Alegado autor de insultos racistas a Chiquinho impedido de entrar em estádios

por RTP
O adepto acusado de insultos está fora dos estádios Luís Forra - Lusa

O autor dos alegados insultos de cariz racista dirigidos ao jogador Chiquinho, do Famalicão, foi esta segunda-feira constituído arguido e está impedido de entrar em recintos desportivos, adiantou a Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto.

"Um homem de 53 anos, residente em Faro, foi proibido de entrar em recintos desportivos pela APCVD, após ter sido identificado pela Polícia de Segurança Pública (PSP) na sequência de insultos racistas ao jogador do Famalicão Chiquinho", lê-se em comunicado da Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto.

No passado sábado, no Estádio de São Luís, em Faro, a partida entre o Farense e o Famalicão, a contar para a 21ª jornada da I Liga, esteve interrompida entre os 80 e os 84 minutos. Isto após Chiquinho se ter queixado ao árbitro Hélder Malheiro de alegados insultos racistas lançados a partir da bancada.

"Fruto da colaboração e rápida atuação da PSP, o adepto suspeito foi esta manhã notificado da medida cautelar decretada pela APCVD e da respetiva constituição de arguido em processo contraordenacional", precisa a nota da APCVD.

Recorde-se que o emblema algarvio se demarcou, logo no sábado, deste incidente, prometendo colaborar para para que tal comportamento fosse "exemplarmente punido".A Liga Portuguesa de Futebol Profissional havia apelado às autoridades para que punissem "de forma exemplar" o adepto em causa: "Para que fique claro que no futebol não há espaço para o racismo".

Também o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Correia, condenou o incidente, recorrendo à rede social X.

"Tolerância zero ao racismo! O jogo desta tarde entre o Farense e o Famalicão, a contar para a Liga, ficou manchado pelo insulto racista de um adepto ao jogador Francisco Jorge 'Chiquinho' (Famalicão). A APCVD (Autoridade de Prevenção e Combate à Violência no Desporto) irá agir. O caso será entregue ao Ministério Público", escreveu o governante.

O adepto fica assim impedido de entrar em recintos desportivos até ao termo do processo de contraordenação e incorre numa multa de 1.750 a os 50 mi, euros, além de uma sanção acessória de interdição de acesso a recintos desportivos até três anos.

c/ Lusa

Tópicos
pub