoas foram vacinadas em todo o Reino Unido. É absolutamente fantástico. Quero agradecer a cada pessoa que veio para receber a dose", acrescentou Hancock num vídeo que colocou na sua página da rede social Twitter.

O Serviço Nacional de Saúde (NHS) está vacinando com vacinas da Pfizer / BioNTech e Oxford / AstraZeneca.

15h36 - Bolsonaro desvaloriza situação crítica do sistema de saúde brasileiro

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, desvalorizou este domingo a situação crítica que vive o sistema de saúde no Brasil por causa da pandemia, dizendo que "a saúde sempre teve os seus problemas".

"A saúde no Brasil sempre teve os seus problemas. A falta de UTIs (unidades de tratamentos intensivos) é um deles e certamente um dos piores", escreveu o Presidente na sua conta da rede social Twitter, numa altura em que o sistema de saúde brasileiro apresenta sinais de quase rutura em algumas regiões.

Bolsonaro, um dos líderes mundiais mais céticos sobre a gravidade da pandemia de covid-19, que chegou a apelidar de "gripezinha", usou o Twitter para insistir na crítica às medidas de confinamento para combater a crise sanitária.

"Hoje, ao fecharem o comércio e novamente te obrigar a ficar em casa, vem o desemprego em massa com consequências desastrosas para o país", disse o Presidente brasileiro.

O Brasil é um dos países mais afetados pela pandemia em todo o mundo, com mais de 255 mil mortes com covid-19 e 10,5 milhões de contágios, tendo completado no sábado a contagem de cinco dias consecutivas com mais de 1.300 mortes diárias.

15h05 - Pandemia fez disparar a venda de oxímetros nas farmácias

São aparelhos que medem os níveis de oxigénio no sangue, uma preciosa ajuda em pessoas com doenças respiratórias ou que foram infetadas pelo novo coronavirus.

Os especialistas alertam para a importância de saber utilizar e interpretar a informação destes aparelhos.

14h58 - António Costa agradece apoio à Madeira

O chefe do Governo agradeceu o apoio através do Twitter. Na rede social, o primeiro-ministro falou sobre dois dos doentes transferidos e que estiveram um mês no Hospital Dr. Nélio Mendonça.
 
14h03 - Mais 41 mortos e 718 casos confirmados em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal contabilizou nas últimas 24 horas mais 718 novos casos e 41 óbitos. O número de novas infeções é o menor em quase seis meses.

De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o país regista um total de 16.317 óbitos e 804.562 casos desde o início da pandemia.

Houve ainda registo de mais 1.664 casos recuperados, num total de 718.977 recuperados desde o início da pandemia.

Quanto ao número de internamentos, houve uma diminuição de 15 internamentos, oito dos quais em cuidados intensivos. Neste momento continuam internadas 2.165 pessoas com Covid-19, das quais 484 nos cuidados intensivos.

A região de Lisboa e Vale do Tejo liderou de forma destacada o número de novas infeções ao longo das últimas semanas. Hoje os valores são próximos aos da região Norte, mas o número de óbitos continua muito elevado em relação ao resto do país.

A região Norte registou 229 novos casos e cinco óbitos nas últimas 24 horas, enquanto a região Centro contabilizou 97 casos e cinco óbitos. Em Lisboa e Vale do Tejo houve registo de 257 novos casos e 26 óbitos.

Na região do Alentejo houve mais 50 casos e três óbitos e no Algarve registaram-se 32 casos e dois óbitos. Nas ilhas, a Madeira contabilizou 35 novos casos e os Açores mais 18 casos confirmados.

13h53 - Forças de segurança reforçam presença nas ruas

Num fim de semana que parece de primavera antecipada, os passeios marítimos registam algum movimento. As restrições impostas pelo estado de emergência mantêm-se e as forças de segurança reforçaram a presença nas ruas. A RTP acompanhou duas operações em Cascais e Sintra.

13h32 - Metas do PR. Um dos objetivos delineados já foi atingido

O Presidente da República apontou três metas para desconfinar. Uma delas, a do número de infeções, já foi atingida. A segunda meta, a dos internamentos abaixo dos 1.250, deve ser alcançada a meio de março.

13h28 - António Costa agradece à FPF pelo apoio prestado na Casa dos Atletas

No Twitter, o primeiro-ministro confirmou que saiu ontem da Casa dos Atletas o último doente Covid-19. O espaço serviu de estrutura de apoio ao SNS nas últimas semanas. Na mensagem divulgada nas redes sociais, António Costa agradeceu à Federação Portuguesa de Futebol.
12h14 - Mais de 2.5 milhões de mortos no mundo

A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 2.526.075 pessoas em todo o mundo. Mais de 113.758.510 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia, dos quais pelo menos 69.695.100 foram considerados curados.

No sábado, foram registados mais 8.713 óbitos e 395.666 novos casos em todo o mundo, de acordo com a contabilização oficial recolhida pela agência France Presse. 

11h55 - República Checa poderá usar vacina russa sem aval da UE

O primeiro-ministro checo, Andrej Babis, disse este domingo que o país poderá usar a vacina Sputnik V mesmo que a mesma não seja aprovada pela Agência Europeia do Medicamento.

No início de fevereiro, o chefe de Governo tinha garantido que iria aguardar uma decisão por parte do regulador europeu.

11h50 - Irão ultrapassa 60 mil mortes por Covid-19

É o país mais atingido pela pandemia no Médio Oriente. No domingo, o Ministério iraniano da Saúde anunciou que o país ultrapassou a barreira dos 60 mil mortos desde que a Covid-19 chegou ao país. Nas últimas 24 horas, morreram 93 pessoas e foram registados 8.010 novos casos.

