Estrela da Amadora junta 11 elementos na antevisão para vincar união do grupo

por Lusa
Lusa

O Estrela da Amadora vai encarar o derradeiro jogo da I Liga de futebol com o espírito de união que tem caracterizado todo o projeto, afirmaram esta quinta-feira o treinador, presidente, diretor desportivo e os oito capitães do grupo.

A conferência de imprensa de antevisão à receção ao Gil Vicente, da 34.ª jornada da I Liga, contou com a presença de 11 elementos: o treinador Sérgio Vieira, o presidente Paulo Lopo, o diretor desportivo José Faria e ainda os jogadores António Filipe, Bruno Brígido, Kialonda Gaspar, Miguel Lopes, Mansur, João Reis, Aloísio Souza e Pedro Sá.

“Este panorama [de 11 elementos] tem a ver com o caráter das pessoas que trabalham juntas neste novo passo que foi dado para o regresso à elite. Sempre foi de uma forma unida, com valores, espírito de família e sacrifício muito fortes, frontalidade, lealdade, honestidade, amizade e entreajuda. No último jogo não será diferente. É um encontro determinante e todos quisemos estar aqui no sentido de demonstrar que sempre foi e será assim até ao último segundo da temporada”, manifestou o treinador Sérgio Vieira.

O conjunto amadorense chega ao último jogo com 30 pontos, um acima da posição de play-off, ocupada pelo Portimonense, depois de uma jornada em que saiu goleado 4-0 da visita ao já despromovido Vizela, desaire justificado pelo treinador com um apagão mental que foi “ultrapassado com facilidade” durante a semana, com rigor e confiança.

“É o primeiro ano depois de muitos longe deste rigor da I Liga e sabemos que é sempre muito difícil. Todas as outras equipas ou estiveram recentemente, ou já estão há muito tempo. O primeiro ano do projeto requer a superação, entrega e a evolução de muitos aspetos que contribuem para o rendimento. Fizemos grandes jogos contra adversários fortes. Sábado dependemos de nós e todos juntos a remar para o mesmo lado”, frisou.

O presidente, Paulo Lopo, destacou o apoio constante da massa adepta dos ‘tricolores’ durante a temporada, tendo já esgotado o Estádio José Gomes para este último duelo, lembrando ainda o trabalho e a evolução efetuados durante os quatro anos de projeto.

“Temos um clube forte e unido, que conseguiu, em quatro anos, realizar o que poucos conseguiram. Transformámos este clube, com muita dificuldade e luta. Estamos juntos e confiamos uns nos outros. Sabemos a importância do Estrela da Amadora no nosso futebol e é a recriação do que queremos que seja o Estrela do antigamente”, apontou.

Já o diretor desportivo, José Faria, expressou que todos os que trabalham no clube se devem sentir orgulhosos do percurso, apesar das dificuldades, e falou numa “semana espetacular”, através de um sentimento de família “no verdadeiro sentido da palavra”.

“Nada termina agora, o Estrela da Amadora veio para ficar. Quem está aqui, não caiu de paraquedas. Sabe o que quer, para onde tem de ir e nada nos vai demover. Apenas dependemos de nós, vamos fazer tudo e vamos até dar a vida pelos nossos adeptos. Se eles fizerem o mesmo, vai ser muito difícil não atingirmos os nossos objetivos”, avisou.

Também os futebolistas deixaram a sua mensagem, através das vozes de Miguel Lopes e António Filipe, que reforçaram o espírito e a vontade em chegar ao jogo de sábado e carimbar, junto dos adeptos, a permanência no escalão máximo do futebol português.

“O Gil Vicente está numa situação tranquila, mas o nosso espírito, vontade e o querer chegar a sábado é enorme. Estou convicto de que este grupo vai atingir os objetivos”, disse Miguel Lopes, com António Filipe a acrescentar: “Já passei por algumas situações destas. Fomos construindo este sentido de família e de liderança, que temos de meter em prática muito rapidamente. Estamos todos ansiosos para enfrentar este desafio”.

O Estrela da Amadora, 15.º colocado, com 30 pontos, recebe no sábado o Gil Vicente, 11.º, com 36, a partir das 15:30, no Estádio José Gomes, na Amadora, em jogo da 34.ª jornada da I Liga, com arbitragem de João Pinheiro, da Associação de Futebol de Braga.
pub