Fernando Santos divulga convocados para a Taça das Confederações a 25 de maio

| Taça das Confederações

Novo desafio
|

O selecionador português, Fernando Santos, vai divulgar no dia 25 de maio a lista de convocados para o duelo com a Letónia, de qualificação para o Mundial2018 de futebol, e para a participação na Taça das Confederações.

De acordo com uma nota publicada no site oficial da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), a divulgação dos eleitos de Fernando Santos vai decorrer na Cidade do Futebol, em Oeiras, e terá início às 12:00.

Portugal tem um particular agendado para o dia 03 de junho com o Chipre, no Estoril, e, no dia 09, defronta a Letónia, em Riga, em jogo do grupo B de apuramento para o Campeonato do Mundo de 2018.

Após o duelo com letões, a seleção nacional vai começar a preparar a participação da Taça das Confederações, na Rússia, prova que vai disputar pela primeira vez devido ao estatuto de campeão europeu.

Portugal vai discutir o grupo A, juntamente com Rússia, México e Nova Zelândia.

A formação comandada por Fernando Santos estreia-se perante o México, no dia 18 de junho, em Kazan, e depois defronta a Rússia a 21, em Moscovo, e a Nova Zelândia a 24, em São Petersburgo.

A Taça das Confederações, prova que serve de teste para Campeonato do Mundo, vai decorrer em solo russo de 17 de junho a 02 de julho.

 

 

Tópicos:

Chipre Estoril, Letónia, Petersburgo Taça, Taça Confederações, Zelândia,

Pesquise por: Chipre Estoril, Letónia, Petersburgo Taça, Taça Confederações, Zelândia,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    A Alemanha foi a votos com uma economia próspera. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.

      No Olhar o Mundo, Taavi Rõivas, que já foi o mais novo primeiro-ministro da UE, aconselhou Portugal a apostar em novas tecnologias e na juventude.

        O ímpeto independentista ganhou força, motivado pela crise e pelas divergências em relação ao Estatuto da Autonomia da Catalunha.