City faz história em Inglaterra, Espirito Santo mantém Forest na Premier League

por Lusa
Foto: Carl Recine - Reuters

O Manchester City conquistou o seu 10.º título, tornando-se no primeiro tetracampeão do futebol inglês, perante nova desilusão do Arsenal, enquanto o United falhou para já a Europa e Espírito Santo alcançou a permanência com o Nottingham Forest.

Na 38.ª e última jornada da Premier League, o Luton Town, que tinha missão quase impossível, caiu mesmo para o segundo escalão, juntando-se nessa ‘viagem’ a Burnley e Sheffield United, com Tottenham e Chelsea a terem direito à Liga Europa na próxima época e o Newcastle à Liga Conferência Europa.

Contudo, caso o Manchester United vença a Taça de Inglaterra, os ‘red devils’ vão à Liga Europa, o Chelsea cai para a Liga Conferência e Newcastle fica fora das competições europeias.

O Fulham, de Marco Silva, terminou no 13.º lugar, numa dia também marcado pelas despedidas de treinadores: Jurgen Klopp no Liverpool, Roberto De Zerbi no Brighton e David Moyes no West Ham.

Em Manchester, depois de 2020/21, 2021/22 e 2022/23, o City, novamente sob o comando de Pep Guardiola, fez história em 135 anos de futebol inglês, confirmando o título com triunfo por 3-1 sobre o West Ham.

Horas depois de ser eleito o melhor jogador da época na Premier League, Phil Foden ‘festejou’ com dois golos, com Rodri a fazer o terceiro. Bernardo Silva foi titular, assim como Rúben Dias (Matheus Nunes não saiu do banco), e o médio assinou duas assistências.

O ganês Kudus, ainda reduziu a diferença para 2-1, mas os londrinos acabariam derrotados, terminando no nono posto, no adeus a Moyes.

Pela segunda época seguida, o Arsenal ficou muito próximo de conquistar a Premier League, algo que não acontece desde 2003/04, e, nesta ronda, cumpriu o seu dever ao vencer em casa o Everton, por 2-1, com Havertz a fazer o tento do triunfo bem perto do fim.

Mesmo assim, os ‘gunners’, que voltaram a deixar Fábio Vieira no banco de suplentes, terminaram no segundo posto a dois pontos do Manchester City, posição bem oposta ao Everton, que ficou pelo 15.º lugar.

A formação de Liverpool contou em Londres com os portugueses Chermiti e Beto, ambos como suplentes utilizados.

Com Bruno Fernandes a atuar apenas 60 minutos, talvez já a pensar na final da Taça com o City, o Manchester United foi a Brighton vencer por 2-0, com Dalot, igualmente titular, a fazer o primeiro golo, mas não se livrou da pior temporada de sempre na ‘era’ Premier League.

Os ‘red devils’ terminaram no oitavo posto, algo inédito, já que nunca, desde a renovação da competição, em 1992/93, tinham ficado abaixo do sétimo lugar.

Mesmo com dedução de pontos por causa de irregularidades financeiras, Nuno Espírito Santo conseguiu manter o Nottingham Forest no principal escalão, vencendo o campo do Burnley, por 2-0, com um ‘bis’ do neozelandês Wood. Rodrigo Ribeiro foi lançado nos minutos finais.

A equipa do treinador português até podia ter perdido, já que o Luton Town foi derrotado em casa pelo Fulham, com o mexicano Jiménez (ex-Benfica) também a assinar dois golos para a equipa de Marco Silva, no que terá sido o último jogo da Palhinha, titular, pelos londrinos.

Na emotiva despedida de Klopp em Anfield Road (passou nove temporadas no clube), Nelson Semedo ‘ajudou’ ao triunfo Liverpool (viu o vermelho direto ainda na primeira parte) e a equipa da casa acabou por bater o Wolverhampton, por 2-0.

A 48 horas da divulgação da escolhas de Portugal para o Euro2024, Pedro Neto voltou nos ‘wolves’, após dois meses parado devido a lesão, enquanto Diogo Jota esteve no banco dos ‘reds’, mas não foi utilizado.

Na luta pelos lugares europeus, o Tottenham terminou a Premier League com um triunfo em Sheffield (3-0), com dois golos do sueco Kulusevski, o Chelsea venceu na receção ao Bournemouth (2-1) e o Newcastle triunfo no campo do Brentford (4-2).

A goleada da última jornada calhou ao Crystal Palace, que ‘deu’ 5-0 ao Aston Villa, com um ‘hat-trick’ do avançado francês Mateta.
pub