Armindo Araújo é o melhor português, mas Miguel Barbosa está por perto

| Rali de Portugal

Legenda da Imagem
|

Armindo Araújo (Hyundai i20 R5) é o melhor português no Rali de Portugal, a 53.4 minutos do líder, o belga Tierry Neuville (Hyundai R5), num dia de prova marcado pelas desistências de Pedro Meireles e Joaquim Alves.

"Foi um dia complicado, com os pisos muito duros e difíceis" disse o piloto, mostrando-se satisfeito por estar na frente, garantindo que se mantém "focado" em atingir o objetivo, que é "vencer e assumir a liderança do campeonato nacional", frisou.


Nos troços da manhã, venceu dois - Viana do Castelo (26,73 km) e Ponte de Lima (27,54 km), com Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5) a ser mais rápido em Caminha (18,11 km), mas na secção da tarde o ex-campeão de todo o terreno foi sempre mais rápido do que Armindo Araújo, reduzindo a diferença para os 14,8 segundos antes da dupla passagem pela Porto Street Stage (1,95 km).

Nas ruas da invicta, Miguel Barbosa voltou a andar mais rápido e recuperou algum tempo, com os pilotos a partirem para o último dia do rali com uma diferença de 9,3 segundos entre ambos.

No terceiro lugar, entre os portugueses, está Diogo Salvi (Skoda Fabia R5), mas já distante dos dois da frente.

Os troços de hoje, na região do Minho, foram demolidores para o pelotão luso, com Joaquim Alves (Skoda Fabia R5) a capotar, Pedro Meireles (Skoda Fabia R5) a abandonar com problemas na caixa de velocidades, após um salto, e Joana Barbosa a sofrer uma saída de estrada com o Fiesta R2.

Na lista de desistências registam-se ainda os nomes de Diogo Gago, Pedro Antunes e Diogo Soares, todos em Peugeot 208 R2,  António Dias (Skoda Fabia R5), e Pedro Rodrigues (Subaru Impreza WRX).

A classificação final do Rali de Portugal para os pilotos que pontuam para o campeonato nacional é encontrada no final da manhã de sábado, após a passagem pelas classificativas de Vieira do Minho (17,5 km), Cabeceiras de Basto (22,22 km) e Amarante (37,6 km).

A informação mais vista

+ Em Foco

A 15 de outubro de 2017, uma vaga de incêndios fez 50 mortos e dezenas de feridos. Reunimos aqui um conjunto de reportagens elaboradas um ano depois da catástrofe.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

        Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.