Treinador do Casa Pia quer vencer Gil Vicente e dar continuidade ao bom momento

por Lusa

O técnico do Casa Pia, Gonçalo Santos, afirmou hoje esperar um jogo difícil frente ao Gil Vicente, na 24.ª jornada da I Liga de futebol, mas pretende cimentar o percurso vitorioso no comando técnico dos ‘gansos’.

O Casa Pia atravessa um bom momento na temporada, após dois triunfos consecutivos no campeonato, sobre o Arouca (1-0) e o Vitória de Guimarães (2-0) sob o comando técnico de Gonçalo Santos.

O treinador dos ‘gansos’ espera dificuldades na receção ao Gil Vicente, mas sabe que a confiança da equipa está em alta e pretende somar mais um triunfo na I Liga.

“Vimos de duas vitórias consecutivas. É sempre um ponto positivo. Estamos num bom momento e trabalhar em cima de vitórias dá-nos mais confiança, e os jogadores acreditam mais na mensagem passada pela equipa técnica”, admitiu, em conferência de imprensa.

Também com dois resultados positivos nos últimos jogos, o Gil Vicente será um adversário complicado no Estádio Municipal de Rio Maior, segundo o técnico dos ‘gansos’.

“Vem de uma vitória fora no campo do Estoril, que é sempre um campo muito difícil, e de um empate em casa frente a um candidato ao título que lhes dá ainda mais confiança e moral extra. Mantém praticamente o mesmo onze. Têm rotinas e princípios bem assimilados, por isso esperamos um jogo difícil para nós”, salientou.

Com a subida de Gonçalo Santos a técnico principal, o Casa Pia voltou a atuar num sistema de três defesas (3x4x3), depois de ter jogado várias em vezes em 4x4x2 sob o comando de Pedro Moreira.

O técnico dos ‘gansos’ acredita que é uma “vantagem” o facto da equipa ter trabalhado com os dois sistemas táticos desde o início da temporada, e fala numa mudança de mentalidade que permitiu vencer os dois últimos jogos para o campeonato.

“Fiz parte das últimas lideranças, do Filipe Martins e do Pedro Moreira. Sabia onde é que podíamos melhorar, mas a principal razão foi fazer os jogadores acreditar que conseguiriam dar a volta aos resultados menos positivos. Acho que foi a mentalidade de eles acreditarem neles próprios e a força que nós enquanto equipa técnica conseguimos acrescentar”, admitiu, indicando que a meta do Capa Pia é alcançar a manutenção o mais rapidamente possível.

O Casa Pia venceu o Arouca e o Vitória de Guimarães e não sofreu golos, recuperando muita da consistência defensiva.

“É verdade que termos passado para uma linha de cinco fez-nos melhorar defensivamente. Colocámos um jogador a mais na linha defensiva, defendemos melhor a largura, passámos grande parte dos dois jogos em bloco médio baixo, mas conseguimos ao mesmo tempo, criar muitas oportunidades de golo. Isso é um ponto positivo do nosso jogo ofensivo. Os jogadores estão mais confiantes, e acredito que ainda iremos melhorar o nosso jogo daqui para a frente”, vincou.

Os avançados Felipe Cardoso e Kiki Silva estão recuperados e são mais duas opções para o encontro frente ao Gil Vicente. No entanto, o destaque na equipa lisboeta, desde a chegada de Gonçalo Santos ao comando técnico do Casa Pia, tem sido Pablo Roberto.

“O Roberto é um jogador em que colocamos sempre muita expectativa. É um dos melhores jogadores do nosso plantel. Prometeu muito desde o início, teve fase menos positiva, mas renasceu. Isso deve-se à dedicação, à forma como assumiu o compromisso de ajudar a equipa. Quando nos focamos em ser melhores o resultado está à vista. Esperamos ainda muito mais dele”, exprimiu.

O Casa Pia, 11.º classificado, com 26 pontos, recebe domingo, pelas 15:30, o Gil Vicente, 10.º, também com 26 pontos, no Estádio Municipal de Rio Maior, em jogo da 24.ª jornada da I Liga, que será arbitrado por Manuel Oliveira, da associaçao do Porto.
pub