Sporting consolida liderança no andebol com triunfo sobre o Benfica por 33-29

| Outras Modalidades

|

O Sporting recebeu e venceu quarta-feira o Benfica, por 33-29, no encontro em atraso da 20.ª jornada do campeonato nacional de andebol da primeira divisão, consolidando assim a liderança, agora com quatro pontos sobre o FC Porto.

O Benfica, orientado pelo ´técnico' Carlos Resende, apenas conseguiu mostrar o seu andebol nos primeiros instantes do encontro, tendo sido 'abafado' até final pelos 'leões', no pavilhão João Rocha. As 'águias' partilham os mesmos 59 pontos que os 'dragões' no segundo lugar.

Separados por apenas dois pontos na tabela à entrada para o desafio, ambas as equipas apostaram numa estratégia inicial com muitas faltas, consequentes paragens e aproveitando respetivas falhas técnicas.

Do lado dos 'leões', o cubano Frankis Carol (nove golos no total) ia mantendo o Sporting atrás do resultado, através dos remates certeiros de meia distância e aos seis metros, depois de um começo ligeiramente superior dos 'encarnados', muito por culpa do espaço dado a Pedro Marques e Belone Moreira.

Os campeões nacionais só conseguiram colocar-se em vantagem na partida à passagem do minuto 17, após algum abrandamento do Benfica, que até aqui tinha sido sempre mais rápido na reposição de bola e apanhado os defesas 'leoninos' lentos na recuperação.

Aos poucos, os atletas de Hugo Canela começavam a cimentar o seu domínio, mesmo com um revés na sua disposição tática, uma vez que o central titular Carlos Carneiro, aos 20 minutos, já contava com duas exclusões e teve que ser poupado para a segunda parte.

Até ao intervalo, o Sporting teve temperamento e soube gerir, tendo ido para o balneário a vencer por cinco golos.

A pausa fez melhor ao Sporting do que propriamente ao Benfica, que continuou a cometer erros atrás de erros e sem 'cérebro' na zona de construção. Os campeões nacionais limitaram-se a manter a vantagem, o que permitiu a Hugo Canela gerir melhor a sua equipa.

Com sete pontos de vantagem a pouco mais de 15 minutos do final, os 'encarnados' abriram-se por completo e nem os livres de sete metros que dispuseram foram aproveitados para encurtar distância no marcador.



Jogo no pavilhão João Rocha, em Lisboa.

Sporting - Benfica, 33-29.

Ao intervalo: 17-12.

Sob a arbitragem de Mário Coutinho e Ramiro Silva, as equipas alinharam e marcaram:

- Sporting (33): Skok, Felipe Ribeiro, Bozovic, Nikcevic (7), Edmilson Araújo (2), Francisco Tavares, Carlos Carneiro (2), Tiago Rocha (3), Cudic, Pedro Solha, Frankis Carol (9), Ruesga (2), Cláudio Pedroso (3), Bosko, Pedro Portela (2) e Pedro Valdes (3).

Treinador: Hugo Canela.

- Benfica (29): Hugo Figueira (1), Davide Carvalho (2), João Silva (5), Pedro Marques (4), João Pais (2), André Alves, Belone Moreira (6), Paulo Moreno (3), Ricardo Pisqueira (2), Arthur Patrianova, Nuno Pereira, Alexandre Calvacanti (1), Fábio Vidrago (3), Miguel Ferreira, Francisco Pereira e Ales Silva.

Treinador: Carlos Resende.



Marcha no marcador: 1-2 (05 minutos), 4-5 (10), 8-8 (15), 12-10 (20), 14-12 (25), 17-12 (intervalo), 21-15 (35), 24-18 (40), 27-20, (45), 29-23 (50), 31-26 (55) e 33-29 (resultado final).



Assistência: 1.788 espetadores.

A informação mais vista

+ Em Foco

Entrevista exclusiva de Rui Rio à editora de política da RTP Luísa Bastos.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.