Portugal leva 21 atletas aos Mundiais de atletismo de Londres

| Atletismo

Legenda da Imagem
|

Portugal terá 21 atletas nos Mundiais de atletismo de Londres, depois da IAAF convidar Lecabela Quaresma (heptatlo), Irina Rodrigues (disco) e Susana Costa (triplo), que assim se juntam aos outros 18 que já tinham mínimos.

A seleção para Londres2017, hoje divulgada pela Federação Portuguesa de Atletismo, confirma as opções que já eram conhecidas de atletas com mínimos em mais do que uma disciplina, ou seja, Inês Henriques marcha nos 50 km e não os 20 km e Salomé Rocha e Sara Moreira correm os 10.000 metros e não a maratona.

Além dos atletas com mínimos e que estavam disponíveis (as exceções são as maratonistas Jessica Augusto, lesionada, e Doroteia Peixoto, que segundo a FPA não se tem treinado para a maratona), a lista inclui três atletas que se aproximaram dos mínimos internacionais e que foram 'repescados', para completar o número previsto de participantes nas suas provas, 32.

Dos portugueses que se previa que pudessem ser repescados, apenas Emanuel Rolim, nos 1.500, não o consegue e 'fica à porta' da seleção.

O total de 21 atletas é de alguma recuperação na década e é mesmo o maior desde os 24 de Daegoo2011, superando os 12 de Moscovo2013 e os 16 de Pequim2015. O máximo, 30, foi registado em Atenas97.

Em número recorde são as mulheres, 13, tantas quantas estiveram em Berlim2009, embora um pouco aquém das 15 dos Jogos Olímpicos do Rio2016.

Volta a haver mais mulheres que homens na seleção, o que tem vindo a ser regra - há dois anos, foram nove mulheres e sete homens, em Pequim, e no ano passado, no Rio de Janeiro, oito homens e 15 mulheres.

Olhando para os setores constata-se que há cada vez menos fundistas na seleção, em contraste com o que acontecia, nomeadamente no final do século passado, quando o meio-fundo e o fundo era a 'jóia da coroa' de qualquer seleção.

Apenas estão três maratonistas e duas corredoras de 10.000 metros, além de uma atleta de 1.500 metros.

Em decréscimo está também o setor da marcha, com Portugal a deixar de ter o quadro de haver mais atletas que vagas para os 20 km femininos. Resta Ana Cabecinha, depois de Inês Henriques 'migrar' para os 50 km - distância em que há dois nomes em masculinos.

Por clubes, Benfica (9) e Sporting (7) continuam a dominar, só escapando aos dois grandes de Lisboa Salomé Rocha e as maratonistas e marchadoras.

Em termos individuais, o destaque poderá ser Inês Henriques, que não deixou de treinar para os 50 km marcha, à espera da 'abertura' da IAAF, que só foi tornada pública no domingo.

Inês Henriques é a recordista mundial da distância e como tal candidata a medalha, nesta estreia da especialidade em Mundiais (ainda que com limitações, nomeadamente de tempos de passagem e participação simultânea com masculinos).

Poderão aparecer boas marcas, também, de Tsanko Arnaudov (11.º mundial do ano no peso) e Patrícia Mamona (sétima no triplo).

Equipa Masculina:

Equipa Feminina:
David Lima - 100 e 200 metros Lorene Bazolo - 200 metros
Ricardo Ribas - Maratona Cátia Azevedo - 400 metros
Diogo Ferreira - Salto com Vara Marta Pen Freitas - 1.500 metros
Nelson Évora - Triplo Salto Sara Moreira - 10.000 metros
Tsanko Arnaudov - Lançamento do Peso Carla Salomé Rocha - 10.000 metros
Francisco Belo - Lançamento do Peso Filomena Costa - Maratona
João Vieira - 50 km marcha Sara Catarina Ribeiro - Maratona
Pedro Isidro - 50 km marcha Patrícia Mamona - Triplo Salto
  Susana Costa - Triplo Salto
  Irina Rodrigues - Disco
  Lecabela Quaresma - Heptatlo
  Ana Cabecinha - 20 km marcha
  Inês Henriques - 50 km marcha

Tópicos:

Atletismo, Mundiais, Portugal,

Pesquise por: Atletismo, Mundiais, Portugal,

A informação mais vista

+ Em Foco

O criador dos óculos de realidade virtual está a desenvolver tecnologia que vai transferir jogos de vídeo para os campos de batalha.

Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

    O coração de Lisboa foi palco do maior desfile militar dos últimos 100 anos no país, por ocasião do centenário do Armistício que pôs fim à I Grande Guerra.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.