Schweinsteiger assina pelo Chicago Fire

| Futebol Internacional

O futebolista germânico vai experimentar o futebol norte-americano
|

Schweinsteiger troca Manchester United por Chicago Fire.

O médio internacional alemão Bastian Schweinsteiger, que alinhava no Manchester United, assinou contrato com os Chicago Fire, da liga norte-americana de futebol, confirmou o clube inglês treinado pelo português José Mourinho.

Campeão mundial em 2014, Schweinsteiger, de 32 anos, optou pela mudança para os Estados Unidos, dependente apenas de passar nos habituais exames médicos e de um visto, depois de quase não ter sido utilizado pelo técnico luso na presente temporada.

"Estou triste por deixar muitos amigos do Manchester United, mas muito agradecido ao clube por me dar a possibilidade de pode jogar nos Chicago Fire", afirmou o jogador germânico ao sítio dos "red devils" na Internet.

Recordações

Autor de 24 golos em 121 jogos pela principal seleção germânica, o médio que já passou pelo Bayern Munique e é casado com a ex-tenista sérvia Ana Ivanovic, antiga número 1 mundial, diz ter gostado de alinhar no clube inglês.

"Gostei de trabalhar com o treinador (Mourinho), os jogadores e todo o 'staff'. Desejo-lhes o melhor para o futuro", disse o alemão, acrescentando: "Queria deixar um agradecimento especial aos adeptos do Manchester United, que foram uma parte muito importante durante o tempo que passei no clube".

Schweinsteiger recordou, nomeadamente, a conquista da Taça de Inglaterra, na época transata, adiantando que nunca se esquecerá da "energia e paixão" dos adeptos.

"Agora, é o tempo certo para começar um novo capítulo, em Chicago. Estou Ansioso", finalizou o alemão, ao qual o clube desejou "o melhor" para a sua aventura nos Estados Unidos.

De acordo com o Chicago Tribune, Schweinsteiger terá chegado a acordo para um contrato de um ano, a troco de 4,5 milhões de dólares (cerca de 4,1 milhões de euros), o que fará dele um dos jogadores com melhor salário na competição.


A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.