"Kikas" perdeu a final no Corona Open J-Bay

por Mário Aleixo - RTP
As ondas foram madrastas para "Kikas" na final frente ao surfista brasileiro Epa

O surfista português perdeu, na manhã desta quinta-feira, a final da prova sul-africana do circuito mundial de surf frente ao brasileiro Filipe Toledo.

O segundo lugar é a melhor classificação de sempre de um português em provas do circuito mundial da modalidade.

Frederico Morais ("Kikas") acabou por perder por uma diferença de 0,27 pontos, ao efetuar 8,33 e 9,40 (17,73), contra os 8,83 e 9,17 (18,00) de  Filipe Toledo.

Com este resultado, o surfista português deu um salto no "ranking" mundial, subindo de 18º para 1.º e ficando assim cada vez mais perto de assegurar a manutenção entre a elite do surf mundial.

"Kikas" ficou satisfeito por em representação de Portugal ter sido o primeiro a chegar à final de uma prova do circuito mundial.



Logo após a conclusão da final Filipe Toledo distribuia agradecimentos.



O presidente da Federação Portuguesa de Surf, João Aranha, classificou na Antena 1, o trabalho de Frederico Morais (“Kikas”) como “histórico e fantástico”.



"Kikas" tornou-se assim no primeiro português a chegar a uma final de um campeonato, depois de na quarta-feira ter igualado a presença nas meias-finais alcançada por Vasco Ribeiro, na etapa de Peniche de 2015, e por Tiago Pires ("Saca"), que, durante os sete anos entre a elite, chegou por três vezes às meias-finais.

"Saca" foi terceiro classificado no Rip Curl Pro Search, em Bali, em 2008, no Quiksilver Pro France, em Hossegor, em 2009, e no Quiksilver Pro Gold Coast, na Austrália, em 2011, tendo sido afastado das finais por Freddy Patacchia Jr, Mick Fanning e Kelly Slater, respetivamente.