Direto
Final da Taça de Portugal. Acompanhe em direto este jogo com a RTP e a Antena 1

FC Porto marca encontro com o Benfica na final da Taça de Portugal de basquetebol

por Lusa

O FC Porto bateu hoje o Imortal, por 85-65, na segunda meia-final da Taça de Portugal de basquetebol, e marcou encontro com o Benfica na final agendada para domingo, em Viana do Castelo.

Depois de uma primeira equilibrada, com o Imortal a ir para o intervalo na frente do marcador (37-36), o FC Porto impôs-se na segunda parte graças a um coletivo forte, a um ritmo competitivo elevado e a uma defesa agressiva perante a qual o Imortal sentiu grandes dificuldades

Os ‘dragões’ dominaram o primeiro período e o Imortal teve uma boa reação no segundo, tendo iniciado então uma recuperação que o deixou a três pontos do FC Porto (19-22), o que levou Fernando Sá a pedir uma pausa para tentar conter a aproximação do conjunto algarvio.

O extremo Nkuna-Gaylord Lobela empatou quando restavam menos de três minutos para o fim do primeiro tempo e o Imortal teve uma oportunidade para saltar para a frente do marcador, mas não a aproveitou logo e, na resposta, Miguel Queiroz recolocou a sua equipa na frente.

Os algarvios resistiram à pressão portista e o seu melhor jogador neste encontro, Jacob Tubbergen, marcou os dois pontos que lhe permitiram sair para o intervalo a ganhar pela margem mínima (37-36).

A segunda parte foi de domínio quase total dos portistas, que no terceiro período consentiram apenas dez pontos ao Imortal e apontaram 29, com Charlon Kloof a distinguir-se pela sua veia concretizadora.

Tubbergen, melhor marcador do encontro com 29 pontos convertidos, ia fazendo que podia perante a flagrante superioridade do FC Porto, que foi muito forte a defender e revelou ainda uma grande capacidade concretizadora ante um Imortal impotente e que foi perdendo coesão e lucidez.

Kloof e Cleveland Melvin foram uma dor de cabeça permanente para a equipa algarvia e a eles se deveram alguns dos melhores momentos do FC Porto a nível atacante.

Com cerca de seis minutos para jogar, a vantagem portista atingiu os 20 pontos (75-55) e ficou claro que o destino deste jogo estava traçado, a favor de um FC Porto poderoso e confiante.

Com o triunfo mais do que garantido, o técnico portista lançou Apolo Caetano, um base de 16 anos, e mais adiante mandou mesmo descansar os seus jogadores mais influentes e isso permitiu FC Porto terminar o jogo com cinco portugueses em campo.



Jogo no Pavilhão Municipal José Natário em Viana do Castelo

Imortal – FC Porto, 65-85.

Intervalo: 37-36.



Com arbitragem de Paulo Marques, Diogo Martins e Daniel Oliveira, as equipas alinharam e marcaram:

- Imortal (65): Derek Jackson Jr (4), Nkuna-Gaylord Lobela (4), Jacob Tubbergen (29), Trevond Barnes (8) e Fábio Lima (10). Jogaram ainda: Pedro Santos, André Silva (10), Salvador Victo, Miguel Baker, Tiago Coelho e Miguel Bastos.

Treinador: Bernardo Pires.

- FC Porto (85): Charlon Kloof (23), Tanner Omlid (4), Aaron Harrison (7), Cleveland Melvin (13) e Miguel Queiroz (6). Jogaram ainda: Miguel Maria (10), Phil Fayne (12), Nuno Sá (5), João Guerreiro (3), Luís Silva, Ricardo Monteiro (2) e Apolo Caetano.

Treinador: Fernando Sá.



Marcha do marcador: 10-20 (10 minutos), 37-36 (intervalo), 47-65 (30) e 65-85 (resultado final).



Assistência: 250 espetadores.

pub