Sporting inaugura estádio para o Mundial`2014

| Futebol Internacional

O novo estádio será palco de jogos do Mundial'2014
|

A equipa principal de futebol do Sporting parte hoje para o Recife, Brasil, onde participará no encontro de inauguração do Arena de Pernambuco, marcado para quarta-feira.

O jovem futebolista João Mário é a principal novidade na lista de 18 convocados para o jogo com o Sport Clube do Recife, com a equipa a ser orientada por Oceano Cruz.

O avançado holandês Van Wolfswinkel, que vai alinhar nos ingleses do Norwich na próxima temporada, vai fazer a sua despedida com a camisola do Sporting na partida
que se disputa no Brasil, com Rui Patrício, Schaars e Jeffren a ficarem de fora das escolhas.

Ausentes estão também Labyad, Diego Capel, Eric Dier e Cédric, todos a contas com problemas físicos.

A equipa parte de Lisboa esta tarde, às 16h40.

Eis a lista de convocados:

- Guarda-redes: Marcelo Boeck e Hugo Ventura.

- Defesas: Miguel Lopes, Boulahrouz, Rojo, Tiago Ilori e Joãozinho.

- Médios: João Mário, Adrien Silva, Rinaudo, Ricardo Esgaio, Bruma, André Martins, Zezinho e Carrillo.

- Avançados: Viola, Nii Plange e Ricky van Wolfswinkel.

O Sporting vai inaugurar o Arena de Pernambuco, um dos palcos do Mundial-2014, no Recife.

O Arena Pernambuco tem uma capacidade para 46.14 lugares, mas neste teste inaugural com os "leões", a capacidade vai ficar reduzida a 30 mil espetadores. Este novo estádio vai receber três jogos da Taça das Confederações, em 2013, e cinco jogos do Campeonato do Mundo, em 2014.

Trata-se de um regresso dos "leões" ao Brasil, o primeiro clube português a jogar naquele país, em 1928.



A informação mais vista

+ Em Foco

A causa do incêndio do Pedrogão Grande terá sido uma linha elétrica de média tensão. Esta é uma das principais conclusões do relatório que o professor Xavier Viegas entregou ao Governo.

Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

    Mário Centeno também deixou no ar a ideia de que, na discussão da especialidade do OE2018, seja posto um ponto final nos cortes do subsídio de desemprego.

    Os governos espanhol e catalão além de estarem de costas voltadas entrincheiraram-se em narrativas de auto-justificação absolutamente incompatíveis entre si.