11h30 - PM da Hungria recebeu vacina da Sinopharm

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, foi inoculado este domingo com a vacina chinesa, desenvolvida pela Sinopharm. O anúncio foi feito através da página de Facebook de Orbán

11h13 - Presidente do Parlamento Europeu pede vacinação mais acelerada

O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, disse este domingo que os países da UE deverão alcançar o objetivo comunitário de imunizar 70 por cento da população até ao final do verão.

"Os planos nacionais devem acelerar-se. A UE tem o objetivo de vacinar 70% dos europeus até ao final do verão, o que significa 225 milhões de cidadãos. Até agora, foram vacinados 10%, o que equivale a 25 milhões", afirmou, em declarações ao jornal italiano Il Messaggero.

Este esforço deve ser feito apesar dos atrasos no fornecimento. O responsável salienta que as empresas farmacêuticas "As empresas farmacêuticas devem ser severamente sancionadas se violaram contratos ou cometeram fraudes".

10h05 - Alemanha com mais 7.890 casos e 157 mortes

Há uma semana, houve menos 214 novos contágios e um total de 145 mortos, segundo dados oficiais.

A incidência semanal manteve-se em 63,8 contágios por 100.00 habitantes.

9h20 - Voo de repatriamento do Brasil. Cerca de 300 portugueses e lusodescendentes de regresso

A RTP esteve esta manhã no Aeroporto Humberto Delgado a acompanhar a chegada destes passageiros a Portugal. 
8h45 - Voo de repatriamento vindo de São Paulo já aterrou em Lisboa

Já aterrou em Lisboa o voo de repatriamento que saiu de São Paulo no sábado com cerca de 300 passageiros bordo.

É o primeiro voo de carácter humanitário organizado pelo governo português, após o cancelamento das ligações aéreas entre os dois países.

A 27 de janeiro o Governo tinha suspendido os voos de e para o Brasil devido à pandemia de Covid-19.

8h39 - México com mais 783 mortos

O México registou 783 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, acumulando agora 185.257 óbitos desde o início da pandemia, disseram no sábado as autoridades mexicanas.

Foram ainda detetados 7.512 contágios, elevando o total para 2.084.128 casos desde o início da pandemia.

8h16 - Argentina manifesta-se contra "vacinação VIP"

O esquema permitiu a vacinação de ministros, deputados e vários políticos aliados do Governo, num claro atropelo às listas prioritárias de vacinação.

O esquema envolveu três mil vacinas que o Ministério da Saúde mantinha em segredo para uma vacinação paralela.

As pessoas eram levadas num transporte oficial até o hospital escolhido pelo Governo ou eram atendidos em casa numa vacinação VIP, ou até no próprio Ministério da Saúde.

O ministro foi demitido, mas a população exige a demissão de todos os envolvidos.

8h00 - Ponto de situação

Chega esta manhã a Lisboa o voo de repatriamento que saiu ontem de São Paulo com cerca de 300 passageiros bordo.

É o primeiro voo de carácter humanitário organizado pelo governo português, após o cancelamento das ligações aéreas entre os dois países.
Quase 900 doses administradas em Portugal

Um total de 837.887 vacinas contra a covid-19 foram administradas em Portugal desde 27 de dezembro, quando foi dada a primeira dose, indicou no sábado o Ministério da Saúde.

Num comunicado de balanço do processo de vacinação, o Ministério da Saúde precisa que, das 837.887 vacinas administradas, 574.062 correspondem às primeiras doses e 263.825 às segundas doses.

Segundo o Ministério tutelado por Marta Temido, Portugal recebeu 1.034.970 doses de vacinas, tendo sido entregues 27.300 doses para cada uma das regiões autónomas.

O Ministério da Saúde refere que, de acordo com dados reportados pelas várias entidades, foram administradas 199.804 doses a 111.505 profissionais de saúde, sendo que 88.299 já receberam a segunda dose.

Dos grupos prioritários definidos para a primeira fase do processo, foram administradas 200.822 vacinas a pessoas de Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) e da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI), das quais 129.519 já com a segunda dose.
Números descem

Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal registou mais 33 óbitos e 1.071 novos casos. No total, o país contabilizou 803.844 casos confirmados e 16.276 mortos desde o início da pandemia.

Há ainda registo de mais 2.820 recuperados. Desde o íncio da pandemia já foram dados como recuperados 717.313 doentes.

Ao nível dos internamentos, registaram-se menos 224 doentes internados e menos 30 internados nos cuidados intensivos. Nesta altura, estão internadas 2.180 pessoas, das quais 492 em cuidados intensivos.

Quanto à distribuição geográfica dos novos casos, Lisboa e Vale do Tejo contabilizou mais 536 novos casos e 19 óbitos, a região Norte teve mais 267 casos confirmados e quatro óbitos e a região Centro mais 140 casos e cinco óbitos.

A sul, o Alentejo contabilizou mais 28 casos e três óbitos e o Algarve tem mais 23 novos casos e dois mortos. Nas ilhas, a Madeira contabilizou mais 73 casos e os Açores registam quatro novos casos.
EUA aprovam unidose da Johnson & Johnson

O regulador do medicamento norte-americano aprovou no sábado a vacina contra a Covid-19 da Johnson & Johnson, a terceira autorizada nos Estados Unidos.

A vacina em causa é de dose única e junta-se às da Pfizer/BioNTech e da Moderna, ambas administradas em duas doses.

O regulador norte-americano aprovou o uso de emergência da vacina da Johnson & Johnson para pessoas com idade a partir dos 18 anos.